História Eu Preciso de Você - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Hades, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Eu Preciso De Você, Hood-mills Family, Lana Parrilla, Magia, Once Upon A Time, Outlawqueen, Outlawqueen Baby, Rebecca Mader, Regina Mills, Robin Hood, Sean Maguire, Zelena
Visualizações 41
Palavras 3.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Harem, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa demora para atualizar a fic e também me desculpem qualquer erro de português etc, prometo que a felicidade da Regina está chegando. Boa leitura.

Capítulo 3 - Eu Sinto Sua Falta


Fanfic / Fanfiction Eu Preciso de Você - Capítulo 3 - Eu Sinto Sua Falta

Robin Hood.

O nome gravado no granito cinza fazia tudo parecer tão definitivo. Uma alma destruída foi o que Hades havia dito. Isso deixou pouco espaço para consolo. Ela não se moveu como todas aquelas pessoas que eles ajudaram no submundo. Ele foi embora. Isso é o que mais machuca.

Regina ficou na frente de seu túmulo silenciosamente, ela não sabia o que dizer ou como dizê-lo. Ela queria falar, mas sabia que não havia ninguém ouvindo. Ela não sabia se deveria continuar e falar por si mesma ou se deveria deixar seus pensamentos não ditos.

‘’Robin... ’’ ela começou baixinho, sua voz pouco mais que um sussurro. Lágrimas se formaram em seus olhos, cintilando.  Apenas alguns dias se passaram desde o seu funeral, mas não houve tempo para chorar. Poucas horas depois de se despedir de seu verdadeiro amor, ela estava no fusca amarelo de Emma dirigindo-se para Boston e Nova York para encontrar seu filho, para impedi-lo de destruir a magia. Então, claro, depois de salvar o dia mais uma vez eles voltaram para encontrar um novo inimigo á sua porta, então agora ela estava a toda velocidade para limpar a bagunça que Sr.Hyde tinha causado e atender aos novos habitantes de Storybrooke da terra das histórias não contadas. Ela ainda era prefeita, afinal, e sua turbulência emocional era secundária a necessidade de estabilidade em sua cidade.

Entre todo o caos que havia sido transportado para o mundo deles, Regina também tomara a grande decisão de separar e destruir o seu eu maligno enquanto estava em Nova York. Ela não podia negar que se sentia livre, uma sensação de liberdade do mal que a estava constantemente tentando a desviar-se de seu caminho para a redenção e ‘’boa’’ mas temia que sua escolha tivesse sido emocional, não racional. Ela não sabia o quão forte ela era sem sua escuridão, isso era algo que ela sempre confiara em Robin, mas ele não estava mais lá.

Os outros tentaram ajuda-la, oferecendo-lhe palavras de pena, mas eles não entendem, eles ainda tinham o seus amores. Ela não tinha acabado de perder um, ela perdeu dois. Parecia que, mesmo sem o seu eu maligno, ela estava destinada a nunca conseguir um final feliz. Então, é claro que Killian só teve que voltar do submundo, enquanto Robin se foi para sempre, o que só acrescentou sal á ferida. Como era justo que ele recebesse um passe para retornar dos mortos quando ele viveu centenas de anos além de seu tempo? Era apenas algo que ela teria que aprender a viver, assim como a dor constante de sua perda.

Mas foi sua irmã que mais a irritou. Zelena tentou comparar sua situação a perder Hades, o que fez Regina rir. Sua irmã estava com seu amor verdadeiro por cinco minutos e ele era razão pela qual Robin estava morto. Ela se recusou a acreditar que o Deus dos Mortos não era confiável e, por causa disso, Robin morreu tentando salvá-la e a sua filha. Não foi justo.

‘’Deveria ter sido eu... ’’

Seu coração doía de culpa enquanto falava. Ele havia morrido protegendo-a de Hades, assim como Daniel havia morrido por causa dela. Ela não sabia como ou por que, mas ela era amaldiçoada, amaldiçoada a nunca manter a felicidade, não importa o que ela fizesse.

‘’Regina, você está bem?”

A voz parecia distante, mas era irritante. Tudo o que ela queria era paz e tempo para chorar por seu amor perdido. Ela não queria outra conversa de piedade de um dos Encantados que não tinha ideia de como ela estava se sentindo.

‘’Agora não, Emma, por favor’’, ela respondeu baixinho, sem se virar.

Emma Swan enfiou as mãos nos bolos de sua jaqueta de couro vermelha e moveu-se para ficar ao lado dela, seguindo seu olhar em direção á lápide. Desde sua viagem a Nova York, ela se sentira tola por pensar que Regina voltaria aos velhos hábitos por causa de sua perda. Tudo o que ela fez desde a morte de Robin provou o contrário, ela mudou completamente e ela era apenas uma mulher que estava sofrendo por sua perda, mas ela também era uma mulher que precisava do apoio de seus amigos e familiares.

‘’Eu só queria ter certeza de você estava bem. Desde que voltamos de Nova York você tem sido muito distante, o que é totalmente justificado, mas você não deveria estar sozinha. Especialmente não agora. ’’  Seu ombro cutucou um pouco contra o de Regina e ela se virou para sorrir para ela, mas não houve resposta, seus olhos estavam presos no túmulo á sua frente.

‘’Você não entende’’

‘’Sim, ok, talvez eu não entenda, mas isso não significa que eu não posso ajudar’’, ela interveio, gentilmente colocando a mão em seu braço. ‘’Você tem que falar com alguém e tenho certeza que serei muito melhor em ouvir do que aquela lápide! ”

Regina suspirou e admitiu a derrota, ela conhecia a Srta. Swan bem o suficiente agora para saber que quando ela se fixava em algo, ela não desistira que ate fosse alcançada. ‘’Bem. ’’

Ela cuidadosamente colocou a rosa que ela estava segurando na frente da pedra antes de desviar o olhar e se dirigir para seu cofre nas proximidades. Ela assumiu que Emma iria seguir atrás, mas ela não esperou descobrir com certeza.

O som de suas botas de salto alto ecoou na segurança de seu cofre de pedra. Regina de repente parou no corredor, olhando para seu depósito de magia. As lembranças das noites compartilhadas com Robin voltaram para ela. Seu peito se apertou e seu coração doeu novamente. Seria fácil arrancá-lo e guarda-lo onde não pudesse mais causar dor, mas era à saída de um covarde. Ela havia tentando a última vez que eles estavam na Floresta Encantada depois de ter sido forçada a se afastar de Henry. Foi Robin quem lhe disse que ainda havia algo pelo qual vale a pena viver, em vez de se colocar sob uma maldição adormecida. Ela podia ouvir sua voz claramente em sua cabeça dizendo o mesmo agora; sem seu coração e sem seu eu maligno, ela não sabia o que seria.

Emma a alcançou e a observou para ver ao seu lugar de consolo. Ela tocou seu braço gentilmente e sorriu ‘’Então onde você guarda sua bebida aqui? Você não me pode dizer que levantou Henry por dez anos e manteve toda a coisa de prefeita sem escapar aqui para relaxar. Magia não é a única medicina e eu duvido que você tivesse muitos amigos bebendo no Granny’s ‘’

Regina só ouviu parte do que ela estava dizendo, mas zombou de lembrar o quão solitária tinha sido durante a maldição. Ela havia se convencido de que valia a pena porque sua vingança estava finalmente sendo promulgada, mas agora, tendo conhecido o amor de seus amigos, família e Robin, ela sabia que vida preferia viver. Nenhuma quantidade de escuridão poderia remover esse anseio por amor.

Ela começou a remexer em uma prateleira e, atrás de vários frascos de substâncias mágicas desconhecidas, produziu dois copos de vidro e uma garrafa de uísque envelhecido.

‘’Para Robin. ’’, Emma anunciou segurando a bebida, uma vez que ambos se sentaram com copos cheios.

Regina olhou para o líquido por um momento, girando em pensamentos. ‘’Robin’’, ela repetiu calmamente antes de engolir o conteúdo de seu copo em um tiro.

Emma levantou as sobrancelhas e silenciosamente reabasteceu seus copos vazios. ‘’Então, quer conversar?’’

‘’Sobre o que falar?’’ Regina perguntou, cruzando os braços sobre o peito, propositadamente evitando olhar de Emma enquanto tomava um gole de sua bebida. ‘’Robin morreu, a vida continua, temos outra ameaça para a cidade. O que há de novo?’’

‘’O modo como você bebe durante o dia, Senhora Prefeita, certamente é. ’’ Emma achou que seu comentário provocou um pequeno sorriso quando os lábios de Regina se contorceram, mas seu rosto permaneceu sem emoção e ela não disse nada. ‘’Diga algo, eu sei que não sou o Archie, mas sou sua amiga. Também não falamos muito sobre Nova York, destruir essa parte de você não deve ter sido fácil. ’’

Não foi fácil. Regina estava cheia de dúvidas sobre se ela havia feito à escolha certa desde que havia esmagado coração da mulher que consumiu por tanto tempo. Sua culpa só foi facilitada pela racionalização de sua decisão.

‘’A Rainha Má causou tanta destruição e ela estava constantemente me tentando de volta para as trevas, e depois do que aconteceu com Daniel eu não poderia ter dor me consumido novamente. Eu realmente pensei que ia matar Zelena, ela é a razão pela qual Robin está morto, se ela tivesse acabado de me ouvir sobre Hades! Ela resmungou com raiva, novas lágrimas se formando novamente enquanto pensava em sua irmã. Ela fez pausa e respirou fundo, acalmando-se. ‘’Mas eu não posso fazer isso, não posso deixar Robyn órfã, essa é a última coisa que ele gostaria de ter para sua filha. ’’

Colocando culpa algo que Emma também estava familiarizada. Quando ela pensou que nunca mais veria Killian depois de deixar o submundo, ela se culpava. Foi culpa que ele se tornou um Dark One  em primeiro lugar e por que ele havia sido condenado á morte. Ela podia simpatizar com a necessidade de descontar sua raiva em alguém, mas ela não podia lhe dizer isso, seria apenas outro lembrete que seu verdadeiro amor havia ressuscitado dos mortos, enquanto isso não seria caso de Robin.

‘’Você tem permissão para machucar, ninguém esperaria mais nada de você. Quanto a Zelena... Bem, é provavelmente o melhor que vocês duas ficam fora do caminha uma da outra por um tempo’’, ela disse com um pequeno sorriso.

‘’Eu estou tentando! Eu quase a expulsei da minha casa. Ela não entende porque eu sou louca, e não é só Robin, é a falta de cuidado dela. Roland a deixou com uma pena de Robin, para ela me dar e ela perdeu. Era a única coisa que eu teria deixado de qualquer deles, o acampamento deles tinha ido embora quando voltamos. Eu não consegui dizer adeus... ‘’ Regina fechou os olhos brevemente e tentou parar o fluxo constante de lágrimas que apareceu com todos os motivos que ela teve que ficar chateada. Ela não tinha realmente falado sobre a perda de Rolando, todo mundo assumiu que sua dor era por seu amor, mas com ele veio sua família. Os três e Henry tinha passado muito tempo juntos entre o tempo que passavam em diferentes reinos e eles se aproximavam muito, ela amava aquele menininho.

Emma colocou a mão em cima da sua amiga e apertou-a suavemente. Se havia uma coisa que ambos entendiam, era o amor de uma mãe. ‘’Sinto muito sobre Roland. Eu deveria ter ido para Nova York sozinha. ’’

‘’Então você não teria sido capaz de trabalhar com Gold e talvez nunca tenhamos recuperado a magia, deixando-nos em uma posição pior. ’’ Regina suspirou e correu os dedos pelos cabelos, falando só a deixando mais irritada com a situação que se encontrava. ‘’Mais uma vez, a cidade veio primeiro. Assim como agora, eu tenho que fazer um show, dizer ás pessoas da terra das histórias não contadas em que podem confiar em nós e que Storybrooke está seguro quando todos sabemos que isso não é verdade. Sempre há um perigo nas linhas da cidade. ’’

O olhar de Emma voou para o copo vazio que Regina estava passando de mão em mão. ‘’Sim, pode haver perigo lá fora, mas existe em qualquer lugar. Tenho certeza de que a terra que essa pessoas vieram era tão perigosa quanto a nossa cidade, provavelmente mais. Agora, isso não é nossa preocupação, meus pais podem colocar tudo sub controle. Estou agora ajudando você, e vamos começar ficando pelo menos moderadamente bêbadas. ’’

Quando ela começou a mover a garrafa de uísque para o copo, Regina afastou-a de seu alcance. ‘’Eu não posso ficar bêbada. Eu sou a prefeita, você é a xerife, temos que cuidar do nosso filho adolescente! Nós temos responsabilidades, não podemos simplesmente drenar nossos problemas. ’’

‘’Certamente funcionou para mim no passado. ’’, deu de ombros para Emma, continuando em vão para pegar o liquido no copo de Regina, mas ela manteve fora de seu alcance.

‘’E se houve uma emergência na cidade? Isso realmente dará aos nossos novos residentes uma ótima primeira impressão, se não formos capazes de ajudar, porque estamos confusas e bêbadas’’, declarou Regina sem rodeios.

Emma estreitou os olhos para ela, por que ela sempre deve ser responsável? Certamente não era bom para uma pessoa permanecer tão séria o tempo todo. ‘’Você já se divertiu?’

Regina simplesmente cruzou os braços sobre o peito e ergueu as sobrancelhas para ela. Ela podia se divertir, era só que em sua vida não havia muita ocasião para se divertir. Robin tinha trazido diversão em sua vida, ele a fez sorrir de uma forma que nenhum outro jamais teve antes. Ela sentiu que era uma traição continuar a sorrir e rir em sua ausência. Talvez não. Mas beber com os amigos era algo que ela nunca tinha experimentado antes, principalmente porque nunca teve amigos para beber antes. Talvez fosse hora de deixar alguém ajuda-la para uma mudança, em vez de confiar em si mesma. Especialmente agora que uma metade dela se foi.

‘’Se você quer provar que não vai entrar em uma depressão profunda, que mal poderia fazer um par de bebidas? ‘’ Emma continuou com persistência inabalável.

‘’Bem!’’ Ela chorou finalmente segurando seu copo para ela.

Levou apenas mais duas bebidas do tamanho de Emma para Regina começar a sentir o efeito delas. Ela não teve muito tempo para beber a dor desde que Robin morreu e ela estava gostando de como isso ajudava a aliviar a dor em seu coração, mesmo que fosse temporário.

Sua amiga continuou a pressioná-la a se abrir com cada gole em que ela tomou de seu uísque, mas Regina permaneceu tão reservada quando pode. Ela baixara os muros para Emma quando eles estavam em Nova York e ela se arrependia desde então, ela odiava parecer fraca qualquer um. Temia que, se começasse a falar um pouco sobre Robin, pudesse abrir uma comporta que não conseguiria fechar, mas o álcool estava correndo sua determinação e não havia nada que pudesse fazer para impedir. Então, ela tentou falar sobre qualquer outra coisa que afastasse a conversa de sua dor emocional.

‘’Então, você vai continuar morando naquela casa de Dark Swan?’’ Regina perguntou a ela, com apenas uma insinuação de insulto á sua voz.

Emma riu, ‘’Bem, eu pareço possuí-la agora, então eu acho que sim! Ou É isso ou voltar para o apartamento dos meus pais. ’’

‘’Você também tem o navio com o pirata de uma mão. ’’ Regina revirou os olhos ao pensar naquele pirata, mesmo antes de ele ter feito o seu retorno milagroso que ela nunca tinha aquecido para ele, não desde suas relações muitos anos antes.

Ela balançou a cabeça lentamente e fechou os olhos desesperada coma a ideia de viver no mar, era uma ideia romântica, mas os aspectos práticos pareciam piores do que algumas das situações em que ela se encontrava quando estava fugindo. ‘’Não, obrigado, ele pode estar bem adaptado á vida na água, mas eu gostaria de manter seus pés firmemente no chão. ’’, Emma respondeu, aproveitando totalmente a conservação fácil e frívola que eles estavam tendo. ‘’Por que você não gosta dele? Vocês dois são vilões redimidos afinal, certamente isso é um terro comum para amizade. ’’

Regina zombou de suas palavras, ‘’É exatamente por isso que eu não gosto dele, temos muito em comum. Além disso, não posso tolerar artimanhas comuns, os piratas são tão incivilizados. ’’ Ela manteve a cabeça um pouco mais alta enquanto falava, havia alguns hábitos e crenças, que ela aprendera quando criança sendo preparada para a realeza, que sempre tinha ficado a opinião dela sobre piratas sendo uma delas.

‘’Mas você trabalhou em conjunto com ele na Floresta Encantada, ele me disse! Você obviamente o tolerou então. ’’, afirmou Emma, cruzando os braços sobre o peito erguendo as sobrancelhas com naturalidade.

‘’Sim, bem ele foi útil então. Isso até que ele foi para o País das Maravilhas e me enganou ao não matar minha mãe. ’’ Regina disse a ela.

Emma soltou um suspiro e riu para si mesma: ‘’Nós vivemos em um mundo estranho quando essa sentença é normal... ’’

Regina, em seguida, riu corretamente pela primeira vez desde que Robin morreu, sem pesar tendo um traseiro em sua vida por um curto período de tempo, pelo menos. ‘’Eu suponho que sim... Mas não comece a pensar que eu vou ser legal com o seu pirata agora só porque nós ficamos bem e todos nós precisamos ser uma grande família feliz. Eu ainda sou uma rainha, eu ainda tenho padrões. ‘’

‘’Seus padrões pareciam esquecidos quando você se apaixonou por um homem que vivia na floresta, sua majestade!’’ Os olhos de Emma se arregalaram e ela levou a mão á boca assim que ouviu suas palavras de volta. Não importava o quanto eles tivessem bebido, ela não deveria ter mencionado Robin. Ela deveria estar ajudando a tirar a mente de Regina de sua dor, não falando sobre a causa disso.

‘’Regina, eu sinto muito, eu não deveria ter dito nada... ‘’

Ela balançou a cabeça e deu um pequeno sorriso, ‘’Está tudo bem, eu não quero que ele seja um assunto tabu. Não se preocupe, eu sou esnobe sobre ele também no começo, Branca notou uma conexão entre nós desde o começo de o ano que faltava, mas tudo que eu pude ver foi um ladrão que cheirava a floresta. ‘’ O coração de Regina saltou um pouco com a lembrança, todo o tempo que passaram em seu castelo em seu castelo, dançando em torno um do outro, encontrando maneiras novas e inventivas de escolher argumentos. Ela não podia acreditar que os levou até que eles estavam em outro reino para ver o que estava bem na frente deles. Todo esse tempo desperdiçado, mas eles não tinham ideiam, eles pensaram que tinham o resto de suas vidas para compensar isso.

Houve um período de silêncio antes que Regina fechasse os olhos e apoiasse a cabeça contra o armário que continha os corações de seus inimigos que ela realmente queria devolver, mas a maioria deles retornou a floresta encantada desde a primeira maldição. Não era como se ela ainda estivesse controlando-os.  

‘’Eu realmente sinto falta dele’’, ela admitiu baixinho.

Emma olhou para ela com os olhos arregalados, surpresa por Regina finalmente se sentir confortável o suficiente para se abrir para ela. Ela silenciosamente a encorajou a continuar falando, inclinando-se ligeiramente para frente.

Os olhos vidrados pelo álcool olhavam fixamente para o chão de seu cofre enquanto ela falava, as lágrimas ameaçavam cair mais uma vez e desta vez ela não tinha o controle corporal para detê-los. ‘’Sinto falta do que tivemos juntos, não apenas com ele, mas com Roland também. Ficamos felizes, pela primeira vez em tanto tempo me deram a chance de ser feliz e não havia obstáculos em nosso caminho, mas é claro que ele teve que partir. Eu me sinto tão inútil. Todo mundo nessa cidade tem alguém. Eu costumava me contentar em ficar sozinha, porque eu sempre tive o Henry, mas agora ele tem sua namorada. Ele não confia mais em mim. Como Gancho, Branca e David têm um ao outro, e adivinha quem é deixada sozinha de novo? Eu. Operação Mangusto foi um fracasso. ’’

Regina ficou em silêncio novamente. Ela não transmitia auto piedade para outras pessoas. Mas seu coração se sentiu um pouco mais leve por contar a Emma sobre sua dor. Não era mais um fardo que ela carregava com ela.

‘’Você vai ter o seu final feliz, esse é o meu trabalho, lembra?’’ Emma disse a ela, inclinando-se para frente e apertando sua mão mais uma vez. ‘’Eu não desisti de você ainda, então não desista de si mesma. Eu não passei pelo que você passou e não experimentei a mesma. Mas isso não é Daniel, você não precisa lutar ou colocar a culpa. Você tem o amor dos outros ao seu redor, você tem sua família para se apoiar agora. Você tem uma cidade que respeita e confia em você. E o mais importante você tem um filho que te ama. Você pode não ter mais tempo com Robin, mas você terá melhores momentos pela frente. Até lá, vamos enfrentar esse novo obstáculo juntos e vencê-lo, como sempre fazemos. ’’

Não houve mais palavras pronunciadas por um longo tempo enquanto Regina fechava os olhos e deixava as palavras da amiga se processarem.

Mas você terá melhores momentos pela frente. Isso parecia inconcebível naquele momento presente, mas ela sabia que no fundo era verdade. Quando seu coração estava cheio de raiva e raiva em seus momentos mais sombrios, ela não achava que poderia ser amada e, no entanto, Robin entrou em sua vida, embora brevemente, e mostrou a ela que a felicidade e o amor eram possíveis. Como ela dissera uma vez a sua irmã, Robin era apenas parte de seu final feliz. Emma estava certa. Ela tinha sua família e sua cidade, e essa fundações iam tirá-la de seu tempo sombrio enquanto ela tentava olhar para frente, além do trabalho do Sr.Hyde e dos moradores da terra das histórias não contadas para um futuro melhor.

A dor não duraria para sempre.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...