História Eu não sou loca o BTS que é... ou melhor Kim TaeHyung é! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, V, Xiumin
Tags Adolescente, Bts, Drama, Escolar, Exo, Faculdade, Grupos Coreanos, Hentai, Irmãos, Jongin, Kim Taehyung, Kpop, Loucura, Romance
Visualizações 277
Palavras 502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem espero que gostem do meu novo ptojeto...
B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 1 - UNO


Fanfic / Fanfiction Eu não sou loca o BTS que é... ou melhor Kim TaeHyung é! - Capítulo 1 - UNO

Não ta dando certo. minhas amigas passam falando de grupos coreanos,  mas eu não consigo acompanhar. Por isso fui embora. Estou abandonando minha cidade, minhas amigas, meu Pai.

Estou indo morar com minha mãe na América.  Meus pais são divorciados des dos meus dez anos. Quando fiz quinze meu pai ficou com a guarda. Mas agora estou indo para a casa da pior mãe do mundo. Já tenho dezoito posso entrar em um avião sozinha. Só não moro sozinha por que não consegui dinheiro suficiente ainda. Vou fazer faculdade na América.

Faltam duas horas de vôo ainda. O malditto filme "a lagoa azul" estava dando novamente em uma televisão no teto do avião. Conectei meu fone no celular e comecei a ouvir minhas musicas matinais tipo: nirvana, guns, metálica, skilit, por ai vai. Peguei um livro na mochila e comecei a ler.

Terminei de ler o livro, recostei a cadeira e tirei um cochilo. Quando acordei já estavamos pousando.   Guardei minhas coisas e esperei calmamente. Descendo do avião suspirei alto antes de caminhar pela pista de vôo até o prédio.

A maioria dos passageiros tinham alguém esperando por eles. Eu não tinha ninguém. peguei um ônibus a frente do prédio do aeroporto. desci na parada a duas quadras da casa do minha mãe. Me arrastei pela rua, algumas pessoas das casas onde eu passava paravam o que faziam para ficar me encarando.

Ouvi o barulho de bibliotecas se aproximando de mim. Ajeitei a mochila nas costas e continuei caminhando. As bicicletas passaram por mim e pararam a alguns metros de mim. continuei me arrastando pela rua em linha reta. os garotos em cima das bicicletas falaram alguma coisa, mas não ouvi por causa dos fones. parei a alguns centímetros deles e tirei o fone e o pendurei no pescoço.

-Está perdida garota? -perguntou um deles.

-Com licença. -pedi controlando a paciência tentando prosseguir, mas impedida pelas bibliotecas.

-Acha que vai a algum lugar? -pergunta o mesmo.

-Acho que ela acha que vai passar. -falo outro garoto da bicicleta antes de rirrem.

-"ah, que medo,  o que será que eles vão fazer comigo? "-imito uma garotinha em defesa. sentiu o sarcasmo? -vê se cresce piralho. -falo fazendo a volta nas bicicletas.

-Acha que pode sair assim sua vadia?-fala um dos garotos pegando a bicicleta e indo atrás de mim. -Ei filha da Puta!-quando ele disse isso eu parei me virei para ele e segui para cima dele. segurei o colarinho de sua camisa e lhe dei um soco fazendo o mesmo cair da bicicleta.

-Nunca fale da minha mãe seu vagabundo.-falo antes de voltar a caminhar.

Os outros desceram das bibliotecas e correram ate o outro no chão. Continuei caminhando sem olhar para trás. Não gosto da minha mãe, mas não adimitam que falem mal dela. "mesmo sabendo que ela é uma puta mesmo".

Cheguei na casa e bati na porta entediada. Demorou um pouco para atenderem. Me surpreendi quando um garoto (que parece ter minha idade) abre a porta sem camisa.


Notas Finais


????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...