História EU TE QUERO MIN YOONG. Yoonseok. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Yoonseok
Visualizações 46
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá. Annio. Obrigado pelos poucos e mas maravilhosos comentários. Aí vai o próximo capítulo.

Capítulo 2 - Você Tem que acreditar em si mesmo.


Fanfic / Fanfiction EU TE QUERO MIN YOONG. Yoonseok. - Capítulo 2 - Você Tem que acreditar em si mesmo.

Algumas horas haviam se passado, até que o sinal soou.

A maioria dos alunos saem, parecendo bois esfomeados... não tem quando você tá perto do curral dos bois, e soltam eles para comer? E eles quando são soltos, saem fazendo um barulhão? É mais ou menos, isso que rolou aqui. Já eu fiquei sentado, esperando o estouro da boiada passar.

- Oi... har... você vai comer? - o Hoseok, que antes estava concentrado em escrever o assunto do quadro, fala derrepente.

- Ha...é... não sei... Não tô  com muita fome... - eu falo meio pausado... sorrindo nervoso. Ele esta olhando para o quadro, ainda terminando de copiar o assunto.

- Se quiser, te pago uma refeição, no Yohansey. ( é o nome de um restaurante, que eu inventei : se fala Iorrânzéi.)

- Aonde? Áh... Eu já ouvi falar desse lugar. Dizem que a comida de lá, é muito boa. - eu falo sonhador... eu escuto um suspiro vindo dele, eu o encaro, e vejo que ele me olha com o queixo apoiado na mão esquerda, enquanto a direita, desenha os contornos do meu rosto no ar... eu o olha interrogativo. - o que está fazendo?

- Só guardando os contornos do seu rosto, sabe, assim não vou me esquecer de você. - ele fala como se fosse óbvio, só que mais parece um louco falando...

- Interessante... mas por que esquecer? Por algum acaso você vai embora? - eu pergunto vendo seu semblante mudar, de alegre para triste.

- Sabe... acho que pra você eu posso contar, são poucos os que sabem... mas você tem cara de que vai guardar esse segredo. - ele me encara sério, eu me sinto totalmente voando. Poxa! Ele mal me conheceu e eu já ganhei sua confiança... - Ok... a 4 anos, eu fui diagnosticado com uma espécie de doença, que ataca e destrói meu coração. E a única coisa que mantém essa doença estabilizada, é um remédio experimental, que é enjetado direto no meu coração, por um cateter. - quando ele fala isso, eu sinto meu corpo falhar, algumas lágrimas ameaçam cair... ele vê meu estado. - Se quiser que eu pare eu paro? - eu nego com a cabeça.

- Continua. - eu peço.

- Tá bem... então, a unica coisa que mantém a doença estabilizada é o remédio e constantes doses naturais de adrenalina, e natural quer dizer, que eu tenho que praticar exercícios físicos, arriscados, levar meu corpo ao limite. Assim meu cérebro, libera a adrenalina natural do meu corpo, mantendo meu coração pulsando... e eu tenho que receber essa carga de adrenalina, de três em três horas no mínimo, mais o máximo e de cinco em cinco. Tem dias que eu vário esse horário. - nesse instante, percebo que ele fala tudo alegre e sorrindo, concerteza, lembrando das aventuras.

- Você parece gostar de se arriscar, não é? - ele ri da minha pergunta, concordando com a cabeça.

- É... mais ou menos, tem dia que eu gosto de relaxar, meu ditado é, aproveite a vida ao máximo, se aventure, mais o médico disse, que a maior dose de adrenalina que eu posso receber, é na hora de tranzar. Tipo, na hora do orgasmo, quando eu chego ao meu ápice, meu corpo libera um choque grande de adrenalina, para eu poder gozar... então, é bem sim.... opa! Acho que falei de mais, não é? Foi mal , você tá vermelho. O que foi? Você está com tanta vergonha assim? - ele ri de mim, de novo... Droga! É claro que eu tô morrendo de vergonha. Eu sou virgem!

- Opá! Você é virgem!? - ele pergunta e exclama ao mesmo tempo. Poxa! Tá tão na cara assim que eu sou um virgem encalhado.

- Perá! So uma perguntinha... você é virgem como passivo ou ativo? - ele pergunta, fazendo eu abaixar a cabeça vermelho, e ele insiste em perguntar... isso já tá me frustando... até que o santinho resolve tirar minha paciência, fazendo eu gritar.

- Sim... caralho! Eu sou virgem de cú e de frente, agora dá pra parar!!!!! - eu grito fazendo ele me olhar arregalado... Não acredito! Eu acabei de falar que sou virgem de tudo, não sou BV... mais o principal é intocado... a mais agora Foda-se! Já falei mesmo.

- Ouo... você é mesmo virgenzão.... meu Deus! Onde você tava enfiado, e não saio pro mundo? Quer dizer... que você nunca teve um orgasmo? Nunca foi fudido, ou sei lá.?.. - esse menino quer meatar de vergonha. Aí, eu mereço... a quer saber, tô com fome sim! Vou comer... eu me levanto, e ando até a porta.

- Desculpa! Eu não quis te constranger. É que... é difícil encontrar alguém tão puro e inocente assim como você, hoje em dia. É que foi um choque pra mim. 

- Tá tá. Agora, sê não ia pagar um almoço pra mim? Porque agora, depois disso, você tá me devendo almoços até o final do ano... - ele me olha, meio intrigado...

- Ok... mas você vai ficar me devendo uma, por eu ter te contado meu segredo... - isso é sério? Ashi! Aff, que saber... tô nem aí. Vou entrar na brincadeirinha dele. Ele vai ver só. 

- Ta! Fechado. - eu estendo a minha mão e ele a dele, assim, fechemos nosso acordo. 

- OK!!! Agora eu preciso que você coma Yohansey. Você vai pirar com a comida de lá. Cara, é muito bom. - ele fala, segurando meu pulso, e me arrastando para fora da escola. 


.  .  .


Quando dou por mim, já estamos em frente ao restaurante. A faixada do mesmo, é toda vermelha e dourada. As janelas de vidro dão uma perfeita visão do interior. Há também orquídeas plantadas na entrada do simples restaurante... mas o que chama minha atenção mesmo, e o cheiro maravilhoso de comida que sai do local, fazendo minha barriguinha roncar de fome, e roncar bem alto, fazendo o Hoseok me olha sorrindo.

- É, ... esse é o efeito da comida daqui. Até eu tô com fome gora... vamos, já tenho meu lugar reservado aqui, para todos os dias. Amo esse lugar... a comida deles e realmente, fantástica, vamos? - ele pergunta já adentrando o local, com um grande sorriso no rosto. Eu vou logo atrás, olhando como o restaurante é bem decorado, aconchegante e familiar. Trás uma sessão agradável a quem entra. O Hoseok, se senta em uma mesa no canto esquerdo ao fundo, que fica em frente a uma janela, e é cercada com algumas flores e quadros... é realmente um lugar perfeito. Ele me vê o olhando, e faz um jesto com as mãos, para que eu me sente junto a ele.

- Nossa... amei aqui. É tão aconchegante e agradável. Chega a me dar mais fome.... - e sorri do meu comentário, quando me sento. - Então, qual é o tipo de comida que eles servem aqui? 

- Básicamente, o melhor da culinária oriental. Comida Chinesa, Japonesa, Tailandesa e claro, coreana... o restaurante, une o ultil a o agradável. 

- Hum... amo comida Chinesa. Sopa de macarrão com beterraba e carne de porco. 

- Ha! Boa escolha! - eu tomo um susto, quando ouço uma voz atrás de mim. Eu viro a cabeça e dou de cara com um senhor de meia idade, usando um uniforme e com um bloco de notas, que tem escrito o que eu acabei de falar... - Desculpe se eu o assustei. Meu nome é Yang Oshima. E quem o senhor seria? Nunca o vi por aqui. 

- Esse é meu novo amigo Yang. O seu nome e Min Yoong. Ele é novo na escola, então eu resolvi pagar um almoço para ele.- o Jung fala. Ufa... me salvou de passar um vexame. Eu me levanto rapidamente e me curvo ao mais velho, logo me sentando em seguida. 

- Gostei dele. É mais educado que  você Hoseok. Olá pequeno Yoong,  tomara que você ensine alguns modos ao Hoseok, que raramente respeita os mais velhos. 

- Que isso Yang. Sebe que eu te amo né, seu velho carente. Mais vai, eu vou querer uma porção média de sushi de salmão e de carpa. Um temaki de algas e creme de carne... e uma temporá de legumes, e trás de sobremesa também dois cremes de lotus e Pitaya, com Chantilly e Cream cheese. - ele anota todo o banquete que o Jung pedio... Jesus! Esse menino come demais.

- Vai querer algo para tomar? 

- Humm? Não sei. Yoong, você quer dar uma sugestão de bebida? 

- Não sei... bem. Eu gosto de batida de morangos. Mais, nós iremos voltar para a escola, não é? - quando eu digo isso, Hoseok sorri malicioso, consertaza tramando alguma. Ai meu Deus! Aonde eu fui me meter com esse garoto? Tô vendo altas merdas vindo por aí. 



Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado. Pois eu só vou postar no final de semana agora, pois tenho que me concentrar nas minhas outras fanfics. Obrigado annyeong.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...