1. Spirit Fanfics >
  2. Eu quero ser tão forte quanto você (Corona x Dengue) >
  3. Só os quatro que o bandido se amarra; (Extra 7)

História Eu quero ser tão forte quanto você (Corona x Dengue) - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei pq estava assistindo o anime/live action de Mo dao zu shi :") Não me arrependo, afinal, tô muito apaixonada pelo Wei WuXian ♡

Bom aqui está o capítulo, espero que gostem!

Boa leitura!

Capítulo 8 - Só os quatro que o bandido se amarra; (Extra 7)


- como é que é? - Dengue perguntou sem entender. 

- Você é mais burro do que eu pensei que seria - Ela revirou os olhos. - Sou Terra - Deu de ombros.

- Eu não tô nem aí pra quem tu é - Dengue murmurou. - Porra quantos ex esse bicho tem?? - Se perguntou.

- Até onde eu sei, contando comigo são quatro - Ela se afastou do corpo imóvel de Covid.

- Caralhoo - Dengue balançou a cabeça para ambos os lados.

- O que vocês estão fazendo aqui? - Sus-senpai entrou no quarto e olhou bravo para ambos os dois. - Covid ainda não está liberado para receber visitas.

- Ela que estava aqui dentro e beijou o meu namorado! - Dengue apontou inflando as bochechas.

- Eu fiz mesmo! Vai fazer o que? - Ela resmungou.

Ambos se aproximaram e começaram a se peitar. Dengue só sabia de uma coisa: foda-se se ela é mulher, ele deitaria ela na porrada.

- Eu vou te matar - Ele murmurou entre os dentes.

- Quero só ver como vai fazer isso - Debochou.

- Terra acho melhor você ir embora daqui, não cause mais confusão do que já causou - Gripe apareceu na porta.

- O que foi traveco? Quer brigar também? - Ela questionou.

- Se eu for aí tu vai ficar uma semana de cama - Ele estralou os dedos e em segundos Peste Bubônica entrou trazendo consigo três outras pessoas, uma delas era Ebola.

- Seu maldito! - Dengue quis avançar em cima de Ebola, mas foi segurado por Unimed-sama. - Me solta seu burguêzinho de merda!

- Vai se forder quinta categoria - Unimed o deu um cascudo.

- Parem com isso! Não fará bem ao Covid - Sus gritou.

- Quem diabos são esses e o que você faz aqui seu merdinha?! - Dengue gruniu.

- Esses meu caro inimigo - Terra passou por Dengue, indo em direção aos três homens. - São os ex do Covid-kun.

- Era só o que me faltava - Dengue falou alto.

- Só os quatro que o bandido se amarra - Ebola sorriu debochado. - Esses são Malária e Febre Amarela.

- Calma, vocês são os quatro ex do Covid? - Sus perguntou não entendendo.

- Somos - Eles responderam em uníssono.

- Devem ser muito desocupados para vir até um hospital fazer tumulto - Suspirou cansado.

- Meu querido eu sou jogador - Febre Amarela.

- Eu sou empresário - Malária.

- Sou artista - Ebola.

- E eu sou a dona da quebrada - Terra.

- Caralho só os merda - Gripe riu baixo.

- E tu o que faz? - Perguntou Ebola.

- Sou discípulo da Peste Negra, não preciso de bens materiais, a minha fé me mantém vivo - Ele respondeu em paz.

- É as drogas também - Peste Bubônica soltou o ar preso em seus pulmões.

- Eu quero que todos vocês saiam daqui agora! - Dengue gritou.

- Não vamos sair, só sairemos depois de conversar com o Covid - Malária se impôs.

- Hmm - Um barulho interrompeu a conversa deles.

Quando procuraram o dono daquele gemido, conseguiram ver que era de Covid e ele já estava acordado, olhando fixamente para toda aquela confusão na porta de seu quarto.

- Vocês são uns filhos de puta hein - Ele murmurou. - Não pode nem mais descansar em paz que os caralho começa a agir como se tivesse com a mão enfiada no cu.

- COVID!! - Dengue se soltou do aperto de Unimed e correu até seu amado.

Segurando fortemente sua mão, Dengue deu um selinho por ali mesmo e Covid sorriu tranquilo.

- Quanto tempo eu dormi? - Perguntou soltando em seguida um gemido de dor.

- Algum tempo - Ele respondeu simplista. - Não sabe como eu fiquei com medo de te perder.

- Tudo bem, tudo bem - Ele afagou os cabelos do amado. - Acho que isso não vai ser o suficiente para me matar!

- Num vai dar nem um oi pra gente? - Febre Amarela indagou da porta.

- Eai seus zé buceta - Covid sorriu. - Tudo em cima?

- Melhor do que você - Responderam.

- Fico feliz que a minha desgraça alegre vocês - Sorriu. 

- Você parece estar com muita dor - Dengue murmurou.

- Sim - Respondeu. - Mas eu acho que essa é a chance perfeita para a gente conversar sobre o meu passado - Suspirou.

- Passado? - Perguntou sem entender.

- Sim... Está na hora de você saber tudo sobre o que aconteceu comigo - Seu olhar era sério demais para ser algo de momento.

- Sou todo ouvidos - Deixou escapar de seus lábios.

- Vamos nos retirar para dar privacidade a vocês - Sus empurrou os outros e saíram.

A portas fechadas, seria hora de iniciar aquela conversa.


Notas Finais


Talvez não tenha ficado tão bom como estava na minha cabeça, mas ok.

Tomara que tenham gostado né ksks

Capítulo novo amanhã a tarde!

Bye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...