História Eu quero que seja real - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Sherlock
Personagens D.I. Greg Lestrade, Dr. John Watson, Mrs. Hudson, Sherlock Holmes
Tags Johnlock
Visualizações 306
Palavras 900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeey, tudo bem?
Essa é a primeira historia de johnlock, então me desculpem se a personalidade deles estiver um pouco diferente.
A historia se passa em um universo sem a Mary ou a Rosie, porque eu acho que a quarta temporada foi muito tensa e cheia de angustia, e eu queria escrever algo mais leve. Então vocês podem imaginar o que quiserem, decidam o que aconteceu com a Mary ashuasu
Boa leitura!

Capítulo 1 - Você aceita?


O clima em Londres naquele dia era nublado e possuía uma ameaça de chuva, fazendo que com as poucas pessoas que se arriscavam a sair de casa, se apressassem em procurar um lugar para se abrigar e se aquecer. Dentro do apartamento na rua Baker, o ambiente era confortavelmente aquecido por uma lareira.

John estava sentado na poltrona de seu companheiro com seus pés sendo aquecidos pelo calor e escrevendo uma de suas ultimas aventuras em seu blog. Ao terminar, ele colocou seu notebook em cima da mesa e se aconchegou na poltrona, deixando sua mente vagar para todas as venturas, perigosas e intrigantes que ele já teve desde que conheceu o detetive

"O que você está pensando?"

"Desculpe, o que você disse?" Acordo de meus pensamentos

"Você está fazendo aquela cara de quando está pensando muito em uma coisa, o que é?" Sherlock diz, sentado na cadeira da cozinha anotando os resultados de sua experiência

"Ah, nada demais. Eu estava apenas lembrando de alguns dos nosso casos mais perigosos e  lembrei de quando você fingiu namorar a janine para chegar ao magnussem"

"Hum" ele diz voltando a olhar para o telescópio

"Como você conseguiu fazer aquilo?" Pergunto curiosamente

"Fiz o que exatamente?"

"Com que a Janine namorasse você. Quer dizer, você não é exatamente uma pessoa romântica, ou carinhosa" rio levemente "Então como você conseguiu fazer com que ela te namorasse sem suspeitar de nada?"

"Era para um caso John, um dos mais importantes sem dúvida, é claro que eu iria fazer tudo para que o meu plano desse certo. Você deveria saber disso a essa altura"zombou tentando disfarçar a ligeira ofensa em sua voz

"Sim, eu sei, mas são sentimentos, Sherlock" disse me arrumando na poltrona, ficando mais interessado no assunto. "Você não entende muito disso, e ainda dificilmente os expressa"  Sherlock, como há muito tempo eu já havia aprendido, não era uma máquina de trabalho sem sentimentos, ele era na verdade uma pessoa bem sentimental, mas o fato era que ele quase nunca os demonstrava e preferira deixá-los de lado para que não prejudicassem suas análises e deduções. "Por que não fazemos uma aposta então?" Disse se afastando de seus experimentos e andando vagarosamente em minha direção. "Por uma semana, eu devo agir com o seu namorado. Nós podemos determinar os termos depois, mas essa aposta deve conter demonstrações afetivas para que você possa avaliar a minha capacidade de expressar meus sentimentos. Vai ser um experimento interessante para mim e o vencedor vai ganhar 80 libras" sorriu. "O que você acha?"

"Quais são os termos?"

"Isso significa que você aceita?" Sherlock sorri maliciosamente. 

 Eu não posso negar que estava curioso, eu gostaria de saber como Sherlock iria agir nessas semanas, eu queria conhecer um lado novo dele que tanto me intrigava. E mesmo tentando negar durante todo esse tempo, eu sabia que meus sentimentos por ele não eram apenas amizade, havia algo há mais, e era isso que me fazia desconfortável, eu estava com medo do que essa aposta poderia resultar, com medo do que ela poderia mudar entre nós dois. Mas ainda assim, essa aposta era tão tentadora...

"Se eu me sentir desconfortável durante essa semana, eu posso parar?" Pergunto receoso.

"É claro" ele da ombros. "É por isso que devemos estabelecer alguns termos antes, para que nenhum de nós fique incomodado com isso"

"Então sim, eu aceito"

Meu deus, eu realmente fiz isso, eu aceitei ser o namorado de Sherlock por uma semana. Será que fiquei insano? Apesar de todo o absurdo que essa ideia envolve, eu não posso deixar de reconhecer o quão animado eu estou para isso, ao imaginar as coisas que poderão acontecer durante essa semana, ou o que o Sherlock irá fazer... Ok! Já chega John Watson, recomponha-se, isso é apenas um experimento, não comece a imaginar coisas que não vão acontecer.

Olho para o rosto de Sherlock e vejo os seus olhos brilharem com animação, como se fosse uma criança que acabou de receber o tão esperado presente de natal. Eles eram intensos e penetrantes, e pareciam exibir uma emoção nova, uma que eu nunca vi antes em seus olhos, muito menos quando eram dirigidos para mim: carinho e adoração. Mas não, eu devo estar imaginando coisas, o detetive não possuía esses sentimentos em relação a mim. Ser o foco de atenção dessas íris iguais uma nebulosa deve ter me deixado confuso.

"Então..." digo com nervosismo ao perceber a quanto tempo estávamos nos encarando. "Quais são os termos?"

Minha pergunta quebra o feitiço entre nossos olhares e aquela emoção em seus olhos desaparece, como se nunca estivesse lá, dando lugar ao seu olhar analítico habitual.

"Hum, okay" diz clareando a garganta e olhando para o lado "Como você se sente sobre abraços?"

"Estou com confortável com isso"

"Beijos?" Cora levemente

"Sim, mas... não nos lábios"

"Okay. Demonstração em público?"

"Melhor não, não precisamos ter as pessoas falando mais do que elas já fazem" brinco

"Mas encontros são permitidos?" Ele sorri timidamente

"Sim, sim"

"Está bem, eu acho que isso é o suficiente por agora. Nós podemos acrescentar qualquer coisa durante a aposta se sentirmos que é necessário"

Eu aceno com a cabeça, até agora estava tudo bem.

"Quando começamos?"

Sherlock olha para o chão pensando por um tempo, antes de se abaixar, colocando uma mão em meu rosto e sussurrando em minha testa "Agora" antes de depositar um beijo suave.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Me desculpem se vocês encontraram algum erro, eu tentei ao máximo revisar tudo, mas sou uma pessoa bem distraída hehe.
Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...