História Eu odeio te amar - Jortini Leonetta - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Jorge Blanco, Martina Stoessel, Violetta
Tags Jortini, Leon, Leonetta, Violetta
Visualizações 128
Palavras 1.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, aconteceu um probleminha por isso fiquei sem postar.
Eu tinha esquecido a senha da conta :P
Mas estou de volta <3

Capítulo 16 - Capítulo 16


Fanfic / Fanfiction Eu odeio te amar - Jortini Leonetta - Capítulo 16 - Capítulo 16


Povs Narrador


- Doutora, ela não responde. - gritou Jorge - A Martina apagou, façam alguma coisa!

- Retirem o pai da sala, rápido. - dizia a médica - Apliquem...


Jorge foi retirado imediatamente da sala, e o deixaram na sala de espera. Em seguida chega Fran que encontra Jorge sentado e cabisbaixo.


- Nasceu? - perguntou Fran sorrindo - Aonde ele está? E a minha irmã?


- Eu não sei, fui retirado da sala. - disse Jorge nervoso - Aconteceu alguma coisa.


- Que? Como assim?


- Eu não sei. - disse Jorge quase chorando - Apenas fui retirado.


- Que tipo de acontecimento? - perguntou Fran sentando ao lado de Jorge - O que foi que você viu?


- A hora que o neném nasceu, ele não chorou. - dizia Jorge - E ai a Martina desmaiou.. Você avisou para os seus pais?


- Liguei. - dizia Fran - Mas só chamava, ninguém atendia. É de madrugada, o telefone deve estar no modo mudo.


- Não avisa para eles agora não. - dizia Jorge - Deixa ficar tudo bem.


Jorge ficou andando de um lado para o outro. Fran ficou sentado de cabeça baixa esperando por notícias. 
Por fim, um médico apareceu e se aproximou..


- Jorge Blanco? - apareceu o médico - Sou seu fã rapaz.


- Meu filho está bem? - perguntou Jorge - E a mãe dele?


- O garotinho está bem! - dizia o médico - Martina também, está tudo sobre controle.


- Aonde eles estão? - perguntou Fran - Posso ir vê-los?


- O garotinho foi entubado. - disse o médico - Mas é só para respirar melhor. Porém está ótimo, ainda hoje será retirado os tubos.


- E a Martina? 


- A pressão apenas caiu. - dizia o médico - Já se normalizou e agora está bem.


- Por que meu filho não chorou? - perguntou Jorge - É normal?


- Olha, o normal é o recém nascido chorar, pois é um sinal de vitalidade.. Mas demos uma batinha de leve em suas costas e logo respondeu.


- Que bom! - disse aliviado - Quando posso ir ver?


- Mais tarde..


Assim que o médico saiu, Fran e Jorge se abraçaram e comemoraram. 
Eram 04:30 da manhã.


- Ligo para os meus pais? - perguntou Fran feliz 


- Sim, avisa-os.


Fran ligou no telefone de sua casa, porém ninguém atendia.
Logo ligou no celular de seu pai e de sua mãe, mas só caía na caixa postal.


- Não atendem. - disse Fran - E nem vão atender, eles desligam celular de madrugada.


- Então mais tarde você avisa. - dizia Jorge com um sorriso de orelha a orelha - Estou tão feliz!


- Parabéns papai. - Fran o abraçou - Não tinha te falado ainda.


- Valeu, cara!


Por volta das 08hs da manhã, Jorge e Fran tomaram um café na cantina do hospital. 
Logo voltaram para a sala de espera, Fran conseguiu falar com seus pais que já estavam a caminho.
Até que Jorge foi chamado...


- Jorge? - a médica de Martina se aproximou - Já foi comunicado que está tudo bem?


- Já. - disse - E como eles estão?


- Martina já está acordada. - respondeu - E o seu filho, já foi desentubado. Está novinho em folha!


- Que notícia maravilhosa. - disse Fran e Jorge


- Posso ir ver ela? - perguntou Jorge - Queria vê-la como está.


- Sim. - respondeu - Vou levar a criança até ela, porém só pode ir uma pessoa.


- Tudo bem, vai lá. - dizia Fran - Vou ficar aqui esperando meus pais.


- Beleza, te vejo daqui a pouco.


Jorge logo acompanhou a médica até a sala onde estava Martina.


Povs Martina


Que susto levei, durante o parto fiquei fraca e após não escutar o choro do meu filho, minha pressão caiu de vez. E daí não lembro mais de nada. Acordei no quarto, conversei com a minha médica e ela me explicou tudo.
Minutos depois, Jorge entra...


- Ei, como está? - ele se aproximava enquanto falava baixinho - Que susto que você me deu.


- Agora estou melhor. - dei um sorriso - E o nosso filho, cadê?


- A médica foi buscá-lo. - respondeu 


- Levei um susto na hora que ele não chorou. - disse - Eu tinha escutado falar que não era muito comum o bebê não nascer chorando.


- Também fiquei preocupado. - disse Jorge - Me preocupei com você também, quando apagou do nada.


Fiquei um pouco sem graça.. Logo a médica chega com o meu filho.


- Que coisinha mais linda! - disse Jorge olhando - Parece eu quando era criança.


- Ele é lindo. - disse Martina - Olha que fofo!


- Ele tem o seu nariz. - dizia Jorge - E a sua boca.


- Ainda bem que puxou a mim. - riu Martina


- Mas ele tem o formato do meu rosto. - dizia Jorge - Os olhos, vão puxar aos meus.


- Tomares. - ri - Avisou aos meus pais?


- Sim. - respondeu - Seu irmão está lá fora.


- E o nome, qual coloremos? - perguntei enquanto acariciava a cabeça do bebê 


- Achei que ele tem cara de Theo. - falou Jorge - Cujo o nome significa "Dádiva de Deus". O que acha?


- Também acho. - sorri - Então vai ser esse, Theo Stoessel Blanco.


Povs Narrador


Minutos depois a médica retirou Theo dali e o levou para o berçário. 
Horas depois, Fran, Ale e Mariana entram no quarto onde Martina estava.


- Oi meu amor. - Mariana se aproximou de Martina e a beijou na testa - Como foi o parto?


- Foi normal. - respondeu - Minha pressão acabou caindo demais, mas deu tudo certo.


- O Fran ligou durante a madrugada. - disse Alejandro a beijando na testa também - Mas sabe como é, né?! Deixamos desligado o telefone durante a madrugada.


- Eu sei pai. - disse Martina - Fico feliz por estarem aqui.


- E cadê o meu afilhado? - Fran abraçou Martina - Estou feliz que esteja bem.


- Ele estava aqui agora pouco. - respondeu Jorge - Já demos até o nome.


- E qual é? - perguntou Mariana e Alejandro


- Theo Stoessel Blanco. - dizia Martina 


- Que lindo nome. - dizia Fran - Espero que ele seja tão lindo quanto o nome.


- E ele é. - disse Jorge - É lindo!


- Pelo menos serviu para alguma coisa essa sua belezinha ai. - disse Alejandro - Parabéns Jorge!


- Obrigado Ale. - agradeceu 


(...)


Um pouco depois, Jorge, Fran, Mariana e Alejandro foram ver George no berçário.. porém só podia olhar de longe.


- Ele é lindo! - disse Mariana avistando - Lembra um pouco a Tini e o Jorge juntos.


- Que nada. - riu Fran - Até parece que o meu afilhado puxou o Jorge, ele é lindo.


- Se puxar o olho do lado da família do Jorge.. - dizia Mariana 


- Eu o vi de perto. - disse Jorge - Ainda está um pouco acinzentado, mas parece ter um pouquinho de azul..


- Ele é uma gracinha. - disse Ale encantado - Que lindo!


- ESSE FILHO É MEU! - alguém corria e gritava no corredor - EU TENHO CERTEZA!


- Pepe? - Fran o parou - Você está louco?


- Cara, você está em um hospital! - disse Jorge - Para de gritar.


- Para de gritar nada! - Pepe soltou um murro na cara de Jorge - Esse filho é meu!


Jorge ia revidar mas Fran o segurou.


- Esse filho não é seu. - dizia Jorge - Ele não tem nada que lembre você.


- Eu quero ver o meu filho! - disse em um tom alto - Aonde ele está?


- Para de ser infantil, rapaz. - disse Alejandro brigando com ele 


- Eu quero um exame de DNA. - pediu Pepe - Eu não vou embora, e não deixei vocês saírem daqui sem ter feito o exame. 


- Não fala besteira. - disse Fran - Minha irmã tem total confiança de quem é esse filho, por favor se retire.


- Eu só quero um exame de DNA. - dizia Pepe - Vamos ver de quem é esse filho.


- Ele é meu filho! - disse Jorge se alterando - Fica longe dele.


- Tem medo de um exame de DNA? - Pepe ria - Tem medo de que o resultado dê certeza que o filho é meu?





 


Notas Finais


O Pepe ainda aparecerá várias vezes, desculpem hahah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...