1. Spirit Fanfics >
  2. EunHa - I Choose You >
  3. I Should Believe

História EunHa - I Choose You - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Vcs abandonaram minha fic? :(

Capítulo 14 - I Should Believe


Fanfic / Fanfiction EunHa - I Choose You - Capítulo 14 - I Should Believe

Abro meus olhos após sentir uma vibração irritante debaixo de meu travesseiro. Ou melhor, almofada. Não me lembro de quando dormi, nem como dormi, mas minha última lembrança foram entre mim e Mei Lin, juntos no sofá, ambos nos beijando, eu tentando forçar uma felicidade por ir pro show do DAY6, mas estando triste — e com raiva — por conta de Sanha. Deve ter sido ela, Mei Lin, que me deixou confortável aqui.

Eu sinto muita pena dela… quer dizer, eu sou horrível. Além de ser um péssimo namorado, sou um idiota mentiroso que finge gostar das pessoas que são boas comigo. Eu sou tipo um monstro. Ah, eu sou O Monstro.

Me levanto rápido, quase esquecendo do celular. O tiro debaixo do travesseiro, atendendo sem ver quem me ligava.

— Alô? — pergunto, esperando ouvir a voz de Mei Lin ou outro alguém, mas ouço a voz de Sanha. Eu não quero conversar com ele, eu estou com raiva dele! Deveria tê-lo bloqueado!

— Eunwoo, é sério, me escuta, por favor! — berra ele, quando ameaço desligar.

— Não quero saber de nada que venha de você! — paro antes de apertar no botão de desligar. Sanha parecia aflito, respirando com dificuldade, a voz tremulando. Ok, eu ainda me preocupo com ele, vou abrir uma exceção. — Tá bom, fala de uma vez.

— S-sua namorada — começa ele, o seu telefone fazendo algums sons estranhos, creio que o mudando de lado na orelha. — e-ela não é quem você pensa! Ela veio aqui hoje, na casa do irmão dela, do Myungjun, e falou muitas coisas pra ele, tipo, por favor, amor, acredita em mim!

Paro por um momento, analisando o que o mesmo havia dito.

— Olha, eu… espera, você me chamou de amor??????

Meu coração dispara, quase saltando pra fora do peito. Esse sentimento é horrível, pois sei que ambos namoramos, mas… ambos enganamos nossos namorados? Quer dizer, Sanha ainda gosta de mim. Né?

— E-eu chamei? — Sanha parece se desesperar, prendendo a respiração e soltando um gemido de desgosto. — D-desculpa, foi sem querer! Mas você tem que acreditar em mim! Ela… ela é terrível! Por favor…

Minha mente estava um turbilhão de perguntas, não conseguia raciocinar, nem fazer nada racional.

— Aonde você está? Vamos nos encontrar. — afirmo, esperando a resposta do mesmo calmamente.

— Na casa de Myungjun… — sussurra, acho que para MJ não nos ouvir.

— Ok. Lhe espero no parque de sempre. — desligo. 

Me levanto, meio zonzo, e caminho para fora, sem nem pentear os cabelos, que estavam com a aparência de eu ter acabado de acordar. Ah, não, espera, eu realmente acabei de acordar.

Eu não faço a menor ideia de quando cheguei, mas logo me vejo sentado em um banco de madeira colorido, esperando Sanha. Minhas pernas se moviam sozinhas, eu não tinha mais controle de meu corpo.

E a culpa de tudo isso é uma simples palavra dita errado. Amor.

Em minutos, avisto Sanha se aproximando sorrateiramente, parecendo nervoso, cauteloso. Se senta a meu lado, em silêncio, observando seus próprios pés, que estavam em um all star preto surrado. Sem sua permissão, observo cada detalhe de seu rosto, absorvendo-os e guardando-os para quando precisasse.

— O que era? — questiono, minha voz saindo um pouco fria, esta não sendo minha intenção. Sanha levanta os olhos para mim, meu coração dando um pequeno salto em meu peito, logo se recompondo quando ele começa a falar.

— Sua namorada… M-Mei Lin… Ela é irmã do MJ, ela é uma farsa! Você precisa terminar com ela! — e então, me conta uma história sobre Mei Lin e seus pais, Myungjun e várias outras coisas ás qual não entendi nada. — Por favor, acredita em mim, termina com ela!

— Pra ficar com você? — pergunto em voz alta, sem ser minha intenção, me arrependendo após ter dito.

— O-o quê? — o rubor se espalha pelas bochechas de Sanha, mas este persiste e não desvia os olhos dos meus. — F-ficar com… você? — quando este pronuncia a palavra que se referia a mim, sua voz se acalma, assim como sua expressão. Em um momento, estávamos nos encarando, em outro, ambos aproximávamos nossos rostos cada vez mais.

Eu ansiava por isso, eu precisava desse beijo, necessitava. Eu sabia que era errado, que é errado, mas meu ser todo só desejava sentir seus lábios contra os meus.

Fecho os meus olhos, roçando meus lábios nos dele quando estamos próximos o suficiente, suas mãos descem para minha camisa, que este segura e puxa mais para perto de si, sussurrando:

— Não podemos fazer isso… 

Rio baixo, encostando nossas testas, ainda sem abrir os olhos.

— Porquê? — Antes que Sanha possa responder, colo nossos lábios em um beijo cheio de desejo, ao qual este corresponde.

Aquilo era incrível, nossos lábios eram como um só, eles se encaixavam perfeitamente, como se fôssemos destinados um ao outro. Nossas línguas se cruzavam diversas vezes, e eu já me sentia sem fôlego, mas não queria parar, eu precisava de mais.

Quando ambos damos uma pausa para respirarmos, o olho, lhe lançando um curto sorriso. Sanha me encara de forma estranha, levantando-se bruscamente.

— E-eu sinto muito — diz, logo começando a correr para longe, sua silhueta desaparecendo em segundos do meu campo de visão. 

Mesmo com isso, me sentia maravilhoso. Fecho meus olhos e toco meus lábios com o dedo, relembrando aquele momento, ao qual espero nunca esquecer.

Um bater de palmas e um "parabéns" me assusta, fazendo virar a cabeça naquela direção. Myungjun se aproxima e para em minha frente, colocando as mãos na cintura e sorrindo maléficamente.

— uau, eu estou muito, muito, mas muito mesmo contente com vocês. — afirma rudemente, seu rosto demonstrando raiva e decepção. — Sanha me traiu com você, e você traiu minha irmã com Sanha. — suspira e se agaixa, ficando em minha altura, já que eu permanecia sentado. Me puxa pela camisa, nossos rostos ficando próximos, seus dentes cerrados. — E se eu também for como ela? Se for também "duas caras"?! Bonzinho com quem amo, e um estúpido com os outros. E eu amo Sanha. Mas você, o que você é? Uma pedra no meu caminho! Não sabe o quanto eu batalhei para achar ele, para me socializar com ele, para poder namorar com ele! — sua voz ficava cada vez mais áspera e alta. A sorte é que não havia ninguém por perto, pelo tempo estar frio e com cara de que choveria. — E eu não vou permitir que você me atrapalhe de novo! — Antes que eu possa falar algo, me atinge com um soco forte, que me joga para trás e faz meu nariz sangrar.

Viro os olhos pro mesmo, minha visão tremulando. Antes que dê tempo de reagir, MJ pula para cima de mim e volta a me atingir chutes e socos no rosto e estômago. Tudo doía, inclusive partes que nem eu sabia que existiam em meu corpo. Eu enxergava tudo vermelho, e não sabia quando finalmente desmaiaria. Sangue jorrava por todos os lados, de meu nariz, cabeça, mãos, boca. Eu me sentia um saco de pancadas.

Nunca mais se meta com Sanha ou comigo, está ouvindo?! — berra o garoto, me atingindo com algo duro na cabeça, que me dá uma dor aguda, e me faz cair de costas. Ficava cada vez mais inconsciente, meu corpo tremendo, até que tudo, mais rápido do que imaginei, se transforma em um borrão e caio no mundo preto, onde a dor havia sumido, mas meu coração continuava partido.


Notas Finais


não se preocupem, eu nunca mataria o eunwoo, k.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...