1. Spirit Fanfics >
  2. Eurielle >
  3. Sangue

História Eurielle - Capítulo 30


Escrita por:


Capítulo 30 - Sangue


Fanfic / Fanfiction Eurielle - Capítulo 30 - Sangue

Após a morte de Ofun... Lucas fez um enterro digno de um rei.

O seu exército, o povo que o idolatrava choraram juntos, eram dias difíceis de luto por um homem que conquistou todo um reino e ali ninguém lembrava a sua cor, sua origem, apenas sua grande honra e bom coração. Ele continuou o trabalho de Pedro e ao lado de Lucas deu tempos felizes ao reino.

Ofun foi enterrado ao lado de seu pai Pedro.

Augustus queria procurar a mãe que andava desaparecida desde a morte de seu pai, mas Lucas pediu pra que não fosse. Eurielle era assim indomável.

Lucas contou a verdade a Augustus, ele não recebeu muito bem, era algo difícil de acreditar e se afastou de Lucas, de todos.

A falta de seu pai era avassaladora e saber que o homem que amava não era seu pai doía.

Afonso sentia falta do amigo/irmão, Augustos não ia mais ao palácio e se isolou na fazenda.

Luiza tentava auxiliar Lucas nos cuidados com o reino e cuidar dos irmãos que assim como ela sofriam muito.

Luiza caminhou até o quarto de Augustus, ele mal saia de lá.

Augustus estava sentando em frente à janela olhando a paisagem: "Por favor, saia! Não quero conversar agora!"

Luiza entrou e se sentou na cama dele: “Eu sei que dói e a ausência da mamãe também não ajuda, mas o reino precisa da gente, os reinos vizinhos estão se unindo para nos atacar. Papai não gostaria que deixássemos o rei sozinho”

Augustus gritou: "Ele não é meu pai...” – lagrimas escorriam pelo seu rosto – “Eu não era filho dele!” - falou com tristeza.

Luiza: “Não diga isso! Lembro quando éramos pequenos e a mamãe falava que você amava mais ao papai do que ela porque era pra ele que você sempre corria primeiro!” – sorriu com a lembrança.

Luiza caminhou até Augustus e colocou a mão no ombro dele tentando conforta- lo.

L: "Tem certeza que quer ir por esse doloroso caminho? Olhe pra mim Augustus” - Augustus estranhou, ela raramente falava tão calma e a olhou, ela estava com o rosto cansado, ela também sofria, mas ao contrario dele, ela estava lutando pelo reino que seu pai tanto defendeu – “É tão importante mesmo o sangue, meu irmão?"

Augustus olhou aqueles olhos verdes dela e só ali percebeu o que havia dito, amava tanto Luiza que nem lembrava que não eram irmãos de sangue.

L: "Papai já o tratou diferente de mim ou de Misandra? Eu ao contrário de vocês sempre fui desobediente. Lembra como eu fazia travessuras? E mesmo assim ele sempre me amou e eu sou a única aqui não tenho sangue de ninguém" - sorriu ao lembrar-se de sua infância ao lado do pai.

Augustus a abraçou com emoção.

A: "Como eu poderia esquecer? Você sempre criando o caos, envolvendo eu e Afonso nas suas terríveis brincadeiras. Deixando mamãe e as criadas loucas. Acho que só papai achava graça das suas artes” – beijou a cabeça dela que estava em seu peito – “Desculpe-me, Luiza! Você está certa, papai sempre nos amou. Não teria como ter pai melhor. Sangue não significa nada quando há amor!” – e apertou em seus braços.

E ali nos braços do seu amado irmão ela desabou: “Eu sinto muito a falta dele" - os dois ficaram abraçados e choraram.

...

Augustus e Luiza mais calmos conversavam.

L: "Afonso está muito preocupado com o rei. Alias tio Lucas não esta bem, ele ate tenta esconder, mas... dá pena. Eu sei que é difícil, mas precisamos ajuda-lo, ajudar o reino. Sei que você ama papai, mas ter outro pai que também te ama não me parece errado. Papai amava Lucas"

A: “Quando foi que você amadureceu tanto, minha irmã?” – bagunçou os cabelos dela, um gesto carinhoso que fazia desde quando eram crianças.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...