História Eureka - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Eureka, Jungkook, Shortfic, Taehyung, Taekook
Visualizações 3
Palavras 2.129
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quero deixar explicito que a fanfic é inspirada em "O Perfume da Memória", de Oswaldo Montenegro.

O filme está completo no Youtube.

Conta justamente sobre duas desconhecidas que passam a noite juntas, é tão poético e lindo que sou completamente apaixonada por este filme, me encanto toda vez com as poesias, a música e os sentimentos infinitos. O assisti pela primeira vez há alguns anos e sempre quis escrever algo inspirado, pensei recentemente "por que não Taekook?" e aqui estou eu.

Claro que recomendo que assistam ao filme, a fanfic é realmente uma inspiração, eu coloquei algumas cenas bem parecidas, de certo, as minhas cenas favoritas do filme, tentei manter a essência da obra, porém também quis manter a essência Taekook de Eureka.

Capítulo 1 - Visita Surpresa


Fanfic / Fanfiction Eureka - Capítulo 1 - Visita Surpresa

31 de agosto de 2018.

Jungkook estava jogado no sofá da sala usando somente uma calça moletom, enquanto um som de hip hop vibrava pelos seus fones. Aquele dia era perfeito para relaxar, em poucas horas seria seu aniversário e não teria que se preocupar com seu trabalho no dia seguinte, seu chef generoso achou que jovens como Jeon Jungkook devem aproveitar seus aniversários em baladas e beijando quantas meninas quisessem, enquanto ficam completamente alcoolizados, não se lembrando de nada no dia seguinte. Completamente contrariado Jungkook aceitou a folga, mas já pensando que colocaria toda aquela pilha de livros, que deixou acumular, em dia.

O garoto se perguntou se não era triste de mais não ter um plano de aniversário, além de ler e escutar suas músicas favoritas. Já foi mais comunicativo em seus 20 anos, que em breve se tornariam 21, mas Jungkook poderia contar nos dedos quantas pessoas ainda continuavam ao seu lado. Com o passar dos anos, após se mudar para a capital, o contato ficou escasso com seus amigos de Busan, além de sua familia, somente três ou quatro garotos, que estudaram com Jungkook em sua época de escola, ligavam ou mandavam mensagens periodicamente. E Jungkook se sentiu triste. Logo os palavrões que gritavam em seus ouvidos pareciam longe de mais para serem escutados.

Esse sentimento de solidão não era novo, parecia vir de brinde com a vida adulta, junto com as dúvidas e medos. 21 anos. Jungkook se perguntava onde estavam esses 21 anos que lhe foram roubados. Ele se sentia violado por si próprio. Passou 21 anos com medo de viver, e não viveu. As lembranças de quando negava uma aventura maior quando era adolescente vinham a tona, se tivesse aceito fugir de casa para beber com os amigos aquele dia talvez fosse diferente hoje. Vários "se's" passavam em alta velocidade na sua mente, mas Jungkook sabia que não adiantava viver em lamentações.

A decisão veio rápido, junto com a animação batendo forte no peito: Ele iria aproveitar seu aniversário. Mas como?

E então seus segundos de euforia se dissiparam. Jungkook afundou mais uma vez no sofá, procurando a posição mais confortável possível, porém até isso parecia difícil, tudo parecia errado naquele momento.

Jungkook arrancou os fones ao mesmo tempo que levantava bruscamente do sofá, ocasionando uma tontura, mas rapidamente se sentiu melhor, seguiu para a cozinha para tomar um copo de água, afim de espantar aqueles pensamentos que o estavam deixando tão para baixo.

Passou pelo balcão da cozinha e abriu sua geladeira, logo com a garrafa de água em mãos procurou um copo em seu armário. O líquido gelado molhou seus lábios, logo passou pela sua língua e seguiu até sua garganta o refrescando finalmente. Respirou fundo. Deixou o copo de vidro em sua pia perfeitamente limpa e deixou a cozinha para trás, pronto para ir ao seu quarto.

Ding Dong.

Jungkook parou bruscamente no meio da sala quando escutou a campainha tocar. Seus olhos foram diretamente até um pequeno relógio perto de sua televisão. Quem estaria ali no ápice das dez horas da noite?

Jungkook seguiu desconfiado até a porta, ansioso e em passos leves, preocupado com quem estaria do outro lado. Pelo olho mágico Jungkook pôde ver um garoto de cabelos tingidos de azul, até então parecia inofensivo, Jungkook não fazia ideia de quem fosse, mas seus pensamentos de finalmente não ter medo de viver o preenchiam e a vontade de abrir a porta para aquele estranho foi maior que qualquer preocupação.

Jungkook passou a mão pelo molho de chaves que continha um chaveiro de um coelho azul qualquer, que ganhou de sua sobrinha, e destrancou a porta ainda desconfiado, mas com a ansiedade de saber no que aquilo daria, Jungkook puxou a porta lentamente, e os pares de olhos castanhos se encontraram.

Foi estranho para Jungkook, naquele momento, a queimação que surgiu em seu peito. Por quinze segundos os dois se encararam, por quinze segundos os dois não disseram nada, por quinze segundos uma vida havia se passado diante dos olhos de ambos, mas a realidade tomou conta e tudo aquilo parecia estranho de mais.

— É... Olá! — o garoto de cabelos tingidos disse e se curvou rapidamente. — Me desculpe, eu sou o Taehyung, eu não deveria estar aqui, mas não tive escolha.

— Desculpe? — Nesse momento foi a vez de Jungkook de se desculpar, pois estava confuso com toda aquela cena.

— Jimin, Seokjin e Namjoon estavam planejando uma festa surpresa... Era para eles chegarem hoje, mas não conseguiram sair de Busan a tempo, então só vão chegar amanhã... — Taehyung dizia mordendo os lábios pelo nervosismo. — Me chamaram, porque achavam que seria legal nos conhecermos para me incluir no grupinho de vocês...

— E então... — Jungkook ficou singelamente feliz pelo comentário da surpresa, deixando-o ansioso para o dia seguinte.

— Eu vim de Daegu para Seul, para encontrar os meninos e vir até você, mas não deu... — Taehyung fechou os olhos e suspirou. — Pensei em ir até algum hotel para não estragar a surpresa e só vir depois, mas no primeiro hotel barato que eu entrei, eu encontrei duas baratas em cima da cama. Era imundo.

Jungkook se permitiu sorrir da situação de Taehyung, mas logo se manteve sério, esperando que o outro continuasse.

— Eu achei que tudo bem eu vir pra cá. Pensei que fosse melhor que aquela espelunca, e realmente... — Jungkook ficou confuso com o comentário, mas a verdade é que Taehyung estava feliz de ter a oportunidade de ficar perto de alguém tão bonito como o Jungkook.

— Como vou saber se você não está aqui para me enganar e assaltar minha casa? — Jungkook disse brincando. — Sabe? Não é comum eu deixar estranhos entrarem.

— Eu estou falando a verdade! — Taehyung se desesperou. — Posso te mostrar uma foto que tirei com os meninos há duas semanas, olha!

Taehyung tirou rápido o celular do bolso, em segundos pôde encontrar na sua galeria, seu álbum de fotos favoritas, lá estava ele junto dos outros meninos.

Mal sabe o garoto de cabelos tingidos que aquela foto afetou Jungkook profundamente. Já fazem alguns meses desde que o contato com seus melhores amigos fosse limitado a mensagens e ligações. 

A presença de um completo estranho ainda incomodava Jungkook, por isso pediu cinco minutos para o garoto de cabelos tingidos, para que pudesse fazer uma ligação.

— Fala, pirralho! — Seokjin disse do outro lado da linha.

— Quem é Taehyung? — Jungkook perguntou rápido, mas ansiosa, esquecendo de fechar a porta e não percebendo que o garota escutava tudo dali com uma expressão inocente .

— Por que está me perguntando isso? Por acaso... Ah, não! Kim Taehyung! — Seokjin gritou, fazendo Jeon afastar seu celular da orelha, seu grito foi alto o suficiente para que Tae escutasse dali.

— Hehe, desculpa... — Tae disse encolhendo os ombros com as bochechas rosadas pelo constrangimento.

— Ok, depois conversamos — Jungkook suspirou. — Vou fingir surpresa quando chegarem amanhã.

Agora que Jungkook sabia que o cara ali não era um farsante tentando assaltar sua casa ele bufou frustrado e só abriu espaço para que Taehyung passasse.

Taehyung analisou tudo atentamente enquanto Jungkook trancava a porta.

Taehyung deixou seus sapatos próximos a porta e carregava uma mochila preta, que só o vendo de costas, Jungkook foi capaz de perceber.

— Então... Você dorme no sofá, e pode mexer nos armários e geladeira se sentir fome, o banheiro fica no final do corredor. Eu já estava indo me deitar. — Jungkook disse rápido, tentando quebrar o clima estranho que havia iniciado, mas Taehyung parecia longe demais analisando cada detalhe do apartamento. — Ok?

— Desculpa... — Taehyung disse confuso, e sua expressão foi extremamente fofa para Jungkook, fazendo-o sorrir brevemente e virar o rosto para outra direção.

— Só fique a vontade. Eu vou dormir. — disse por fim e então Jungkook seguiu até seu quarto.

Durante todo o caminho, Jungkook se sentiu observado, Taehyung não conseguia tirar os olhos das costas do garoto, e até fechar a porta Jeon não havia percebido que prendia a respiração, ter um completo estranho dentro de casa pode dar dor de cabeça.

Jungkook deitou na cama de casal, que normalmente só é ocupada por ele — é raro para o garoto trazer parceiros para casa, seu único namoro foi com Min Yoongi, se conheceram na universidade, durou pouco devido a insegurança do mais novo e Jungkook viu que talvez não fosse bom para relacionamentos —, suspirou, encarou seu teto branco e em seguida analisou seu quarto. Os piscas-piscas que iluminavam todo o ambiente de forma bonita agradavam os olhos de Jeon, as fotos penduradas, algumas ainda de Yoongi, porque querendo ou não, o garoto foi importante para Jungkook, e ainda outras fotos de família e amigos.

Jungkook se perguntou o porquê de seus amigos nunca comentarem sobre Taehyung, mas suas lembranças indicam que Taehyung, sim, já foi tópico de algumas conversas, mas Jungkook não se importou, ou pelo menos tentou, o ciúme e a inveja de ter alguém novo no grupo o deixavam bravo, como se estivesse sendo substituído.

Jungkook suspirou e afundou mais no travesseiro.

Seu celular seria importante agora, mas deixou-o no sofá da sala, o constrangimento que seria ir até lá com a presença de Taehyung falou mais alto e então tentou dormir.

~~~~~~

"cryyyy me a river..."

— Mas que merda... — Jungkook acordou atordoado e pela janela percebeu que ainda nem havia amanhecido. O som vindo da sala fez Jeon levantar assustado.

O moreno pegou uma camiseta que ficou jogada em sua cadeira da escrivaninha desde hoje cedo, quando a tirou pela manhã.

Saiu do quarto e o volume se tornou mais alto, ainda meio atordoado, pode ver Taehyung sentado no chão, encostado no sofá e o som de uma música desconhecida saindo de seu celular em cima da mesa de centro, o garoto de cabelo azul tomava um copo de leite enquanto encarava a televisão desligada.

— O que significa isso? — Jungkook tomou a atenção de Taehyung.

Tae se levantou assustado e a música continuou tocando.

— Me perdoa! Alto demais? Ai, minha nossa! — Taehyung pegou seu celular rapidamente e a música parou. Voltou a encarar Jungkook com um olhar de culpa, mesmo sem perceber, Jungkook o encarava de volta com uma expressão enraivecida. — Eu não quis te acordar! me perdoa mesmo!

— Por que você está escutando música alta... — Jungkook olhou no relógio por alguns instantes. — Quase meia noite?

— Desculpa, eu só...

E foi em um movimento nervoso que Taehyung fez com que o copo de leite caísse. Os cacos de vidro espalhados junto do líquido branco fizeram ambos arregalarem os olhos, Taehyung pensava em todas as formas possíveis de ser punido naquele momento, talvez fosse expulso e tivesse que voltar para o hotel imundo que viu mais cedo. Já Jungkook, completamente sem paciência, suspirou fundo e fechou os olhos, porque não queria começar uma briga ali por um copo de leite, mas a verdade é que Taehyung todo estava o irritando.

— Só... — Jungkook abriu os olhos e sorriu quase tão forçado que ficou assustador. — Me deixe limpar isso.

Jungkook passou por Tae com cautela para não pisar nos cacos, este que estava todo arrepiado e com medo, se punindo internamente pelo o que acabou de acontecer. O moreno chegou a cozinha e pegou um pano que ficava sobre o balcão, jogando-o sobre o ombro. Foi até uma pequena porta que levava a um armário com vassouras e saiu de lá com uma pá pequena, junto de um rodo.

— Certo... — Jungkook começou enquanto chegava perto do garoto nervoso na sala. — Segura essa pá que vou empurrar os cacos, o excesso nós tiramos com o pano.

Taehyung apenas assentiu e os dois começaram o trabalho dolorido de mais para as costas de ambos, enquanto Tae estava abaixado segurando a pá, Jungkook curvou-se levemente para empurrar com o rodo e assim seguiu-se por alguns minutos.

Agora, com o pano Jungkook enxugava chão, os dois de frente um para o outro, porém Taehyung apenas observava de joelhos, ele tinha palavras entaladas na garganta, mas o medo de falar com o cara concentrado em limpar qualquer resquício de leite era maior. Contudo, ele tinha que tentar, de alguma forma.

— Jungkook, meia noite.

— E ai? — ele apenas continuou seu trabalho.

— Feliz aniversário.

Duas palavras que fizeram Jungkook travar no lugar e toda a raiva que sentia por Taehyung até aquele momento se foi, dando lugar para um sentimento de gratidão. Ficou especialmente feliz por Taehyung ter lhe dado os parabéns, lembrou-se de quando passava a noite com seus amigos no seu aniversário em casa, do quanto era incrível acordar e receber feliz aniversário das pessoas que o faziam tão feliz, do quanto sentia falta da sua família e amigos, mal podia esperar para os meninos chegarem mais tarde.

Ele ainda não encarava Taehyung, este não poderia ver o sorriso que preenchia o rosto do moreno, Jungkook apenas voltou ao trabalho e respondeu simples:

— Obrigado.


Notas Finais


A música que Taehyung estava escutando se chama "cry me a river" da Julie London.

PS: vocês prestaram atenção na primeira vez que os dois se olharam???? A reação dos dois???? Acho que até o último capítulo eu digo para vocês o que eu estava pensando ao escrever aquele momento. hehe.

PS2: não deixem qualquer estranho entrar na casa de vocês assim, ok? kkkjsks


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...