1. Spirit Fanfics >
  2. Eu sou quem eu quero ser >
  3. Ele e Ela

História Eu sou quem eu quero ser - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa comic e os personagens não são autoria minha, essa fanfic é só uma versão escrita feita por fã para fãs.

Boa leitura.

Bjs da Tiela💋

Capítulo 1 - Ele e Ela


Fanfic / Fanfiction Eu sou quem eu quero ser - Capítulo 1 - Ele e Ela

"Nós vivemos em um mar cheio de pessoas"

Elas nos rodeiam todos os dias.

Em grande massa e escala.

Ele sempre esboça aquele sorriso para elas. Como se tudo fosse ficar bem. Mas, no fundo, nós dois sabíamos que aquilo era mais uma máscara sua, uma de várias e várias máscaras diferentes para que as pessoas não se preocupassem em descobrir quem ele era. Já eu, sempre o observei de longe. Por que eu nunca tive coragem o suficiente para conseguir revelar quem eu realmente era na frente de quem eu mais amava e admirava. Seria impossível para uma garota como eu, uma garota que antigamente nem sequer conseguia conversar com ele.

Acho que ele nunca me notou.

Eu não fico chateada com isso. Na verdade, é apenas um detalhe a mais que não me incomoda. Não era a primeira vez que isso acontecia e eu muito suspeitava que não seria a última. Por isso, eu aceitei o meu destino. Eu era uma pessoa muito reservada e só gostava de observar ele ao longe. Meus problemas de comunicação se tornaram melhores com o passar dos anos. Mas ele ainda estava no pedestal e eu estava no meio da ralé. É lógico que ele não iria me notar.

Eu também não teria notado.

Eu costumava a olhar para ele de longe.

Como se ele estivesse em um palco alto.

Onde eu nunca poderia chegar.

Eu nunca fui a melhor das garotas.

Mas... ele me ensinou que quem eu era já era o suficiente. Que eu não precisava ser mais de quem eu já sou, só precisava amar a pessoa maravilhosa que ele via em mim.

Tanto para ele.

Quanto para mim.


 

Sempre estando perto de nós.

As pessoas chegam, cumprimentam e seguem o seu rumo. Todas elas esperam que eu seja alguém que eu não sou, acho que nenhumas delas pode entender a realidade por trás dos meus disfarces. Porém, ao longe, percebo, que alguém me observa. Aqueles olhos azuis são perceptíveis, são analíticos. Eles observam quem eu sou, através de mim mesmo.

É impossível não reconhecê-los.

É impossível não nota-los.

Eu sempre a vi como uma boa amiga. E de fato, ela sempre foi. Mas, além disso as coisas entre nós nunca mudaram. Uma conversa jogada fora ou outra, e... bem... no início da nossa amizade nem era isso. Ela foi superando a sua timidez perto de mim aos poucos, ao longo dos anos. Mas... havia coisas a respeito dela que eu nunca fui capaz de entender. Talvez eu estivesse tentando ver através dela também.

Talvez eu estivesse querendo saber quem ela realmente era.

Eu sempre estive limitado as regras.

Eu sempre estive me adaptando as outras pessoas.

Eu nunca agi por conta própria.

Acho que esse foi o meu maior erro.

Portanto, eu nunca fui o melhor dos garotos.

Mas... ela me ensinou que quem eu queria ser era escolha somente minha, e que a única pessoa que podia opinar sobre as minhas próprias escolhas era somente eu.

Tanto para ela.

Quanto para mim.

"Fingindo ser quem não somos"

Meu celular toca.

Era uma mensagem dele.

Chat Noir.

Havia entrando naquele fórum online fazia um tempo. Queria melhorar minha falta de comunicação conversando com pessoas desconhecidas. Foi quando o conheci. Dependendo as circunstâncias isso poderia ter sido um erro, me aproximar de uma pessoa por meio de uma tela, mas algo sempre me dizia que com ele eu estava segura e eu havia decidido seguir a minha intuição. Ele era o melhor amigo que eu podia achar, um parceiro para todas horas, mesmo que passasse boa parte de seu tempo brincando. Em alguns momentos isso me faz sorrir, em outros irrita.

Mas... mesmo que ele fosse especial para mim, eu amava outro.

Não queria chatea-lo.

Só precisava de alguém ao meu lado.

Nunca menti para ele também. Sempre deixei clara as minhas intenções, desde a primeira conversa. Ele sempre pareceu entender e sempre esteve ali para escutar sobre os meus problemas, por mais fúteis e banais que alguns fossem, ele me dava conselhos e fazia piadas. Por vezes quis que ele estivesse por perto, para ouvir sua voz provocando-me num tom felino e para me abraçar em tempos difíceis.

Estava sendo egoísta.

Sempre fui.

Essa era a minha pior parte.

Muitas pessoas foram prejudicadas por conta do meu egoísmo. Claro que eu me arrependi e pedi perdão no final, mas isso não mudava esse defeito tão mesquinho e tão característico dos seres humanos.

Mas naquele dia, eu não havia sido a única egoísta.

"Quer ir ao baile comigo?"

Estava escrito na tela, com o ícone de um gato preto de olhos verdes.

Sorri e respondi.



 

Uma mensagem chama a minha atenção.

Quando liguei a tela um sorriso logo enfeitou o meu rosto corado.

Era ela.

My Lady.

Aquele forum online em que nos conhecemos foi bastante útil para conversar com alguém e tentar ser a pessoa que sempre esteve presa dentro de mim. Com isso, conheci a pessoa que tinha o nickname de LadyBug. Talvez fosse arriscado, ou talvez fosse completamente louco de minha parte. Mas, ao longo dos anos em que estivemos nos conhecendo e conversando, eu fui me pegando ansioso por cada conversa e imaginando o seu rosto, até o momento em que descobri uma coisa que muito a minha vida.

Eu me apaixonei por uma amiga virtual.

E ela amava outro.

Eu nunca obrigaria ninguém a gostar de mim. Principalmente, quando a situação dela estava até mesmo pior que a minha. Ela não tinha autoestima. Por causa disso eu me compadecia com ela. Não tinha como não se sentir assim. Nós dois tentávamos aos poucos curar as feridas um do outro.

Tentando descobrir quem somos.

Tentando reparar os nossos erros.

Talvez fosse um erro fazê-la aceitar um pedido egoísta.

Mas, eu não era o único egoísta da história.

"Sim"

Era o que estava escrito ali por uma pessoa que usava um ícone de uma joaninha vermelha com várias pintas negras.

Sorri e guardei meu celular.

"Mas, quando eu estou com você..."

Estava perdida naquele salão.

Nunca me dei bem com multidões.

Ainda mais quando as pessoas me faziam de centro das atenções.

Não havia muita coisa diferente em mim. Eu só havia deixado meu cabelo solto e me coberto com um vestido vermelho tomara que caia, e, como era um baile de máscaras, lógico que eu não ia dispensar a minha máscara. Assim eu preservava a minha identidade. O que era a minha segunda prioridade no momento, a primeira era achar Chat.

Havíamos combinado de vir com roupas das mesmas cores que nossos ícones de perfis no fórum, no meu caso é vermelho e preto e no dele é preto e verde. Então,  acho que não seria difícil encontrar um rapaz vestindo uma combinação de cores tão... interessante. Apesar de que preto combina com tudo.

— Você me daria a honra dessa dança, My Lady?

Aquela voz.

Virei-me apressada e dei-me de cara com os cabelos loiros bagunçados e olhos verdes de Adrien Agreste.

Adrien, o garoto que eu amo, é Chat, o garoto que ama a garota autoconfiante e destemida que eu fingi por muito tempo ser.

Lá estava ele, vestindo um terno negro com uma camiseta social verde dando-lhe um belo contraste de cores. Não tinha muito o que nós pudéssemos fazer, apenas segurei sua mão hesitante e deixei ele me conduzir pelo salão.

Algumas preocupações rodaram pela minha cabeça durante um tempo.

Mas o seu sorriso me fez esquecer todas elas.





 

Eu mal acreditava que eu tinha tido coragem de chamá-la para dançar. Chegava a parecer um sonho maluco.

Mas, ao mesmo tempo, encantador.

Ela parecia um pouco tímida no início, eu também, de certa forma, estava. Afinal, tecnicamente, éramos desconhecidos. Porém, quando minha mão tocou na sua e seu corpo se encaixou no meu, parecia que nós nos conhecíamos a anos.

Chegava a ser assustadora aquela sensação.

Mas meus medos sumiram quando, aos poucos, nós dois deixamos a nossa timidez e o nosso nervosismo de lado e começamos a nos divertir.

Como se fôssemos Romeu e Julieta no baile de máscaras. Apaixonando-se a primera vista.

Olhando diretamente naqueles olhos.

Azuis como uma flor.

Tão belos, analíticos e perceptíveis.

Um olhar penetrante difícil de se desviar.

E um sorriso tão brilhante, capaz de me fazer esquecer todos os meus problemas ligados à quem eu sou.

"Eu sou quem eu quero ser."

Depois de vários dias se passarem após o baile, minhas conversas com Chat Noir, que inclusive era Adrien Agreste, tornaram-se curtas e rápidas. Vê-lo pessoalmente me deixou chocada, descobrir quem ele era havia sido impactante. Mas, tê-lo ali na minha frente naquele exato momento era inquietante.

— É você não é? — A pergunta dele havia sido surpreendente

Ele do nada havia vindo até a minha casa e, assim que ficamos a sós no meu quarto, ele chegou bem perto de mim a ponto de sentirmos as respirações um do outro e olhou diretamente para os meus olhos. Como se pudesse ver além deles.

— Sou eu quem? — Perguntei-lhe confusa

— My Lady, é você? — Ele tocou meu rosto e eu o olhei ainda mais confusa

— Como?

— Seus olhos, é impossível não reconhecer quem você é, mesmo por trás de uma máscara — Ele falou chegando cada vez mais perto enquanto nossos rostos ficavam cada vez mais vermelhos — Você é linda, não importa se é Marinette ou se é Ladybug, você é a minha Lady, você é a pessoa que eu amo

Meus olhos se arregalaram. Senti eles arderem com a minha vontade de chorar. Um alívio e uma felicidade se apossou do meu peito, e, eu finamente percebi uma coisa que eu estava deixando passar esse tempo todo.

Era com ele.

Somente com ele.

Que eu sou quem eu quero ser.




 

Era impossível não notar.

Principalmente, quando ela estava bem ali na minha frente tão receptiva e tão linda.

Quando eu mais uma vez lembrava dos acontecimentos do baile de máscaras e ligava os pontos ao perceber a grande semelhança daquela garota por quem eu havia me apaixonado com a garota que sempre me observava, não restou dúvidas. E eu estava cada vez mais certo da minha conclusão assim que meus olhos pousaram diretamente nos olhos azuis dela e eu constatei que ela fica ainda mais bonita e admirável daquele jeito tão.... fofo.

— Você se importa? — Perguntei inseguro, era algo que eu realmente queria saber antes de qualquer passo importante

— Com o quê?

— Com todas as limitações? Nós não vamos poder nos ver todos os dias por causa do meu pai e do meu trabalho, as pessoas vão me rondar todos os dias, eu vou fingir ser uma pessoa que eu não sou para tentar agradar os outros, você realmente quer alguém assim ao seu lado? — Acho que eu mal consegui segurar a minha ansiedade e o meu desespero por uma resposta, pois seus olhos arregalados demonstraram surpresa com aquele lado meu, mas quando um sorriso gentil foi esboço em seus lábios pude sentir meu coração se acalmar mais um pouco

— Mesmo com todas as falhas e com todas as limitações, você vai sempre ser a pessoa que eu amo — Seu sorriso aumentou ao me ver sorrir um pouco — Somos seres humanos afinal, é impossível sermos perfeitos

Depois disso, a distância entre nós se findou e finalmente nossos lábios se encontraram em um beijo cálido e singelo. Ela tinha razão. E pensar sobre isso era o que me deixava ainda mais feliz.

Afinal, era com ela.

Somente com ela.

Que eu sou quem eu quero ser.






 

“Nós vivemos em um mar cheio de pessoas.
Fingindo sermos quem não somos.
Mas, quando estamos juntos.
Somos quem queremos ser.”


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Bjs da Tiela💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...