História Eu Posso,Titio?-Kaisoo Incesto - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias ASTRO, EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Eunwoo, Irene, Joy, Kai, Kris Wu, Lay, Rocky, Sehun, Seulgi, Suho, Tao, Xiumin
Tags Drama, Incesto, Kaisoo, Revelaçoes, Sebaek
Visualizações 456
Palavras 2.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá aminoácidos, tudo na paz de Kim Taehyung? Que bom. Aqui está mais um capítulo da fic, eu estou dando o meu melhor, espero que gostem. ♡♡♡

É só isso mesmo, e leiam as notas finais.♡♡♡

Perdoem os erros que deixei passar e boa leitura. ♡♡♡

Capítulo 2 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Eu Posso,Titio?-Kaisoo Incesto - Capítulo 2 - Capítulo 1


Capítulo 1


Seul-Coréia Do Sul

17:30 PM - 11/09/20018


Kyungsoo on 

Depois de tudo, termino o meu banho super demorado e assim que abro a porta levei o susto da porra ao encontra a minha mãe, com uma máscara verde de tratamento.

Essa mulher ainda vai me matar.

-Olá meu filho, ainda não está pronto? Se apresse. 

Minha mãe diz depois de ter passado a mão no cabelo.

Eita.

-Não sei pra que tanta pressa mãe, é só um jantar de família, eu nem quero ir.

Respondi a tomar o rumo até o corredor. 

-Kyungsoo! É um jantar de negócios também e o Jongin também vem para o jantar. 

Quando ela falou o nome dele, o meu coração parou, meu titio voltou de viagem?  Aaaa ninguém me avisou, ninguém pode explicar como eu estou me sentindo agora. Para Kyungsoo, ele só vem jantar nada a mais. 

-A bom, Omma. 

Disse tentando disfarçar o meu nervosismo.

-Ele também vai passar o mês aqui, Kyungsoo, trate ele bem.

WHAT????? KIM JONGIN VAI PASSAR O MÊS AQUI? AGORA LASCOUSSE GERAL. para Kyungsoo. 

-Claro, Omma, pode deixar. 

Respondi e andei até meu quarto. Entrei no mesmo e fechei a porta. Peguei o relógio e são 18:01 eu em. Procurei as roupas que irei usar no jantar "em família",  peguei o meu terno preto e a minha camisa social de botões branca e meus sapatos bico fino social. Da parte de baixo, eu já estava pronto, box, calça, sapatos falta só a minha camisa e o meu blase. Peguei a minha camisa e ouço alguém abrir a porta.

É a minha mãe.

-Kyungsoo, se apresse, todos já chegaram. 

Minha mãe diz e sai da porta do meu quarto sem fechar a mesma.

Raiva.

Voltei a minha atenção em mim e coloquei a minha camisa, agora só falta abotoar. 


Jongin on

-Como vai irmão? Quanto tempo que não o vejo. 

Disse meu irmão (pai do Kyungsoo) mais velho a se aproximar de mim e me dar um abraço. 

-Estou bem irmão, senti saudades também.

Respondi e todos riram.

-Também senti saudades, Jongin.

Meu irmão respondeu coloquei as minhas mãos nos bolsos. 

-Kyungsoo está demorando muito, eu já chamei ele, parece que ele não me entendeu direito. 

A minha cunhada aparece falando e quando ela falou "Kyungsoo", me deu um negócio que eu não sei explicar. 

Te aquieta, Kim Jongin. 

-Eu posso chama-lo se quiserem. 

Disse e não foi só uma resposta que obtive. 

-Pode sim. 

Minha cunhada respondeu. 

-Claro que pode.

Meu irmão também respondeu, traduzindo, os dois falaram ao mesmo tempo.

-Okay.

Sai da sala e subi na escada indo em rumo ao quarto do Kyungsoo. Cheguei perto do quarto dele e a porta está meio aberta. Me aproximei da mesma e vi Kyungsoo, ele está usando um terno, mas ele só está com a parte de baixo, a camisa ele está colocando agora. Kyungsoo está tão bonito, desde  da última vez que o vi que foi aos meus 15 anos de idade e Kyungsoo tinha 13 se não me falha a memória. Entrei no quarto e vi que ele me viu através do grande espelho a sua frente. Me aproximei dele e o virei, ele olhou nos meus olhos e eu abaixei o olhar para o seu peitoral exposto, vi vi que ele corou, suas bochechas estavam vermelhas. Comecei a abotoar a camisa branca do menor e o mesmo deu um sorriso tímido, esse sorriso lindo.

-Oi...

Kyungsoo disse quase em um sussurro. 

-Oi, meu querido sobrinho.


Kyungsoo on

"Querido sobrinho" aff 

Meu tio terminou de fazer o que estava fazendo e disse que não era para mim demorar, pois já íamos para o restaurante. Concordei com a cabeça e assim ele saiu do meu quarto e pude me respirar. 

Gente, esse homem quer me matar só pode.

Coloquei meu blase e dei uma penteada no meu cabelo jogando-o para o lado e deixando uma franja, passei meu perfome e peguei meu celular. Sai do meu quarto e respirei fundo e tomei o rumo até a escada indo em direção a sala a onde todos estavam. 

Espero que a Seulgi esteja na sala...

Cheguei na sala e meus olhos estavam parecendo os de um drogado, eles iam para um canto e para o outro, a procura da Seulgi mas eu não a encontrei. 

Essa vaca [autora: te amo mozona, nada pessoal♡] não vem não? 

Vi Jongin sentando no sofá, em um estilo sexy sabe? Então. 

-Omma, cadê a Seulgi? 

Perguntei e vi que Jongin estava curioso.

-Ela ligou dizendo que vai nos encontrar no restaurante, meu filho.

Minha mãe respondeu e eu fiz um.  "Sim" balançando a cabeça. 

Deu a hora para irmos, só quem estava na sala era o meu pai, minha mãe e o meu tio. Saímos de casa e meu pai foi quem disse que ia dirigir o carro. Meu pai sentou no banco do motorista a minha mãe ao lado do meu pai e eu e o meu tio atrás.

Daquele jeito.

Meu tio nem olhava para mim, apenas não desgrudava os olhos do celular e nem se quer piscava. Meu tio as vezes eu não entendo ele, ele me quando me dar carinho, ele em outra depois do carinho ele nem falava comigo. Siceramente não entendo. Depois de 1h chegamos no restaurante e vi Seulgi na frente do restaurante, deve estar me esperando, me ama. Seulgi está bonita, ela está com um vestido vermelho meio curto aberto atrás e que deixava também exposto o seu belo pescoço. Sai do carro e assim que ela me viu veio correndo em minha direção assim me abraçando.

-Preciso te contar uma coisa. 

Disse Seulgi no meu ouvido dando uma risadinha.

-Eu também preciso te contar uma coisa.

Disse em seu ouvido. 

-Acho que já sei o que é.

Respondeu Seulgi e eu acho que viu o meu tio atrás de mim. 

-Que lindos.

Disse minha mãe e após eu e a Seulgi ouvimos isso, paramos com o abraço e baixamos a cabeça para não ri na frente deles.

-Omma!

A repreendi e Seulgi deu uma risada baixa.

-Maia vocês são lindos juntos, não é amor.

Minha mãe disse e perguntou para o meu Appa também.

-Realmente, são muito lindos juntos, não é Jongin?

Puta que pariu

-Hm? Claro...São sim!

Disse meu tio e eu percebi algo icomodando ele.

Ciúmes? Não, não. 

-Então, vamos entrar? Meus pais já estão lá dentro esperando por vocês.

Seulgi disse e deu um sorriso alegre, com certeza para acabar com aquele assunto. Entramos no restaurante e seguimos até a grande mesa redonda e eu sentei ao lado da Seulgi e meu tio a minha frente, o resto tudo sentou. Fizemos nossos pedidos e começou a conversa de negócios entre meus pais e os pais da Seulgi. Entrou um silêncio de repente na mesa e a Seulgi teve que abrir a boca. 

-Sabe, Jongin, Kyungsoo sentiu muito a sua falta. 

Disse Seulgi e eu me engasguei com o próprio vinho que estava tomando.

-Meu filho, esta bem? 

Perguntou minha mãe e e eu limpei a minha boca com o guardanapo. 

-Estou bem sim, Omma, só exagerei no vinho.

Menti e lancei um olhar mortal para Seulgi, essa que estava quase rindo.

-Não exagere muito, Kyungsoo, só por que está com 18 anos, não quer dizer que tem que ficar bêbado. 

-Eu já entendi, Omma.

Encerrei a conversa e olhei para o meu tio, esse que está com um sorriso nos lábios, olhando para mim. Ele me olhava profundamente parecia até com malícia, então decidi entrar nesse jogo de olhares também. Nossos olhares mão mentiam, eu queria ele agora, nesse exato momento. Nossos olhares foram interrompidos por causa dos garçons que chegaram com os nossos pedidos. Após eles terminarem de servir, todos começaram a degustar. Seulgi se aproximou de mim e sussurrou.

-Esses olhares que você é o seu tio estavam tocando, pareciam até que iam subir em cima da mesa e iam tranzar em cima dela.

Seulgi sussurrou e eu de novo quase me engasguei com o pedaço de carne pequeno que eu comia. Peguei a minha taça de água e bebi, sorte que ninguém vi, glória aleluia me aproximei da Seulgi e falei para ela ficar quieta, a mesma riu e eu não sei o que fazer com essa menina meu Deus. Terminamos de jantar e eu achando que a minha noite acabaria ali, mas não.

-Vai ter uma festa na casa do Suho, agora, Kyungsoo e Jongin, querem ir? 

Não, não. 

-Eu_

Não diga isso, Kim Jongin.

-Eu aceito sim, eu conheço o Suho faz muito tempo e fico surpreso de você também conhece-lo.

Essa daí se joga praticamente em cima dele. 

-Pois é, eu conheço ele através do Kyungsoo, e você Kyung, vai ou não?

-É né.

Respondi.

-Vai? Perguntou a minha mãe. 

-Eu cuido dele, Yang.

Disse meu tio, ajeitando seu blase. 

-Tudo bem, só não voltem muito tarde de casa.

-Pode deixar.

Respondeu meu tio e deu um sorriso  para a minha Omma.

Apenas fiquei calado, nos levantamos e nos despedimos. Meu tio chamou um uber até a casa do Suho. Ele entrou e sentou no banco a frente do passageiro e eu e a Seulgi, sentamos atrás. A viagem até lá foi na perfeita paz do senhor. Chegamos e saímos do carro, tinha muita gente dentro e fora da casa do Suho. 

Eu não gosto disso.

Entramos e encontramos o Suho,  Seulgi quando viu o Suho, ajeitou seu cabelo e deu um sorriso. Suho viu meu tio e eu já sabia que os dois se conheciam, se comprimentarm e meu tio foi andando com o Suho. Seulgi disse que iria procurar algumas amigas e eu fui para fora da casa, pra ser mais claro, eu fui para o jardim. Cheguei no lugar e vi uma pessoinha, me aproximei e reconheci no mesmo instante.

-Olá Baek, amor da minha vida.

Disse e o mesmo virou-se para mim e deu um sorriso largo e me deu um abraço.

-Olá, Soo, amor da minha vida.

Respondeu Baekhyun meu melhor amigo depois da Seulgi, desde infância.

-Quando voltou?

Perguntei.

-Ontem, Busan foi legal, mas eu estava com saudades...

-Do Sehun? 

Perguntei.

-Sim, eu ainda o amo, e a pior coisa que eu fiz foi ter terminado o nosso namoro por causa da minha viagem a Busan.

Disse Baekhyun.

-Ei, você não teve culpa, se você achava que não ia durar um namoro a distância e que também não daria certo, tudo bem, mas o Sehun sofreu bastante com isso.

Disse e segurei nas mãos do Baekhyun.

-O que eu devo fazer, Soo?

-Vai atrás do seu homem.

Disse e o mesmo deu um sorriso ,agradeceu e foi para dentro da casa. Me sentei no chão da grama, não tão suja e olhei para o céu, que estava lindo por sinal.

-Oi...Soo.

Uma voz ecoou atrás de mim e assim que me virei para vê quem é, a pessoa se senta ao meu lado.

-Ah...Oi, Chanyeol.

Pra quem não sabe, Chanyeol é o meu ex - namorado, ele terminou comigo pelo o mesmo motivo que do Baekhyun, mas a acho que não foi só isso não. 

-Tudo bem?

Perguntou.

-Sim, e você? 

Respondi e deu um leve sorriso.

-Estou bem...Sabe, Soo, você sabe que eu ainda te amo_

-Chany....

-Eu te amo, Kyungsoo.

Chanyeol aproxima levemente seus lábios junto aos meus e quando eles iam se encostar, vejo alguém puxando Chanyeol pela camisa dando um soco na cara dele. Me levantei desesperadamente e vi meu tio partindo pra cima do Chanyeol, dando assim socos na cara do mesmo, eu tentei para - los mas não adiantou de nada. Gritei por ajuda e Sehun e Suho vieram correndo, Sehun segurou meu tio e Suho segurou Chanyeol, meu tio lutava para sair dos braços até que eu gritei.

-KIM JONGIN!

Meu tio, parou no mesmo instante o que estava fazendo e olhou para mim, eu estava com lágrimas nos olhos, elas deciam pelo o meu rosto e eu soluçava. Jongin saiu dos braços do Sehun, pegou na minha mão e me puxou para dentro da casa me levando até um dos quartos. 

-Pode me explicar o por que daquele seu show, Jongin?! Tem idéia do que fez????!!!!

Perguntei, enquanto o mesmo andava um lado para o outro passando as mãos nos cabelos.

-Quer saber o porque, Kyungsoo? Eu não suporto que ele te toque, eu não suporto que ninguém te toque, eu não gosto vê você com outras pessoas, do jeito como algumas te olham, eu não gosto que ninguém te toque, a não ser eu.

Jongin veio se aproximando de Kim, me fazendo encostar na porta e ele colocar os braços cada lado ao lado da minha cabeça na parede, estamos praticamente colados um ao outro.

-Ti-Tio...

Senti os lábios de Jongin nos meus, ele me beijou com vontade, minhas mãos foram de encontram na sua nuca, aprofundando mais o beijo, Jongin desceu as mãos até a minha cintura, a apertando com força, o beijo foi se aprofundando mais até a porta ser aberta um pouco me fazendo ir para frente. Jongin parou de fazer o que estava fazendo e abriu a porta, e quem estava lá? Sim, Chen, ele veio avisar meu tio que o carro chegou e que temos que ir. Jongin só falou um "Okay" para ele e ajeitou sua roupa e saiu do quarto, simplesmente me deixando lá sai do quarto infurecido e fui em rumo ao carro em frente a casa do Suho. Entrei no quarto e meu tio estava ao meu lado, ele não falou nada a viagem toda, raiva de não entender  nada. Chegamos em casa e ele seguiu para o seu quarto e eu para o meu. Fechei porta e me joguei na cama.

-Por que faz isso comigo, titio?


 









Notas Finais


Tá uma bosta, eu sei, mas eu tô dando o meu melhor, aminoácidos.♡

O Jongin, ele é dois anos mais velho que o Kyungsoo, eles cresceram juntos e tal, e coisas do vem por ai, aminoácidos do meu coração. ♡♡♡

Espero que tenham gostado.♡♡♡

Beijo de torta de morango ♡♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...