História Eu Posso,Titio?-Kaisoo Incesto - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias ASTRO, EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Eunwoo, Irene, Joy, Kai, Kris Wu, Lay, Rocky, Sehun, Seulgi, Suho, Tao, Xiumin
Tags Drama, Incesto, Kaisoo, Revelaçoes, Sebaek
Visualizações 228
Palavras 2.732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, aminoácidos, tudo na paz do santo Kim Taehyung? Que bom.♡♡♡

Eu e Deborah, nos queremos deixar umas coisinhas aqui bem claras ^-^

1- NÃO APOIAMOS INCESTO DE JEITO NENHUM, ISSO É UMA FICÇÃO.
2- QUEM NÃO GOSTA DO GÊNERO NÃO É OBRIGADO A LER.
3- CRÍTICAS CONSTRUTIVAS SERÃO BEM VINDAS
COMENTÁRIOS OFENSIVOS SERÃO EXCLUÍDOS.

É só isso mesmo ^-^ e leiam as notas finais.

Perdoem os erros que deixei passar e boa leitura. ♡♡♡♡♡

Capítulo 5 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Eu Posso,Titio?-Kaisoo Incesto - Capítulo 5 - Capítulo 4


Capítulo 4


Seul-Córeia Do Sul

10:30 AM - 14/09/2018


Kyungsoo on

Acordei sentindo uma dor de cabeça muito forte, isso é o que acontece quando você chora a noite toda. Me encolho má cama lembrando de ontem, não vou mais chorar, não tenho mais forças. Eu fiquei com tanta raiva que acabei falando coisas que não deveria e querendo ou não ele é meu tio e eu o desrespeitei. Espero que ele não conte isso tudo para o appa.

Escuto batidas leves na porta, mas acabei por ignorar, não quero ter que falar com ele ainda.

-Soo, eu fiz o café da manhã.

Ouço ele falar docemente.

-Por favor venha? Por mim.

Fiquei olhando para a porta pensando se descia ou não. 

-Vou te esperar lá em baixo. 

Escutei os passos se afastando e me sentei na cama passando a mão no rosto, acabei por soltar um suspiro frustrado. Eu não posso evitar ele pra sempre, só tem nós dois nessa casa, assim fica impossível de ignorar.

Me levantei da cama e fui para o banheiro, quando me olho no espelho me sinto um lixo, meus olhos estão um pouco inchadose com orelhas fracas, meu cabelo um verdadeiro ninho de pássaros. Lavei meu rosto fiz minhas higienis matinais e voltei para o meu quarto pegando logo o meu Junny de manga e colocando.

Parei em frente a porta um pouco incerto, suspirei fundo e saí. Vamos enfrentar meu tio.

Quando chego na cozinha vejo a mesa arrumada com Kimchi, arroz, sopa de carne e sopa de broto de feijão. Confesso que meu estômago roncou quando viu aquilo tudo. 

Meu tio estava sentado na cadeira mexendo no seu celular  e quando me viu soltou o aparelho, levantou vindo até mim e me dando um abraço apertado. No início sem reação, mas logo passei os braços em torno da sua cintura o abraçando de volta.

-Desculpa por ontem.

Ele sussurra em meu ouvido me causando um arrepio, segurei minhas lágrimas que já estavam querendo cair e me afastei um pouco dele.

-Tá tudo bem tio, eu não deveria ter falado daquele jeito com você e_...

-Eu não deveria ter falado aquilo.

Ele segurou no meu rosto passou o polegar em uma lágrima teimosa que caiu.

-E também não deveria me meter na sua vida, mas eu sempre fui ciumento com você e não quero te ver magoado de novamente. Sou seu tio, sempre vou querer seu bem.

Quando ele falou isso senti meu coração se quebrar ainda mais. Será que ele nunca vai me ver além de um sobrinho? Eu queria tanto que ele me visse como homem. Um dia vou ter que aceitar que nuca vou ter ele e. 

.

.

.

.

.

Seul-Córeia Do Sul 

14:35 PM - 14/09/20018


Estava deitado na minha cama tentando ler um livro, porém, estava bem inquieto. Jongin saiu depois do café dizendo que iria na casa de um dos meninos e mais tarde estaria de volta, sei sei que no Suho ele não está porque a Seulgi acabou de mandar uma mensagem dizendo que iria para lá e eles estão sozinhos. Pelo o jeito esses dois estão ficando sério.

Soltei um gemido frustrado e acabei deixando o livro de lado, não consigo mais me concentrar. Será que ele estar com alguma garota? Ele mexe tanto naquele celular, isso deve ser mulher com certeza. 

Me sentei na cama e peguei o meu celular, será que ele estar com o Sehun? Meu Deus eu vou enlouquecer.

Fechei meus olhos suspirando e logo sinto meu celular vibrando, abro meus olhos rapidamente esperando que seja ele, mas é apenas o Kris. Ele é o meu melhor amigo e bissexual, mas só eu e Seulgi sabemos disso.

-Oi.

Falei seca. 

-Nossa, estou feliz em falar com você também.

Ouvi sua voz irônica do outro lado e acabei por soltar uma risada fraca.

-Desculpa amor. É que eu não estou bem.

Voltei a me deitar na cama e fitei o teto.

-Me conta, problemas com o titio gostoso? 

Kris sabia a minha paixão platônico por Jongin.

-Eu estou enlouquecendo, ele saiu dizendo que iria na casa de um dos amigos, a única casa que ele vai é a do Suho, mas a Seulgi está lá e disse que ele não chegou e nem vai chegar porque provavelmente ela deve estar dando uma hora dessas. Ele deve estar com alguma puta na rua.

Falei irritado.

-AQUELA VÁDIA NÃO ME FALOU QUE ESTAVA LÁ PORQUE? 

Ele gritou e eu afastei o celular do meu ouvido. 

-Desculpa amor, voltando para a sua situação, eu estou indo ai na sua casa agora, vamos dar um jeitinho nisso.

-Tudo bem, trás sorvete que 'tô na bad.

Falei choroso com um biquinho se formando em em meus lábios. 

-Nada disso, vamos causar um impacto no seu tio, já chego.

El desligou o telefone na minha cara.

Que filho da mãe. 

Agora estou curioso com o que esse louco está armando. Kris chega aqui em casa alguns minutos depois, abri a porta e ele já foi entrando subindo para o meu quarto. Folgado nem um pouco né? Entro no meu quarto o vendo ir para a janela.

-Você veio correndo? Chegou rápido.

Ele olhou para o lado de fora da janela.

-Eu já estava vindo para cá, tá um tédio lá em casa. 

-Iria vir na casa dos outros sem avisar...uau.

Soltei um riso baixo e me sentei na cama logo o vendo ele sair da janela e deitar na cama. 

-Eu liguei para te avisar que estava vindo, mas você me distraiu.

Soltei uma risada e deitei com a cabeça na sua barriga logo sentindo ele mexer no meu cabelo.

-O que estava olhando pela janela? 

-Vigiando seu tio, tenho um plano.

-Diga gênio. 

-Vamos transar.

Falou simplista.

-O que? Ficou louco?

Levantei automaticamente o olhando incrédulo. No mesmo instante ele teve uma crise de risos.

-Calma amor, vamos fingir que estamos transando.

Falou ao se recuperar, continuei o encarando.

-Não entendi aonde você quer chegar. 

Ele levantou e ficou de frente para mim.

-Vamos esperar ele chegar e deixar a porta destrancada. Você vai ficar apenas de roupa íntima e eu, sem camisa.

-Meu deus, Kris, se ele entra aqui e vê isso, vai querer te matar e me matar também.

Levantei da cama e passei a andar de um lado para o outro. 

-Essa é a intenção, ele fica louco e também, você estará dando o troco.

Ele levantou e foi para a janela novamente. 

-Pensa rápido, porque ele acabou de chegar.

Ele se virou me olhando e começou a tirar a camisa. Fiquei parado o olhando com com uma cara de retardado. 

Faço ou não faço?

Ele vai ficar louco quando ver isso e também pode me achar que sou uma puta por tá quase nu com um homem no meu quarto.

Kris sentou na cama e jogou o corpo para atrás o apoiando nos cotovelos, logo me chamando com os dedos. Confesso que ele é lindo e gostoso demais, não seria um sacrifício tão grande assim.

-Foda-se.

Falei e comecei a a tirar a minha roupa, ficando apenas de com uma box branca. 

Empurrei a vergonha pra puta que pariu, não podia pensar nisso justo agora senão eu desistia. Andei até a cama e ele segurou a minha cintura e quando ele fez isso, senti a minha pele esquentar.

Meu Deus eu tô ficando excitada com o meu melhor amigo?

-Está com vergonha, Soo? Hm? Sabe que eu também gosto de homens e sempre te achei bem gostoso por sinal.

Ok. Disso eu não sabia. 

Ele pressionou meu corpo no seu e eu senti aquele calor aumentar. Estamos tão próximos que sinto sua respiração quente enquanto encaro suas orbes azuis. Nunca olhei para Kris de outro jeito além de um amigo e puta merda ainda bem que não, porque senão eu já teria o agarrado há séculos.

Ele sorriu de um jeito sacana e levou seus lábios até o meu pescoço, onde começou a beijar levemente. Senti todo meu corpo arrepiar com esses toques.

-Você pode gemer alto para ele poder ouvir?

Disse sussurrando no meu ouvido e realmente fiz, soltei um gemido alto quando ele deu uma mordida forte no meu pescoço.

Deus sabe que esse gemido não foi nem um pouco falso. 

Senti ele sorrir com a boca no meu pescoço e logo em seguida levou a minha mão para o seu cabelo.

-Mais alto, acho que ele não ouviu.

Ele passou a língua na minha pele e subiu até a minha orelha logo mordendo a cartilagem.

Ao sentir a mordida soltei um gemido mais alto. Kris sabia o meu ponto fraco, continuou pressionando meu corpo e pude sentir sua ereção. Aproveitei e rebolei  na mesma sorrindo satisfeita ao ouvir um gemido rouco vindo dele

Meu deus, eu estou deixando meu amigo excitado, até que ponto eu cheguei pelo Jongin?

E então um barulho de porta se abrindo soou pelo quarto.

-Mas que porra é essa?

Jongin gritou.

É. Minha morte chegou cedo.

-Hora do Show.

Kris disse baixo e deu um sorriso mais sacana que o anterior. Sorri levemente e me sentei na cama fingindo espanto enquanto puxava a coberta para cobrir o meu corpo.

-Tio, eu...

Parei de falar quando o vi se aproximar da cama e puxar Kris o jogando no chão.

-Sai da minha casa seu filho da puta.

Ele gritou indo para cima do meu amigo. Me levanto em questão de segundos e fui para a frente dele. Eu conheço Jongin e seu que ele iria bater no Kris, não posso deixar isso acontecer, ele iria matar o garoto nesse estado. Me virei para o moreno e o ajudei a levantar.

-Vai embora, Kris. Depois eu te ligo. 

-Você vai ficar bem?

Assenti e pude ouvir Jongin bufar.

-Se acontecer algo me ligue que eu volto.

Ele olhou para o meu tio e depois para mim novamente com uma cara de preocupação bem visível.


And the Oscar goes to...


-Ah, mas você nunca mais vai voltar aqui, saia antes que eu arrebente a sua cara. 

Mordi meu lábio inferior com força, meu rosto provavelmente já estava ficando inchado por eu nunca estar segurando um riso. Kris sorriu me deu um selinho antes de sair do quarto apressado.

Filho da puta, ainda bem que ele correu porque eu iria matar ele. Ok, hora de encarar a fera.


Me virei encontrando um Jongin muito vermelho de raiva. Eu nunca nunca o vi assim antes, na verdade eu não dei como ele não está correndo atrás do garoto. 

-Tio, olh_...

-O que foi isso que eu acabei de ver Do Kyungsoo?

Ele me interrompe e continua a me encarando sem mexer um músculo.

Certo, agora eu estou com muito medo, mas o que custa brincar mais um pouco?

-O que acha que viu titio? 

Pendia a cabeça para o lado e arqueei uma sobrancelha. 

Eu sei que tô cutucando onça com vara curta, mas mas eu também estou com raiva. Ele pode comer essas putas  que ele chama de amiga e ficar com raiva quando me ver com alguém? Não mesmo. 

-O que eu vi? Vi você é um infeliz quase se comendo na cama. 

Ele desceu o olhar pelo o meu corpo e eu acho que só agora percebeu que eu estou de box.

Ele continuou olhando meu corpo e suspirou baixo logo em seguida mordendo o lábio inferior de um modo quase imperceptível. Meu corpo todo esquentou com esse olhar dele, mas dessa vez ficou muito mais quente. Mexi  as pernas esfregando uma na outra talvez, só talvez pra chamar mais uma pouco de atenção.

-Você estava assim  com ele na cama...

Ele voltou a olhar nos meus olhos.

-Você ia transar com aquele babaca? Eu não acredito...Você é tão burro assim?

Como é? Tá, agora ele passou dos limites.

-E se eu fizesse isso? O que você tem a ver?

Gritei me aproximando, já tinha pedido a paciência. Odeio quando ele me trata feito uma criança.

-Você pode sair por aí comendo suas amiguinhas e eu não posso ficar com ninguém? Ah, me poupe, Jongin. Eu não sou mais uma criança, eu já sou um homem.

-Do que você está falando? 

-Onde você estava? 

O Empurrei querendo bater nele por ser tão sinico.

-Comendo uma piranha por aí provavelmente.

-De onde você tirou isso?

Ele estava um pouco assustado com a minha atitude. Iria empurrar ele novamente,  mas ele segurou minha mão e me puxou para perto dele.

-Quem você pensa que é para falar comigo desse jeito?

-Foda-se quem eu sou. 

O encarei com raiva, estava querendo chorar mas não daria esse gostinho a ele. Não ligo pra quem ele é, eu estou com ciúmes e ele está praticamente confirmando que estava com outra.

No mesmo instante ele me empurrou com força, meu coração acelerou, a raiva foi embora e o medo voltou. Acabei caindo na cama e ele me virou de bruços juntando minhas mãos atrás das costas.

-Você está maluco, Jongin? Me solta.

-Você esqueceu que eu sou seu titio? Eu acho que esqueceu...

Virei meu rosto e o vi olhando para a minha bunda, quando iria me virar senti ele passar a palma da mão na bunda me pegando de surpresa.

-O que você está fazendo?

-O que acha que eu estou fazendo?

O vejo olhar minha bunda com luxúria nos olhos.

-Você se comportou mal, eu só estou te punindo por isso.

Meu tio depositou mais um tapa na minha bunda e gemi por conta disso.

-Caralho.

O ouvi sussurrando e senti seus lábios depositando um beijo em minha bunda. Jongin me pegou e me jogou na cama, no início não entendi nada, mas eu vi seus olhos brilhando por estar em cima de mim e por fitar o meu corpo.

-O que você faz comigo...garoto.

Falou e mordeu o lábio passando em seguida a língua.

-Não..eu não posso...iss_

-Não pense e nem fale disso agora...Por favor.

Jongin olhou nos meus olhos e atacou meus lábios segurando meu rosto. O retribui com a mesma intensidade, Jongin foi descendo suas mãos até minha cintura e as apertando-os com força.

Gemi automaticamente e ele desceu dia boca até meu pescoço e começou a beijar e dar mordidas que eu saberia que ficaria a marca. Gemi manhoso e pude sentir um sorriso de Jongin no meu pescoço. Jongin continuou descendo seus lábios até em meu peitoral. Jongin chupou meu biquinho esquerdo do meu peito com ferozidade. 

Jongin parecia uma bebê, chupava meu bico com vontade e logo fez o mesmo com o bico direito. Pude sentir sua ereção e o puxei para mais perto de mim.

Oh, titio...Como eu quero você dentro de mim.

-Como eu quero te foder aqui e agora, Soo...

Falou rouco em meu ouvido e senti minha pele esquentar.

-Eu quero você.

Falei e no mesmo instante, Jongin parou com que estava fazendo e saiu de cima mim.

Pra que eu fui abrir a boca?

-O que eu acabei de fazer? Meu Deus, isso é errado.

Jongin se levantou e passou as mãos no rosto. 

-Jongin...para, eu quis isso, nos não temos culpa...

-Temoa sim meu amor, isso é errado, não pode acontecer.

Senti minhas lágrimas querendo sair dos meus olhos.

-Jon_

-Soo, seja lá o que você sente por mim, por favor esqueça.

Sério que ele me disse isso? Não...

-Eu vou esquecer e espero que você também esqueça.

As lágrimas já caíram do meu rosto e vi que Jongin queira fazer alguma coisa, mas ele acabou saindo do meu quarto me deixando novamente sozinho. Me encolhi na cama e enxuguei as minhas lágrimas. Já chega não vou chorar mais por ele. Puxei a minha coberta e me deitei na cama tentando dormir, para evitar um pouco viver a vida que levo.

.

.

.

.

.

Seul-Córeia Do Sul 

02:30 AM - 15/09/2018


Não conseguia dormir e como a minha vida é maravilhosa, eu estava com fome. Então desci e vi Suho, Lay e o meu tio na sala jogando algum jogo no aparelho feito por Hitler que vicia qualquer um. Fui até a sala e dei "oi" pra todos, sai da sala e vi que Lay estava me seguindo abri a porta da geladeira e peguei um pote de sorvete. Lay chegou atrás de mim e me assustei e me virei para atrás, nossos rostos estavam quase perto e Lay pegou o pote da minha mão e riu sacana.

-Me devolve Lay.

Ri e fui atrás do meu pote.

-Vem pegar.

Falou rindo e levantando para cima o meu pote. 

Que bullying.

Aproximei dele e fiquei na ponta do pé tentando pegar o meu pote, nossos corpos realmente estavam bem próximos e colados, senti um beijo em meu pescoço e sorri. Lay sabe provocar.

-O que estão fazendo?

Meu tio aparece na cozinha e Lay se afasta de mim.

-Nada de mais. Toma Soo.

Lay me dar o pote com sorvete e dar um sorriso logo saindo do cômodo.

Aí, meu tio sempre aparece quando as coisas boas começam. Raiva.

-O que vocês estava fazendo?

Falou olhando para mim.

-Nada que seja do seu interesse, titio.

-Por que está assim comigo?

Ah, por favor.

-Vou nem dar o trabalho de te responder, Kim Jongin.

Disse sorrindo.

-Entendi.

Jongin saiu da cozinha e eu fechei minha cara. 

-Se prepare titio o verdadeiro inferno vai começar..









Notas Finais


Aí aí, morta. Amanhã eu posto mais um capítulo okay? Legal.♡♡♡♡

Eu queria agradecer a todos pelo os favoritos ♡♡♡♡

Beijo de torta de amora pra vocês♡♡♡

Até o próximo capítulo, aminoácidos.♡♡♡

Ass: Isabelle


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...