História Eu Tenho Você - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin)
Tags 2kim, Ayuh, Eu Tenho Você, Namjin
Visualizações 13
Palavras 1.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeira Namjin, espero que dê certo ksksks.

Idades dos meninos:
Kim SeokJin: 23 anos
Kim Namjoon: 21 anos

Capítulo 1 - Tenho suas Memórias.


Fanfic / Fanfiction Eu Tenho Você - Capítulo 1 - Tenho suas Memórias.

Quando éramos jovens

Nós éramos os únicos

Os reis e rainhas

Oh sim, governávamos o mundo.

 

 

 

Seokjin acordara em uma situação crítica, cabelos bagunçados, enormes olheiras, sem falar no rastro de baba no canto da boca. Havia tido uma noite mal-dormida, por conta da insônia que andava de mãos dadas consigo desde os dezesseis anos, obrigando-o a rever suas memórias da infância. Felizmente, todas as suas memórias tinham a presença de seu melhor amigo, Kim Namjoon, que fazia parte da vida de Seokjin desde seus cinco anos.

Amava o Kim mais novo com todas as suas forças, ele sempre estava consigo nos melhores e piores momentos, o ajudando e, de vez em quando, dando uns puxões de orelha. Sua mãe o amava também, todo final de tarde o chamava para jantar com a família, pois o considerava como um filho. Então, toda noite, pontualmente as dezessete e meia, a ‘’família’’ Kim se reunia em torno da mesa central e relembrava os momentos engraçados dos dois jovens.

Seokjin cria coragem para sair de sua cama e ir até o banheiro, fazendo lá todas suas necessidades e higiene, acabando por cochilar uma ou duas vezes na banheira mediana. Devidamente vestido e limpo, o jovem desce a pequena escadaria e se direciona a cozinha, encontrando a Kim mais velha à frente a pia.

- Bom dia Seokjin. Acordado tão cedo?- Kim Mi-Cha falava sem olhar para o filho mais velho. Organizava os pratos por tamanho no escorredor de louças, costume que pegou quatro anos atrás.

- Nada fora do comum. Irei sair com o Nam, ok?- Ela suspira pesado, apenas balançando a cabeça em sinal de afirmação ao filho. - Prometo que não iremos voltar tão tarde como da última vez, mas se voltarmos, ele dormirá aqui, se não houver nenhum problema. - Mi-Cha finalmente vira para o Kim, lançando-lhe um olhar triste e cansado. Todos o olhavam assim desde o desaparecimento temporário de Namjoon, que assim como a mania da Kim, havia acontecido há quatro anos.

- Tudo bem meu filho. Vá e volte bem, sim? Diga a Namjoon para aparecer de novo aqui em casa, sinto saudades dele. – Ela força um sorriso. – Diga que irei fazer a carne que ele tanto gosta e que traga Kyung-Seo também, nunca mais nos encontramos.

-Irei dizer sim. Até mais. – Ele deixa um selar na testa da mãe e se direciona a saída da casa.

Sua família havia ficado um tanto peculiar após o desaparecimento de Namjoon. Durou um mês, em outubro de 2013. A mãe de Namjoon, Kim Kyung-Seo, ligou para a família alertando que o Kim havia desaparecido a dois dias, e mesmo que, na época, Seokjin e Namjoon estivem brigados, que não deixasse o seu filho desamparado. Então, na mesma hora, Seokjin saiu para procurá-lo, encontrando o melhor amigo horas depois, sentado abaixo da árvore em que se escondiam dos pais quando eram crianças. Seu rosto estava coberto de hematomas, seu corpo, assim como suas roupas, estavam encharcados, os lábios roxeados e os olhos inchados. O Kim mais velho se pôs a chorar ao vê-lo em tal estado, sendo acolhido da melhor forma pelo abraço molhado de Kim Namjoon.

Desde esse dia, a família de Namjoon e Seokjin nunca mais teve contato, e o mais velho não conseguia se lembrar o que acontecera depois daquele abraço, como se tivesse um tipo de amnésia e depois, quando sua mente voltara ao normal, houvesse apagado todo aquele momento, começando a partir de um grande corte. Depois disso só se lembrava de acordar em seu quarto com Namjoon dormindo tranquilamente ao seu lado. Ah, e como era lindo. Namjoon estava mais lindo do que nunca, os hematomas não se faziam mais presentes, seu rosto agora tinha aparência saudável. Havia perdido aquela magreza que tanto preocupava Seokjin, adquirida após os primeiros sintomas de depressão. Os fios agora tinham brilho e volume e, em seus olhos, não eram mais vistos nenhum rastro de bolsas ou olheiras. Ali o mais velho teve a prova de que seu amigo, agora, estava bem.

Seokjin chegara até o lugar marcado, encontrando o outro Kim sentando um pouco mais ao longe. O lugar escolhido era um galpão abandonado, nunca entendia a paixão do amigo por lugares assim. Assim que seus olhares se cruzaram, o sorriso que Seok tanto amava se formou, junto com um Namjoon se levantando e correndo todo desengonçado até si.

- Hyung! – O maior se agarra ao mais velho, o encarando depois com um enorme sorriso. – Nossa, estava com saudades.

- Nam-ah, nos encontramos ainda ontem. – O mais velho ri- Mas também estava com saudades de você. – E novamente se prende ao abraço de Namjoon.

- Assim você me deixa sem graça.

- E então? – Ele olha para o amigo sem sair dos braços do mesmo. – O que você queria fazer em um galpão abandonado tão cedo com a minha singela companhia?

- Queria te presentear, meu amado. – Ele desfaz o abraço e corre em direção a sua mochila, tirando de lá duas pedras. – Pega.

- Ta, agora me explica.

- Essa – Ele aponta para a mão do Kim. – É a pedra do Sol. A Pedra do Sol possui uma energia vibrante e inspiradora que ajuda a cuidarmos de nós mesmos. Por suas vibrações elevadas e positivas é associada a Deuses benevolentes, a boa sorte e a fortuna. É uma pedra alquímica que nos dá uma profunda conexão com a luz e com o poder regenerativo e vital do Sol. E essa – Ele levanta a sua pedra. – É a pedra da Lua. Essa pedra está profundamente sintonizada com nossos estados emocionais. Ela desperta nossas capacidade psíquicas, aumenta a mediunidade e eleva nossa espiritualidade e também, de certo modo, me faz sentir como se eu nunca fosse sair de minha áurea. É bom.

- Ta. Por que você me deu?

- Porque elas, para mim, são como imãs. Uma depende da outra pra manter o controle e o equilíbrio. Com elas, Seokjin, nós nunca vamos nos perder, sempre que um de nós estiver confuso e perdido, seguraremos nossas pedras e deixaremos com que ela nos leve ao encontro. Certo?

- Certo. – O mais alto abre um sorriso e beija sua pedra.

- Bem, quer conhecer o local? Gostava muito de vir aqui quando ficava sozinho. É meu lugar preferido.

- Um galpão sujo e velho é seu lugar preferido, Namjoon? – Seokjin dá um leve soco no braço do outro.

- Ué, por que não? Seu lugar preferido era o banheiro de deficientes do shopping.

- Yah! Era espaçoso e ninguém nunca entrava lá, ok?

- Você ficava horas lá, Hyung! – O mais velho novamente distribui soquinhos no braço do amigo, que apenas ri.

- Era confortável, ok?!

- Tá.- Ele ri.- Vem, quero te mostrar mais uma coisa antes de irmos. – Seokjin é puxado até uma parede. Haviam várias coisas rabiscadas por Namjoon na mesma, letras de músicas, poemas, o desenho do Sol e da Lua. – Ta vendo isso aqui? – Ele aponta para um lado ‘’limpo’’ da parede.

- Sim.

- Pode ler o que está escrito em voz alta, por obséquio?

- ‘’Meu único Sol, pelo qual aguardo ansiosamente o momento de nosso eclipse. Kim SeokJin.’’

- Isso. Cada estrela que trago comigo, Jin Hyung, são os rastros que deixo para que você não se perca de mim.

 

 

 

 


Notas Finais


Tenho planos ótimos para essa fanfic, espero que me acompanhem até o final desta jornada.
Perdoem qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...