1. Spirit Fanfics >
  2. Eu te amo e nem sei (yoonmin, suji) >
  3. A vida que você me traz

História Eu te amo e nem sei (yoonmin, suji) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


esse é o último capítulo, espero que gostem. boa leitura <3

Capítulo 3 - A vida que você me traz



Quando você está confuso sobre alguma situação o mais recomendado é sentar e conversar sobre isso, lidar de forma madura.

Mas quando a situação envolve anos de amizade e a possível perda da pessoa que você mais ama no mundo, não é tão fácil.

É por isso que Jimin compra uma garrafa de soju.


(...)



Yoongi tem que abrir a porta porque Jimin está bêbado demais para abri-la sozinho. É meio engraçado vê-lo choramingar e fazer biquinho por não acertar a combinação de números.

Ele o ajuda a ir para o quarto aos tropeços e o faz sentar na cama. Jimin está com o rosto corado e os fios de cabelo estão apontando para várias direções diferentes.

"Você está fedendo, Jimin", Yoongi diz, torcendo o nariz e agachando-se ao lado do mais novo, "Onde você estava?"

"Lugar nenhum", Park fala embolado e agarra os ombros do mais velho, aproximando-se com os olhos semicerrados, "Você pintou o cabelo de preto?"

Yoongi bufa uma risada. "Pintei sim. Agora levanta pra tomar banho."

"Eu não quero", Jimin cruza os braços.

O mais velho zomba. "Não perguntei se você quer."

Jimin xinga algumas vezes e cambaleia para fora da cama, puxando a camisa suada por cima da cabeça e tropeçando para fora de suas calças. Seus dedos dançam sobre o elástico da cueca antes de Yoongi soltar um som meio engasgado.

"Não, não, não, você mantém isso aí", ele diz um pouco desesperado.

"Mas eu não quero tomar banho de cueca", Jimin reclama.

"Você. Mantém. Isso. Aí."

"Vai se foder", Jimin murmura, caminhando debilmente até o banheiro.

Yoongi fica do lado de fora até que Jimin termine o banho, atento caso ele acabasse caindo da banheira. Quando Jimin termina, Yoongi o ajuda a encontrar seu pijama e deitar na cama. Nesse ponto, o mais novo está meio sonolento.

"Boa noite, Jiminie", Yoongi fala e tenta se levantar da cama mas Jimin o impede.

Ele tem uma mão segurando firme o pulso do mais velho e ele consegue sentir Yoongi estremecer levemente com o toque.

"Deita aqui", Jimin pede e se afasta um pouco quando Yoongi entra debaixo dos lençóis e deita ao seu lado. Ele se move novamente e o abraça, um pouco entorpecido pelo cheiro de colônia que Yoongi sempre carrega. Entorpecido por Yoongi.

"É errado eu querer isso, Yoongi?", Jimin murmura baixinho e embolado contra a camisa de Yoongi e Yoongi não entende nada, "Eu sinto que é, porque eu... eu acho que não mereço isso. Não depois de tudo."

"Eu não faço idéia do que você está falando", Yoongi diz honestamente e Jimin ri um pouco, caindo no sono, deixando o cheiro de Yoongi cercá-lo, "Mas eu acho que você merece qualquer coisa você queira. Tudo mesmo."



(...) 



Os dias parecem passar mais rápido agora e é assustador quando Jimin percebe que faltam alguns dias para o aniversário dele.

Ele não tem falado com Taehyung. É pura culpa pelo que disse na última vez que se viram. Jeongguk também.

Yoongi tem estado mais ocupado que o normal no estúdio. Ele chega tarde e cansado, Jimin não pode fazer muito além de pedir comida e lidar com o mau humor do mais velho. Depois de anos morando juntos, Jimin já sabe exatamente como lidar com os dias ruins de Yoongi, assim como Yoongi sabe lidar com os dias ruins de Jimin.

Jimin está sentado no sofá assistindo tv de madrugada e é final de agosto quando ele sente seu coração bater mais forte ao ouvir a porta abrindo. O que acontecia com uma frequência assustadora agora.

"Ei", Jimin diz e o mais velho tem um leve sobressalto.

"Oi, ainda acordado?", Yoongi murmura rouco, deixando as chaves em algum lugar da cozinha.

"Sem sono", Park explica.

O mais velho cantarola e senta com ele no sofá, não parecendo muito cansado. Jimin pode vê-lo esfregar o rosto pelo canto do olho, já que ele está olhando para a tv.

"Seokjin me arrastou pra uma maldita festa pra comemorar o fim da faixa", Yoongi conta.

Jimin vira o rosto para olhá-lo e seus olhos ficam presos na marca roxa que mancha a pele branca do pescoço de Yoongi.

É meio físico.

Ele sente seu coração cair e seu peito apertar, os olhos ficando molhados por mais que ele tente impedir e, Deus, Jimin realmente tenta muito.

O pensamento de alguém tocando Yoongi o faz ficar terrivelmente enjoado. É uma emoção feia que ele não consegue conter, se espalha rapidamente por todo seu peito como um incêndio.

Jimin levanta do sofá, as pernas estão um pouco moles e ele quase cai. Ele vai para o quarto o mais rápido possível e, querendo evitar que Yoongi o veja chorando, tranca a porta.

Seu peito dói um pouco e ele não tem forças para não chorar, enfiando o rosto entre os travesseiros para tentar inutilmente impedir que as lágrimas desçam.

Enquanto chora, Jimin se pergunta se Yoongi já se sentiu assim quando ele levou alguém para o apartamento. Isso faz ele se sentir pior ainda. Porque ele deve ter feito Yoongi se sentir assim tantas vezes.

Por mais que Jimin sinta como se seu coração estivesse sendo arrancado do peito, ele também meio que sente como se merecesse isso. Então ele apenas chora até que as lágrimas sequem sobre a pele e ele consiga dormir.





(...)






Jimin está feliz por Yoongi.

Ele quer ficar feliz por Yoongi.

É bom que ele esteja finalmente seguindo em frente, certo?

Depois de tanto tempo sofrendo por Jimin, é bom que ele esteja seguindo em frente. Amando alguém. Beijando alguém.

Alguém que não é Jimin.

Jimin está feliz por ele. Sério.

Yoongi não chega mais tarde em casa, mas Jimin passa a maior parte do dia ensaiando na faculdade e quando chega em casa, se tranca no quarto e fica lá até dormir. Em algum dia de setembro, Yoongi perguntou se havia feito algo para chateá-lo mas Jimin apenas deu ombro e murmurou uma mentira qualquer sobre estar cansado dos ensaios.

E assim os dias se seguiram naquele mês de merda, então já era outubro e ele nem havia sequer percebido.

Jimin solta um suspiro e rola na cama, pegando o celular na escrivaninha.

taehyungie [00:01]: jiminnnn

taehyungie [00:01]: feliz aniversário

taehyungie [00:02]: eu te amo muito

taehyungie [00:02]: pensei que vc ia me mandar mensagem mas sei que vc eh orgulhoso e porque eh seu aniversario eu vou relevar e dar o primeiro passo

Jimin ri para o celular.

jimin [00:05]: eu te amo tae


Ele guarda o aparelho e encara o teto.

É meio irônico que ele tenha percebido tão tarde que ama Yoongi.

As coisas não são tão simples quanto parecem. Quando se envolve uma amizade de tanto tempo, é fácil se confundir, é fácil achar que é só carinho. É fácil achar que está apaixonado mesmo não estando realmente.

É difícil escolher entre uma amizade de anos e um relacionamento amoroso. Relacionamentos terminam, amizades permanecem.

Por isso Jimin passou anos se convencendo que ele só amava Yoongi como amigo.

É burro, egoísta e pode parecer tortura mas Jimin quer ter Yoongi por perto para sempre. Mesmo que como só amigo.

Não é tão absurdo quanto parece para quem vê de fora. As coisas são mais complicadas quando acontecem dentro do nosso próprio coração.

Jimin suspira e se vira na cama, procurando algum sono.

"Jimin?", Yoongi chama do outro lado da porta, a voz abafada, "Por que você tranca a porta agora?", Jimin escuta o mais velho resmungar baixinho antes de voltar a falar mais alto, "Você pode vir aqui?"

O mais novo franze a testa e dá uma olhada no relógio antes de levantar da cama e abrir a porta, encostando-se sobre o batente.

"Yoongi", Jimin diz simplesmente porque ele quer. Ele gosta de falar o nome de Yoongi.

Yoongi está parado em frente a ele, os fios pretos caindo um pouco sobre os olhos pequenos e encapuzados. Ele está usando uma camisa preta larga, as mangas quase chegando até os cotovelos, e calças jeans com rasgos nos joelhos.

Já passou da meia-noite, por que Yoongi ainda estava na rua até a essa hora?

"Vem aqui", Yoongi diz de repente.

Jimin sente os dedos longos do mais velho envolverem seu pulso e puxá-lo gentilmente pelo corredor até a sala.

Não havia muita coisa para ver, estava escuro e ele tropeçou um pouco pela visão limitada.

"Eu não sei o que está acontecendo", Yoongi começa, "Faz meses que você está meio estranho, um pouco triste e eu não sei o que fazer, você não me conta. Você sempre fala muito e eu brinco que isso me irrita, mas não é verdade. Eu queria que você me falasse o que está acontecendo, ou me falasse qualquer coisa."

A respiração de Jimin engata quando o toque de Yoongi desaparece. E de repente, não está mais escuro.

As luzes ainda estão desligadas mas agora há pequenas luzes de natal por quase todo o apartamento, de várias cores, piscando e piscando sem parar. Iluminando tudo.

Yoongi está abaixado perto de uma tomada. Ele solta os cabos e se levanta.

"Eu sei que você ama o natal e eu ia esperar pra colocar as luzes com você porque poderia fazer você se sentir melhor sobre o que quer que esteja acontecendo", ele diz, "Mas o natal está longe."

Jimin pisca algumas vezes, as mãos começando a tremer, o coração batendo forte.

"Você é meu melhor amigo e eu não quero mais ver você triste", Yoongi continua, andando e tentando desviar das luzes que estão no chão até chegar em Jimin, parando em frente a ele, "O mundo parece girar melhor quando você está feliz."

Jimin olha bem para o rosto de Yoongi. A pele branca beijada pelas luzes coloridas, os olhos de gato, o nariz de botão, os lábios finos e rosados. Tudo nele é tão bonito.

Suas mãos se movem sozinhas.

Jimin agarra a nuca de Yoongi e o puxa, colidindo seus lábios juntos.

O mundo parece voltar para o eixo. Girando novamente. E Jimin suspira contra os lábios de Yoongi, amando a textura, o sabor, o jeito que eles se encaixam nos dele. É como estar em casa.

Yoongi solta um barulho surpreso. Ele congela por um segundo e Jimin acha que ele vai o empurrar, que já o superou e encontrou alguém. Mas isso nunca acontece.

Yoongi suspira e leva uma das mãos até a lateral do rosto de Jimin, a outra descansa em suas costas. Ele o puxa para mais e mais perto. Jimin derrete ao sentir a língua de Yoongi deslizar suavemente sobre a sua e, em meio a um suspiro, entreabre os lábios.

Jimin é trazido impossivelmente para mais perto, seus corpos pressionados juntos enquanto se beijam, os pulmões ardendo em busca de ar, mas eles não querem se separar.

Yoongi morde o lábio inferior do mais novo antes de puxá-lo entre os dentes, respirando bruscamente e Jimin faz o mesmo por meio segundo antes de se inclinar novamente beijando-o com mais vontade, os dedos brincando com os fios de cabelo da nuca, puxando-os.

Eles se separam quando respirar se torna impossível. Os lábios de Jimin estão inchados e vermelhos, Yoongi não está muito diferente. Ele tem os olhos fechados, a testa na de Jimin, os dedos acariciando as bochechas do mais novo e as costas por cima do tecido da camisa.

"Yoongi", Jimin chama entre respirações pesadas.

Yoongi aperta mais os olhos.

"Yoongi", Jimin fala de novo, "Abre os olhos."

"Não", a voz de Yoongi é trêmula e ele trás Jimin para mais perto, "Eu sonhei tanto com isso... tanto... não quero que seja mais um sonho."

As mãos de Jimin passeiam pelo pescoço de Yoongi e sobem até o rosto e ele acaricia toda a pele por onde passa. Ele ama a pele de Yoongi sob seus dedos.

Jimim beija os lábios de Yoongi, pressionando suavemente.

"Não é um sonho...", ele sussurra e beija as bochechas coradas do mais velho, "Eu estou aqui", ele beija a pontinha do nariz, "De verdade", ele beija os olhos fechados, "E eu te amo tanto. Abre os olhos, hyung."

E Yoongi o faz.

Ele sempre achou que Jimin era a pessoa mais bonita que Deus já havia criado, honestamente.

Mas agora, Jimin parecia surreal. O cabelo estava despenteado, os olhos brilhantes, as bochechas coradas, os lábios grossos inchados num tom vermelho vívido. Tudo por causa de Yoongi.

Yoongi tem que se convencer mais uma vez que não está sonhando. Então ele beija Jimin mais uma vez, entorpecido por finalmente provar daqueles lábios, tocar a pele como ele sempre quis mas achou que nunca aconteceria. É assustador como parece certo.

É como estar em casa.

Ele sabe onde está todos os móveis, todos os cômodos, ele sabe onde tudo fica.

Ele sabe como tocar Jimin, como beijá-lo, mesmo que nunca tenha feito antes. Porque Jimin é a casa de Yoongi.

Yoongi suspira contra os lábios de Jimin e sua mão desce das costas dele até a cintura, invadindo o tecido da camisa e apertando a pele quente entre os dedos. Jimin tem um gemido abafado contra a boca de Yoongi e ele puxa os fios do mais velho com força, beijando-o com fome, sentindo Yoongi trazê-lo para mais perto, dedos longos cavando a pele do seu quadril.

"Puta que pariu", Jimin escuta a voz de Taehyung atrás dele e ele solta Yoongi, um pouco assustado pela súbita aparição de mais pessoas.

Ele se vira e encara Taehyung, que está ao lado de Jeongguk, segurando um bolo de aniversário e balões. Eles parecem totalmente chocados.

"Eu disse pra gente vir de manhã", Jeongguk murmura.

"Mas eu pensei que ele ia estar triste por causa do Yoongi hyung, como eu ia adivinhar que a gente ia chegar aqui e ia estar rolando essa baixaria?", Taehyung responde, franzindo a testa.

"Vamos embora, Tae", Jeon choraminga.

"Se a gente tivesse se escondido como eu havia sugerido a gente poderia assistir eles mandando ver."

"Por que você é assim?", Jeongguk geme.

Jimin tosse. "Taehyung, nós ainda estamos aqui."

"Eu e o Jeongguk vamos ficar ali no corredor, vamos, Gukkie", ele agarra a mão livre de Jeon, entrelaçando seus dedos.

Yoongi e Jimin assistem os mais novos tropeçarem para fora do apartamento as pressas. Eles se olham em silêncio por um segundo antes de rirem.

"Então...", Yoongi fala, segurando uma das mãos de Jimin, brincando com os dedos dele.

"Então...", Jimin o imita, sorrindo.

Yoongi não resiste e se inclina novamente para beijá-lo. Deus sabe que apartir de agora ele não pretende parar nunca.

"Acho que temos bastante o que conversar", Yoongi murmura contra os lábios de Jimin, que assente rápido e se inclina novamente, beijando-o, deixando suas línguas se encontrarem dentro da boca.

Jimin abraça o pescoço de Yoongi e o puxa até que eles tropeçem para trás e ele sinta suas costas baterem contra a parede da sala. Yoongi tem os dedos enrolados no tecido da frente da camisa de Jimin enquanto chupa o lábio inferior dele. Yoongi solta o tecido para segurá-lo novamente pela cintura, dedos invadindo a peça de roupa e apertando a pele.

"Espera", Jimin murmura com certa dificuldade.

Yoongi está ofegante e tentando morder os lábios de Jimin enquanto as mãos passeiam pela pele dos quadris. Jimin suspira e desce as mãos do pescoço do mais velho até o peitoral, empurrando-o levemente.

"O que foi?", Yoongi pergunta, preocupado por ter feito algo de errado.

"Eu...", o mais novo morde o lábio inferior, os dedos brincando com o tecido da camisa de Yoongi, "Alguns dias atrás, você chegou em casa com um chupão e eu pensei que...", Jimin suspira, batendo a cabeça levemente na parede atrás dele, "Eu não sei, eu fiquei tão magoado, fui tão idiota, nós nem tínhamos nada..."

"Foi no dia da festa que o Seokjin me levou?", Yoongi pergunta, aproximando o nariz do pescoço exposto e respirando o cheiro dali, fazendo os pelos de Jimin se arrepiarem enquanto ele assente, "Eu tentei ficar com alguém, mas não consegui", Yoongi murmura e beija a pele, traçando uma linha de selares e mordidas até a parte de trás da orelha de Jimin, "Não era você."

Jimin suspira e beija Yoongi, lambendo a costura dos lábios do mais velho antes de sugá-los entre os dentes e travar suas bocas juntas de novo. É confuso, molhado e desesperado. É tudo que ele sempre quis.

Yoongi quebra o beijo apenas para poder beijar o queixo de Jimin e beijar todo o caminho até o pescoço, onde ele tranca os lábios ao redor da pele e suga com força.

Jimin geme, o pensamento de uma marca feita por Yoongi na pele dele apenas fazendo com que ele comece a endurecer. Puta merda, Yoongi era um bom beijador. Sinceramente, Jimin não acha que já tenha sido tão bem beijado em toda a vida dele.

"Podemos...", Yoongi rouca contra a junção do pescoço de Jimin, intercalando entre morder e chupar a pele macia que parece implorar por marcas, bebendo os belos sons que Jimin faz, "Podemos esperar, caso você..."

"Porra, não ouse parar de me tocar, Yoongi", Jimin praticamente rosna, esfregando-se descaradamente contra o mais velho, "Eu mato você, eu juro."

Yoongi ri contra a pele de Jimin, beijando-o ali uma última vez antes o olhar nos olhos novamente, as pupilas dilatadas.

"Impaciente, é?", ele provoca e Jimin revira os olhos antes de puxá-lo para um beijo afoito.

"Vamos para o meu quarto", o mais novo choraminga, os lábios nos de Yoongi.

O mais velho assente e eles tropeçam até o quarto de Jimin. O caminho levando uma eternidade porque eles empurram ao outro contra a parede para distribuir beijos nos lábios, pescoço, bochechas, onde as bocas conseguem alcançar.

Quando finalmente conseguem chegar no quarto, eles cambaleiam até a cama e Jimin cai nos lençóis uma risada abafada pelos lábios de Yoongi, o corpo do mais velho ficando por cima, o joelho entre os de de Jimin. Eles separam seus lábios por um momento, as respirações descompassadas.

"Como você quer isso?", Yoongi pergunta, beijando a pele do pescoço de Jimin, seu peito quase estufando ao notar algumas manchas vermelhas pintando a pele.

Jimin se contorce na cama, erguendo o corpo para friccionar seus quadris. "Porra, foda-se. Eu quero que você não pare de tocar", ele choraminga, "A última vez que transei foi com uma garota, mas acho tem lubrificante na minha gaveta."

Yoongi solta um leve rosnado contra a pele de Jimin. "Merda, eu odiava tanto todo mundo que você namorava, detesto pensar em mais alguém colocando as mãos em você desse jeito."

Jimin ri um pouco, ofegante. "Odiava, é?"

"Odiava", Yoongi ecoa, afastando-se o suficiente para ajudar Jimin a tirar a camisa, o tecido passando por cima da cabeça e bagunçando-lhe os fios de cabelo.

Quando Yoongi joga a camisa em um lugar qualquer do quarto, ele olha novamente para Jimin —que agora está despido da cintura para cima— e simplesmente se permite apenas olhar para ele por um maldito momento.

Yoongi se lembra de ter visto Jimin perfeitamente arrumado incontáveis vezes durante toda a sua vida. Ele lembra de morrer um pouco por dentro sempre que o mais novo aparecia em seu quarto perguntando se a roupa estava boa e aquilo era a porra de uma tortura porque Jimin estava sempre deslumbrante como um anjo.

Ou um demônio. Com aquelas calças justas que abraçavam as coxas grossas de forma pecaminosa e regatas que deixavam os braços fortes em plena exibição, camisas com geralmente mais de três botões abertos, bermudas que exibiam a pele das coxas. Yoongi apenas podia olhar, às vezes se deixando imaginar apenas colocar as mãos nele, pressioná-lo em qualquer superfície próxima e apenas...

Apenas fazer alguma coisa, qualquer merda de coisa.

Mas ele nunca realmente se permitiu pensar muito nisso, afinal, Jimin era seu melhor amigo. Ter pensamentos assim eram absurdos e ele se envergonhava.

Então Yoongi tentava o seu máximo para não pensar no mais novo dessa forma. Ele se contentava em olhá-lo, admirar o quão bonito Jimin era quando se arrumava para sair ou até mesmo apenas para ir para a faculdade. Yoongi sempre achou Jimin absolutamente lindo em todos os momentos e todas as circunstâncias.

Mas nesse exato momento, com Jimin deitado sobre os lençóis, os cabelos uma bagunça loira espalhada pelo travesseiro, rosto corado, lábios inchados e olhando para Yoongi com os olhos achocolatados enegrecidos com carinho e desejo, Jimin nunca esteve tão bonito. Yoongi apenas quer olhá-lo, do jeito que ele sempre quis olhar, sem nenhum resquício de culpa, com o pensamento de que Jimin é dele e quer ser dele. Yoongi pode olhar para ele, pode desejá-lo, Deus, ele pode tocá-lo.

E é exatamente isso que ele faz.

Yoongi se move na cama, aproximando-se mais de Jimin e colocando as mãos em seus quadris, acariciando antes de subir até a cintura, sentindo que poderia morrer com a forma como ela fica sob seus dedos. É perfeito, como se fosse para ser assim: suas mãos em Jimin.

Yoongi passeia com os dedos pela pele macia e quente, acariciando os lados do corpo do mais novo e ouvindo-o ofegar baixinho quando ele move as mãos até seu abdômen, dedilhando todas as pequenas elevações lindamente esculpidas, olhando-o com adoração nas pupilas dilatadas.

"Você é lindo", Yoongi diz em um murmúrio tão baixo  que Jimin não tem certeza se ele deveria ter ouvido, "Porra, olha só pra você", Yoongi tira as mãos do corpo do mais novo, ouvindo-o choramingar em desaprovação.

Ele se inclina completamente, cobrindo o corpo de Jimin com o seu e apoiando uma das mãos no travesseiro ao lado da cabeça do mais novo para se equilibrar enquanto a outra mão vai até o pescoço dele, dedos fazendo pequenos círculos na pele manchada antes de subir lentamente, traçando a linha do maxilar para segurar a bochecha salpicada de rosa, a ponta do polegar alcançando os lábios inchados e vermelhos tomando seu tempo para sentir a maciez deles contra o dedo.

Yoongi move languidamente o lábio inferior de Jimin para baixo, fazendo-o abrir um pouco a boca, parecendo fascinado com a imagem embaixo dele.

Jimin olha para Yoongi sem nem ao menos piscar enquanto o mais velho dedilha seus lábios como se fossem a coisa mais preciosa que ele já tocou. A pele de Jimin parece pegar fogo e seu estômago revira com a necessidade crescente e ele solta um pequeno gemido pelos lábios semiabertos.

O som captura a atenção de Yoongi e olha para Jimin com os olhos pequenos e absurdamente escuros. Ele desce a mão até o queixo do mais novo, segurando-o e erguendo o rosto dele para juntar seus lábios num beijo lento, as línguas deslizando preguiçosamente uma sobre a outra, explorando, provando, mordiscando e prendendo os lábios entre os dentes antes de se beijarem de novo, mais molhado e bagunçado.

"Eu acho que estou viciado em te beijar", Yoongi murmura contra a boca de Jimin.

"Quer ficar viciado em algo melhor?", Jimin pergunta, ofegante, erguendo o corpo e esfregando sua virilha vestida contra a coxa de Yoongi que está entre suas pernas, roçando a ereção crescente do mais velho no processo e fazendo-o gemer contra seus lábios.

"Pirralho", Yoongi ri e se afasta, tirando a própria camisa por cima da cabeça e jogando-a em qualquer lugar do quarto antes de voltar a beijar Jimin.

"Nós vamos fazer isso certo agora, não vamos?", Jimin pergunta contra os lábios do mais velho.

Yoongi para ele com um sorriso nos lábios, as bochechas coradas e um pouco de suor descendo pela testa.

"Vamos sim", é a última coisa que ele diz antes de voltar a beijá-lo.




(...)







É véspera de natal e Jimin estava terminando de enfeitar a árvore junto com Yoongi. O apartamento todo já estava todo decorado e só faltava terminar de colocar os enfeites na árvore.

"Sério, Yoongi, pede pro Jeongguk colocar a estrela, você não alcança", Jimin choraminga, esparramado no sofá, vestindo um pijama.

"Não, eu alcanço", Yoongi está na ponta dos pés, falhando em chegar ao topo.

"É, você alcança sim", Jimin zomba, sorrindo de canto.

"Eu estou terminando com você", Yoongi fala, "É sério, sai da minha casa."

"A casa é minha também!"

"Não é mais. Dá o fora daqui."

Jimin gargalha e levanta do sofá, abraçando o mais velho por trás, apoiando o queixo em seu ombro. "Você pode só chamar o Jeongguk."

Yoongi faz uma careta. "Eles estão no quarto. Já vi eles transando uma vez. Não quero arriscar."

Jimin sorri. "Lembrei do seu presente, espera aí."

Ele beija o namorado antes de correr pelos corredores e Yoongi não consegue parar de sorrir. Porra, ele é tão apaixonado por Jimin que todos os dias teme acordar e tudo isso seja um sonho.

O queixo de Yoongi cai quando Jimin aparece na sala novamente. Dessa vez, vestido com uma fantasia de Kumamon em tamanho real.

"Puta merda", Yoongi murmura.

Jimin ri e tenta inutilmente colocar uma mão na cintura. "E aí, o que achou?"

"Você está muito sexy, pode usar isso quando formos pra cama?"

O mais novo ri alto. "Você é uma aberração."

"E você me ama", Yoongi arquea uma sobrancelha.

"Eu nunca tive bom gosto pra homem", Jimin dá ombros.

É a vez de Yoongi rir. "Você vai continuar usando isso?"

"É o seu presente."

"Na verdade..."

"Não diz nada brega tipo "você é meu presente, Jimin" por favor."

Yoongi fica em silêncio.

Jimin ri. "Meu Deus, você ia dizer isso?"

"Sim, eu não tento mais ser romântico com você."

Jimin caminha até ele e abre os braços. "Vem aqui."

"Não, isso é bizarro."

"Vem logo, Yoongi."

"Eu não."

"Me dá um abraço."

Yoongi revira os olhos mas dá alguns passos para frente e abraça Jimin. Deus, ele o ama tanto.

"Espera. Eu acho que já vi essa fantasia antes."














fim —



Notas Finais


obrigada por lerem e chegarem até aqui, espero que tenham gostado da história <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...