História Eu queria ter dito te amo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chen
Tags Angst, Baekchen, Chenbaek, Projeca, Projeca8, Yaoi
Visualizações 29
Palavras 651
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de tudo, essa fanfic contém violência e homofobia. Se tu és sensível com esse assuntos, peço por favor que não leia. Não é meu objetivo deixar alguém mal :(

Sei que só ando trazendo fanfics fluffy pro projeca, mas precisei repostar essa. Senti que precisava.

Vamos que vamos, boa leitura.

Capítulo 1 - Eu tive certeza, mas já era tarde demais.


Oi, Baekhyun. Aqui é o Jongdae.

Eu não faço a menor ideia se você vai conseguir escutar isso ou não, mas minha mãe me disse para tentar. Você lembra dela? Quando você vinha e passava as tardes de domingo aqui, ela fazia limonada com biscoitos de morango. Ela sente falta dos seus elogios.

Eu lembro até hoje do dia que nos conhecemos. Eu estava no nono ano e você no primeiro, mas descobrimos nossa verdade juntos. Minhas costas coladas naquele muro atrás da escola, seu polegar direito na minha bochecha e o toque caloroso dos teus lábios nos meus me fizeram acreditar que aquilo seria pra sempre.

Você e eu sabíamos do perigo que era sermos nós mesmos num país tão conservador. Mas aprendemos a ser fortes por nós mesmos, e em dobro um pelo outro. No entanto, tudo mudou quando você tomou coragem pra contar a sua família. Me disse que eles iam te aceitar, que ia ficar tudo bem e no fim, ia me apresentar pra eles e iam me amar, me tratariam como uma parte da família.

Porém, não foi assim que a melodia tocou. Ela foi desafinada, em um tom errado e com uma letra fora de contexto. Não foi bonita e harmoniosa como deveria ser.

Te expulsaram de casa. Jogaram fora os sentimentos que tinham por você, rasgaram suas roupas, queimaram suas fotos. Sua mãe disse que você não era mais filho dela, sua irmã te rejeitou e seu pai, que há muito tempo disse que você era o orgulho dele, cuspiu em você, te chutou nas costas e disse que te odiava com todas as forças.

Você veio me pedir ajuda, o rosto pintado com um roxo amargo e roupas manchadas de sangue. Você mal conseguia andar, meu amor. Eu te abracei e molhei seus ombros com minhas lágrimas. Eu tive tanto medo, Baekhyun. Minha mãe e eu te levamos para o hospital. Eu segurei suas mãos com uma firmeza que era desconhecida por mim até aquele momento.

Os médicos fizeram de tudo. Te medicaram com todos os remédios possíveis, mas eles não faziam o efeito necessário.

Você ficou em coma por uma semana. E em todos aqueles benditos sete dias, eu fiquei do seu lado. Você não escutou, mas eu chorei. Chorei baixinho e pedi a todas as divindades existentes para que você acordasse. Eu só queria cuidar de você, só queria te ter do meu lado. E durante aquele tempo, eu finalmente tive certeza do que eu sentia por você.

Entretanto, minha esperança foi apagada por um sopro de realidade. No oitavo dia, eu cheguei naquele hospital com uma pelúcia de ursinho e chocolates que eu mesmo tinha passado a noite fazendo. Eu queria te ver acordado e sorrindo. Mas não foi isso que aconteceu.

Assim que eu entrei naquele quarto, ouvi e olhei o monitor de batimentos cardíacos. A linha estava reta. Sua presença já não estava mais ali.

Eu acho que nunca gritei tão alto, Baekhyun. Eu chamei por ajuda, mas já era tarde demais. Você já estava em outro mundo.

E eu me arrependo, Baek. Me arrependo de não ter confirmado a certeza dos meus sentimentos por você quando ainda estava em vida e eu podia escutar sua risada feliz.

Mais uma vez, eu não sei se você está me escutando. No entanto, eu quero te dizer algo: Um dia depois do seu enterro, feito por mim, nossos amigos e minha mãe, eu voltei ao seu túmulo.

A lápide estava com seu nome e sua idade.

Você tinha só 16 anos, Baekhyun.

Eu passei os dedos pelas letras entalhadas e desenhei um coração imaginário. Levei as flores brancas que eu havia trago até minha boca e sussurrei um te amo, logo depois deixando o buquê próximo ao retrato da sua foto.

Eu esperei uma resposta, mas ela não veio.

Porque infelizmente, seu coração não estava mais batendo pra me retribuir.


Notas Finais


Quando penso nas pessoas que sofrem apenas por conta da orientação sexual delas, eu fico triste.
Por favor, não privem os outros de amar </3

Twitter: @midonyho | Curious Cat: https://curiouscat.me/kyushi

See you tomorrow, you are amazing,
Akemi. ✨💕✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...