História Eu,você, dois problemas e um assassinato - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Ansatsu Kyoshitsu (Assassination Classroom)
Personagens Kaede Kayano, Karma Akabane, Koro-sensei, Nagisa Shiota, Personagens Originais
Tags Asano, Assassination Classroom, Karma, Karmagisa, Nagisa, Yaoi, Yuri
Visualizações 205
Palavras 1.891
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie
Estou aqui especialmente para dizer que esse capítulo me destruiu, e que eu tô no chão.
Ah e tb eu queria falar que a Care (minha amiga) me mostrou umas músicas (maravilhosas) hoje de manhã e eu meio q me inspirei nelas p escrever o capítulo ^-^ então se quiserem ler ouvindo essas músicas...
Eis que elas são:
Love is a bitch
What is love?
Feel something
Don't you know
Sad boy

Capítulo 23 - Tempestade


POV Nagisa

Depois daquela noite tudo parecia mais cinza,e apesar de eu querer que o tempo voltasse,parasse, isso não aconteceu.A vida continua,porque por mais doloroso que seja você segue machucado,a vida não é gentil nem espera.

Na escola eu evitava falar com todos,evitava olhar para os olhos das pessoas com medo de que elas soubessem a verdade do por que eu estava assim.

Já havia se passado alguns dias,e uma aluna nova chegou,um rôbo,ela me deu dor de cabeça,mas infelizmente não calava meus pensamentos.E como isso é Ansatsu Kyoushitsu uma historinha aparentemente feliz e engraçadinha toda a turma resolveu ajudar ela a ser mais "humana".

Não que eu não gostasse da garota,Ritsu,mas...estava em um conflito tão grade dentro me mim que não poderia ajudar nem a mim mesmo.

O tempo era como eu sentia que ele estava,cinzento,com uma tempestade que nunca caia.No meu tempo livre eu ficava em casa,deitado na cama,ouvindo música e olhando para o céu nublado.Comecei a ter pensamentos que me perturbavam,tiravam meu sono,me faziam delirar com as possibilidades.

Talvez ele esteja certo e isso seja tudo culpa minha,se eu não tivesse negado ele,ou se eu não tivesse romantizado tanto na minha cabeça algo como sexo,se eu tivesse deixado ele entrar na minha casa na primeira vez que ele foi lá,ou se eu tivesse sido estuprado,ou se... são tantos "se" que não consigo lidar com isso,mas o fato é que realmente a culpa é minha,eu poderia ter feito tantas coisas para que nosso relacionamento não acabasse como acabou,mas eu não fiz NADA.

Então eu queria pedir perdão para ele,queria ele de volta,eu não queria mais ninguém,eu só quero ele.E eu chorei todas as noites dessa semana,todas as intermináveis noites eu chamava o nome dele baixinho como se isso fosse trazer ele de volta para mim.

Até que em uma das noites minha mãe se irritou com meu choro alto e ela foi até meu quarto e me jogou da cama me batendo tanto que além de hematomas fizeram-se cortes,e quando ela saiu do quarto eu estava no chão sem conseguir parar de sorrir.

A dor era boa,me distraia,me fazia sentir como se estivesse pagando uma dívida,era uma sensação maravilhosa,era...libertador.Então eu chorava todos os dias o mais alto possível na esperança de ela vir e me bater,até que ela foi viajar a trabalho e eu tive que descobrir outras formas de me sentir tão bem.

Eu parei de comer,caminhava em ruas perigosas até estar exausto de mais,dormia no frio,mas quanto peguei no estilete não consegui.Então chorei mais e mais por ser tão fraco,como ele iria querer alguém assim como eu?nem eu me queria,olhando no espelho percebi o quão horrível era.

Percebendo que eu tinha perdido peso Kayano veio conversar comigo em algum dia monótono.

-Nagisa você está bem?

-Claro -forcei um sorriso.

-Você perdeu peso,está mesmo tudo bem?

-Ah sim,claro,eu vou me esforçar para me alimentar melhor se isso te preocupa.

-Hum

Então eu me levantei para sair da sala e ela perguntou o que eu mais temia ter que falar.

-Como está o seu namoro?Karma anda se comportando certo?

Engoli em seco,eu conseguiria mentir sobre isso? não impota eu preciso.

-Está tudo bem.Karma...é um ótimo namorado.Tchau Kay -então eu sai correndo chorando pela mentira que eu queria tão desesperadamente acreditar.

Cheguei em casa com as lágrimas já secas na minha bochecha.Eu preciso dele aqui,quero que ele me ame como eu amei ele,quero que ele volte atrás e mesmo isso sendo egoísta da minha parte,por que ele está melhor sem mim,mas não consigo parar pensar que quero ele de volta,custe o que custar.Ele falta muito,então mesmo que fosse corajoso seria difícil me aproximar.

No dia seguinte ao que a Kayano conversou comigo Sugino também veio falar comigo.

-O que está acontecendo Nagisa? - ele perguntou sentando na minha frente e apoiando o rosto na mão.

-Como assim? - me fiz de burro.

-Você não está bem,é evidente -ele virou um pouco a cabeça para o lado.

Não falei nada,por mais estranho que pareça era mais difícil mentir para ele.

-Fala comigo.Depois que eu desmaiei naquele dia...algo sobre isso está te perturbando? você pode me contar.Só por favor fale comigo.

-Não é isso,não é exatamente disso -que droga,porque eu fui abrir a maldita boca? agora quase não consigo segurar as lágrimas.

-V-você está bem? - então assim que ele falou isso eu estava perdido.

A turma toda já havia ido embora,inclusive os professores,e isso era bom,porque eu simplesmente joguei toda isso no Sugino sem ao menos medir as palavras.Chorei e devo ter falado coisas sem sentido,mas ele estava lá e segurou minha mão até eu me acalmar.

-Então...você e Karma estavam namorando?

Com certeza ele tinha entendido menos coisas do que eu pensava que ele tinha entendido.

-É.

-Uau

-Está surpreso?

-Um pouco,confesso que é estranho imaginar.

Assenti com a cabeça esperei por mais perguntas,mas elas não vieram e eu meio que estava grato por ser poupado disso.Andei de volta para casa com a cabeça nas nuvens,e me assustei quando um ombro esbarrou no meu.Olhei assustado para o lado.

-Você está horrível Nagisa - falou Asano -deveria ir ao hospital depois.

-Não.

-Não?

-Não.

-Você que sabe então - ele ficou bravo e cruzou a rua sem dizer mais nada.

Cheguei em casa e resolvi faltar aula no dia seguinte.De tarde tive visita.

-Oi - falou Sugino da porta.

-O que você está fazendo aqui? - a claridade que vinha do lado de fora me incomodava profundamente.

-Nos vamos ao hospital - dá até para imaginar de quem foi a ideia de fazer Sugino me convencer a ir ao hospital.

-Eu não quero - comecei a fechar a porta na cara dele,mas ele me impediu com facilidade.

-Não perguntei se você queria.

Então nos acabamos indo ao hospital,a enfermeira me levou á um quarto,me fez tirar as roupas para usar aquela camisola de papel horrível,me examinou e me mandou descansar um pouco enquanto me fazia perguntas,eram perguntas comuns,mas ela me chocou fazendo um comentário.

-Que raro,mais um aluno desse colégio aqui hoje,me pergunto se vocês se conhecem...

-Quem está aqui?

-Um garoto de cabelos ruivos deu entrada faz uns 15 minutos,parece que se envolveu em uma briga e acabou com uns cortes,acho que está a uns 3 quartos daqui.

Não acredito,ele esta aqui?eu preciso vê-lo,preciso concertar as coisas,não aguento mais toda essa culpa,quero ele de volta.Mesmo que eu me odeie pelo resto da minha vida,eu preciso fazer isso.

-Você o conhece? 

Neguei com a cabeça para evitar perguntas.Assim que ela saiu do quarto esperei e fui para o quarto que a enfermeira tinha indicado,abri a porta e entrei,me deparei com Karma deitado na cama de hospital com os olhos fechados e sorriso satisfeito.

POV Karma

Desde aquela noite tenho voltado as origens e estou amando isso.Bom,pelo menos foi isso que disse á mim mesmo,mas eu sabia a verdade.A verdade era que eu estava fugindo desde aquele dia da culpa.Eu tentei me convencer do que disse para ele naquela noite,que a culpa era dele,mas tudo que via quando repassava essa cena na minha cabeça era um tremendo mentiroso.

E eu menti.Menti para Akio quando coloquei a culpa da minha forma distorcida de amar nos meus pais,menti quando falei aquilo para Nagisa e até hoje minto para mim mesmo tentando desesperadamente fugir da culpa,do remorso e de toda a verdade.

Mas eu prefiro mentir para mim mesmo do que assumir meus erros,porque eu estou cansado de me sentir triste e sozinho.Busquei conforto em amantes ruins,drogas e bebidas baratas e principalmente em brigas de rua.Me distraia assim e fingi gostar até realmente estar gostando de fazer essas coisas.

Então finalmente eu me meti em uma briga em que sai machucado,fui para um hospital para levar alguns pontos em um corte no braço.A enfermeira saiu para resolver uma emergência me deixando sozinho no quarto branco.

Era o espaço mais calmo que estivera em tempos,e isso era ruim,porque fitando o teto só conseguia pensar em seu cabelo azul,em seu corpo,em seus melhores momentos que com certeza mereciam ter sido fotografados.

Fechei os olhos tentando fugir de todas essas cores que pouco combinavam com a tempestade que estava se formando nesse exato instante  do lado de fora da janela.Mas mesmo com meus olhos fechados só conseguia pensar no que ele deveria estar fazendo nesse momento,e sorri pensando nele,mas o sorriso cessou assim que me lembrei que ele deveria estar bem melhor sem mim.

Talvez agora estivesse com algum outro amante,se divertindo na cama como eu estivera na noite passada.Me odiei por pensar nisso,mas isso era impossível,não havia como eu me odiar mais.

Senti um cheiro bom,algo conhecido e quando abri os olhos ele estava lá,bem do meu lado.

-O que -tentei fazer a pergunta começando a me sentar,mas ele pôs a mão no meu peito me obrigando a deitar de novo.

-Quieto -ele foi até a porta e trancou-a com a chave que estava na fechadura.

-Mas o que você está fazendo???

-Eu mandei ficar quieto -ele falou voltando para onde eu estava.

Nagisa parou ao lado da minha cama e começou a tirar a camisola.Eu fiquei boquiaberto o que ele estava fazendo?

-Nagisa o que você está fazendo?- falei sério.

-Eu só estou concertando as coisas -eu olhei para ele e percebi o que ele tinha feito.

Ele estava péssimo,como tinha acabado desse jeito? engoli em seco evitando de todas as formas olhar para ele,a culpa foi minha.

-Nagisa,para.

-Que? não,eu não posso parar.Entenda Karma,eu só quero concertar isso.

Ele estava nu do meu lado,fechei os olhos e respirei fundo,mas tive que abrir os olhos quando ele subiu em cima de mim.Não dava para respirar,minha cabeça girava e só conseguia ver o corpo dele,magro,cheio de hematomas e cortes,as olheiras profundas...

Ele pegou minha mão e passou-a na seu rosto,assim que ele a soltou ela caiu.Ele...não,não consigo pensar.Eu fiz isso,eu...como eu pude? ele está destruído e indo cada vez mais para o fundo.

-Vamos Karma -ele pegou minha mão de novo colocando em seu peito- me toque.

Eu não fiz nada,sentia que se me movimentasse agora iria quebrar.Não consigo suportar que ele ache realmente que aquilo foi culpa dele.

-Karma,por favor -os olhos estavam fechados e a cabeça abaixada,ele não queria isso.Então ele desceu minha mão,passando-a por seu membro

Empurrei ele de leve e me sentei,assim que fiz isso ele começou a chorar.

-Por que? -ele chorou soluçando e escondendo o rosto com as mãos - por que você fez isso? deixe-me concertar isso,por favor Karma,por favor.

Eu tirei meu casaco e coloquei sobre ele,então eu o abracei chorando com ele,soluçando com ele e segurando ele mais firme.Lá fora a chuva começou a cair,uma tempestade.

-A culpa não foi sua-sussurrei no ouvido dele.

-Foi,foi sim,se eu tivesse... - segurei seu rosto em minhas mãos

-Não.A culpa não.Foi.Sua.

-Mas...

-Eu fiz isso.Eu fiz isso porque não consigo me permitir amar alguém.Fiz isso porque eu amo você e tenho medo que me ame também.Agora escuta -fechei meus olhos,eu não queria dizer isso,mas eu precisava,por ele- você não pode me perdoar por isso

-Eu posso,eu posso sim.

-Não,você não pode,porque eu não mereço isso,e você merece algo bem melhor que o meu "amor".Você merece alguém melhor que eu.

-Eu não quero outra pessoa - tirei minhas mãos do seu rosto e ele colocou as suas no meu -Karma eu amo você.Se quer me machucar me machuque,mas não vá para longe.

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Primeiramente tiveram comentários me dizendo para criar um personagem para ser o novo amor do Nagi,mas eu não quis fazer isso,porque eu sou meio contra personagens originais,a Akio foi uma necessidade,eu preciso dela porque eu senti falta de um apoio familiar para os personagens.
Em segundo lugar com esse capítulo eu meio que quero passar a mensagem que a culpa NUNCA é da vítima,levem isso para a vida de vocês babys.
E por último feliz dia das crianças ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...