1. Spirit Fanfics >
  2. Eu sou o XXX do meu idolo! >
  3. Capítulo 3

História Eu sou o XXX do meu idolo! - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo 3


Nós passamos um bom tempo andando, até que pelo amor do próprio Deus Hades conseguimos achar o shopping, porém... - Gabriel, acho que não vai dar pra gente ir passear agora. - Beatriz diz olhando o celular. - por que? - Questinei olhando ela confuso. - não exatamente 16 Horas, a banda vai para lá as 17 e se quisermos pegá um bom lugar. - Ela me olhou. - Hum, Acho que é uma boa idéia. - Sorri gentilmente. [... ] Após um bom tempo, finalmente chegamos as 17 Horas, havia algumas pessoas lá. Só uns empurrinho e outro e consegui ver o meu amado ídolo junto com o resto da banda. - Aí, garoto, olha por onde anda! - Uma garota um pouco mais alta que eu me empurrou um pouco meio forte, fechei os olhos fortemente esperando o meu corpo bater fortemente contra o chão porém; incrivelmente isso não aconteceu, alguém havia passado os braços ao redor da minha cintura antes que eu caísse, e me puxou contra o mesmo. Olhei para a pessoa sem ao menos acreditar no que estava acontecendo. Era como se eu fosse uma princesa da Disney e ele um Príncipe,  tudo que eu pudia e conseguia fazer naquele momento era olhar diretamente nos olhos dele.  Ele me soltou lentamente e eu me afastei coçando a nuca,  com o rosto um pouco rosado nas bochechas. - Obrigado.  - Sussurei,  ainda mantendo o meu olhar para o chão.  Enquanto sentia as fãs do mesmo quase me comendo pelos olhos,  com aqueles olhares de ódio e tristeza imensa. Respirei fundo e sai calmamente aquele lugar,  mesmo que eu tivesse uma grande queda pelo Christopher seria uma simples paixão de fã,  certo? Tudo que eu sentia era que as borboletas no meu estômago,  me encostei na parede calmamente enquanto observava o chão. - Gabriel?  - Uma voz me chamou gentilmente,  Era ninguém menos que Beatriz.  Ela se aproximou de mim com aquele sorriso fraco de como estaria dizendo " Está tudo bem ".  - Eu passei uma grande vergonha não é?  - Questinei,  olhando ela mordendo levemente o lábio. - Ok,  você passou sim.  - Ela se aproximou de mim.  - Mais isso apenas te deixou bem sortudo,  Você viu o jeito que ele te tocou? Senti as minhas bochechas queimarem só por lembrar da cena,  um sorriso meio feliz e envergonhado se formou em meus lábios. - Está bem,  você tá certa. -  Afirmei sorrindo,  dirigindo o meu olhar até o chão. - Eu sempre estou certa.  - Ela diz em um tom orgulho de sempre,  com um sorriso vitorioso nos lábios. - Vamos ao show?  - O sorriso vitorioso dela desapareceu,  e um sorriso calmo e gentil tomou conta do lugar que o mesmo estava. - Claro,  eu nunca irei perde o show do meu amado ídolo.  - Eu falei sorrindo,  e seguimos até o local onde seria o show.  Era uma mistura de nervosismo e animação que eu tinha naquele exato momento,  Ele era perfeito de todas as formas possíveis. - Eu irei pegar uma água.  - Eu avisei para Beatriz que estava flertando com uma outra garota,  que retribuiu tudo com um sorriso meio malicioso. Caminhei até a saída,  e aproveitei o fato de que eles já iam anunciar a pausa para a banda. Caminhei até uma casa que estava com alguns copos de água,  e peguei um dos mesmos,  tomando o líquido que estava no mesmo. - Puta que pariu... - Sussurei sentindo o meu corpo ficar quente. Muito quente,  eu precisava tirar aquelas roupas que eram horríveis e desconfortáveis. - Hey,  você tá bem? - Um homem colocou a mão no meu ombro,  minha visão estava embaçada demais para eu ver quem era.  Sem pensa,  em agarrei o homem tirando a blusa do mesmo,  o homem me olhou surpreso,  mas uma expressão séria tomou conta do rosto dele. Ele me jogou por cima do ombro do mesmo,  em seguida caminhou até uma porta e me colocou no chão jogando um pouco de água na minha cara. - Vamos lá,  O que será que você bebeu?  - Questinou ele,  que me pegou novamente no colo me levantando até perto de um homem. - Você pode levar ele pra minha casa e deixa ele lá?  Tenho um show e todas essas pessoas estão sob a minha proteção e responsabilidade,  se ele for drogado e abusado... - Ele deu uma simples desculpa,  o motorista olhou ele desconfiado mais aceitou sem mais nem menos me levou calmamente até a casa. - Aqui é muito quente... - Sussurei olhando ele com o rosto quente. - O senhor Christopher quando chegar vai cuida de você. - Ele respondeu e me levou até um quarto, onde me deixou lá. Fiquei rolando de um lado pro outro na cama ofegante,  tava com o corpo inteiro queimando até que escutei alguém abrindo a porta. - Christopher...  - Sussurei olhando ele sorrindo. - Você é o garoto que quase caiu,  certo?  - Ele Questinou,  e se aproximou de mim. - Eu posso ser o que você quiser.  - Eu puxei ele na cama,  ficando por cima do mesmo. - Hey,  tenha calma,  vamos te dar um banho e você fica bem,  ok? - Ele Questinou sorrindo de leve,  parecia estar nervoso. - Me coma primeiro.  - Sussurei olhando ele. Ele me levou calmamente,  e me levou até o banheiro.  Ele tirou as minhas roupas e me colocou de baixo do chuveiro de água fria,  Eu senti o calor do meu corpo sumir totalmente, e comecei a me sentir mais calmo. Enquanto ele estava começou a passar o sabão no meu corpo,  senti o meu estômago fica estranho,  e de repente... até que acabei vomitandi em cima do colo dele. [... ] Ele me levou até o quarto e me deixou deitado na cama nu,  com a coberta cobrindo meu corpo.  Enquanto Christopher tomava banho calmamente,  me deitei me arrumando na cama. Depois de um tempo o Christopher saiu do banheiro,  em seguida olhei ele.  Era como se eu estivesse vendo um Deus grego.  Ele se sentou do meu lado e sorriu enquanto acariciava o meu cabelo. - Tá melhor agora?  - Questinou ele. - Uhum.  - Olhei ele sorrindo,  senti as minhas bochechas queimarem um pouco. - Christopher,  Eu quero o cartão de crédito!  - Uma mulher de cabelos vermelhos entrou calmamente no quarto e olhou a gente sereno. - Seu imbecil!  Egoísta!  - Ela deu um tapa forte no rosto dele,  querendo chorar saiu batendo a porta de madeira Branca. - Me desculpa,  não queria incomodar... - Me sentei olhando ele preocupado. - Tá tudo bem,  casamento arranjado é um saco.  - Ele tocou o lugar onde ela bateu nele. - Casamento arranjado?  - Questinei,  olhando ele confuso. - Assunto de família.  - Ele respondeu de forma rápida,  e me olhou. - Você se lembra do que aconteceu?  - Bem... Eu lembro que eu bebi uma água e fiquei com calor,  só isso.  - Olhei ele,  meio nervoso. Ele me olhou bem,  parecia desconfiado. - Melhor você volta pra casa,  Eu vou tenta descobrir quem colocou droga naquela água.  - Ele falou calmamente,  enquanto se arrumava. - Eu... - Mordo o lábio fortemente,  respirando fundo.  - Eu quero descobrir quem é também!  - Melhor não,  se você realmente foi o alvo melhor você fica longe.  - Ele me olhou sereno. - Vamos lá!  Por favor!  - Implorei,  me aproximando do mesmo,  olhando ele nos olhos. - Você estaria sob minha responsabilidade,  melhor não.  - Ele desviou o olhar. - O assunto me envolve então,  por favor,  me deixe participar!  - Pedi olhando ele. - Você não pode fica aqui,  Se meus pais descobrirem que um fã meu está aqui,  e que talvez a Gabriela contou que eu dormi com você,  eles vão fazer da minha vida um inferno!  - Ele afirmou suspirando pesado. - Então vamos fingir ser namorados!  - Falei sem pensar.  Christopher me olhou surpreso com a minha resposta. - Um namoro falso?  - Ele riu repetindo.  - Impossível. - Você não sabe,  vamos por favor!  - Pedi olhando ele.  - Por apenas três meses! - Três meses?  - Ele suspirou pesado me olhando.  - Acha que três meses podemos achar o culpado? - Ele me olhou sereno. - Eu... acho sim.  - Engoli a seco,  olhando ele nos olhos. - Está bem.  - Ele faz um cafuné na minha cabeça,  em seguida saiu andando calmamente do quarto abrindo a porta. Fiquei ali por um tempo,  até que finalmente desci as escadas porém,  me escondi quando ouvi a conversa do Christopher com os pais dele. - Um garoto,  Christopher?!  - A mãe dele falou em um tom alto. - Mãe,  se acalme.  - Christopher falou calmo,  enquanto esperava a briga. - Christopher,  aquilo era negócios.  E você está seguindo o seu coração?  Sabe disso?  - Questinou o pai dele. - Melhor do que casar com uma mulher que vocês escolhem,  não importa como ela é,  se ela tem dinheiro está ótimo.   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...