1. Spirit Fanfics >
  2. Eu ouço vozes (Naruto) >
  3. Capítulo - II

História Eu ouço vozes (Naruto) - Capítulo 2


Escrita por: , AyyPaninini_ e _MAHI_PJCT_


Notas do Autor


Espero que gostem! Beijos ✧◝(⁰▿⁰)◜✧ Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo - II


Fanfic / Fanfiction Eu ouço vozes (Naruto) - Capítulo 2 - Capítulo - II

•Ponto de Vista do Sasuke•

Um bolo estava preso em minha garganta. Fiquei um bom tempo parado em frente aos portões da escola. Aquela sensação era estranha. "Não vá..." era o que as vozes dentro de mim diziam. Um suor frio escorreu em minha nuca. Contrariando o que diziam, entrei. Por fora, me mantinha firme, por dentro, lutava contra meus próprios demônios.

— Sasuke Uchiha? — Alguém me chamou. Me virei um pouco assustado, podia jurar que havia escutado a voz da minha mãe.

— S-Sim...? — balbuciei. Em minha frente, estava uma mulher loira. Vestia-se com formosura e simplicidade.

— Sou Tsunade Senju — estendeu a mão, sorrindo. — Diretora da escola. — Seu tom era firme, contudo, dócil.

— Prazer, senhora Senju. — apertei sua mão. Ao fazer tal ato, senti um calor percorrer meu corpo.

 Se me permite, irei lhe acompanhar até a sua sala.

— Claro. — sorri de canto.

Enquanto caminhávamos, eu dava uma olhada na escola. Era enorme. Pessoas transitavam de um lado para o outro. Estava nervoso.

— Senhora Tsunade! — Duas garotas, uma loira e outra morena se aproximaram.

— Tenten, Ino, o que foi?

— Os garotos estão brigando lá no Pátio. — loira cruzou os braços.

— Acho melhor a senhora ir lá, ou o Neji e o Lee irão se matar. — A morena completou.

— Certo. — suspirou cansada — Naruto! — chamou um loiro de olhos azuis que estava passando. Ele era belíssimo. Estava com vários papéis na mão, parecia estar distraído no momento em que foi chamado.

— Sim? — falou saindo do transe.

— Por favor, leve o Sasuke Uchiha para a sala dele. Se não me engano, é a mesma que a sua.

— Ah, claro! — sorriu.

— Se me dão licença. — ditou, sendo arrastada pelas duas garotas.

— Oi! Eu sou Naruto Uzumaki! — sorriu com ternura e estendeu a mão.

No momento em que apertei, sinto um calor surreal passar pelo corpo. Era diferente de quando havia segurado na mão da Senju. Aquele toque fez o meu coração pulsar de uma maneira diferente.

— O-oi... — gaguejei. — Como sabe, me chamo Sasuke Uchiha.

— Prazer em conhecê-lo! — falou, logo começando a andar.

No caminho até a sala, fomos em silêncio. Era meio desconfortável para mim estar ali, no entanto o garoto me parecia bastante feliz.

— É aqui. — pontuou quando entramos na sala.

— Obrigado. — agradeci e me sentei em uma das cadeiras que estava vazia.

"Eles te odeiam" um sussurro ecoou em meu ouvido, contudo, tentei ignorar colocando fones. Minhas mãos estavam gélidas e minha boca seca. Sentia que meu coração podia pular pela boca.

Você é uma aberração" 

Um sorriso alto e agudo fora ouvido por mim, a minha agonia só aumentava a cada segundo. 

Os alunos iam entrando à medida que o tempo passava, por fim, quando o sinal ecoou por todo edifício, todos os alunos já estavam em seus devidos lugares. O professor entra e se apresenta, tiro os meus fones para ouvi-lo, mas tudo o que eu escutava eram as vozes. Meu corpo já estava suando, minhas mãos pinicava e minha respiração estava descompassada. Era apenas o começo das aulas mas parecia que eu estava há horas naquele cubículo, que parecia mais apertado a cada segundo.

— Sasuke? — olho para o professor, o loiro me olhava confuso.

— Sim, professor....?

— Deidara. Por favor apresente-se — pede educadamente, mas o seu tom de voz era um pouco escasso.

— Sim, senhor — sussurro, nervoso.

Me levantei devagar, sentindo as minhas pernas ficarem bambas, vou andando em passos cautelosos e lentos até chegar em frente do quadro negro e ficar de frente para a sala inteira. Um nó formou-se em minha garganta e coloquei as mãos no bolso frontal da calça que eu usava.

— Meu... Meu nome é Sasuke Uchiha e... Eu tenho... — De repente, as vozes começaram.

Mas não era as mesmas vozes, não era gritos, choros ou pedidos de socorro. "O novato é estranho." "Ele é uma aberração". Aquilo tudo estava me agoniando, minha respiração já se encontrava falha, meus olhos marejados.

— Eu não sou uma aberração... — sussurro, pondo as mãos em minha cabeça a apertando com força, tendo uma missão meramente falha de silenciar as vozes. — Eu não sou um estranho! — Meu tom de voz se eleva, fazendo todos da sala se assustarem.

As vozes aumentaram, agora não eram somente vozes, também tinham risos agudos. Me agachei e puxei brutalmente os fios de meus cabelos, os choros estavam cada vez mais altos.

— Sasuke? Sasuke. — O professor me chama várias e várias vezes, mas eu não o ouvia.

Senti alguém tirar as minhas mãos da minha cabeça e a levantar, então estava lá, o garoto de cabelos loiros e olhos azuis, Naruto Uzumaki. Ele me olhava preocupado e o professor já não estava mais na sala. Olhei para todos em volta e decifrei os olhares de todos, alguns estavam com penas, alguns meninos zombavam e imitavam os meus movimentos de agonia enquanto seus amigos riam.

— Me tira daqui, por favor. — pedi ao garoto na minha frente e ele assentiu.

— Tudo bem, vamos. — Ele pega em minha mão e me ajudou a levantar.

Mais uma vez sinto aquele calor, o toque do garoto parecia me causar efeito. Eu me sentia protegido e acolhido. Ele me levou até a enfermaria. E no caminho até aqui, não soltou minha mão nem sequer um segundo. Me sentia seguro. Parece que quando ele me toca, as vozes e o desespero somem. Esqueço de todos os meus medos.

— O que aconteceu, Sasuke? — Deidara perguntou me entregando um copo de água, ele estava visivelmente preocupado.

 Não é nada... É só... — abaixei a cabeça. Iriam me chamar de louco se contasse.

— Eu te entendo. — Naruto ditou com um meio sorriso. O que me fez corar por dentro. — Dei, pode ir dar aula. Vou conversar com o Sasuke.

 Certo. — pôs a mão em meu ombro — Converse com o Naru, ele é bom com eloquência as vezes — sorriu para mim. Por um breve momento, lembrei de Itachi.

O de cabelos longos saiu logo em seguida. Pelo que percebi, os dois parecem ser parentes, por conta dos apelidos e proximidade também.

— Então. — Se pronunciou. — O que realmente aconteceu aqui dentro? — apontou pro meu peito.

— Eu... Não sei... — balbuciei. Senti as lágrimas voltarem. Um "Não conte" foi sussurrado em meus ouvidos.

 Pode confiar em mim. — falou — Te conheço a alguns minutos, porém, já lhe considero um amigo. — sorriu segurando minha mão.

Abri meus lábios para pronunciar as palavras, no entanto, elas me escaparam. Não conseguia dizê-las, algo parecia tapá-la.

— Sasuke, eu também já passei por traumas. — começou — Seus olhos são recônditos... Seu olhar é sôfrego. Ele está pedindo socorro.

 Ele é uma aberração. — disse com os olhos marejados. — Era o que as vozes diziam. Elas me chamam de estranho... Mas... Mas eu não sou uma aberração, não é? — Meus olhos transbordaram. — Não sou... eu não sou uma aberração! — solucei, alterando o tom da minha voz.

— Não, você não é! — Me abraçou com força.

— Elas me dizem isso todo dia... eu não aguento mais! Desde aquele dia elas me atormentam! Não sei como para-las... ultimamente, tudo ficou pior... — dizia agarrando o loiro com força, chorando na curva do seu pescoço. — Eu só queria que elas me deixassem em paz...

— Eu sei como se sente... — O encaro — Eu também já sofri um trauma que até hoje me atormenta. Porém, recebi a ajuda de muitas pessoas, e isso me ajudou a esquecer aquelas vozes ensurdecedoras. — ditou. 

— Naruto, pode pedir para alguém ligar para o meu irmão? — Sasuke pediu com voz embargada pelo choro. 

— Claro, — sorriu — Vou falar com o Dei. — Se levantou e saiu para chamar o loiro.

[•••]

•Ponto de vista do Deidara•

— Já liguei pro Itachi, Sasuke. — Me aproximei com um sorriso — Ele já está à caminho.

 Certo. Muito obrigado — sorriu desajeitado.

Alguns minutos depois, o Uchiha mais velho chegou. Obviamente, estava muito preocupado com o menor. O mesmo passou por nós correndo, indo até o irmão.

— Sasuke... — O abraçou. — Desculpe demorar tanto.

— Tudo bem... o Naruto e o Deidara souberem cuidar bem de mim — sorriu — Desculpe por ter saído correndo da sala e ter tido essa... crise.

— Não precisa se desculpar, Sasuke — Naruto se pronunciou. — Nós te entendemos.

Naruto sorriu para o Uchiha mais novo que, prontamente, retribuiu. Pela primeira vez na manhã ele deu um sorriso sincero. Suspirei alto, o que acabou chamando a atenção do irmão mais velho.

— Tudo bem? — pergunta ele, olhando-me curioso, talvez um pouco preocupado.

Exibi uma expressão tranquila e assenti, respondendo em seguida — Só um pouco preocupado, desde quando ele tem... digo, desde quando ele escuta essas vozes?

O homem inspira e solta o ar com força, seus olhos transbordavam preocupação e melancolia.

— Desde que éramos pequenos, ele tem tido isso após a morte do nosso clã, venho lidado com isso até o ocorrido — responde.

— Oh, então é algo em relação a traumas. Hum... Isso é algo difícil de lidar, ele tem tido algum contato? Digo, com as pessoas, além da família? — Ele nega e se senta na cadeira mais próxima.

— Quis escondê-lo da sociedade, não queria que meu irmão fosse tachado de aberração em público, mas tive que colocá-lo na escola, mesmo com a minha preocupação à flor da pele. — explica ele passando as mãos em seu rosto.

— Talvez escondê-lo não foi a melhor opção, talvez, só talvez vocês devessem socializar mais. Ajudará no crescimento mental de ambos, até mesmo na superação. — ponho a minha mão em seu ombro, me agachando logo em seguida, apenas para ficar a sua altura. — Às vezes é necessário deixar as pessoas entrarem na nossa zona de conforto para que um dia possamos ter o nosso conforto — ri e ele me olhou confuso — Eu sei, parece complexo. Mas tente, vocês precisam ter mais contato físico com outras pessoas.

— Entendo, você está certo. — Ele concordou e seu olhar fora para o seu irmão e o Naruto.

Naruto fazia besteiras para deixá-lo livre de pensamentos, enquanto Sasuke apenas sorria ou revirava os olhos diante as bobagens do loiro.

— Qual é o seu nome? — pergunto e ele me olha.

— Itachi, Itachi Uchiha. Você é o Deidara, certo? Desculpe, não sou bom com nomes.

— Tudo bem. Sabe, é meio invasivo, mas que tal você e seu irmão almoçarem lá em casa qualquer dia desses? — Ele me olhou confuso e me praguejei. — Desculpa.

— Não... Tudo bem.

— Certo — sorri fraco — quando puderem, é só nos falar. — disse e o outro assentiu.

•Ponto de vista do Naruto•

— Sasuke — O chamei, fazendo o mesmo me encarar — Você vai voltar pra casa agora?

 Acho que sim. — suspirou — Já perdi muito tempo das aulas e não sei se terei coragem de voltar de novo.

 Entendo. Acho melhor você ir pra casa mesmo. Relaxar um pouco... porém, não deixe esse medo te consumir, entende? — encarei. — As vozes querem que você se isole, não deixe elas te controlarem.

— Obrigado. — sorriu simples — Você mal me conhece e está me ajudando tanto...

— Não precisa agradecer — sorri — Eu fiz o que qualquer um faria — falei e o moreno negou.

— Os outros riram, você não. — disse sereno.

— Sasuke, o que acha de você e o seu irmão irem na minha casa nesse final de semana? — perguntei, vendo os olhos surpresos do garoto brilharem.

— Sério?

 Sim! — sorri.

— Vou perguntar ao Itachi. — Se levantou rapidamente, indo até o irmão.

— Tachi. — chamou — O Naruto nos chamou para ir na casa dele nesse final de semana.— ditou receoso — Podemos?

— É o convite perfeito. — Deidara argumentou, sorrindo.

O Uchiha mais velho me parecia desajeitado, pelo seu histórico, acho que poucas vezes fora na casa de algum amigo.

— P-podemos sim, Sasuke... — sorriu sem jeito.

— Obrigado. — O abraçou.

[•••]

•Ponto de Vista do Sasuke•

Hoje seria o dia em que iríamos para a casa dos Uzumaki's. Estava o pouco nervoso, receoso. Acho que nunca havia ido na casa de alguém assim. Nesses dias, continuei ouvindo as vozes, porém Naruto me ajudava bastante, me ligava em algumas noites para verificar se estava tudo bem ou mandava que eu o chamasse se algo acontecesse. Itachi ainda continuava meio fechado, tinha medo de acabar se apegando demais aos loiros. Ele não dizia, entretanto sabia que Deidara conversava com o mesmo.

— Sasuke. — Itachi me chamou, se sentando no sofá — Eu acho... Acho que não vou — apertou as mãos — Pode ir, se quiser.

— Por que, Itachi? — questionei preocupado

— Eu... estou com medo. — ditou — Não sei se estou preparado para isso. — disse e eu sentei ao seu lado. — Eu... Eu... Tenho muito medo de... Não saber como agir.

— Eu também sinto o mesmo — confessei. — Porém, temos que tentar, né? — sorri. —Eles são pessoas boas, não acho que irão nos machucar.

 Ainda me sinto inseguro... Vulnerável. — apertou minha mão — Mesmo sentindo isso... Eu vou — Deu um sorriso desajeitado, e eu sorri de volta.

 Vamos?

— Sim... — levantou.

[•••]

•Ponto de Vista do Itachi•

Combinamos de nos encontrar na frente da escola. Estava nervoso, podia sentir minhas mãos gélidas. Meu coração palpitou forte quando vi que Deidara se aproximava. Eu tinha bastante medo de me apegar demais, aliás perdemos pessoas bem importantes e isso pode nos causar insegurança de amar de novo. Alguns dizem que é frescura, mas não é, odeio isso.

Senti a mão do meu irmão e ele sussurra — Sorria, está tudo bem, confie, okay? — assenti mostrando um pequeno sorriso — Isso, que sorrisão Tachi.

Sua frase me fez, realmente, dar um sorrisão. Ato que ele retribuiu prontamente.

— Oi! — Naruto diz com aquele imenso sorriso.

— Oi! — meu garoto repete animado.

Diferente de mim, Sasuke se sentia seguro, desde que se conheceram ele está assim, até porque eu o loiro ficava ligando todas as noites para ele. Sasuke, se sentia seguro. Era algo belo, diferente dele eu não tinha ninguém para lidar com as minhas inseguranças. Era algo estranho para se dizer, mas acho, que mesmo depois de tanto tempo, preciso de alguém.

— Oi, Itachi.

— Oi... Deidara, hum.... Tudo bem? — pergunto e ele mostrou um lindo sorriso.

— Sim, estou bem, e você? — começamos a andar.

— Estou bem.

— Que bom.

Que droga, eu não consigo nem manter uma conversa. Eu e o Deidara permanecemos em silêncio, ele ainda estava com um sorriso agradável em seu rosto, eu estava com a agonia na face.

— Estou feliz que veio, eu estava meio inseguro de não conseguir trazê-lo até a nós. — confessa ele me olhando.

— Senti que estava hesitante, confirmei isso quando te vi encolhido perto do Sasuke. Ainda inseguro? — Eu o olhei e assenti.

— Não se preocupe, não irei força-lo, sabe disso, não é? — Apenas assenti com um sorriso.

— Obrigado, Deidara.

Mesmo inseguro, consegui finalmente formular algumas palavras, ao decorrer do caminho consegui manter uma conversa com ele o que era bom, eu não sabia o que falar então conversamos sobre culinária e artes. Nesse ponto já estávamos rindo baixinho e falando asneiras, acho que estava me soltando cada vez mais, assim como ele. Sasuke revirava os olhos cada vez que Naruto abria a boca, ambos estava se divertindo, as suas vozes estavam mais altas do que nunca. Estávamos nos divertindo e, finalmente, seguros.

[•••]

Já no almoço repleto de sorrisos e gargalhadas eu me encontrava mais tranquilo, Deidara nunca me deixava quieto, tentava a todo custo me animar, me tirar da insegurança talvez.

— Escuta Itachi, pode me ajudar a pegar mais lulas limpas para grelhar? — Deidara pede e eu assenti.

Saímos do quintal e fomos para dentro de casa, a mesma se encontrava uma bagunça só, me doía ao saber que o mais alto iria sofrer ao arrumar aquilo.  

— Está tudo bem? — pergunta ele pondo algumas lulas na vasilha.

— Sim, tudo ótimo — sorri.

— Que bom — sorriu fofo — Agora, o que acha de polvos?

— Acho bem gostosos.

— Vamos pegar para comer no molho? — pergunta abrindo a vasilha, olhando o animalzinho alí dentro.

— Vamos, Deidara.

— Okay, desculpa polvinho, você foi um bom cidadão marinho — Ele colocou a mão no peito e fechou os olhos.

Gargalhei da cena, ele abriu os olhos e sorriu. Voltamos e passamos a grelhar a lula, optei por fazer o molho de pimenta para comer o polvo. Observa Naruto que dançava loucamente e tentava arrastar o Sasu, era engraçado ver aquilo, ele finalmente tinha encontrado alguém. Logo ambos riam, Sasu empurrou o Naruto e eles começaram a brincar. Deidara entrou no meio e passou a dançar de uma forma desengonçada, era estranho e engraçado.

— Vem Tachi!

Naquele momento, entre risos e gargalhadas eu sabia mais que tudo que estava seguro. Sasuke e eu podíamos sentir isso agora, era tão novo e tão doce que me fez ficar inerte frente a isso tudo. Era tão assustador, mesmo com pouco tempo nos sentimos à vontade. Éramos frágeis, ainda somos, éramos infelizes e aos poucos isso acabava. Agora, finalmente, poderíamos confiar em alguém.



Notas Finais


Bem, chegou o fim da Fanfic, espero que tenham gostado e perdoe-nos pela demora.

Fanfic | @AyyPanini_ • @SkyV
Betagem | @ParkBaek
Capa | @Swag_Dh

Mais fanfics no @_Mahi_Pjct_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...