História Eu te odeio Malfoy! - Adaptação - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Fred Weasley, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Katie Bell, Lilá Brown, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Marcus Flint, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Nymphadora Tonks, Padma Patil, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Percy Weasley, Ronald Weasley, Scorpius Malfoy, Simas Finnigan
Tags Romance
Visualizações 235
Palavras 5.585
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - O Navio


Fanfic / Fanfiction Eu te odeio Malfoy! - Adaptação - Capítulo 23 - O Navio

Não fora novidade alguma o fato deles terem feito sexo em todos os lugares possíveis e imagináveis da casa, na sala, na piscina, na cozinha, na banheira, no chão do quarto, na escada, até na varando eles fizeram. Não tinham hora e nem lugar para fazerem sexo, simplesmente faziam quando lhe batessem vontade, sempre usando o mínimo de roupas possíveis que fossem mais fáceis de serem retiradas para que não perdessem tempo fazendo aquilo. Quando realmente não havia mais lugar para onde olhassem e não tivessem transado Draco teve a brilhante ideia de irem para o iate, uma simples ligação e pronto o iate já estava lá.

Hermione ficou um tanto receosa com a ideia inicial, não iriam para o iate para conversarem, mas então o que fariam se lá havia pessoas de um lado para o outro e nunca transaria com Draco na frente de nenhum deles, pouco se importava se ele era o dono ou não. Mas em seu intimido, bem no fundinho de sua consciência imaginou como seria fazer sexo correndo o risco de serem pegos por alguém, talvez tivesse uma sensação diferente.

As roupas que escolherem para o dia no iate foram simples, o vestido florido não muito curto que Hermione usava escondia o biquíni preto tão minúsculo quanto qualquer um que havia posto em sua mala, enquanto Draco  usava a bermuda para nadar e uma blusa azul que combinasse, como aquele loiro sabia ser metido. 

Logo após o café da manha o iate estava os esperando, Augustus estava a beira do porto com um sorriso em seu rosto rechonchudo para o casal que se aproximava.

- E como vai a lua-de-mel Senhor e Sra. Malfoy¿ - perguntou ele enquanto seguiam rumo ao iate.

- Esta muito boa, Augustus – garantiu Draco sorrindo malicioso.

- E assistiram ao Titanic¿ - perguntou animado.

- Sim – concordou Hermione sorrindo, lembrava-se mais do sexo que fizeram no meio do filme quando Draco simplesmente a agarrou do que do filme em si.

- Só tenho uma coisa a dizer, ele cabia naquela tabua – disse Draco inconformado fazendo os dois rirem.

- O almoço será servido a 12:00 em ponto na mesa de cima quando já estivermos ancorados no lugar que o Senhor pediu, Sr. Malfoy – começou Augustus – A viagem até lá ira durar menos de duas horas.

- Muito bem – concordou Draco – Vou levar Hermione para conhecer o Serene por dentro.

- Está tudo limpo e arrumado como fora pedido – continuou Augustus.

- Bom trabalho Augustus – disse Draco lhe fazendo um sinal com a mão como se ele fosse o capitão, Augustus repetira o gesto antes de se retirar.

- Onde iremos ancorar, Drac¿ - perguntou olhando-o.

- Você vai ver e sei que vai gostar – foi tudo que ele dissera enquanto sorria – Vamos lá¿ - perguntou puxando-a para dentro.

- Se esse lugar é imenso por fora não quero nem ver por dentro – comentou Hermione fazendo Draco rir.

Como estavam no topo do navio Draco a conduziu para que descessem por uma escada coberta por um corpete branco, a primeira coisa que Hermione perguntou a ele era qual a necessidade de uma escadaria como aquelas em um navio, mas ele apenas riu, o amplo local onde surgiram fizera com que Hermione arregalasse os olhos assustada pelo que vira, era uma imensa, uma imensa e ampla sala com uma enorme e redonda mesa de madeira escurecida cheia de cadeiras igualmente escurecidas a sua volta, em volta da mesa poltronas beges e no teto um dos mais belos lustres que Hermione já vira em um teto mais belo e chamativo ainda. 

- O que é ali¿ - perguntou apontando para detrás da mesa.

- É só a cozinha – disse Draco dando de ombros – Melhor não irmos ali, as mulheres estão fazendo nosso almoço.

- Ah sim! – concordou Hermione.

Draco a guiou em direção a uma coisa bem grande de vidro, um elevador, agora sim que Hermione arregalou os olhos.

- O que os Malfoy´s tem contra escadas¿ - perguntou – Um elevador, Draco¿

- Gostamos de elevadores – justificou-se Draco.

- Me diga que não pois um elevador na nossa casa¿ - pediu desesperada.

- Não – negou Draco – Não um de acesso total, tem um em uma das minhas partes da casa, mas não vai te incomodar em nada, fiz escadas para você.

- Draco! – exclamou divertida e inconformada.

O elevador não demorou a descer e quando o fez Draco abriu a porta para que saíssem, era ainda maior do que o que parecia ser uma sala de estar do local acima, era uma sala imensa, com um grande sofá em formato de lua e outros moveis bem trabalhados a madeira, do outro lado um pequeno bar com poltronas e do outro mais um sofá virado para as vidraças, era uma sala grande demais até. 

- O quarto fica por ali – disse Draco apontando a ondulação em madeira logo atrás.

Era fato que se surpreenderia com mais um cômodo, como estava se surpreendendo com toda aquela viagem, para a calma de Hermione o quarto não era tão grande, mas muito bem trabalhado e decorado com direito a poltronas, uma mesa com duas cadeiras laterais, uma penteadeira muito bonita que abordava um belo arranjo de flores, a cama era grande e alta seu dossel era divino e seus lençóis recém trocados que cheiravam muito bem, criados-mudos envolta da cama  e em cima deles abajures. Era praticamente uma mansão de luxo. 

- Eu realmente não quero ir lá embaixo, vai que tem uma piscina lá também – comentou Hermione.

- Tem uma academia e uma sauna – Draco disse dando de ombros – Acho que não pensaram na piscina.

- Só tem esse quarto¿ - perguntou o abraçando com suas mãos envolta de seu pescoço.

- Tem mais dois ou três – contou o loiro – Mas não tenho interesse em nenhum dos outros, quero você nesta cama aqui.

- Agora¿ - perguntou Hermione mordendo os lábios.

- Temos uma hora – maroteou ele.

- Então comece logo – disse ela travessa.

 

Só deixaram o quarto vestidos um tanto amassados quando dera meio-dia e sentiram que o iate havia realmente parado, Hermione mal sentiu chacoalhar e nem nada, como poderia sentir se a cama na qual estava antes deitada e nua chacoalhava muito mais sobre os movimentos daquele loiro tarado que era seu marido. Tentou não se envergonhar ao ver a cara maliciosa de Augustus quando subiram, o quarto não possuía porta e eles mal se lembraram daquilo.

- Colocamos a mesa onde o Senhor pedira, Sr. Malfoy – comentou Augustus.

- No terceiro¿ - perguntou Draco.

- Sim, Senhor.

- Ótimo – concordou Draco

- Quantos lugares tem aqui¿ - perguntou Hermione curiosa.

- Muitos – contou Draco – Tantos que eu já nem conto mais – confessou ele – Três salas, sete quartos, cozinhas... Ah e sobre a piscina a algumas no segundo andar...

- Me disse que não tinha!

- No ultimo – defendeu-se ele – Eu não podia correr o risco de ficar sem sexo!

- Draco! – exclamou Hermione envergonhada quando viu Augustus tentar esconder um sorriso malicioso enquanto os guiava.

A mesa que havia sido posto o almoço estava cheia pela metade, seria comida de mais para enche-la e eles só eram em dois, comidas leves como saladas e salmão, estavam no mar e comidas pesadas realmente não seria nada bom. Hermione se deliciou com tudo aquilo, simplesmente amava aqueles sucos naturais e aquelas comidas saldáveis a sobremesa fora a melhor torta de framboesa com sorvete de creme, Hermione comera rezando.

- Podemos trazer a turma aqui – comentou Hermione enquanto estavam na sobremesa – O que você acha¿

- A turma¿ - perguntou Draco com as sobrancelhas arqueadas.

- É – concordou ela sorrindo – Luna, Blás, Gina, Harry, Terencio, Lucy...

- Porque Daphne não¿ - perguntou Draco divertido.

- Não gosto dela e nem ela de mim – disse Hermione dando de ombros – E o Flint, ele... Me olha estranho e da pra perceber que vocês não se gostam muito...

- É talvez nós podemos trazê-los aqui – concordou Draco – Quando você quiser e quando todos puderem.

- Gina vai pirar com isso aqui! – contou Hermione divertida – Vai começar a gritar sem parar espera só para ver!

- Sr. Malfoy, tudo está pronto – anunciou Augustus se aproximando.

- Obrigado Augustus – concordara Draco.

Logo ele se afastara os deixando sozinhos novamente.

- Agora posso ver onde estamos¿ - perguntou ela esperançosa.

- Relaxa, Hermione – pediu Draco divertido – Temos que esperar um pouco e em seguida vamos dar um mergulho.

- No mar¿ - perguntou esperançosa.

- No mar – concordou Draco – Por que não damos um pulinho lá em cima para você ver onde estamos¿

- Mais em cima¿ - perguntou Hermione com os olhos arregalados, morria de medo de altura.

- Sim – concordou.

Subiram assim que acabaram e Hermione pode perceber que quando Draco dizia lá em cima ele estava realmente querendo dizer lá em cima, era o ultimo andar daquele imenso navio, menor do que todos os outros e muito aconchegante a qualquer um que não ousasse olhar para baixo.

Lá não havia muitas coisas, de um lado voltado para o resto do cumprimento do navio espreguiçadeiras de sol, três ou quatro no total, no meio um pequeno bar com algumas bebidas refrigeradas e do outro mais uma piscina menor do que aquela redonda, mas em suas duas laterais em círculos duas hidromassagens e dos lados mais sofás e almofadas, no meio do chão de madeira um grande circulo de vidro escurecido. 

- Quando eu acho que não vou mais me surpreender você me leva para mais um andar – disse surpresa enquanto negava com a cabeça – Isso tem muitas piscinas...

- Ela fica colorida por dentro a noite... Na verdade quase tudo aqui fica, a outra fica nas laterais – contou Draco – É bem bonito a noite.

- Vamos ficar até a noite¿ - perguntou esperançosa.

- Se você quiser – concordou ele.

- Ahh Draco! – pulou no colo dele animada.

 

Perfeição era a discrição perfeita para aquele lugar, a agua conseguia ser ainda mais cristalina do que a agua na casa da praia, tão cristalina que dava para se ver com perfeição a areia e as algas e principalmente os peixes que por ali nadavam, peixes pequenos e coloridos, era como se estivessem em um recife. Hermione ne animou ainda mais quando Draco a levou para o menor local daquele barco, lá havia uma grande toalha estendida com o que parecia ser uma cesta de piquenique que certamente despertaria muitos risos pelo fato de estarem fazendo um piquenique em alto mar, ao lado da cesta um balde de gelo com champanhe e bem próximo dele duas toalhas com um S de Serene bem gravado nelas.

Estavam sozinhos ali, Augustus havia ido para a cabine do capitão e seria quase impossível vê-los de acordo com Draco que maliciou dizendo querer um bom sexo bem ali, ao ar livre, Hermione negara divertida e inconformada.

- Nós vamos nadar¿ - Hermione perguntou com os olhos arregalados.

- Claro – concordou Draco.

- O primeiro que chegar escolhe a posição de hoje – propôs Hermione marota já se livrando dos sapatos e começando a se livrar do vestido.

- Ah sua! – Draco não ficou para trás, arrancou os sapatos e puxou a blusa com tanta força que quase rasgou a mesma.

Draco mal teve tempo de apreciar aquele perfeito traseiro sobre o minúsculo biquíni, estávamos sobre uma intensa disputa ali. Por incrível que pareça os dois pularam ao mesmo tempo e acabaram caindo na agua ao mesmo tempo. A agua que voara fora tanta, não por Hermione, mas por Draco que pulara feito uma bola de canhão naquela agua.

Acabaram voltando a superfície ao mesmo tempo um olhando para o outro, a distancia antes estabelecida pelo pulo fora quebrada por Draco que logo fora se agarrar ao corpo dela, Hermione rodeou as pernas sobre o quadril do mesmo e seus braços ao pescoço.

- Parece que os dois ganharão – maroteou Draco – E então o que faremos¿

- Bem... Vamos escolher uma posição juntos – propôs Hermione.

- Que tal cada um escolher uma posição e fazemos as duas até a noite terminar – a proposta dele parecia bem mais maliciosa.

- Eu topo – aceitou Hermione.

- E você conhece alguma posição¿ - provocou Draco sabendo que ela nunca tinha o feito antes.

- Tenho uma amiga como Gina, acredite ela fez questão de dar uma lista interminável de posições para usarmos na lua-de-mel na frente de duzentas mulheres! – contou ela divertida – Quem vai primeiro¿

- A minha é claro – Draco fora mais do que muito objetivo.

- E para onde foi parar o seu cavalheirismo, Sr. Malfoy¿ - perguntou ela inconformada.

- Estamos falando de sexo, Mon Petit – disse Draco – Nenhum homem que saiba aproveitar um bom sexo lembra do cavalheirismo nessa hora.

- Pois se você lembrar... Será recompensado – sussurrou em seu ouvido maliciosa, chupando seu nódulo logo em seguida, Draco a apertara fortemente pelas nádegas.

Não demorou para que se soltasse dele com facilidade, nadando apressada por aquela imensidão de mar, lá não havia bordas, mas sabia que não poderia ir muito longe, voltara a superfície para buscar ar e mergulhou novamente dessa vez para o fundo, Draco logo a alcançou como um tubarão atrás de sua presa mais fraca.

Hermione tentou recuar divertida, haviam voltado à brincadeira de gato e rato, mas ele a surpreendeu roubando-se um beijo de baixo d´agua, beijar de baixo d´agua era tão diferente quanto fazer sexo na mesma, mas só tinha uma grande diferença, aquilo era romântico, romântico até demais. Que casal nunca sonhara com aquilo, com um beijo embaixo d´agua, não eram um típico casal comum, mas Hermione confessara que aquilo atiçou seu lado romântico.

Quando subiram a superfície em busca de ar novamente os corpos já estavam colados e Hermione o olhava nos olhos, pensando se realmente falaria o que tinha para falar.

- O que foi¿ - perguntou ele confuso pela feição dela.

- Gosto quando é romântico assim – confessou ela com as bochechas rosando levemente.

- Então você gosta de caras românticos¿ - perguntou ele com um sorriso de lado, ela concordou com a cabeça sem olha-lo – Então deve ter se sentido uma azarada quando se casou comigo.

- Não foi para tanto – disse ela divertida – Apenas sabia que você não seria do tipo que me daria flores ou me convidaria para jantar nos fins de semana...

- Se o sexo compensar no final da noite, gatinha, eu faço o que você quiser – garantiu ele fazendo-a rir – Menos ir ao shopping com você carregar compras.

- Você não presta Draco! – disse lhe dando um leve tapa no ombro enquanto ria.

- Eu só amo sexo – defendeu-se – Só isso...

- E se eu fosse frigida¿ - o provocou.

- Eu fugiria de você, certamente – brincou ele – Mas eu não tenho este problema, você é quente e fogosa... – disse lhe beijando o pescoço provocante – Muito fogosa...

Ele não demorou a começar com aquelas grandes mãos, primeiro sobre a cintura fina descendo até as duas amarras do biquíni desamarrando uma delas enquanto a beijava com fogo, quando Hermione sentiu o laço se soltar arregalou os olhos e quebrou o beijo.

- Draco! – exclamou inconformada, tentou amarrar seu biquíni, mas a mão dele estava sobre a pele recém-exposta de seu quadril, ele mal se importava, beijando-a pelo pescoço – Não vamos fazer sexo aqui e se eles estiverem olhando!

- Hermione relaxa... Só vou tirar essa parte – disse entre beijos e chupões no pescoço tão branco.

- Draco... – sua frase se emendará a um alto gemido, Hermione estava prestes a protestar quando ele a tocou, lhe estocando com dois dedos, o maldito sabia como faze-la mudar de ideia.

- Relaxe, meu bem – disse ele – É só uma rapidinha...

 Era incrível o poder que ele tinha sobre si, ele conseguia dobra-la e convence-la facilmente, bastava que ele a excitasse que pronto, já estava entregue a ele em qualquer lugar que fosse. Mesmo que estivessem tentando olha-los com um auxilio de um binóculos, pouco veriam, Draco a cobria completamente com seu grande corpo enfrente ao seu estando de costas para o navio a tapava por completo.

Hermione mordera fortemente os largos ombros brancos quando os dois dedos dele foram substituídos pelo grosso pênis que entrara dentro de si, como amava a sensação de ser preenchida por ele e como ele adorava ainda mais a sensação de estar dentro daquele interior quente, apertado e inteiramente seu.

As estocadas não demoraram a começar, o mais rápido que conseguiam, Draco mexia o corpo de Hermione para fazer os movimentos, o local era fundo ou batia os pés para não afundarem ou focava em estoca-la com força, era rápido, as mãos dele eram rápidas e exigentes sobre o quadril e as nádegas dela e também fazia questão de se mover, Hermione ainda permanecia abraçada a ele, a todo custo evitando de todas as formas mostrar aos outros que estavam fazendo sexo em pleno mar aberto.

Mas sua tentativa fora meramente falha quando sentia-se perto de gozar, nunca conseguia se controlar em uma hora como aquelas, tudo que mais queria era gritar e se agarrar ainda mais a aquele seu maldito marido extremamente bom de sexo. Mordeu os lábios com força evitando gritar, mas ainda soltando um alto e prolongado gemido enquanto tacava sua cabeça para trás e explodia em extasse apertando-o dentro de si, Draco não prolongou, daquele jeito e naquele lugar seria impossível, bombeou fundo e se libertou dentro dela aliviado e ao mesmo tempo descontente, não lhe fora o suficiente.

- Estou com fome – comentou ela quebrando o silencio que se formara em seguir, ainda estavam conectados, Draco riu pelo nariz.

- Então vamos comer – disse ele sorrindo de lado.

- Draco – disse ela.

- Sim¿

- A parte de baixo do meu biquíni – ela sussurrava como se alguém pudesse ouvi-los, apontando com a cabeça a pequena peça que boiava perto.

- Eu pego– disse ele.

Bastou que esticasse a mão para pegar a peça e entregar a ela em seguida saindo de dentro dela para que subisse seu shorts de piscina, ainda a tapando para que se vestisse. Logo nadaram para a borda e Draco subiu primeiro para em seguida puxa-la para cima ajudando-a.

Secaram-se como puderam, mas as poucas roupas de banho estavam ensopadas e não a tirariam. Hermione ficou receosa em se sentar na toalha, mas Draco dissera que ela fora posta ali para isso então acabou se sentando. Como tudo naquele navio o que havia ali dentro era tão leve quanto, uma grande quantidade de frutas bem picadas e lavadas, deliciosos e atrativos cachos de uva, sanduiches apetitosos, frios bem picados. Obvio que continuaria a ser coisas leves, o iate não estava em movimento mais ainda balançava junto a agua.

- Eu estou completamente apaixonada por esse lugar! – exclamou tacando-se na toalha – Essa viagem está tão maravilhosa, Draco.

- É está – ele concordou logo se deitando como ela – E sabe qual é a melhor parte¿

- Qual¿ - perguntou Hermione mesmo que já soubesse a resposta.

- O sexo com você... É incrível – sussurrou malicioso no ouvido dela beijando-lhe o pescoço – Impossível de se enjoar...

- Eu espero que sim... – Hermione deixou escapar.

- Acredite, vou adorar transar com você todos os dias...

 

Uma banheira em uma suíte de um navio, tava ali uma grande ironia, mas era tão obvio aquilo que Hermione nem se impressionou, parecia estar para se acostumar já que nem se surpreendia mais ou talvez já tivesse posto na cabeça que os Malfoy´s são importantes de mais para terem somente um chuveiro no banheiro com a ausência de uma banheira, ao menos Draco não era tão frescurento já que preferiu uma ducha do que um banho de banheira, já Hermione não se opões nem um pouco naquela deliciosa agua.

Não ficaria muito por lá. Ah se não ficaria! Estava curiosa de mais para saber a posição que Draco escolheria primeiro e ansiosa para lhe pedir o que iria pedir, talvez até um pouco temerosa se fosse parar para pensar bem, sentia uma pontada medo do que pudesse descobrir, mas queria como queria aquilo, saciar aquela curiosidade.

Com a pequena bolsinha que trouxera de casa no banheiro tratou de começar a se preparar como gostava de se preparar para ele, os cremes hidratantes em sua pele branca, os cabelos bem penteados e o delicioso perfume sobre sua pele.

Deixara o banheiro completamente e corajosamente nua,  mais esperta ou mais ousada do que antes, sabia que a roupa estaria no chão antes mesmo de contar até três e sua curiosidade era tanta que o que mais queria era começar logo. Ele esteva sentado na cama, tão nu quanto ela, mas ele não era corajoso, ele era safado completamente safado e delicioso.

- Confesso que essa foi a melhor que você usou em toda lua-de-mel – disse ele malicioso.

- Mas não estou usando nada – falou confusa.

- Exatamente – concordou ele – E você sabe o que isso significa¿

- Que a mala estava no quarto¿ - brincou ela.

- Que você já se entregou a mim a ponto de nem mais se importar em aparecer completamente nua e não que eu a deixe – disse ele olhando-a com um sorriso de lado – E eu vou te dizer... Você está deliciosa.

- E o que vamos fazer¿ - perguntou curiosa aproximando-se dele – Qual você escolheu¿

- Eu pensei em deixa-la ir primeiro – disse ele dando de ombros surpreendendo-a – Não por cavalheirismo, quero guardar o melhor pro final...

- O meu não é bem uma posição é... É mais um pedido – disse com coragem – Eu... Eu gostaria que você fizesse comigo como fazia com todas as outras...

- Ham... Como¿ - perguntou ele entre confusão e surpresa.

- Quero que transe comigo exatamente como transava com elas – disse ela encolhendo os ombros.

- Eu não... Transava... Com elas Hermione – disse ele olhando-a – Para mim existe uma grande diferença entre transar e fazer sexo...

- E o que você faz comigo¿ - perguntou curiosa.

- Eu transo com você... Porque... – nem ele sabia responder – Porque você não é como elas.

- Ganho o posto de esposa¿ - perguntou com um sorriso de lado – E você... Fazia sexo com elas como...

- Existem vários jeitos de fazer sexo Hermione... Existem vários tipos de sexo – disse ele dando de ombros, ela o olhava como se ele fosse um professor lhe ditando uma aula – Existe o sexo carnal, o selvagem, o amoroso, transar é diferente do sexo porque é mais calmo menos...

- Bruto¿ - ela perguntou olhando-o.

- De certa forma – concordou ele.

- Eu quero que faça sexo comigo como fazia com elas– ela disse olhando-o, fora a vez de Draco se surpreender.

- Quer mesmo que eu seja o dominador¿ - perguntou olhando-a.

- Eu... Eu quero – concordou ela mesmo sem saber o que era aquilo.

- Eu estava guardando isso para outra hora, mas já que você insiste – disse ele levantando-se.

Hermione acompanhou aquele maravilhoso e malhado traseiro andando pelo quarto em direção ao armário onde suas malas estavam, mas não fora ele quem pegara e sim as duas caixas logo abaixo. Gina...

- Os presentes de Gina – comentou.

- Sim – concordou ele – Esquecemos no iate, Augustus me avisou, mas preferi deixa-los aqui, pensei que não seria necessário...

- Vai... Vai usar um chicote¿ - olhou-o.

- Você sabe o que é um dominador, Hermione¿ - perguntou com as sobrancelhas arqueadas, ela negou com a cabeça – Tudo bem – disse ele lhe entregando a caixa – Coloque.

Concordou com a cabeça e pegara a caixa indo até o banheiro, assim que viu a lingerie pela segunda vez pensou em desistir, mas queria saber, queria saber como era realmente Draco Malfoy na cama e descobriria nem que tivesse que suar aquela vulgar lingerie que a fez jurar matar Gina depois.

A lingerie era de uma renda preta muito bem trabalhada, não era extremamente transparente, mas Hermione não conseguia identificar o que era mais vergonhoso aquele corpete extremamente marcante e aberto sobre seu corpo ou os suspensórios que os ligavam a meia, mas certamente era aquela minúscula calcinha fio dental, vergonhosamente fio dental, terminou de prender as meias aos suspensórios antes de arrumar os cabelos e sair. 

Quando Draco a viu sair do banheiro já vestida sentiu seu pênis saltar livremente sem peças de roupas, em suas mãos o tecido preto. Ela o olhava outrora desviando os olhos para o pênis ereto só de vê-la daquele jeito. Ele se aproximou dela e começara a colocar as correntes de tecido, Hermione não contestou apenas o olhou confusa.

- São algemas, mas o tecido não ira machuca-la – garantiu ele – Se não puxa-lo muito.

- Tudo bem – concordou olhando-o.

- Você está deliciosa – disse ele olhando-a – Tem certeza que quer assim¿

- Quero – disse com certeza.

- Não vai se assustar¿ - perguntou.

- Não sou mais virgem Draco e muito menos inocente e tudo graças a você – ela pareceu lembra-lo – Faça...

Draco olhou-a por alguns instantes, seus dedos tocaram os lábios delicados e bem desenhados. O quanto queria fazer com ela o que estava prestes a fazer, o quanto se segurou, apesar de ter tido boas transas ao lado dela, não era como costumava ter, mas nada com ela era como era antes e gostava aquilo. Do jeito meigo, da inocência, da inexperiência de sua esposa.

A boca dela estava entreaberta, aqueles lábios tão convidativos, como se ela esperasse por um beijo seu. Mas não costumava beijar as mulheres com que levava para cama, ela lhe pedira para ser como era antes então o faria. Hermione se assustou quando ele a virou e a tacou na cama com devida força a fazendo cair de barriga sobre o colchão próxima ao dossel, suas mãos atadas e sua respiração acelerada pela surpresa assim como seus olhos arregalados.

- De quatro – a voz dele saiu rouca, roucamente sensual.

Ela não hesitou em obedecer, já nem mais sentia vergonha daquela posição, as mãos sobre o colchão o mais distantes que aquelas algemas permitiam, suas pernas bem separadas e sua bunda levemente empinada. Sentiu aquele pedaço de couro que era a ponta do chicote passar pela pele livre de sua coxa e por um momento prendera a respiração temendo uma boa chicotada, não sabia se aquilo fazia parte daquela sua fantasia. Mas Draco não a machucaria, nunca o faria, ela poderia ter pedido para que ela fizesse como fazia com as outras, mas não a trataria como as outras, não daquele jeito. O chicote não atingira sua pele apenas lhe afastara mais as coxas e a fizera empinar mais a bunda. A ardência que sentira a seguir em sua nádega esquerda junto a um gemido prolongado que se misturava com o som do estridente tapa que ele lhe dera para em seguida apertar sua nádega com força.

- Você é tão apetitosa – disse ele o rosto bem próximo a delicada nádega.

Hermione gemera novamente quando ele mordera em seu traseiro liso e redondo onde sua pele já estava avermelhada pelo tapa. O que soltara a seguir fora um gemido longo e surpreso quando sentiu a finíssima calcinha ser rasgada de seu corpo sem dó e nem piedade avermelhando ainda mais sua pele. Tacou a cabeça para trás deliciada quando a boca dele fora para seu interior quente e latejante. Céus! Como o queria dentro de si.

- AH DRACO! – gritou exasperada quando ele a penetrou sem avisos antecipados.

Se antes o achava rápido e forte, realmente não saberia distinguir como ele estava naquele momento, não pensou que fosse possível ficar mais rápido ainda. Seu corpo ia para frente com tanta força, mesmo que ele segurasse em seu quadril com mais força ainda, que acabava se movendo um pouco para frente.  Um tapa a fizera gemer alto.

- Gosta disso não gosta¿ - disse lhe dando outro tapa, ela apenas gemeu novamente – Responda!

- S-sim... – gaguejou quase sem voz em meio aos gemidos, ele a estocava com força e vontade que mal conseguia respirar – Ah eu gosto Draco... Ahhhh eu gostooo...

Hermione sentia seu ar falhar, as estocadas eram tão fortes que lhe chegava a doer, toda vez que ele batia forte contra si lhe atingia um ponto tão sensível que lhe envia faíscas de prazer por todo seu corpo. Uma das mãos dele lhe soltara o quadril e a tocou bem naquele ponto sensível que clamava por atenção começando a massagear seu clitóris com o polegar em movimentos circulares poucos delicados como se a fodesse com seus dedos também e quando ele lhe dera outro tapa na bunda fora o suficiente para que explodisse com força gritando o nome dele tão alto que todos naquele iate deveriam ter ouvido. Suas pernas amolecerem e ameaçaram ceder sendo logo impedida por um forte movimento dele em seu quadril.

Mas Draco não parara e muito menos diminuirá, pelo contrario continuava a bater com ainda mais força dentro de si os dedos em seu clitóris mais implacáveis do que nunca não diminuíam sua velocidade, ele a fodia com ainda mais força do que antes. Foram segundos para que Hermione explodisse em mais um orgasmo suas pernas ainda estavam firmes sobre o aperto dele, mas o mesmo não acontecia com seus braços que fraquejaram, seu rosto teria ido de encontro ao colchão, mas ele a puxara com força por seus cabelos a fazendo gemer de dor e prazer, sentiu quando o gozo quente dele lhe inundou por dentro enquanto ele soltava um alto urro.

Hermione caiu daquele mesmo jeito no colchão, a respiração acelerada, as penas e os braços feito duas maria-moles. Ele se jogou na cama de barriga para cima buscando fortes rajadas de ar assim como ela, enquanto olhava para o teto. A castanha se virou sentindo ainda suas pernas moles olhando-o, ele abaixou um pouco o rosto para olha-la.

- Eu nunca pensei que isso poderia ser tão bom – confessou ela, suas bochechas rosadas, mas não pela vergonha – Agora eu entendo porque elas caiam matando em cima de você.

- Não vamos falar do passado, combinamos isso lembra¿ - disse olhando-a.

- Sim – concordou ela sorrindo de lado.

- Acha que aguenta mais uma¿ - perguntou ele – Ainda tem a minha vez.

- E qual posição você escolheu¿ - perguntou curiosa.

- Já fizemos ela, mas não desse jeito – fora tudo que ele lhe disse – Tire tudo, menos as meias – pediu se levantando da cama.

Hermione o obedecera novamente, ainda sentindo seu corpo um tanto tremulo graças aos dois fortes orgasmos, não sabia se aguentaria mais um, mas era um trato e tinha que cumpri-lo, ainda faltava a parte dele.

Quando Draco voltou depois de ter pegado algo dentro de um dos bolsos de sua bolsa, Hermione já havia tirado tudo que ele mandara.

- O que é isso¿ - perguntou ela confusa.

- Confia em mim¿ - ele a olhou nos olhos.

- Confio – concordou.

- Deite-se sobre o colchão de barriga para baixo – mandou ele.

Ela obedecera e bastou que o fizesse para senti-lo se ajoelhar no colchão e puxar suas pernas para que ficasse de joelhos, ainda mais empinada do que de quatro. Sua curiosidade fora decepada quando sentira os dedos dele dentro de si, mas fora por tão pouco tempo, ele espalhou sua humidade pelo buraco sensível e intocado no meio de suas nádegas introduzindo um dedo atrevido. Gemeu em um misto de dor e prazer fechando os olhos com a sensação do novo toque.

- Draco... – gemeu assustada, sabia exatamente o que ele tentaria e sabia o quanto todas falavam que aquilo doía e muito – Eu... Eu...

- Hermione é só relaxar, eu vou lhe fazer sentir prazer... De todos os jeitos – garantiu ele.

- Ahhh... – ela gemeu quando dois dedos dele entraram ali, testando seu buraco tão sensível.

O delicioso cheiro de frutas silvestres preencheu suas narinas, mas mal teve tempo de absorve-lo. Quando Draco substituirá os dois dedos por seu pênis ela gritou de dor ao se sentir tão invadida, lágrimas encheram seus olhos enquanto suas mãos apertavam o lençol com força.

- Tira Draco! Tira... Isso dói! – falava quase desesperada.

- Hermione relaxe – pediu ele beijando-lhe as costas nuas na intensão de ajuda-la a amenizar a dor.

Ele deitou-se sobre ela, estava completamente dentro, Hermione ainda tinha os olhos fortemente fechados enquanto algumas lágrimas escorriam por seu rosto, tentava se acostumar com aquela invasão e ele parecia ajuda-la ficando parado como se a esperasse se acostumar, mas aquilo não ajudava de nada.

- Draco... Mexe... Assim dói – pediu quase sem voz.

O vai e vem que ele iniciara fora mais lento que o mesmo gostaria, não seria tolo de forçar mais ou aumentar a velocidade de suas estocadas, ela já sentia dor e para uma primeira vez como aquela não queria fazer grandes estragos, logo começou a masturba-la os dedos em sua vagina enquanto seu dedão acariciava o clitóris saltado, ela estava tão molhada.

- Dracoooooo.... – ela gemeu tacando a cabeça para trás – Ahhh!

Não demorou para que Hermione explodisse, a dor já não era tão grande o prazer a encobrira por completo praticamente a engolindo. Seu orgasmo só se prolongara ainda mais quando sentira o gozo dele dentro de si naquele lugar tão diferente.

Draco se tacou na cama novamente puxando-a junto a si, assim que Hermione encostara as nádegas sob o colchão lhe doera tudo a aquela área, doera tanto que não conseguira conter uma careta.

- A dor passa depois de um tempo – garantiu Draco afagando -lhe os cabelos bagunçados.

- Eu gostei – confessou ela – Foi diferente... E dolorido... Mas eu gostei. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...