História Eu quero apenas paz (Hiatus, porque sim) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias League Of Legends (LOL)
Personagens Veigar
Visualizações 61
Palavras 1.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem, só pra deixar claro, essa fic é baseada no que acontece no meu dia a dia ou oque já aconteceu com algumas mudanças, mas claro que vai ter caps que não tem nada com a minha vida, emfim, boa leitura

Capítulo 2 - Olhar diferente


Fanfic / Fanfiction Eu quero apenas paz (Hiatus, porque sim) - Capítulo 2 - Olhar diferente

POV Veigar

Estava na hora de eu ir trabalhar, isso mesmo, eu já tinha arrumado o emprego e o horário é bem compatível com oque eu pratico no dia a dia, o único defeito é o fato da minha função, sou um garçom e isso sempre me irrita, mas não é porque eu não gosto, na verdade eu não ligo e as vezes é legal, mas tem hora que da vontade de virar a mesa porque as pessoas não sabem oque pedir e me chamam mesmo assim, é triste, eles não me chamam e pedem o menu e me deixam sair, NÃO, claro que não, seria muito simples, eles pedem o menu e me pedem pra esperar e até ele decidirem eu já deixei umas 3 ou 4 mesas esperando, mas é melhor que nada

Já no restaurante eu vesti a roupa que os garções homens devem usar, é um terno preto, eu me sentia camuflado com o meu pelo e sempre quando não estava atendendo mesas eu olhava para o terno e para o meu pelo juntos e ficava pensando se meu pelo não fosse tão bagunçado como ficaria, atendendo algumas mesas eu vejo que alguém familiar em umas das mesas e eu percebo que é o cliente que eu vou apelidar de ''roxo'', porque ele sempre usa camisa roxa, ele sempre ME chamava, passava vários outros garções sempre passavam por ele e ele nunca chamava eles, mas quando me via ele me chamava como se eu fosse o atendente particular dele, teve casos que eu estava anotando o pedido de um e ele saiu da mesa para me chamar, foi extremamente envergonhante, e ele pensa que eu existo só no restaurante porque fora dali ele nem me cumprimenta

Roxo - Opa, veigar vem aqui me atender gatinho - falou enquanto acenava para mim

Odeio esse apelido que ele me deu, queria saber se é por causa que eu tenho orelhas de gato ou ele esta me chamando de gato porque sou bonito, bem, talvez

Oque vai ser hoje, senhor - falei senhor bem lentamente para mostrar para ele que não estava feliz com ele

Roxo - Bunda de gato 

Na hora eu estava olhando para o caderno que eu segurava mas quando ele falou isso eu encarei ele com uma cara de surpreso, ele nunca tinha feito isso, ele me olhava com um sorriso malicioso que era nojento de se ver, e fora o fato que ele tinha quase a minha idade e era horrível saber dessa informação porque ele parece ser tão jovem, jovem eu digo 15 anos, pela altura, atitude e voz

O pedido - eu não poderia xinga-lo, mesmo que eu quisesse muito na hora

Roxo - hehe, mas hoje é o de sempre - falou ainda com o sorriso malicioso

Ok... - falei enquanto anotava o pedido, ele sempre pedia que no caso é o de ''sempre'' um prato completo, segundo o restaurante ele é um prato que regula as calorias dando tanto coisas saudáveis, frituras, carne etc, sinceramente não sei como ele conseguia comer tudo

Já voltando com o prato ele continuava com um olhar malicioso para mim, dava vontade de virar a mesa em cima dele

Roxo - Rápido e ágil como sempre gatinho 

Faça um bom proveito da sua comida e já sabe onde pagar - falei enquanto anotava o preço que ele teria que pagar

Roxo - Mas você sabe onde eu posso me satisfazer? 

Eu não sei - falei enquanto colocava a conta dele na mesa

Roxo - Só-com-você - esse jeito de falar pausadamente é triste de se ouvir

Eu no espirito da raiva anotei um numero e do lado do numero coloquei um coração e coloquei na mesa

Quando quiser, só chamar - ele sorria enquanto via o papel, mas na verdade era só um numero de uma casa de strip que tinha em noxus

Pulo no Tempo

Saindo de lá e chegando na rua comercial da cidade eu vejo um cara barbudo vendendo algo que é familiar para mim, era um cavalo de madeira bem pequeno, mas eu lembro que meu pai tinha me dado um dele antes do câncer levar ele, eu chego perto e percebo que não é o mesmo, é como se fosse uma parte do quebra cabeça, o meu era um cavalo de pé com a cabeça para a direita, esse do barba é um que se apoiava no pescoço do outro cavalo, achei bonito então eu fui lá

Bonito isso

Barba - Sim, esse cavalo tem uma familia, esse dai é a fêmea que se apoia no pescoço do macho, e existe outro que é bem raro que é um filhote que fica do lado da mãe, são lindos, foram feito por um homem que salvou bandle então eles são conhecidos e amados pelos yordles, é estranho você não conhecer - mal sabia ele que eu quase não fiquei aqui

Legal, vou levar - falei enquanto dava o preço que estava marcado em um papel com o nome da égua

Barba - Continue passando aqui, eu ainda vou achar esse filhote, hehe

Chegando em casa eu vejo que tinha teemo e outros yordles que eu conhecia, mas queria não conhecer, estava lulu, tristana e ziggs, estranho a tristana voltar aqui só para vir para bandopolis apenas para essa festa

Eu entrei discretamente em minha casa para não ser reparado, afinal, com esse jeito do teemo de chamar qualquer conhecido para todo lugar eu não duvidaria para ele me chamar, lá dentro eu vejo gnar com uma camisa e uma calça formal, o gnar de roupa formal, isso não faz sentido algum para mim

Gnar: Ei veigar, eu estou bonito? - ele falou enquanto dava uma rodada para mostrar a roupa

Bonito você esta, mas qual o motivo da roupa?

Gnar: O teemo esta fazendo uma festa e o temo é roupas é todas formais, é estranho mais eu vou

Ok, se quiser me procurar vou continuar aqui - falei enquanto subia as escadas

Gnar: Até mais - quando ele falou eu ouvi o barulho de uma porta fechando

Eu fui atrás da estante do meu quarto onde eu deixei o cavalo que meu pai me deu, o cavalo era lindo e liso, quando eu vi o cavalo eu senti uma lagrima que ia cair mas eu enxuguei com o meu ante-braço, eu posicionei eles de uma maneira que a égua ficasse apoiada no cavalo, era tão bonito

Pulo no Tempo

Eu já tinha jantado e também já tinha feito minha higiene para dormir, o gnar não tinha voltado então eu deduzi que ele dormiu na casa do teemo então eu fui deitar sozinho, mas quando eu já estava dormindo eu ouço o barulho de uma porta fechando, eu abri a porta do quarto e vi gnar caído no chão, provavelmente ele estava cansado, bêbado ele não estaria porque eu já disse para ele que se ele entrar bêbado em casa um dia eu iria fazer ele ficar na casa do teemo até ficar sóbrio, então eu desci e virei ele e quando eu vi ele estava com a cara toda pintada e com lagrimas nos olhos

Gnar?, oque aconteceu - falei enquanto levantei ele e levava ele para o banheiro

Ele não conseguia falar porque não parava de chorar, eu ficava limpando a cara dele com o pano e depois de limpo eu dei uma toalha para ele se secar e enxugar as lagrimas, quando ele se acalmou eu e ele estávamos sentados na cama ele ficava olhando para o chão pensando no que me falar

Gnar: Bem... eu... eu estava na festa e acabei dormindo no sofá e quando eu acordei eu vi que tinha um yordle qualquer que eu não conheço apontando o celular para mim e rindo eu não entendi então fui para a cozinha para beber um copo da água então eu vi no reflexo da janela minha cara toda pintada então eu fui correndo para a porta para voltar aqui e me limpar e o mesmo yordle colocou o pé na minha frente fazendo eu cair e bater a cabeça e então eu comecei a chorar de dor e ele continuava rindo e apontando o celular e quando eu sai de lá eu vi que ele tinha filmado e colocado em um grupo famoso

Cara, que babaca esse yordle, mas o teemo ou os outros não fizeram nada?

Gnar: Não sei, mas acho que não

Amanha vou ter uma conversinha com ele  - falei enquanto me deitava na cama

O gnar se deitou também, mas agora nós não ficávamos de costas um para o outro mas sim de frente, eu nunca ficava de olhos aberto e nem fechados na hora de dormir, eu ficava com o esquerdo fechado e o direito um pouco aberto porque assim eu sabia oque estava acontecendo, e eu sempre podia olhar para onde eu quisesse e eu sempre olhava o gnar me encarando mas hoje ele olhava diferente, ele olhava com um sorriso, e quando eu estava quase dormindo eu ouvi - Boa noite fofo - bem baixo e eu vi o gnar ficando um pouco corado, se ele sentia algo por mim eu não sei, mas não vou negar, parece que algo esta crescendo em mim


Notas Finais


Vrau, poucas partes desse cap realmente já aconteceu comigo mas eu quero ver se alguém consegue acertar qual dela é :D

NHUA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...