1. Spirit Fanfics >
  2. Eu Sempre Volto >
  3. Papai e mamãe

História Eu Sempre Volto - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amoreees! O cap não tem nada demais, eh só pra mostrar como estão indo as coisas e tem uma pequena menção BoruMistu, mas espero que saibam que as coisas entre eles vão demorar a fluir e acreditem ou não, já passei por uma coisa parecida na idade do Boruto (9 anos atrás só, faz pouquíssimo tempo...)

Capítulo 29 - Papai e mamãe


— Eu... acho que... 


— Não pode voltar a morar com aquele cara. É loucura! — Naruto avisou.


— É pelo Mitsuki. Orochimaru não vai demorar muito à me achar porque... eu sou marcado.


— E porque não disse antes?! Eu te deixei sozinho com duas crianças numa casa onde um psicopata podia te achar! — se irritou. 


— Eu sei... eu sei. Eu sinto muito...


— Eu vou te levar ao hospital pela manhã de amanhã e vamos dar um jeito de remover essa marca, entendeu? Não quer ser livre dele? — perguntou após respirar fundo duas vezes para se acalmar.


— Quero... é o que eu mais quero. 


— Vamos resolver, essa marca vai ser removida. Quer ficar conosco? — ofereceu novamente.


— Quero — aceitou com os olhos lacrimejando, nunca imaginaria que finalmente estaria livre de Orochimaru.


— Naruto, seu filho está fazendo birra para comer. Eu tenho que dar mamadeira aos gêmeos, não tenho tempo para isso! — Deidara chamou da sala de jantar.


— Tenho que ajudar ele — foi até a cozinha.


— Papai, o tio Dei quer me dar brócolis! — reclamou o loirinho.


— E você tem que comer, mocinho — pegou uma cadeira e se sentou ao lado do garotinho.


— Acho impressionante como o Dei emagreceu rápido — Itachi veio a cozinha e olhou o esposo, que usava um cropped arrastão que mostrava seu corpo exatamente como era antes de engravidar. — Queria eu ter esse metabolismo rápido.


— Vai se ferrar, olha seu corpo — aproveitou que o marido tinha a camisa aberta e passou as mãos pelos músculos definidos. — Isso que você vai a academia duas vezes por semana e olhe lá! 


— Deidara — o loiro mais velho chamou, tendo a atenção do irmão. — Não se o senhor percebeu, vossa safadeza real, mas seus filhos estão chorando. Em outras palavras, fome.


— Ah meu Rikudou, tinha esquecido deles — pegou as mamadeiras com o leite em sã temperatura ideal na bancada e deu uma a Itachi. — Alimenta tua filha, homem! Me ajuda. 


   Citou ao pegar Akira no colo.


— Que isso, gente. A pessoa dá a luz a gêmeos e é comigo que se estressa, puta merda.


— Sem palavrão na frente das crianças — Naruto lembrou, enquanto fazia Boruto comer o que restava no prato.


   Itachi segurou a filha com cuidado e deu sua mamadeira.


— Pronto, minha pequena. 


   Enquanto Sasuke olhava da porta, Naruto com Boruto, Itachi e Deidara com os gêmeos. Ele também teria aquilo, não? 


   E então, várias coisas começaram a passar em sua mente, como: Naruto precisa voltar a trabalhar; você precisa terminar o ensino médio e arrumar um emprego; talvez Naruto te coloque para ser uma dona de casa, você não tem formação nenhuma e precisa cuidar das crianças.


— Sasu? — o alfa chamou, percebendo a feição triste no rosto do ômega. — Ei, meu amorzinho, tudo bem? — se levantou e foi até o mesmo.


— Sim, eu... estou bem — colocou a canhota onde sentiu um chute.


— Dói? — perguntou preocupado.


— Não — pegou a mão do noivo e levou ao local do próximo chute. —, eu só... estou tão feliz que pude engravidar e ter um filho seu — sorriu, alegre. 


— Amor, não mente para mim — pediu, segurando ambas as mãos do menor. — Eu conheço sua carinha triste. Aconteceu alguma coisa?


— Deidara deu a luz mais cedo, ele já tem a bebês dele... eu quero os meus — Naruto sorriu levemente e fez um carinho na barriga de sete meses e meio.


— Vai ter em breve, em menos de dois meses. Vamos ter isso. Não te digo que vai ser fácil, porque não vai. Cuidar de uma criança pequena dá trabalho, mas vamos fazer nosso melhor — deu um selinho longo no menor.


— Você já era pai quando eu te conheci e cuidou o Boruto sozinho por anos. Eu não... faço ideia da trabalho que dá criar uma criança sem ajuda nenhuma. Mas... temos uma família grande, vai dar tudo certo.


— Isso mesmo, meu bebê. Por que a gente não... sobe até nosso banheiro, toma um banho quentinho, deita na cama e assiste um fil-— foi interrompido.


— Naru, eu... quero sexo — sussurrou.


— Sexo? — perguntou confuso. 


— S-sim — corou. — Eu estou com uns... desejos sexuais esses dias.


— Meu amorzinho, você ouviu o médico. Sua gravidez nem deveria ter acontecido, o sexo pode prejudicar o bebê — o menor fez uma carinha triste.


— Por favor — pediu.


— Sasu, sem manha, sabe que não podemos.


— Você não precisa colocar tudo ou ir muito forte. É só... e-eu quero...


— Sei que está sobrecarregado e a sensação de um orgasmo seria boa para te aliviar — pegou o menor, que deu um gritinho surpreso, no colo estilo noiva. — Olha você, está cansado demais para isso. 


— Hm... não estou — lentamente se aconchegou ali e acabou caindo no sono.


— O que você precisa é dormir debaixo de uma coberta fofinha — soltou um riso.


— Se ele quer sexo, vai por mim, não nega — Itachi falou, terminando de dar a mamadeira a Ayumi e a colocando para arrotar.


— Naruto, não se nega sexo nesse período! — Deidara repreendeu. — Ele deve estar extremamente emocional, além de estar com a pés doloridos e vice o faz andar de lá para cá o tempo todo.


— Vou colocar ele na cama, quando as crianças estiverem dormindo eu cuido disso.


   De noite, no quarto do Boruto.


— Tsuki — o loirinho chamou. — Eu vi meu papai fazer assim — deu um selinho rápido no outro. — na mamãe.


— Meu papai também fazia isso na mamãe — corou, deixando bem aparente por sua pele pálida.


— Papai é um alfa e mamãe ômega. Eu sou um alfa.


— Eu um ômega.


— Será que você também vai ser mamãe e eu papai?


   Conversavam de maneira inocente, enquanto no quarto ao lado Naruto deixava Sasuke sentar em seu membro até que estivesse satisfeito.


— Tudo bem? — perguntava sempre que o menor fazia uma leve expressão de dor.


— Uhum, é que... Ah! É muito bom — gemia em resposta.


   Sasuke precisou vir quatro vezes para estar exausto o suficiente para ter que parar, mas reparava que Naruto não havia chego lá nem uma única vez, então tentava continuar para satisfazer o alfa, que logo percebeu sua exaustão.


— Baby, não se preocupe comigo — o tirou de seu colo, o colocando deitado ao seu lado. — Eu resolvo na banheiro.


— Uhum — caiu no sono quase que imediatamente, mas tinha seu corpo coberto com o próprio sêmen.


— Eu vou limpar você — soltou um riso.


— N-naru — resmungou. — Promete que não vai me deixar.


— Nunca vou te deixar, meu bebê, é uma promessa — mesmo que o mais novo estivesse dormindo, se sentiu no direito de reforçar seu amor e o dar um beijo na testa.








Notas Finais


Gostaram? Não? Mereço comentários? Pedradas?

AMORES! Tem alguma coisa que vcs querem ver na fic? Alguma interação em especial? Eh sério, quando eu peço eh pq eu quero deixar vcs felizes e colocar um pouquinho do que cada um sugerir. Tipo... eu já tenho um par pro Kabu, mas não sei se ele realmente vai acabar ficando com ele, então digam vcs um par pra ele e se eu achar que não combina eu deixo esse mesmo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...