História Eu Te Amo, Meu Lobinho - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 1.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi moranguinhos, bom vim trazer mais um capítulo então espero que gostem. Sim eu fiquei um tempo sem postar mas é que estava tudo uma grande confusão na minha vida. E sim esse capítulo eu vou dividir em 2 partes pois eu acho que ficou meu grande.
ENTÃO BORA

Capítulo 4 - O Preço De Mudar (Parte 1)


Acordei com os raios solares invadirem os meus olhos. Me espreguicei e me sentei na cama. Comecei a olhar o quarto não me recordando de muita coisa, minha  cabeça doía e meus olhos ardiam e pesavam. Sim, eu tive uma péssima noite de sono! Não conseguia fechar os olhos por um segundo sequer, me levantava várias vezes para tomar um copo de água, me mechia e remechia na cama para encontrar uma pocisão confortável para dormir, suava frio a noite inteira. Concerteza, essa não foi uma das noites de sono mais confortável que eu já tive! Estou tão nervosa com essa escola e com o que irei me deparar lá que chego a tremer. Imaginado assim, a escola parece um inferno ou um hospício para pessoas mal educadas ou que estão lá só para bancarem as corajosas. Sabe, ainda nem a conheci e já estou me arrependendo de morar aqui! 

Fechei os olhos e masageei minhas têmporas  para relaxar. Levantei-me e fui em direção a cozinha para fazer uma torrada. Ora, não achou que eu não saberia fazer uma torrada né?! Olha, posso ser uma loba num mundo completamente diferente, mas não sou fresca a ponto de não saber fritar um ovo! Minha tia Ma havia comprado comida para colocar já na casa, assim sei a onde tem presunto, queijo e pão.

Estava fazendo minha torrada quando ouvi batidas na porta. Fui em direção da mesma, peguei a chave e abri. Fiquei surpresa de ver tia Ma e Jean na porta carregando uma torta, que parecia de maçã. 

Olhei para a minha tia Ma que estava com um sorriso no rosto, mas ao me ver o seu sorriso murchou. Ela me olhou da cabeça aos pés com um ar de preocupada. Fiquei sem entender nada, tinha alguma coisa no meu cabelo? Meu rosto estava sujo? Ela abriu os lábios para falar mas parecia que não saia nada:

Tia Ma:...Querida... O que aconteceu?... Está pálida, com olheiras profundas e uma  cara de cansaso! Aconteceu alguma coisa quando eu e Jean saímos?

Disse ela preocupada comigo. Tentei falar alguma coisa mas estava tão chocada com o que ela me disse que minha voz saiu rouca e fraca, apesar de não ter falado nada. Olhei para ela e depois para Jean que estava com o mesmo ar preocupado:

Star: ...Estou bem, apenas uma noite muito longa, sabe?...

Minha tia Ma deu a torta para Jean segurar. Quando suas mãos se tocaram, os mesmos ficaram vermelhos... O que? Acha que eu não iria reparar nisso? Lobos tem uma visão muito boa sabia! Quando ela entregou, veio até mim e me abraçou com força, eu retribui o abraço:

Tia Ma: Aí querida! Por que não me chamou? Achei que tínhamos feito um trato, não tínhamos?!

Me lembrei instantaneamente da promessa e do celular. Arregalei os olhos quando me lembrei e tentei me recordar a onde eu o havia colocado. Minha tia Ma vendo minha expressão ficou um pouco mais leve do que tensa e disse com um sorriso bobo no rosto:

Tia Ma: Você se esqueceu, não é?! -- Disse ela sorrindo e soltando uma risadinha ao dizer tais palavras.

Me senti tão envergonhada por ter me esquecido completamente que queria me enfiar dentro de um buraco neste mesmo instante. Não poderia ser, sempre que eu fissese uma promessa me esqueceria horas depois?! Mas não levei a mal seu comentário, ele até me fez soltar uma risada fraca.

Liberei espaço para eles passarem, quando o fizeram fechei e tranquei a porta. Eles se sentaram e Jean colocou a torta na mesa. Me olharam e tia  Ma disse:

Tia Ma: Querida, podemos conversar um pouquinho? -- Disse ela me encarando sério.

Arrepiei-me ao dizer tais palavras, apenas acenei com a cabeça afirmando e comecei a andar até lá para me sentar e ouvir. A cada passo que dava me sentia mais tensa, sabia perfeitamente o que viria daquela conversa e qual seria o assunto: escola. Quando me sentei minha tia me olhava atentamente, me olhava tão fundo e sério que parecia que ela podia ver minha alma:

Tia Ma: Querida, lembra quando eu disse que não poderiam saber que você é uma loba? 

Star: Sim tia Ma, me lembro sim...

Tia  Ma: Então se lembra que precisa esconder sua calda, suas orelhas e suas caninas.

Star: Sim, a senhora vai me ensinar a esconder usando um feitiço?... -- Disse curiosa e com medo...

Ela me olhou e arregalou os olhos soltando um riso:

Tia Ma: Claro que não, bobinha! "Risos" Eu não sou feiticeira para transformar você em uma humana. Na verdade eu tenho é um objeto, isso sim! É um colar, apenas coloque-o e imagine uma humana, assim ele te transformará em uma. Ele só tem o dom de te transformar ou em uma humana ou em um lobo.

Ela estendeu sua mão com o colar para eu pegua-lo. O peguei e examinei-o de perto, ele era de prata, tinha uma jóia azul no centro que brilhava como uma estrela, tinha uns detalhes em volta dele com pedrinhas brilhantes. 

Star: Ele é lindo!...

Disse fascinada e hipinotozada pelo mesmo, aquela pedra prendia o olhar de qualquer um que a visse de longe ou perto...

Tia Ma: Star? Está me ouvindo?! -- Disse tia Ma estralando os dedos em frente ao meu rosto -- Ele é lindo, não é?... Hipinotiza qualquer um com sua beleza.

Olhei para ela sorrindo, parecia que ela lia os meus pensamentos de cor e salteado.

Tia Ma: Bom, agora precisamos falar sobre a sua roupa de escola e sua turma, depois irei te ensinar a ir de ônibus para lá.

Ok... Ok... Eu estou passando mal, não sei se vou vomitar, chorar, gritar, se estou nervosa ou com raiva, com medo ou confusa, não estou entendendo nada, nunca tive tantas emoções de uma só vez. Nunca senti isso des da primeira vez que... Deixe quieto, só sei de uma coisa... Estou desesperada.

Minha tia deve ter percebido meu desespero pois segurou minha mão e a apertou com força. Olhei para ela que estava sorrindo para mim, seu rosto mostrava que ela estava ali comigo e que estava tudo bem. Relaxei um pouco e concordei com a cabeça, mesmo sabendo que não estava tudo bem.

Ela se levantou e foi em direção ao meu quarto, eu a segui. Abriu o meu guarda roupa e de lá pegou um moletom azul escuro com um bolso azul claro e uma calça com uma linha na lateral da mesma cor do bolso. Pegou sapatos com um laço que também era azul claro. Para o cabelo ela pegou uma tiara que havia  uma estrela na ponta. Meu desespero parece que aumentou um pouco. 

Tia Ma: Bom aqui está. Vá se vestir. Esperarei você na cozinha, junto com Jean.

Peguei a roupa e fui em direção ao banheiro. Quando fechei a porta me apoiei na mesma com a testa e as duas mãos, suspirei pausado, esse suspiro me fez perceber que eu estava com medo, nervosa e com raiva. Senti então uma pequena lagrima escorrer pela minha bochecha. Esfreguei a testa na porta tentando afastar pensamentos negativos de mim, mesmo sabendo que estava sendo difícil. Inspirei e expirei o ar com toda a minha força e comecei a me vestir.

Me olhei no espelho, para ver como eu estava, e vai por mim, bonita é que não era. Minha tia Ma tinha toda a razão de ficar preocupada, meu rosto estava horrível, parecia que eu havia virado um zumbi da noite pro dia! Céus me assustei tanto com meu reflexo que até dei dois passos para trás. Olhei para a pia e vi o colar, fiquei o encarando por alguns minutos, o peguei e coloquei em volta do meu pescoço. Segurei sua pedra sentilante suspirei e fechei os olhos, quando fiz isso pensei em uma humana, assim senti um vento me envolver e uma luz bem clara vir do colar. Depois de um um vento forte me envolver nao sentia mais nada, ainda com os olhos fechados. Abri os olhos devagar e me vi totalmente diferente, não havia mais minhas orelhas nem rabo. Abri um sorriso e percebi que minhas caninas também sumiram sendo trocadas por dentes normais. 

Soltei um riso quando me vi, sentia-me diferente, de repente todo aquele desespero que emanava em mim, o senti sumir.

Tia Ma:

"Gostaria que você soubesse que existe dentro de si uma força capaz de mudar sua vida, basta que lute e aguarde um novo amanhecer."



Notas Finais


Esperoque tenham gostado, aguardem a segunda parte que logo logo ela tá aí
Tchaaau (•w•)/
Esse é o colar de Star:
https://images.app.goo.gl/yanNDWvwWFwxWEXq7


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...