1. Spirit Fanfics >
  2. Eu posso explicar >
  3. Extra -- Lucios X Severo

História Eu posso explicar - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Extra -- Lucios X Severo


Ele não sabia como, porque ou quando deixou Lucios o convencer a fazer isso. Ele so podia está louco. Pronto era isso, ele enlouqueceu. Por que era impossivel - pra ele - que fizesse isso de livre e espontânea vontade.

Como pelos deuses ele ia fazer aquilo?

Talvez ele apenas finjisse que esqueceu e não precisasse fazer. Não, ele tinha certeza de que o loiro daria um jeito.

Maldita hora em que concordou fazer os desejos do maldito loiro.

"Amaldiçoado seja Lucios. Espero que tenha uma morte lenta e dolorosa." -- pensou irritado.

Onde estava com a cabeça quando aceito transar em frente a ex-mulher do loiro.

"Espero que todos morram.Pro inferno com isso." -- Concluiu.

"Okay, eu preciso me acalmar, vai dar tudo certo, se os deuses quiserem Lucios vai ter desistido disso." -- Pensou entrando na sala para tomar o café da manhã junto ao dito loiro.

-- Bom dia querido. -- Falou Lucios sorrindo para o outro, que apenas fechou ainda mais a cara.

-- Bom dia. -- Resmungou Severo de mal gosto.

-- Tem algum plano para hoje?

-- Não, por que? -- Estava temeroso pelo que o loiro poderia fazer.

-- Nada não, apenas curiosidade.

-- Humm.

E nada mais foi dito, terminaram de comer e Lucios teve que cuidar de algumas coisas do trabalho mas antes de sair deu um selinho no moreno e pediu para não sair hoje pois tinha uma surpresa. E realmente ele não tinha para onde ir, mas quando o loiro disse isso, ele queria ir pro inferno se isso o fizesse escapa do que quer que seja que o loiro estivesse planejando.

E aquilo passou o dia consumindo ele, não consegui raciocinar direito com aquilo na cabeça, e quando foi a tarde quase de noitinha um elfo veio lhe chamar, pois Lucios queria falar com ele.

Ele foi de encontro ao loiro e achou ele no quarto. Lucios estava vestindo a roupa, pelo que parecia ele tinha acabado de tomar banho, estava vestido só com a calça social preta, srm cinto e aberta, pois dava para ver a cueca box também preta que ele usava por baixo e com a toalha nos ombros enquanto enxugava os cabelos, que quando soltos batiam na cintura, Lucios era muito bonito não tinha como negar, antes mesmo de receber a herança veela, ele já era cobiçado por muito, e quando recebeu e se descobriu um veela dominante so realçou, pois começaram a aparecer músculos nos lugares certo, e até hoje o loiro ainda tinha uma barriga trincada, não tanto quanto era jovem mais ainda dava para ver os gominhos do que um dia foi uma barriga de tanquinho.

-- Ah você chegou. -- Disse enquanto baixa a toalha e deixava ela pendurada nos ombros. -- Vem cá, tenho algo pra você. -- E entrou no closet.

Severo seguiu ele ainda calado, em parte era por que estava admirando o corpo do outro, e em parte por que não tinha nada para falar.

-- Eu sei que anda tenso com o meu pedido então eu trouxe algumas coisas como suborno. -- E deu espaço para o outro ver.

Em cima da mesa de centro dentro do closet estava alguns vasos com ervad muito caras e extremamente raras.

-- O que?! -- Exclamou maravilhado e feliz. -- Lucios! Essas ervas são muito caras!

-- Eu sei. -- Falou rindo.

-- Então pra que comprou?

-- Eu comprei por que queria ver a sua cara.

-- Cara de que? De achandl você um idiota?

-- Não, de felicidade. -- Disse acariciando o rosto do moreno, que ficou vermelho. -- Eu sei que gosta dessas coisas, e pra falar a verdade eu não faço idéia do que essas plantas sejam eu so pedi para os elfos comprarem as mais caras e as que você estava precisando, por que faria você feliz, e talvez eu pudesse ver você vermelho. -- E riu, quando realmente Severo ficou vermelho e lhe deu um selinho. -- Gostou?

Severo confirmou com a cabeça e virou de costa para o loiro, e ficou olhando as plantas, se estavam em boas condições, se ainda iam crescer, se já tinham dado fruntos ou não e se já estavam prontas para serem usadas nas poções, e enquanto fazia tudo Lucios tinha se agarrado na sua cintura e a cabeça estava no seu ombro, estava vendo o moreno avaliar as plantas, ele dizia que Severos ficava muito sexy quando concentrado. E ficaram um bom tempo ali, até um dos elfos chamar Lucios e falar que estava tudo pronto.

-- O que esta pronto Lucios?

-- As coisas que eu encomendei. -- Falou ainda de costa para o moreno e quando virou tinha uma caixa em mãos. -- Isso é a primeira parte. -- E abriu a caixa dentro tinha um par de alianças pratas com detalhes em ouro e cada uma tinha uma joia, um tinha um raro diamante azul e o outro tinha um diamante cinza que se olhasse de certo jeito parecia preto, o diamante azul era cercado de diamante menores e o anel era fino com uma corrente fina que ligava a uma pulseira bem detalhada de ouro que parecia raizes de rosas e as rozas eram feitas de rubis, já o que tinha o diamante cinza a aliança era grossa com uma corrente solta que provavelmente se ligaria a outro anel. A cima dos aneis e da pulseira tinha um cordão e uma presilha de cabelo. O cordão era bem simples, a corrente era fina e de prata e o pingente eram duas cobras enroladas e no meio delas tinha uma pequena cobrinha, uma cobra era feita de prata e a outra de ouro, ja a cobrinha era uma mistura dos dois. A presilha de cabelo era algo mais sofisticado, era feita de ouro com diamantes e rubis que formavam rosas.

-- Bonitas?

-- Maravilhosas. -- Disse o moreno admirado.

-- São todas suas. Bom todas menos o anel com a corrente solta.

-- Onde essa corrente vai? -- Questionou curioso.

-- Ela se liga a meu anel de Lorde Malfoy. Me de sua mão vou colocar o anel.

Lucios pegou a mão esquerda do moreno e colocou primeiro o anel e depois encaixou a pulseira. Depois prendeu parte do cabelos de Severo com a presilha e por fim pois o cordão, que se escondia sob a camisa social preta de Severo.

-- Vem. Agora vem a parte dois, então por favor não surte.

Eles sairam do quarto, seguiram até o final do corredor, viraram a direita nos corredos que tinha perto da escada e seguiram até o final de novo. Eles param em frente a ultima porta.

-- Pronto? -- Lucios pergunta e ele só acena a cabeça, então Lucios abre a porta. Nada preparou ele para aquela visão, ele até que tentou sair mas o loiro estava atrás dele, então ele so foi empurrando de leve o moreno e quando entrou trancou a porta.

Aquele era um dos muitos quartos da mansão, tinha uma janela que ia quase do chão ao teto e a cama ficava de frente para a janela, mas como o quarto era grande, ficava um pouco afastado. E em frente a janela estava um de seus maiores medos ultimamente. Em frente a janela estava Narcisa amarrada e amordaçada em uma cadeira, e no momento inconsciente.

-- Lucios . . . Por favor.

-- Vamos amor, vai ser interessante.

Lucios lhe levou até a cama e lhe fez sentar, com um aceno de varinha a cadeira de narcisa estava em frente a cama, Lucios ajeitou Severo para que se sentasse no meio da cama e depois foi ao guarda-roupa que tinha no quarto e pegou um lubrificante. Voltou a cama e se sentou em frente ao moreno e começou a desabotoar a camisa do mesmo que ficou imovel pensando em algum jeito de fugir dali mas quando olhou para o loiro na sua frente que ainda tinha um sorriso no rosto soube que não havia escapatória, então so lhe restava rezar a todos os deuses existentes que aquilo fosse o mais rapido e o menos vergonhoso possivel. Ao terminar de tirar as roupas do moreno Lucios deitou ele e ficou entre as sua pernas.

-- Não se preocupe, você não vai nem perceber o que ela esta ali.

E com isso deslizou o primeiro dedo pra dentro do moreno. Severo não sentia desconforto então Lucios posicionou o segundo e adentro lentamente e enquanto fazia movimento de tesoura começou a beijar, lamber e morder o pescoço do moreno, quando se preparou para colocar o terceiro começou a ouvir resmungos vindo de trás sinal de que a terceira pessoa no quarto estava acordando. Quando achou que já era o suficiente fez Severo ficar de quatro na cama e com o rosto virado para Narcisa. Lucios abaixo a calça e a cueca somente o suficiente para tirar o seu menbro para fora, se posicionou e entrou com tudo dentro do moreno e acertei bem no ponto certo e ao senti aquele aperto quente e macio ao redor do seu menbro não aguentou e deixou suas escamas aparecerem. Começou a se movimentar e viu que Severo mordia os labios para não gemer alto, então com um aceno de mão ele acordou Nacisa, abaixou o tronco até senti as costas do outro em seu peito e sussurro:

-- Pode gemer a vontade querido, eu adoro quando você geme alto, principalmente quando é o meu nome.

Se endiretou e viu que Narcisa ainda meio groge procurava saber onde estava, então com uma estocada um pouco mais forte Severo finalmente soltou um gemido, o que fez o loiro sorrir e a mulher olhar para eles tentando entender o que estava acontecendo e quando conseguiu trocou o olhar dr confusão para o de horror.

A essa altura Severo já gemia sem pudor enquanto apertava os lençóis da cama com força, Narcisa estava na cadeira tentando se soltar e resmungando por causa do pano em sua boca. Quando percebeu que Severo não estava dando a minina para a mulher virou ele de frente para si e começou um beijo faminto.

-- Ah amor você é tão apertado. Uma delicia, podia fazer isso o dia todo. -- Falava o loiro perto do ouvido do moreno mas em um tom em que a mulher em frente a eles também ouvia. Severo passava as unhas nas suas costas sem piedade, pouco se importando se passava sobre as escamas sensiveis do loiro ou não, mas ao contrario de Draco as escamas do loiro eram em tom esbranquiçadas então davam pra se ver. Levantou o tronco e ficou encarando a ex-mulher enquanto acariciava as coxas brancas do moreno sem nunca parar de mexer, a mulher tinha um olhar horrorizado no rosto, mais branca que o normal, Lucios so riu e jogou a cabeça pra trás aproveitando aquela sensação que so deixava ele mais excitado.

Quando percebeu que Severo estava próximo do climax, se sentou, pois o moreno em seu colo, pois a cabeça desse em seu ombro, com a mão direita tampou os olhos do outro e com a mão esquerda começou uma masturbação no ritmo das estocadas enquanto marcava o pescoço branco ainda com o colar. Quando Severo colocou a mão esquerda em cima da do loiro, Narcisa viu as alianças combinadas e ficou possessa Lucios nunca fez isso com ela mas também naquele momento ela entendeu que ele havia marcado Severo como seu e ai daquele que tentar alguma coisa com o pocionista. Quando Severo gozou sujando as mãos dos dois Lucios veio logo atrás por conta do perto do moreno. Saiu lentamente de dentro do moreno e fez ele se deitar de bruços na cama, se sentou ao lado do moreno e abriu as poupas da bundo do moreno para ver seu sêmen sair de dentro outro, Severo apenas resmungou mas nada fez. Quando se deu por satisfeito Lucios desceu da cama parou em frente a mulher e com o olhar mais frio e superior possível falou.

-- Você não vai dizer nada do que viu aqui pra ninguém e nunca mais vai chegar perto do meu filho, e não queira me desobedecer dessa vez Narcisa.

O loiro foi até a porta e chamou um elfo que levou a mulher que estava revoltada ainda amarrada na cadeira embora flutuando, o loiro trancou a porta novamente e foi em direção a cama, subiu em cima dela, subiu em cima do moreno e encaixou seu membro já ereto entra as duas nadegas do mesmo.

-- Então meu querido esposo podemos fazer de novo?

-- Não somos casados Lucios.

-- Ah eu não te disse. -- Falou enquanto começava a beijar o pescoço do outro e roçar o membro contra a entrada do outro. -- Aqueles papéis que você assinou ontem sem se quer olhar eram os papéis do nosso casamento, só falta fazer a festa.

O moreno lhe olhou assustado e na hora em que virou a cabeça teve sua boca roubada para um beijo de tirar o fôlego ao mesmo tempo em que o loiro entrava em si.

Aquele historia de casamento podia esperar um pouco. Mas com certeza ele não deixaria aquilo passar em branco.

Mas por hora ele tinha outra coisa para se concentrar. Por que pelos deuses as vezes Lucios parecia um adolescente, e daqui que ele estivesse satisfeito poderia demorar um pedaço.

Mas seria um prazer cuidar do loiro, literalmente um prazer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...