1. Spirit Fanfics >
  2. "Eu sou a Justiça!" - Imagine Light Yagami >
  3. Capítulo 37 - Final

História "Eu sou a Justiça!" - Imagine Light Yagami - Capítulo 37


Escrita por: Sanny-San

Notas do Autor


E chegamos ao fim de mais uma fanfic! Obrigada a todos por terem acompanhado até aqui e por todo o apoio que me deram para eu continuar escrevendo ^^

Boa leitura 👍

Capítulo 37 - Capítulo 37 - Final


Fanfic / Fanfiction "Eu sou a Justiça!" - Imagine Light Yagami - Capítulo 37 - Capítulo 37 - Final

–Quebra De Tempo/Duas Semanas depois–

"Autora On"

–Será mesmo que não tem problema? –Light estava inseguro.

Anna sabia que ele era o Kira, ela sabia basicamente as mesmas coisas que S/n também sabia, já que ela sempre compartilhava tudo com a mais velha.

Ele estava conseguindo se acertar com os pais lentamente, mas isso já é o bastante para ele.

Mas agora, ele estava se hospedando na casa delas em Londres. Acho que é normal se sentir nervoso, mas no caso de Light, o nervosismo era maior.

–Não se preocupa. –A garota sorriu, tentando acalmá-lo. –Ela é super legal, você vai gostar.

–Não é esse o problema... –Murmurou baixinho, para que ela não escutasse.

S/n, que insistiu em carregar uma das malas de mão do Light, bateu na porta da grande casa.

–Li, você vai entrar e falar com ela, eu quero brincar nos balanços. –Ela apontou para o brinquedo.

–É o quê? –Light a olhou chocado.

–Sim? –Anna abriu a porta, enquanto Light ficava pálido. –Ah, S/n. Esse é o Light?

–Sim. Ele estava com medo de você. –A mais jovem deu de ombros.

–S/n! –O garoto fez bico, enquanto a garota dava a língua para ele.

Anna deu uma risada abafada pelas mãos, imitando os trejeitos da mais nova. Foi então que Light percebeu que foi realmente com ela que S/n aprendeu tudo o que sabe. 

–Não se preocupe com isso, entre por favor. –Ela deu espaço para que ele entrasse e assim ele fez, sendo acompanhado por S/n, que entrou a contragosto por querer balançar no quintal.

Light podia dizer que Anna é muito bonita. Ela tinha cabelos marrons longos e lisos, com olhos verdes escondidos atrás dos óculos de contorno branco, que fazia contraste com sua pele morena e suas vestes pretas.

A primeira coisa que ele prestou atenção ao entrar foi um retrato das duas mulheres, onde S/n, provavelmente mais nova, mostrava a língua (fofa) e Anna sorria.

–Anna, o Light pode ficar aqui? Eu consegui com que ele ficasse aqui em Londres se eu ficasse de olho nele, por favor~ –Pediu S/n em um tom manhoso.

–Claro que sim, querida. –Light respirou fundo ao ouvir a resposta, não queria fazer aquela viagem toda em vão.

–Sabe Li, pode falar alguma coisa se quiser. –S/n se virou para o jovem e sussurrou.

–Uh... –O coitado não sabia o que falar. 

–Quer alguma coisa? A viagem deve ter sido cansativa. –Anna pegou a mala que Light carregava facilmente, impressionando o rapaz.

–Eu posso levar as malas para o quarto? –Pediu a C/c.

–Não precisa, é sério. –Light sorriu, se mostrando muito educado.

–Não seja tímido aqui Li. –Ela tomou a mala que Anna carregava e seguiu em direção a escada, ignorando o pedido de "por favor, não vai" que Light transmitia nos olhos. –Em um minuto eu volto.

Depois que ela subiu, ficou um silêncio constrangedor entre os dois presentes. O garoto sem saber o que dizer e Anna apenas aguardando a jovem. 

–Sabe... –A mais velha se sentou na poltrona educadamente. –...A S/n falou muito bem de você, imagino que ela goste bastante de você. –A morena sorriu sem mostrar os dentes, fechando os seus olhos verdes.

–Ah, eu realmente espero que sim. –O Yagami retribuiu o sorriso.

–Eu sou muito apegada a ela, desde quando ela era pequena, sou cheia de fotos dela nessa faixa etária. –Pegou o porta retrato que Light havia notado. –Eu espero que você continue fazendo ela feliz, ela se esforçou muito para chegar até aqui. 

–Souka. –Se sentou no sofá em frente a ela. –É o que eu mais quero.

Anna ainda não confiava nele 100%. Mas se S/n confiava nele de olhos fechados, estava tudo bem para ela.

–Vocês se parecem muito. –Comentou Light, analisando os trejeitos da mulher. –É como se ela fosse uma cópia sua.

–Ah sim, ela gostava de me imitar, dizia que eu era "normal". –Explicou e soltou uma leve risada.

A curta troca de palavras foi interrompida pelo som do piano ecoando pela sala, foram várias teclas, como se alguém tivesse batido no piano.

Mas o som veio da direção contrária da que S/n subiu, e até onde Light sabia, elas viviam alí sozinhas. Incrivelmente, Anna estava calma ao ouvir o som.

–O que foi isso? –S/n desceu correndo.

–Se assustou? –Perguntou Anna, se virando para a garota e a acompanhando com os olhos enquanto ela se sentava ao lado do Light.

–Não, pensei que tinha sido você. –S/n se referiu a mulher, logo após dar um beijinho na bochecha de Light.

–Mais ou menos. –Anna assoviou.

Alguns momentos depois, um pequeno gatinho veio andando da direção do som de piano e se juntou ao casal no sofá.

–Ele não tem nome, pode nomear como quiser. –Anna apontou para o felino, que lambia a própria pata enquanto S/n o encarava encantada com o tom preto do pelo do mesmo.

–Eu sou terrível com nomes. –A garota suspirou triste, fazendo Light rir baixinho. 

–Tente achar um bom, eu vou organizar os livros da biblioteca, Jaa ne. –Anna se despediu sorridente e seguiu para a sala entre as escadas.

–Tente por o nome de algo que você gosta. –Sugeriu o jovem, sorrindo para ela.

–Light seria confuso, vocês dois iriam vir quando eu chamasse. –Falou calmamente.

–Acho que eu não sou a única coisa que você gosta. –Light sorriu.

–Hmmm. –Fez pose de pensativa. –Bolo?

–Que isso, S/n! –Light bagunçou os cabelos dela. –Pense em algo melhor.

L. –Pensou alto.

–L? –Light a olhou entediado e o gato rosnou baixinho. –Nenhum de nós gostou desse nome.

–Eu nunca dei nome a ninguém. –Inflou as bochechas irritada. –Que tal Katze?

–Katze? E o que isso significa? –Light questionou curioso.

–Katze. –Deu de ombros, fazendo o Yagami rir por ela ter supostamente inventado um nome. –Eu acho que é o melhor nome que eu posso pensar. –Se dirigiu ao grande tapete no chão, chamando o gato e começando a brincar com ele.

Light achou curioso o nome e resolveu pesquisar o que significaria de verdade, e adivinha? É gato em alemão.

–Muito criativa da sua parte. –Riu para a baixinha, que o ignorou e continuou brincando com o gato.

Enquanto isso no Japão, L foi fazer uma curta visita ao escritório de polícia e já estava quase para esganar Matsuda, pois ele ficava "enchendo o saco" com perguntas sobre S/n.

–Mora com ela! –Perdeu a paciência e Matsuda se calou. –Seu idiota.

Em outro lugar, Misa tentava recomeçar a sua vida aos poucos, trocando de nome e mudando um pouco a aparência. Não seria fácil, mas seria melhor.

Pode não ter sido o melhor dos resultados para todos, mas pelo menos eles estarão bem melhores se seguirem nesse ritmo. 

E pensar que a mesma pessoa que pensava ser uma divindade, daqui para frente estaria discutindo por atenção contra um gato preto. Um detetive diabético que estava dando tudo de si em um caso, agora estaria livre de qualquer perigo. Uma ex-modelo, atriz e cantora, agora se tornou gente como a gente.

E essa é a história de como o maior assassino em série do mundo, Kira, largou tudo por amar a alguém que só queria o bem para tudo e todos.

"Autora Off"


Notas Finais


E fim ^w^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...