1. Spirit Fanfics >
  2. Eu te odeio, mas te amo - Jori >
  3. Um anjo mau...

História Eu te odeio, mas te amo - Jori - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oieee! Estão gostando da história? Espero que sim, desculpa os erros de ortografia e boa leitura!!!

Capítulo 3 - Um anjo mau...


Fanfic / Fanfiction Eu te odeio, mas te amo - Jori - Capítulo 3 - Um anjo mau...

Jade Pov's 

Logo depois que a aula terminou eu fui pra casa e fiz tudo o que costumo fazer normalmente. 

Fui fazer os trabalhos de escola e lembrei que amanhã a Tori vem dormir aqui na minha casa. Eu espero que seja divertido.

Quando eu termino de fazer os trabalhos resolvo ir dar uma volta em um parque perto de casa. Chegando lá eu comecei a andar distraidamente e sem querer esbarro em alguém, André.

André: Jade?

Jade: Eu mesma.

André: Mora por aqui?

Jade: Sim.

Nós ficamos conversando por um tempo e eu percebi que o André é meu amigo há muito tempo e eu podia confiar nele. Então resolvi matar o que tava me matando.

Jade: Sabe na noite do Sikowits, quando eu disse que tô afim de alguém da escola.

André: Sim, me fala quem é vai.

Jade: Eu vou te falar, mas você precisa prometer que não vai falar nada pra ninguém, pelo menos até eu falar com a pessoa.

André: Prometo, agora me fala.

Jade: É... a Tori.

André: Tori? Vega?

Jade: Sim.

André: Mas você odeia ela.

Jade: Eu faço parecer que odeio, mas não odeio.

André: Eu nunca ia imaginar.

Jade: Eu sei.

André: E quando vai contar pra ela? Você vai contar né?

Jade: Eu vou contar, mas eu não sei como. E até eu saber você não pode falar nada pra ninguém, ok?

André: Ok.

Nós nos despedimos e seguimos nossos caminhos, como eu não queria fazer janta aquela hora eu parei em um restaurante de comida chinesa e fui pra casa. Chegando em casa tomo um banho, me troco e vou dormir.

Tori Pov's 

Depois que eu cheguei em casa tomei mais um comprimido pra dor de cabeça porque tava me atacando. Depois de descansar um pouco a Trina me perguntou se eu queria ir com ela até o shopping, como eu não tinha nada pra fazer eu fui. 

Ela parou em todas as lojas possíveis e torrou o cartão de crédito, mas tudo bem. Nós chegamos em casa tarde então só comemos um sanduíche e fomos dormir.

Dia seguinte:

Eu acordei na hora hoje, me arrumei e fui acordar a Trina. Nós tomamos café da manhã e fomos para a escola.

A aula terminou e graças a Deus que terminou porque tava uma chatice. Eu fui pra casa e passei a tarde fazendo meus trabalhos da escola, quando eram 18:00 lembrei que ia dormir na casa da Jade, subi correndo pra me arrumar.

Jade Pov's 

A aula tava horrível hoje, o professor de matemática é um bocó. Eu fui pra casa da Cat pra terminar um trabalho e lembrei que vou buscar a Tori na casa dela às 19:00, e já eram 17:00. Como eu não queria ficar atrasada terminei o trabalho rápido com a Cat e fui para casa. Chegando em casa comi alguma coisa, tomei banho, me troquei e quando eram 18:30 saí de casa.

Tori Pov's 

Eu terminei de me arrumar e era 18:30, eu desci as escadas pra comer qualquer coisinha na cozinha e fiquei esperando a Jade. 

Trina: Vai sair?

Tori: Eu vou dormir na casa de uma amiga.

Trina: Ok, quer que eu te busque amanhã?

Tori: Te aviso se precisar.

Ouço a campainha tocar, deve ser a Jade. Eu vou até a porta para abrir. 

Tori: Oi! 

Jade: Oi. Vamos?

Tori: Sim. Tchau Trina.

Trina: Tchau.

Jade Pov's 

Eu cheguei na casa da Tori e toquei a campainha, quando ela abriu eu juro que quase caí pra trás. COMO ESSA GAROTA PODE SER TÃO LINDA?!

Nós saímos de lá e fomos para o carro.

Jade: Quer jantar fora?

Tori: Claro.

Jade: Tá bem.

Nós fomos em um restaurante ali por perto e pedimos a comida.

Tori: Vamos jogar um jogo.

Jade: Que jogo?

Tori: Já que passamos tanto tempo brigando, vamos apontar as nossas qualidades. Tem alguma qualidade que você vê em mim?

Tem muitas Tori Vega...

Jade: Você canta bem.

Tori: Obrigada! Minha vez, eu admiro o jeito como você não tem medo de dizer o que pensa.

Jade: Isso não é nada demais.

Tori: É sim, demonstra que as pessoas não tem poder sobre você.

O que ela disse foi meigo demais...

Tori: Sua vez.

Jade: De alguns ângulos, você é bonita.

Digo, de todos os ângulos. 

Tori: Obrigada. 

Jade: Fala que eu sou bonita também. 

Tori: Jade, você é bonita.

Ela fala afirmando.

Eu precisava falar pra ela sobre o que eu sinto eu não aguento mais esconder...

Jade: O-obrigada.

A nossa comida chega e nós comemos enquanto conversamos sobre coisas aleatórias. Quando terminamos vamos para a minha casa.

Tori:  Sua casa é bonita.

Jade: Obrigada.

Tori: Cadê os seus pais?

Jade: Eles não estão em casa, nunca estão. 

Ela não fala nada.

Tori: Bom, porque não assistimos um filme? Pode ser de terror o que acha?

Ela disse tentando me consolar porque percebeu que eu fiquei triste quando falei dos meus pais.

Jade: Tá bom.

Nós fomos assistir o filme, quando estávamos na metade a Tori se assustou com uma parte do filme e pulou no meu colo, me fazendo ficar vermelha.

Tori: Desculpa.

Jade: Tudo bem.

Quando o filme acabou nós sentamos na minha cama e ficamos em silêncio.

Jade: Você quer saber porque eu sou assim?

Ela parece surpresa.

Tori: Assim como?

Jade: Gótica, malvada e cruel.

Tori: Você não é...

Eu a interrompo. 

Jade: Eu sou sim, e vou dizer porque.

Tori: Tá. 

Jade: Todo mundo acha que eu sou um verdadeiro monstro, mas não é verdade. O motivo porque eu sou assim, são os meus pais. Eles não gostam de mim, nunca estão em casa pra ficar comigo, eles acham os meus sonhos bobos e sem sentido, e acham que eu não sou capaz de realizar eles. Um dia eu estava no meu quarto compondo uma música, e meus pais entraram no meu quarto, rasgaram as folhas onde eu estava escrevendo, jogaram em cima de mim e me disseram que eu era burra por acreditar que um dia eu possa realizar algum sonho. Meus pais me destruíram, e agora eu sou horrível por isso.

Tori: Jade, eu sinto muito mesmo. Mas você tem que aceitar que os seus pais estão errados. Você não é um monstro, você não é burra, tá?

Ela segura na minha mão.

Tori: Você é sensacional. 

Eu não pude evitar deixar escorrer uma lágrima do meu rosto, e sem que eu pudesse perceber abracei ela como se quisesse viver naquele abraço para o resto da vida.

Depois nós fomos dormir para ir para a escola no dia seguinte.


Continua...


Notas Finais


Devo continuar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...