1. Spirit Fanfics >
  2. Eu nunca... >
  3. Consolei o meu ex no hospital.

História Eu nunca... - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee! Obrigada por falarem que gostam da fanfic 💖💘❤❤💓

Esse capítulo o Ben vai aparecer.

A partir de agora vou dividir a história.

Um capítulo com o Paxton e outro com o Ben.

Para agradar a todos que estão a ler.

Espero que gostem e boa leitura💖

Capítulo 5 - Consolei o meu ex no hospital.


Fanfic / Fanfiction Eu nunca... - Capítulo 5 - Consolei o meu ex no hospital.


☆Alguns dias depois☆


*Devi on*


Hoje é o dia da prova, me arrumei tomei o café da manhã que a minha mãe fez, rezei para alguns deuses que estão no altar em meu quarto. Me desejando concentração e refletir para saber a reposta certa, durante a prova.

Sei que vai dar tudo certo, mas meu coração mesmo assim fica pesado e preocupado. Toda vez que fazia a prova a minha maior alegria era superar o Ben, agora ele nem mais está ao meu lado.

Sai de casa e entrei em meu carro indo para o local da prova. Depois da prova temos que voltar para hospital para atender os pacientes.

Entrei naquele prédio aonde a prova será realizada, entrei na sala mas cedo e li alguns resumos, que estão no meu celular.

A sala é cor cinza escuro, trazendo um ar fechado e triste para o lugar, há várias cadeiras com mesas pela sala, de cor preta. Alguns armários e um quadro branco na frente da sala.

Me sentei ali, no meio. Estava olhando para meu celular lendo resumos e me concentrando para o que estava a vir.

As pessoas começaram a entrar, e o sino finalmente tocou.

Coloquei o meu celular e meu relógio em cima da mesa, pois é proibido aparelhos eletrônicos com os alunos.

Logo entrou na sala um professor com um feição feliz.

- Bom dia a todos. Espero que se saem bem na prova que está por vir, por favor coloque os aparelhos em cima da mesa, que vou recolhe-los. - Disse o professor e a sala obedeceu colocando coisas eletrônicas em cima das mesas.

Após todo o drama, começou a prova. Tenho apenas 3 horas, para fazer a mesma.

□ 2 horas 45 minutos depois.□


Havia terminado a prova, me levantei da carteira e fui até o professor, entreguei a minha prova, com um sorriso confiante no rosto. Peguei o meu celular e relógio e sai da sala.

Encontrei algumas colegas do meu trabalho.

- Devi! Então, como você foi? - Perguntou uma garota que estava a olhar para mim com um certo medo.

Escolhi não falar o que eu realmente acho.

- Acho que fui bem, tinha algumas questões difíceis. - Falei para ela com um sorriso de canto.

Estava facil a prova, mas não quero me gabar falando como fui muito bem.

- Ah... Sim. - disse a garota que me perguntou.

Os outros continuaram a conversar sobre as questões.

- Por que você ainda não foi para o hospital? - Perguntei para a garota que riu.

- Eu quero aproveitar meu tempo livre daqueles velhos chatos. - Disse a garota soltando uma risada baixa o que me fez sorrir.

Realmente haviam certos médicos extremamente mal educados. Apenas queremos aprender e eles tentam humilhar os residentes, como eu, por exemplo. Difícilmente faço coisas erradas, mas quando faço levo uma bronca daquelas, isso me irrita muito por isso tenho muito cuidado com tudo que faço.

Olhei em minha volta, haviam alguns grupos de pessoas conversando por aí.

Decidi que também vou ficar aqui.

Sai de perto da garota e fui até o banheiro fazer minhas necessidades.

Sai da cabine e me olhei no espelho. Estava normal, mas os meus cabelos estavam dessarumados e tinha remelas em meus olhos.

Passei água em meus cabelos os ajeitando, tirei a remela dos meus olhos piscando algumas vezes.

Tirei o celular do bolso e liguei a internet, havia uma mensagem de um desconhecido.

Abri a mensagem, que está digitado.

×××××××78

Oi
É o Paxton


Oi 

Vou te adicionar


Respondi a mensagem rapidamente, olhei para o espelho e dei um sorriso para mim mesma orgulhosa.

Estou com a consciência limpa. Finalmente vou poder aproveitar essas férias.

Dei um suspiro aliviada.

Sai do banheiro e fiquei passeando pelo prédio, admirando os jardins verdes que tinham por lá.

O sinal tocou e sai do prédio, indo até o estacionamento.

Abri a porta do meu carro prestes a entrar.

- Ei! Moça! - Disse alguém. Me virei para ver a pessoa, é uma das garotas que trabalha comigo.

Ela é bonita, inteligente e gentil porém, é atrapalhada. O que faz com que os outros médicos diminuam ela, de vez enquando tento a animar mas, nem a conheço direito o que faz ficar mais difícil.

Ela está usando um óculos como sempre, uma calça jeans com uma blusa que mostra o colo.


- Oi! Precisa de alguma coisa? - perguntei para a garota que estava se atrapalhando no seu andar.

- Bom, me desculpe por pedir isso mas, você pode me dar uma carona? - Disse a garota que ajeitou o óculos nos olhos.

- Posso sim, entra aí. - Disse e entrei no carro, garota repetiu o mesmo ato.

Dirigi até o hospital conversando sobre a prova.

Chegamos no hospital e desci do carro junto com a garota.

- Obrigada por me dar carona - Disse a garota falando quase um sussuro.

- Eu não escutei muito bem mas, acho que você agradeceu. - Disse e ela que assentiu com a cabeça, se fazendo um sorriso.

- Sim!- disse a garota e continuamos a andar até o hospital.


- Qual é o seu nome? - perguntei olhando nos olhos dela.

- Carolina.- Disse ela com um sorriso e eu correspondi dando um também.

- Okay, vou me lembrar. - Disse e caminhamos até o hospital.

Entramos no hospital.


- Nossa, o que será que aconteceu? com aquele homem bonito. - Disse Carolina que parou de andar para olha-lo. Estava olhando na outra direção quando ela falou.

Me virei para ver este homem.



Ben...




Ben estava sentado em uma das cadeiras do hospital, com uma das mãos em seu rosto.

- Mais que merda aconteceu?- disse sussurrando para mim mesma.

Me distanciei de Carolina e me aproximei de Ben que está com o olhar para baixo, sem perceber minha presença.

- Ben? - Disse isso e Ben levantou a cabeça reconhecendo a minha voz. Seus olhos estão vermelhos como seu rosto.

Me sentei ao seu lado no banco, encarando ele tentando decifrar o que aconteceu.


Não sei o que dizer, nunca fui boa em consolar. Não o vejo a anos, o que será que aconteceu para ele estar neste estado?


- Devi, Eu- me-u pai.- Disse Ben entre soluços, o que me deixou mais ainda triste.

Será que o pai dele está bem?


- Vai ficar tudo bem... - Disse isso e comecei a acariciar suas costas, para trazer um conforto.

Não iria perguntar nada pois sabia que ele não me responderia.

Ele arfou chorando um pouco mais.

- Fica tranquilo. - Disse aquilo com um olhar angústiado, tinha visto o Ben triste algumas vezes mas nunca desta forma.

Esperei ele se acalmar para poder olhar em seus olhos.

Olhei para seus olhos que estavam um pouco menos vermelhos, mas dando realce ao azul.

- Que tal a gente almoçar juntos mais tarde?- Disse isso com um sorriso meigo tentando o acalmar.

O azulado concordou com a cabeça, secando as bochechas.

- Eu tenho que trabalhar, a gente se vê mais tarde tá? - Disse isso dando tapinhas em seus ombros que estavam mais largos, desda última vez que vi.

Me levantei e comecei a caminhar para a minha área de pedagogos.

Fui para o vestiário trocar as minhas roupas.

Enquanto tirava a minha blusa pensei no Ben.

Meu coração está aflito, não consigo pensar em outra coisa a não ser em seu rosto triste.

Coloquei a blusa e tirei a calça jeans que estava a usar.

Quero poder ficar lá, apoia-lo. Seja lá qual for o problema com seu pai, eu quero continuar ao seu lado.

Vesti a calça azul e os sapatos.

Espero que seu pai fique bem.


☆ No horário do almoço ☆


Sai da sala dos residentes e fui encontrar o Ben.

Havia alguns cochichos, que percebi na hora, lancei um olhar ameaçador para a pessoa e seu acompanhante.

Que no momento parou de cochichar e olhou para outro lado.

Fui para o vestiário trocar de roupa novamente, troquei e saí do vestiário.

Fui a entrada procurar por Ben.

Ele estava lá sentado em uma das poltronas, com um olhar perdido em seus pensamentos.

Me aproximei do azulado, que se levantou com um sorriso de canto.

- Vamos sair para um restaurante ou ir pra minha casa. - Disse isso indo até a entrada/saída.

Saímos do hospital e caminhamos indo para o estacionamento.

Eu ia atravessar uma parte do estacionamento quando um carro estava vindo com uma alta velocidade.

Ben agarrou o meu pulso puxando para sí.

Dando um encontrão nele, bati a cabeça em seu tórax.

- Olha pro carro! - gritou o homem saindo do estacionamento.

Me afastei de Ben.

- Aqui é um estacionamento, CARALHO! - Gritei com o homem que apenas ignorou.


Estava com tanta raiva.



Ben riu baixo olhando aquilo.

- Pelo que eu tô vendo, você não mudou muito. - Disse Ben com um sorriso folgado no rosto.

Me virei para ele, com os braços cruzados.

- Eu nunca vou mudar. - disse isso com um sorriso folgado.

Estava irritada mas não discontaria em Ben.


Ele apenas riu olhando para outro lado.

Me virei olhando para os lados e indo até o meu carro. O azulado me seguiu em silêncio.

Entrei no meu carro e o Ben também.

- Eai? Vai me contar o que tá acontecendo? - Disse observando sua feição, ele estava olhando para o painel do carro.

- Meu pai teve um ataque cardíaco. - Disse ele ainda olhando para o painel.

Caramba...ele é um grande fã do seu pai desde sempre, por isso ele estava tão abalado no hospital.

- Sério? Ele tá com colesterol alto? Ele não tá praticando exercícios físicos? - Perguntei para ele mais preocupada que antes.

- É... - Disse ele olhando para mim.

- Por que a sua mãe não tá aqui? - Perguntei novamente olhando atentamente sua feição.

- Ela tá em Dubai, vai chegar só de tarde. - Disse Ben que estava com um olhar de vazio.

- Hm... - Assenti com a cabeça olhando para baixo.

- Você tá bem? - Perguntei o olhando para seu rosto, seus olhos estavam marejados e seus lábios tremiam.

Coloquei a minha mão encima da dele.

Ele me olhou com as lágrimas caindo de seu rosto.

Ele desabafou tudo. Está com medo de perder seu pai, apesar de não serem tão próximos Ben se  preocupado com ele.

Ele não estava dando conta de tudo sozinho, sua mãe não estava perto e seu pai está doente.
Devi era seu Porto Seguro, depois que terminaram continuou a fazer a faculdade de psicologia.

Tentava fazer amigos mas infelizmente só se aproveitavam de seu dinheiro.

Escutei ele com toda atenção, seus sentimentos, seus pensamentos e seus medos.

Decidi que, eu nunca mais vou deixar o Ben.





Notas Finais


Eai gostaram time Ben?🤔

Fiz com muito carinho esse capítulo pensando nos acontecimentos da vida de Ben.
Na rota que ela fica com o Paxton, ela vai continuar a ser a amiga dele.😁

Espero que tenham gostado 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...