História Eu te amo Beto (Romance Gay) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Gays, Romance Gay
Visualizações 40
Palavras 686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Ótima noite para recomeçar


Álvaro: 

Quando chegamos ao bar onde iríamos tocar, nós ficamos esperando por alguns minutos alguém autorizar a nossa entrada no palco. Porém, isso não foi possível, pois o palco estava interditado e os instrumentos musicais estavam com alguns problemas. Então, os rapazes decidiram ficar e aproveitar a festa. Eles realmente não se importavam se os frequentadores eram gays ou não, eles apenas queriam curtir a festa e beber bastante. 

Em uma certa hora, eu parei de beber e fiquei apenas observando as pessoas beberem sem parar, e entre essas pessoas estavam Beto e Vicente. 

Beto havia misturado várias bebidas diferentes, e não demorou muito para que ele passasse mal. 

— Tudo bem? - perguntou Álvaro ao ver o rosto de Beto ficar pálido. — Quer ir ao banheiro? 

— Sim... - disse Beto levantando-se do chão. 

Com muita dificuldade, Álvaro levou Beto até um banheiro masculino, mas ao chegarem lá, eles encontraram o banheiro fechado. Sem ter outra escolha, Álvaro o levou para fora do bar. 

— Eu quero urinar... - disse Beto completamente bêbado. 

— Consegue ir andando até aquela árvore alí? - perguntou Álvaro apontando com o dedo indicador para uma árvore que ficava um pouco distante do bar. 

Beto apenas balançou a cabeça e caminhou um pouco sem jeito até a árvore. Enquanto isso, Álvaro ficou encarando alguns homens que estavam entrando no bar. Depois de alguns segundos, ele percebeu que um dos homens estava vindo em sua direção. 

— Eu percebi que você estava olhando para mim. - disse o homem enquanto deslizava lentamente os seus dedos no peito de Álvaro. 

— Sim, eu estava. - disse Álvaro se aproximando do homem com um sorriso malicioso. 

— Você é tão lindo! - disse o homem em um tom de voz provocativo. 

— Quer provar? - perguntou Álvaro dando leves apalpadas na bunda do homem. 

— Com certeza! - disse o homem agarrando firmemente o rosto de Álvaro. 

Durante o beijo, Álvaro fez várias pressões contra a cintura do homem ao  de faze-lo soltar pequenos gemidos. 

As mãos do homem adentraram os cabelos de Álvaro com uma certa brutalidade, mas aquilo apenas fez com que Álvaro aumentasse ainda mais as pressões. 

— Você é gay? - perguntou Beto se aproximando de Álvaro. 

Após ouvir a voz de Beto, Álvaro largou o rapaz e lentamente se voltou para Beto. 

— Vamos voltar para o bar? - disse Álvaro na tentando mudar de assunto. 

— Algum problema com isso? 

— Não...

Envergonhado do que havia acontecido, Álvaro deixou Beto para trás e tentou seguir de volta para o bar. 

— Vai me deixar aqui? - perguntou Beto apoiando-se em uma parede. 

Por conta da embriaguez, Beto com certeza não iria conseguir chegar ao bar sem antes levar alguns tombos no caminho. Vendo a situação de Beto, Álvaro decidiu ajudá-lo. 

— Vem, eu te ajudo. - disse Álvaro à Beto. 

Em um momento de desequilíbrio, Beto acabou caindo no chão, e Álvaro por sua vez tentou ajudá-lo. 

— Você machucou um pouco o braço. - disse Álvaro. — Espero que depois disso você aprenda a não misturar várias bebidas! 

Álvaro se ajoelhou ao lado de Beto e se inclinou em sua direção na intenção de ajudá-lo. Ao perceber a aproximação de Álvaro, Beto sorriu levemente e guiou suas mãos até o rosto do rapaz. 

— Beto? - perguntou Álvaro confuso. — Você está bêbado. 

— Espera... - respondeu ele aproximando o seu rosto cada vez perto. 

Em tão poucos segundos, Álvaro sentiu pela primeira vez, os lábios de Beto tocarem os seus. Mas, ele sabia que naquele momento, Beto não estava totalmente consciente. 

— Beto, é melhor nós irmos para casa. - disse Álvaro percebendo que o dia já estava amanhecendo. 

Beto apenas encarou Álvaro sem dizer uma palavra sequer. Mas, logo eles viram que Jorge e Emiliano caminhavam em direção a eles. 

— Por favor, vocês podem levar o irmão de vocês para casa? - perguntou Álvaro aos rapazes. 

Enquanto os garotos ajudavam Beto, Álvaro achou melhor voltar para casa sozinho. Durante todo o caminho, ele tentou de várias maneiras, mas María não atendia suas ligações. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...