História Eu te odeio, mais que tudo - Capítulo 9


Escrita por:

Visualizações 268
Palavras 1.320
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Eles (ainda) se amam (Cap esperado)


P.O.V Luba

-Eu só quero fazer esse trabalho, só isso! E esqueça a "nossa" pregação, por favor. -pelo amor de deus, que menino chato!

-É isso que eu quero, esquecer de tudo que eu fiz com você. -eu não sei o que aconteceu, mais meus olhos pedem pra eu chorar, não posso me fazer de fraco na frente dele! Não posso.. -Entra, você não vai conseguir fazer o trabalho na porta. -ele abre mais a porta, eu entro e vejo um homem no sofá, olho pro lado e vejo uma mulher na cozinha.

-Quem é ele? -diz a mulher vindo da cozinha e olhando pra mim.

-Ele veio fazer um trabalho comigo. -falou.

-Sobre? -diz a mulher ainda me olhandopra mim.

-Geografia. -umas das piores matérias, EVER!! (A-Concordo)

-Qual é o seu nome? -pergunta.

-Lucas Feuerschütte. -ela fez uma cara confusa, mais que porra! Não é tão difícil. (A-Eu sei falar)

-Feu... o quê? -devido os olhos.

-Mãe quando acertarem o sobrenome dele, essa pessoas deve ter aprendido chinês, japonês e latim só pra aprender. -filho da puta.

-Não é tão difícil. -cruzo meus braços.

-Agora tem dois Lucas aqui. -essa é a milésima vez que eu ouço isso, hoje.

-Parando pra pensar, é mesmo. -o T3ddy disse.

-Vamos fazer esse trabalho logo. -digo.

-Tá vamo pro quarto. -eu segui ele.

P.O.V Ycaro (A-Momento esperado? É isso meu deus?)

Acordo, abro os meu olhos e vejo o Saiko, ele parece que está dormindo.

-Acordou? -sinto ele perguntar, levantei minha cabeça para encara-lo. -Parece que sim.

-Parece o quê? -perdi alguma coisa?

-Quro. -eu te odeio, viu!

-Eu já disse! Eu não sou burro! -digo e olho pra baixo, sinto uma mão afagar meus cabelos.

-O que você tem burro, você tem de lindo. -diz e coro com seu comentário. (A-Ownt que fofinho, gentiiii!)

-E se, mais eu não sendo, deixar de ser burro? -ele olha pra mim, faz uma cara pensativa e fala.

-Vai continuar bonito. -diz e sinto novamente aquela sensação de sentir meu sangue aparecer nas maçãs do meu rosto.

-Eu acho que sua mãe colocou alguma coisa na comida, pra te deixar assim. Só pode. -dei um riso.

-Como? -agora o burro é ele... ?? O que eu falei se refere, deixa pra lá!

-Deixar assim, carinhoso como você era antes. Antes de ser um babaca, idiota, filho da puta, o que você não é! Eu ainda quero saber o que aconteceu com você. -sinto ele parar de afagar meus cabelos, sua mão vai pro meu queixo e levanta para eu encara-lo.

-Não pense mais nisso, Ycaro. Só pense que você causou isso. -o bixin doido de entender.

-Isso me deixa mal, me deixa mais ainda não saber o que é. -ele fecha os olhos, mais logo abre.

-Não se fassa de desentendido. Você sabe muito bem o que é, sabe muito bem. -ele vira pro outro lado, me levantei da cama fui pro lado dele me agaxei perto dali, ele me olhava. -Ycaro..

-Por quê? Por quê dói tanto isso? Parece que você está enfiando várias espadas em mim. Isso dói pra porra, se você saber. Dói... Dói muito. -digo e sinto meus olhos lacrimejarem, ele se senta na cama, bate a mão na mesma, eu acho que ele está me chamando. Sento do seu lado.

-Ycaro... Quando você se mudou, eu fiquei muito triste, pergunte a minha mãe se você duvida. -ele pega as minhas mãos. -Eu gostava muito de você, mais do que imagina, eu te amava não como um amigo, como um namorado. -MEU DEUS!!! -Então isso me deixou mias triste, quando eu me mudei pro colégio eu queria te esquecer. Esquecer esse amor que eu tinha por você, eu virei um valentão quando eu soube que você tinha se mudado pra cá novamente e ia vir pra o Colégio que eu tava, você ia ser meu colega de quarto. Eu enlouqueci. -eu estou quase chorando? Sim estou. -Mais a minha missão foi por água a baixo, eu queria te deixar longe mais você ia mais pra perto de mim. Mais eu.. -ele parou de falar 

-Eu ia mais pra perto de você, por um único motivo. Eu queria saber o que aconteceu com você! Eu também amava tu! Saiko, sim, sim do jeito que você pensa do jeito que você me amava quando criança, eu sabia dava pra ver. Mais meu pai dizia que homem não pode namorar outro homem, depois que ele foi embora, eu realmente aceitei que eu ainda, mesmo não querendo por quê eu pensava que você me odiava, pensava que você não me amava mais. Mas eu aceitei, aceitei que... -eu mesmo me cortei

-Ycaro.. -me chamou.

-Saiko.. -chamei ele.

-Eu ainda te amo. -olho pra toda a sua face.

P.O.V Saiko

Ele está olhando pra mim, começo um beijo sinto o Ycaro se assustar com a minha atitude repentina. (A-Tome várias dessas atitudes! Os leitores gostam)

Peço passagem o mesmo abre mais a boca, minha língua entra em um contato com a sua, vou empurrando o Ycaro pra deitar na cama, ele faz isso agora eu estou em cima dele, e ele embaixo. (A-Não vai acontecer nada, viu?)

Por mais que eu goste, precisamos parar o beijo, precisamos viver e pra isso precisamos de oxigénio. Paramos o beijo por falta de ar. Aliso sua bochecha que está avermelhada.

-Não estou entendendo nada. -meu burrinho.. Eu disse "meu"? (A-Não, você pensou)

-Agora não é só você, que não está entendendo nada. Sou eu também. -fico do lado dele.

-Eu preciso ir pra casa, minha mãe vai ficar preocupada, por mais que eu gosto e gostei de ficar aqui. -eu dou um sorriso.

-Deixa que eu te levo. -digo e sento na cama.

-Como? -pergunta confuso, ele se levanta e vai até suas roupas.

-De carro. -mais antes vou pedir pra minha mãe..

-Você tem um carro? -não.

-Não, eu pego da minha mãe. -pego significa pedir emprestado.

-Tá bom, eu aceito. Agora sai daqui. -oxe!

-Por quê? -meu deus! Eu só penso coisa errada.

-Eu vou trocar de roupa. -diz.

-Eu bem que podia ficar aqui. -dou um sorriso malicioso, vejo que suas bochechas estão coradas.

-Não, não pode vai embora. -levanto e fico na frente dele, dou vários celinhos nele. -Eu sei que você está tentando me comprar, você não vai conseguir, xispa.

-Quando nos casarmos tem que ser de união de bens. -saio do quarto, ouço uma risada vindo dele. Depois de uns 5 minutos ele sai do quarto.

-Você vai mesmo me levar? -pergunta.

-Vou. -abraço ele e dou um beijo.

-Por quê não me falaram que estavam namorando? -minha mãe aparece do nada, eta porra.

-A gente não tá namorando. -relativamente ficando, RELATIVAMENTE.

-Ficando? -pergunta.

-É.. mais ou menos isso, curtindo. -por favor não pergunte nada, por favor não pergunte nada, por favor não pergunte nada!!

-Ah, por quê não me contaram? -vai se fuder.

-A gente resolveu hoje, agora. -que não pergunta mais nada, pelo amor do santo deus!!

-Oh, eu preciso ir pro mercado. -aleluia!!

-A senhora vai de carro? -por favor não!! Tô pensando em muito por favor.. Foda-se.

-Sim, é aquele do centro. -tá tudo contra a mim, é?

-Aff. -bufei.

-Você queria levar o Ycaro? -não imagina, eu queria transar com ele! Bem auê isso seria uma boa ideia.

-Queria. -olho para o Ycaro, ele está mexendo no celular vejo que é um tal de "DaLua"? Quem é esse?

-Eu levo ele. -;-; (A-CARINHA PROIBIDA)

-Tá bom, tchau Ycaro. -

-Tchau Saiko. -abraço ele por trás. ( ͡° ͜ʖ ͡°) -Me larga Saiko! -ele tenta se soltar de mim.

-Você vai aprender a nunca me deixar. -digo.

-Não sabia que meu filho era possessivo. -eu pensei que meus amigos iram falar, mais nunca a minha mãe! (A-Mãe é uma caixinha de surpresas, meu caro amigo)

-Eu preciso ir pra casa. -se vira pra mim, dou outro beijo nele. -Tchau.

-Tchau, meu amor. -digo a última parte no seu ouvido. -Um dia eu vou tirar essa inocência de você, e quando esse dia chegar vai ter uma punição, nada boa. -mordo sua orelha.

-Você me deixou com medo agora. -disse baixinho.

-Se fosse por mim, esse dia ainda seria hoje. -continuo sussurrando.

-Chega, chega, chega! Vamos logo, eu quero ir rápido! A fila é mais cheia. -puxou o Ycaro, eu fiquei com uma maior cara de cu.


Notas Finais


Continuam bravinhos comigo? Espero que não! Gente, eu descobri uma coisa o MeiaUm tewm meia de puta -Ycaro 2018
Espero que tenham gostado!! Até a próxima e fui!!

Revisado: Sim, mais avise erros!!
Por: Luh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...