História Eu Precisava de Ti - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Aiacos de Garuda, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Alberich de Megrez (Estrela Delta), Camus de Aquário, Dégel de Aquário, Hyoga de Cisne, Kanon de Gêmeos, Kardia de Escorpião, Kiki de Appendix, Lyfia, Marin de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Mu de Áries, Saga de Gêmeos, Seiya de Pégaso
Visualizações 30
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas lindas agradeço a companhia maravilhosa de vocês e bem estamos juntos de novo!

Capítulo 3 - Situação Adversa


Nesse final de tarde o astro solar,já se encontra com suas luzes num amarelo bem fraquinho, quase sumindo na linha do horizonte, o azul claro já está começando a ceder o seu colorido, para o azul escuro que logo virá, exibindo um belo contraste, faltam escassos minutos para o completo pôr do sol,um detalhe curioso é a lua que já está visível no céu sem nenhuma nuvem, ele já ouvira rumores de que enxergar a lua na abóboda celeste antes do total anoitecer era sinal de mau presságio, todavia o jovem de aquário não acredita em lendas ou conversas para boi dormir... essas coisas não existem... e a insignificante presença do satélite lunar minutos antes do horário habitual não tem o poder de modificar a vida de ninguém, óbvio que não

quanto à ele Hyoga, o seu dia até que não lhe fôra ruim,o gestor de recursos humanos da multinacional, aparentemente havia gostado bastante do jovem russo, e de sua postura séria, decidida e inteligente de ser o jovem aquariano soubera se sair muito bem de todas as questões levantadas por Io ,e o seu teste físico foi simplesmente incrível.. é certo que a vaga de emprego não é cem por cento sua,mais o filho de Natássia está seguro de que aquela majestosa empresa, não vai encontrar outro rapaz tão capaz e confiável quanto ele.. a respeito de seu caminhar estando ele atualmente em uma rua bem tranquila e objetivando atravessá-la para ter acesso a avenida mais movimentada da cidade, o moço loiro dá três passos largos rumo ao norte, contudo ao virar a sua cerviz para o lado direito os seus olhos azuis se arregalaram perplexos...

o francês bufa frustrado a quinze minutos ele está detido ,parado num pequeno engarrafamento ,coisa de mais ou menos três quilômetros, o estômago do ruivo reclama sem cessar da falta de nutrientes, o aquariano cogita desistir dos croissants... mais degustar barrinhas de cereal ,mais uma vez pela oitava noite seguida?... nem pensar..

nesse átimo Camus percebe o veículo a frente do seu um corsa preto se movimentar, e mais do que depressa o rígido aquariano acelerou o seu automóvel, na ânsia de chegar ao lugar ,aonde a sua improvisada alimentação do dia todo já lhe espera com toda certeza, no carro do ruivo enquanto ele dirige não é emitido qualquer som,nenhuma bela melodia sequer murmura, o silêncio é quase sepulcral, nesse ínterim o francês está à apenas um quilômetro e meio de seu objetivo o restaurante das Ametistas, porém a quietude no interior do veículo de Camus é quebrada pelo barulho estridente do telefone celular do francês tocando ,a nona sinfonia de Mozart, revirando os seus olhos castanho avermelhados o  fechado diretor de escola se questiona quem é que pode estar lhe incomodando justo agora.. ao notar que é uma chamada de telemarketing, aborrecido o ruivo de imediato desliga o aparelho, tal ação não demorou mais do que um segundo, nada mais do que isso, não obstante ao erguer o seu aristocrático olhar avermelhado,ele se deparou com os olhos azuis claros mais belos e brilhantes que ele já havia visto em toda a sua existência, tão límpidos que bem que podiam ser comparados com os de um anjo, com uma larga vantagem para a pessoa que está com as pupilas dilatadas

o ruivo de exóticas sobrancelhas ainda tenta parar o seu audi a tempo pisando  com vontade no freio,a fim de impedir o atrito, porém o inevitável ocorre ,um atropelamento, um acidente...

desafivelando o seu cinto de segurança, desligando o automóvel e saindo frenético de dentro dele o aquariano exclama

_só me faltava essa agora, eu atropelei uma pessoa, mais que droga!

ninguém sabe quem foi o responsável por essa situação adversa ,todavia isso não importa agora, num átimo o aquariano está de joelhos junto à pessoa deitada no chão que agora ele sabe se tratar de um homem muito novo, um rapaz loiro, verificando os sinais vitais dele que está desacordado, o francês respira aliviado

_ele tá vivo, o seu coração bate..ufa...eu preciso ligar para o Saga..

nesse instante as expressivas orbes azuis do jovem se abrem devagarinho, aquele olhar azul provoca no mais velho uma estranha e inédita sensação, entretanto os gemidos do loiro despertam o ruivo de seu alheamento

_ah...ai..ah

_o que... o que você está sentindo?

_muita dor...um formigamento.. a minha perna direita, eu não consigo me levantar...!

_calma... agitação em momentos cruciais não resolve nada

diz o francês brando na tentativa de acalmar o mais novo, e a si mesmo outrossim quem sabe ,a angústia notável do jovem lhe incomoda ,Camus se sente culpado por ela. confuso o jovem pede

_eu tenho sede..muita sede...eu quero,eu preciso de água..

_você logo a terá, eu vou te levar até um hospital

_me deixa..ai que dor horrível

_vamos...

_eu não consigo..

_consegue sim...só segura o meu pescoço bem firme ok?

o rapaz obedece se apoiando em Camus como quem inconscientemente busca por proteção, ele tem as suas mãos gélidas, rogando internamente para que o jovem loiro não seja muito pesado ,o ruivo levanta o rapaz devagar, sustentando todo o peso do outro com suas mãos firmes segurando-o pela cintura até o veículo próximo e,com incomum habilidade Camus abre a porta traseira do seu carro e acomoda o moço loiro da melhor maneira possível no banco de trás, e sem tardança pega o seu telefone liga-o e contata Saga um conhecido de tempos idos e excelente médico

(Ligação On)

_alô?

_Saga providencia uma maca, um paciente vai chegar aí em breve

_paciente? você tá bem Camus?

_sim, não sou eu Saga.. bem eu atropelei uma pessoa e...

_Camus..

_ele se queixa de dor na perna direita ..e sede

_essa pessoa tem ao menos um nome Camus?

_é... -olhando mais uma vez o jovem, que nesse momento tenta disfarçar as dores que deve estar sentindo ele pergunta _o seu nome é?

_é... é.. Hyoga A..Alexey..

_certo o paciente é Hyoga Alexey Saga

_Camus como você...

_depois nós conversamos Saga

_tudo bem então, até daqui a pouco

(Ligação Off)

o mais velho  adentra no audi e começa a dirigir ,Hyoga que ouviu a conversa acusa com sua voz rouca irada mas contida

_foi você quem me deixou inválido

_você não está inválido Hyoga

afirma o mais velho procurando ser paciente com o jovem que presentemente ele sabe se chamar Hyoga

_minha coxa direita tá inchando

_fique calmo

_ficar calmo... por que você não passou por cima do resto do meu corpo, com essa porcaria de carro, me pouparia muito sofrimento..

_não diga isso, você está confuso, eu estou sendo muito mais útil à você, te prestando o socorro necessário, indispensável, acredite,e assim logo você estará bem.. você verá

_é claro que eu  vou estar bem -diz o russo irônico _que sede infernal.. ai

o discreto diretor mirou o seu telefone no porta luvas quase com ódio, por causa do aparelho, ele Camus se meteu em uma desagradável situação, correu riscos desnecessários,vai ter que dar muitas satisfações e feriu outro indivíduo, mais alguém prático como Camus Delier não pretende perder tempo com vãs lamentações, mais sim agir e ao ouvir a próxima frase do moço loiro ele entende o que deve fazer nos próximos dias...

_como é que eu vou me manter, me sustentar.. em cima de uma cama... como?

...proteger Hyoga e ressarcir todos os prejuízos que ele possa ter por culpa do acidente, por culpa dele...

o aquariano continua sem ingerir comida nenhuma, contudo isso não faz falta para o francês, a sua necessidade foi olvidada por ora..e aliviado Camus já divisa o prédio do nosocômio



Continua


Notas Finais


Ô dó do Hyoga e será que esse acontecimento teve algum responsável?foi um mau presságio..
No mais beijos carinhosos pra todos vocês e até bem breve


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...