História Every Moment 3 A Sombra do Destino - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Almas, Amor, Dante, Paixão, Reencarnação, Romance
Visualizações 23
Palavras 1.938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá amores!
Nesse captl Calvin recebe a notícia de que sua mãe biológica foi encontrada bastando apenas sua confirmação para encontrá-la pela primeira vez!

Boa leitura ✨

Capítulo 3 - Mãe Biológica


Fanfic / Fanfiction Every Moment 3 A Sombra do Destino - Capítulo 3 - Mãe Biológica

Calvin

Em pé na frente dela eu tento não atrapalhar o seu trabalho. A gilete sobe e desce em meu queixo eliminando qualquer vestígio de barba. Segundo ela eu preciso estar apresentável para as reuniões que eu terei hoje com o pessoal da editora e meu agente.

- Quase terminando...

Ela sussurra. Subo minhas mãos espalmadas sobe suas coxas, sigo meu caminho enfiando minhas mãos por de baixo de sua camisola de seda. Ela respira fundo quando passo meus dedos por sob sua calcinha e paro em sua barriga.

- Você acha que é menina?

Pergunto olhando em seus olhos, ela me encara e sorri terminando de me barbear. Coloca a gilete em cima da bancada ela diz acariciando meu peitoral com suas mãos.

- Talvez... eu queria que fosse um menino. Um inteligente e lindo que nem o pai!

Sorrio pra ela e subo minhas mãos mais pra cima alcançando seus seios pesados. Deus ela fica tão bem grávida. Se eu pudesse ficaria o dia todo dentro dela, acariciando seu corpo nu na cama.

- Eu queria que fosse uma menina como você, linda e extremamente especial. Mas seja menina ou menino quero que venha com saúde, vou amar esse bebê com todo meu coração e cuidar de vocês dois com toda minha dedicação!

- Eu sei que vai!

Ela sussurra meio que gemendo enquanto eu brinco com seus seios. Beijo seus lábios entreabertos enfiando minha língua em sua boca. Ela me agarra me apertando com seus braços e pernas. Desço minhas mãos até sua calcinha e na hora que eu vou puxar ela me repreende.

- Não Senhor... você vai chegar atrasado para sua reunião e eu não posso mais perder calcinhas!

- Eu compro novas pra você... aliás, pra que usar elas?!

Ela solta uma risada e me dá um empurrãozinho. Respiro fundo sentindo meu pau forçar a barra da cueca, louco pra ser livre e entrar fundo no nosso lugar favorito no mundo. Dentro dela!

- Argh, quero você!

Resmungo fazendo cara feia, ela desce da bancada e diz se aproximando de mim com um sorrisinho nos lábios.

- Mais tarde eu recompenso você...

- Promete?

Ela pisca pra mim e sai do banheiro rebolando sua linda bunda na minha frente. Suspiro e me contento com a expectativa de mais tarde estar em seu interior. Pego minha calça social no cabideiro e visto rapidamente, ponho minha blusa branca e a gravata. Saio do banheiro e pergunto enquanto visto meu blazer.

- O que você vai fazer hoje?

- Vou fazer umas comprinhas com Joana na cidade. Ela quer fazer um prato italiano pra nós e falta alguns temperos na dispensa...

Paro por um momento e digo preocupado com sua segurança.

- Leve Jonas com vocês.

- Não precisa, eu vou dirigindo...

- É melhor ele acompanhar vocês. Vou avisar a ele quando descer...

- Calvin!

Ela me chama alterada e eu paro de falar por um segundo. Tenso eu tento formular as palavras em minha cabeça para convence-la a deixar ele ir com elas.

- Eu ficarei bem ok, estou na minha cidade... todos me conhecem e eu não vou demorar muito!

Contrariado eu tento acalmar meu peito e digo sério.

- Me liga quando estiver na rua e quando chegar em casa!

Ela vira o olho e confirma batendo continência pra mim. Faço cara feia pra ela e ando em sua direção. Seguro seu rosto com minhas mãos e digo antes de estalar um beijo em seus lábios.

- Estou falando sério Lili. Me liga!

- Ok. Não se preocupe...

Abro um sorriso fraco, beijo sua testa e me afasto dela contra minha vontade. Saio de nosso quarto e desço as escadas odiando ter que deixa-la sozinha quando tudo pra mim está tão sombrio. Saio de casa e cumprimento Jonas que já estava me esperando dentro do carro.

- Bom dia Jonas!

- Bom dia Senhor!

Entro no carro e ele liga o motor, o caminho até meu escritório na cidade é rápido e em meia hora estamos estacionando em frente o pequeno prédio comercial. Agradeço Jonas pela carona e saio do carro ansioso para encontrar a agente da editora Uffizi. Chegando no meu andar sou abordado pelo meu agente.

- Graças a Deus você chegou!

- O que aconteceu Jerymi?

Pergunto parando bruscamente na frente dele, o homem suspira unindo suas mãos. Levanto uma sobrancelha achando graça, ele sorri e diz calmamente.

- Eu encontrei a sua mãe...

- Você o que?!

Corto ele segurando seu braços com força, não acredito no que acabei de ouvir. Jerymi confirma com um aceno de cabeça e diz parecendo bem satisfeito com seu trabalho.

- Depois de uma pesquisa aprofundada e um tanto criminosa nos bancos de dados e registros eu consegui achar ela. Nós podemos conversar sobre isso com mais calma mais tarde, na sua casa talvez?

Fecho a cara e confirmo, sei bem porque ele quer que seja na minha casa. Desde o dia que Jerymi conheceu Lili não para de encher o saco com reuniões desnecessárias em casa, a única reunião que ele estava mesmo a fim de ter era com minha esposa. Mas eu não o culpo, Lili é realmente linda.

- Tudo bem. Hoje a noite então, ás dez!

- Maravilhoso!

Respiro fundo me sentindo um pouco ansioso e talvez um pouco temeroso. Não sei exatamente o porque pedi pra que Jerymi procurasse pela minha mãe biológica. Quer dizer, ela me abandonou na porta de outra pessoa, não deixou uma carta nem nada que significasse que ela se importava comigo, que estava fazendo aquilo por que não tinha condições de me criar. É estranho agora saber que eu estou a um passo de saber mais sobre ela, sobre a desconhecida que me colocou nesse mundo.

- Vamos para reunião!

Digo voltando pro agora, meu agente confirma e nós dois entramos dentro de minha sala de reuniões. O decorrer do dia foi uma completa tortura porque Lili não me ligou, assim que dá seis horas em ponto eu ligo pra casa chegando a beira da loucura.

- Casa dos Seyfriends, quem deseja?

- Jesus cadê Lila, Joana?!

- Vou passar pra ela Senhor..

Ouço passos abafados através do telefone e logo a voz dela abafada perguntando quem era seguido de um palavrão.

- Cal... me desculpa, eu esqueci de ligar!

- Porra Lili, eu estou quase enfartando aqui!

Ela suspira e eu continuo com uma voz grave.

- Você sabe o quanto eu me preocupo com seu bem estar, porque não me mandou pelo menos uma mensagem ?

- Ok Calvin, eu já pedi desculpas. Eu me esqueci merda, estou grávida se lembra? Isso está acontecendo comigo com frequência então vai se foder e para de gritar comigo!

Respiro fundo e tento me acalmar, massageio minha testa e penso que ela está certa. Mas merda ela sabe que eu ando paranóico com sua segurança, ela é tudo que eu tenho.

- Me desculpa amor. Me desculpa eu só estou estressado... cansado e excitado!

Ela solta uma risadinha e diz me deixando ainda mais de pau duro por ela.

- Então vem pra casa mais cedo. Estou precisando do meu homem aqui no quarto!

Sorrio e digo já me levantando da cadeira e arrumando meus papéis na minha pasta.

- Estou indo...

- Vou estar esperando então!

Desligo o telefone afobado e saio de minha sala louco pra toca-la, vê-la com meus olhos e ter certeza de que ela está bem e segura em nossa casa. Pego o elevador e em minutos eu estou dentro do carro, na estrada de casa.

- Jonas, eu vou precisar que você pegue meu agente hoje na casa dele às nove e meia!

- Sim Senhor.

Ele confirma e logo nós estamos entrando em minha propriedade, assim que ele mal estaciona eu já saio do carro apressado. Subo as escadas de pedra e abro a porta de casa, Joana que desce das escadas com uma bandeja vazia sorri pra mim e me cumprimenta.

- Olá Senhor..

- Joana! Lili está no quarto?

-Sim..

- Ok!

Subo as escadas correndo, atravesso o corredor e abro a porta de nosso quarto. Entro e fecho atrás de mim, paro observando ela sentada em uma poltrona próximo a janela enquanto pinta suas unhas dos pés. Ela desvia sua atenção e olha pra mim, meus olhos registram cada pedacinho de seu corpo, ela está maravilhosa vestindo uma camisola de seda super curta.

- Amor, para com isso e vem aqui!

Digo jogando minha pasta no chão, ela sorri e eu começo a tirar meu blazer e desabotoar minha camisa social.

- Eu estive pensando nisso o dia todo, nunca senti algo tão forte assim...

Ela se levanta deixando de lado o esmalte e anda na minha direção lentamente, impaciente eu corto a distância entre nós e a pego pela cintura colando seu corpinho macio contra o meu. Ela desce sua mão desde meu peito até o cós de minha calça e começa a desabotoar com agilidade.

- Você não sabe o quanto me excita Lili, só de pensar que sou seu homem... que você todinha é minha!

Ela enfia sua mão dentro de minha calça e puxa meu pau duro pra fora, ela massageia a cabeça me deixando louco. Guio ela pra beirada da cama e viro ela deitando metade de seu corpo no colchão, separo seus pés abrindo suas pernas, subo sua camisola de seda pra cima e encaro sua perfeita bunda.

- Faz um tempo que eu queria fazer assim amor...

Sussurro passando minhas mãos espalmadas em suas nádegas, ela solta uma risada entre gemidos e empina pra mim. Me abaixo e enfio minha língua entre suas pernas, ela grita retraindo sua bunda, seguro ela pela cintura mantedo-a no lugar e começo meu trabalho. Subo com minha língua pra cima e pra baixo capturando seu mel enquanto ela se contorce e geme alto. Sem aguentar mais nenhum minuto eu me levanto e apoio meus joelhos na beirada da cama, seguro seu quadril empinando ela mais pra mim e entro com uma estocada só.

- Aaah Calvin!

Ela grita agarrando o lençol, com a respiração entrecortada eu começo a me mexer dentro dela lentamente. Seu interior quente e escorregadio me aperta a cada estocada, aumento o ritmo até que eu não consigo mais ouvir e nem dizer nada. Meu corpo se preocupa em apenas sair e entrar o mais fundo e rápido que eu consigo. Ela se estremece embaixo de mim gozando, melando meu pau com seu líquido quente. Solto seu quadril e passo meu braço ao redor de sua cintura, massageio seu clitóris enquanto meto, ela solta um palavrão se contorcendo descontrolada em baixo de mim.

- aaah, porra!

Grito gozando dentro dela. Paro fundo em seu interior enquanto ela desaba na cama. Saio de dentro dela lentamente, subo na cama e a puxo pra cima dos travesseiros. Ela vira e eu deito do seu lado, acaricio seu rosto avermelhado e pergunto preocupado.

- Eu fui muito grosso?! Você está bem?

Ela sorri preguiçosamente e diz fechando seus olhos e se aconchegando contra mim deliciosamente.

- Foi a melhor transa desde a praia na nossa lua de mel!

Sorrio e envolvo ela em meus braços, beijo sua testa e digo fechando meus olhos também.

- Vamos ter visita hoje. Jerymi quer ver você e inventou um pretexto pra vir aqui em casa...

Ela solta uma risadinha e diz bocejando.

- Deixa o pobre em paz!

Sorrio e penso em como dizer a Lili que o assunto da reunião de hoje é a descoberta de que achamos minha mãe biológica.


Notas Finais


Como vocês acham que Lili vai reagir com essa notícia?

Próximo captl está muito bom então não percam!
Obgda por lerem!
Beijinhos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...