História Every time you kiss me - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 117
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Fluffy, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Uma troca, uma possibilidade


Fanfic / Fanfiction Every time you kiss me - Capítulo 3 - Uma troca, uma possibilidade

Elfos existem, eu estava vendo um agora. Eu estava admirado demais para falar alguma coisa e creio que isso tenha ofendido um pouco o ser magnífico que estava diante de mim, que por sinal me olhava com cara de poucos amigos. Mas sua carranca era adorável tanto que me permiti dizer que nem isso o deixava feio. Beleza era a única coisa que o definia. Digo isso porque ele era simplesmente lindo, um dos homens mais encantadores que eu vi na vida – mas ninguém era mais belo que TaeHyung, claro – sua pele branquinha me lembrava a neve, não havia uma mancha sequer nela.

Seus fios eram loiros, bem claros a ponto de deixá-lo com um ar quase irreal. Perguntei-me se ele era de plástico ou se eu estava sonhando. Se quando eu chegasse perto acordaria e daria de cara com o chão, mas depois de conhecer TaeHyung – claramente um ser que não era para existir, mas existe –creio que as coisas que eu acreditava que não eram reais, agora eram. Não podia duvidar de mais nada, muito menos do que meu amado namorado dizia sobre os seres mágicos que habitavam nossa terra fazendo parte do que chamamos de lar.

– Elfos existem... – soltei sem pensar e o loiro riu de mim. TaeHyung também quis rir, mas ficou quietinho me vendo fazer papel de idiota.

– Claro que existem. Não está me vendo não? TaeTae, seu humano é cego ou é retardado mesmo? – riu tomado de desdém e eu não achei aquilo nenhum pouco ofensivo. Estava mais era impressionado com o tom melodioso que ele tinha. Era um pouco mais rouco do que o normal, como se ele houvesse acabado de acordar. O Kim tinha me garantido que ele não era dos que madrugava, mas que quando fossemos visitá-lo ele estava acordado há tempos.

– Que coisa maravilhosa. Nunca vi um ser tão lindo quando você! – soltei animado e o Kim me deu um empurrão claramente emburrado e enciumado. Não fiz por mal, eu juro. Estava apenas admirado com Min YoonGi. A raposa ao meu lado me deu mais um empurrão.

– Eu sei que sou lindo humano. Pode babar mesmo. – sorriu convencido.

– Sim, acho que não sei desviar mais o olhar de vossa beleza. – Desculpa Tae, é sem querer.

– Eu compreendo você. Não estou surpreso por TaeHyung ter arrumado um humano com tanto bom gosto assim. Pode trazer ele mais vezes para brincar TaeTae, preciso de mais gente para me dizer o obvio. – Sorri abobalhado, mas o meu namorado não estava gostando nada disso, tanto que passou por mim, quase me derrubando e abrindo sem delicadeza a porta do apartamento alheio.

– Eu estou aqui, se não sabem. – Meu namorado se pronunciou com uma carinha de poucos amigos já dentro do local. Eu entrei em seguida com a permissão do Min. – E eu sou a coisa mais linda que você já viu na vida. E não esse projeto de Elza que não sabe cantar a sua musica tema. – ditou venenoso. O Min não deixou barato e se sentou no sofá todo imperioso com suas orelhas pontudas sendo mostradas. TaeHyung comentou que ele as escondia quando era necessário.

– Não tenho culpa se seu humano sabe o que é belo. – Achei que essa discussão ia longe e já estava pronto para intervir quando um rapaz apareceu na sala, enxugando as mãos em um pano de prato e sorrindo infantilmente para nos. Meu TaeTae tinha comentado que ele se chamava Jeon JungKook e era o parceiro de vida do Min – o elfo da neve – ainda completou que era um humano gentil estudante de história. Também o achei belíssimo e aproveitei que estava de pé e fui cumprimentá-lo. 

– Desculpem o meu hyung, ele não sabe agir com humildade quando alguém o chama de belo. – o menino falou aparentando uma doce timidez. Sorri para ele e estendi a mão.

– Eu quem me desculpo por inflar esse ego. Não fiz por mal, apenas estava surpreso por ver um elfo. – ele riu de mim. – Sou Jung HoSeok, parceiro de vida do Kim TaeHyung. – o menino pegou e minha mão e apertou de forma calorosa.

O Kim tinha comentado que os encontrou depois de um tempo, mais precisamente um mês depois que eu lhe presenteei com um celular com acesso a internet. Ele tinha comentado que havia muitos seres míticos entre nós e que não era complicado achá-los sabendo a forma certa de procurar. Eu não entendia muito bem como ele fazia isso, mas ele rapidamente localizou esse rapaz e passou a se comunicar com ele, pareciam bem amigos e se gostavam bastante, mas sempre os via brigando por besteiras.uma relação adorável que se diga. E para minha surpresa o Kim comentou que o Min tinha um namorado humano, assim como ele me tinha. Um jovem bem mais novo do que eu.

– O prazer é todo meu, sou JungKook e creio que seja meu hyung.hoje está tudo um pouco bagunçado, os dias são corridos por causa das aulas, mas quero que se sintam em casa. – fiz que sim. – Bem, fico feliz que meu hyung possa ter amigos sem precisar esconde o que ele é.  Se quiserem, eu fiz um almoço delicioso e não seria incomodo ter mais dois a mesa. Na realidade eu ficaria muito feliz. – ele parecia sincero e eu não queria ser um incomodo para ninguém.

– Isso mesmo humano com bom gosto, fique. Meu amado é o melhor na cozinha. E nos temos um assunto para tratar com  o TaeHyung que acho que você vai gostar de ouvir. – o Min emendou e o meu amado sorriu para ele. O que aqueles dois estavam escondendo de mim. – Ele pode ficar a par do que eu quero fazer TaeTae?

– Claro que sim, eu quero muito que ele escute o que você pretende fazer, hyung. Porque eu não sei se ele vai concordar, mas eu quero fazer o mesmo. – Eu estava perdido, TaeHyung me sorria gentil e o Min parecia feliz também. O que eles pretendiam fazer eu não sabia, mas estava muito curioso.

 

[...]

 

O almoço estava mesmo uma delicia, claro que não faltaram elogios de minha parte para com o Jeon, esse que me parecia bem tímido e um tanto quanto sem graça diante das minhas palavras. Descobri que ele não tinha mais do que vinte e um anos e como dito antes estudava história em uma das maiores faculdades de Seul. Comentei sobre a minha profissão e ele ficou deveras feliz com isso, ainda mais em trocar experiências e me pedir conselhos. Não tinha nada mais empolgante do que isso para mim naquele  momento, acho que até me animei demais em chamá-lo apenas de Kook.

Meu namorado me fuzilava com o olhar sempre que isso acontecia, mas o Min parecia bem concentrado na nossa conversa e era bem confiante de que ninguém roubaria o seu humano. Essa nunca foi a minha intenção ali, eu amo o meu TaeTae e ninguém nunca vai ocupar o lugar que ele ocupa no meu coração. E quando essas palavras saíram da boca do Min que dizia que o Kim precisava ser menos ciumento eu fiquei pleno. Que bom que os demais tinham ciência do que eu sentia, que transbordava o sentimento pelo meu amado.

– Sobre o que a gente queria conversar, eu finalmente encontrei a pedra de que precisamos. – o Min começou o assunto do nada e eu fiquei curioso demais, TaeHyung bateu palminhas animado e o Jeon ao meu lado respirou fundo, passava uma ansiedade enorme. – Não foi fácil e precisamos ir a uma tal cidade chamada Busan, mas o importante é que ela existe nessa terra e que temos uma pessoa que pode nos ajudar no transporte. – o elfo continuava a dizer e eu sentia que explodiria de curiosidade se alguém não me explicasse que pedra era essa. Mas me contive assim que vi meu menino querer falar.

– Mas hyung, você acha mesmo que é seguro? – TaeHyung realmente parecia muito preocupado. Não quis interromper a conversa e ali fiquei na expectativa. – Eu sei que é uma coisa que queremos muito, mas esse rapaz vai realmente fazer isso de boa fé? – o Min parecia pensativo e eu mais curioso ficava. – Claro que ele é. Ele se intitula por Kim SeokJin, um elfo assim como eu, mas da natureza. Sei que ele pode fazer isso por mim e espero que dê certo. E se tudo correr bem, poderemos procurar uma pedra para você Tae. Vai poder ficar ao lado do seu humano para o seu finito sempre.

 

[...]

 

– A um tempo atrás eu encontrei o meu hyung. – JungKook havia me trazido para fora do apartamento enquanto YoonGi hyung e o TaeTae procuravam por uma segunda pedra usando da magia que eles possuíam. Disseram que era perigoso para nos humanos continuarmos ao lado deles, por isso decidi seguir o Jeon, já que esse tinha me prometido que me explicaria o que eu queria saber. – Não foi igual a você e o Kim hyung que acharam um ao outro no momento em que precisavam de auxilio. Eu estava em um estado bom da minha vida. Tinha o que precisava e não tinha pretensão de querer mais nada. Mas ai ele apareceu na antiga cafeteria onde eu trabalhava, me pediu um copo de leite e meu numero. Claro que eu achei aquela cantada estranha e barata, mas não deixei de me encantar por ele e acabar querendo conhecer a fundo aquele ser.

– Ele estava na forma humana? – perguntei a esmo. Estava curioso pelo que ele pudesse me contar, mas queria esclarecer algumas coisas. Isso também servia para que eu me acalmasse e não quisesse antecipar as coisas.

– Sim, estava, mas se revelou a mim dois dias depois de nos conhecermos. Disse que pediria a um amigo para apagar a minha mente e tudo o que vivemos. Mas claro que eu não quis. Estava muito assustado e achando que aquele cara era um tipo estranho de cosplay, mas não. Não foi bem assim que as coisas aconteceram. Ele se mostrou aquilo que eu precisava, o que estava faltando em mim. Por mais que eu achasse que o louco era eu por acreditar em elfos e tudo mais, mas ele era mais real do que eu pude imaginar. E depois do nosso primeiro beijo tudo mudou, sabe? Eu nem entendia mais o que estava se passando comigo, mas de uma hora para outra eu só queria ter ele ao meu lado.

– Eu sei bem como se sente, eu sinto o mesmo quando olho para o TaeHyung. – ele me sorriu gentil, realmente éramos loucos mesmo, loucos apaixonados por seres que nem ao menos sabíamos que existia. Mas que tomaram mais do que os nossos corações.

– Depois de um tempo eu me sentia um pouco triste. Não que ele não fosse o que eu queria, eu amo o meu hyung. Mas o sentimento que me ronda por saber que eu um dia vou deixá-lo, envelhecer e morrer me atordoa. Eu sei que ele se sente assim, por isso o vi passar dias e dias, noites após noites procurando por um outro elfo conhecido como SeokJin. Segundo o meu hyung aquele elfo sabia fazer uma magia de troca. – nos sentamos em um banco de uma praça que ficava não muito longe dali. O Jeon me olhou profundamente, parecia querer medir minha credulidade.

– Troca? Como assim? – Ele suspirou. Eu estava me sentindo um pouco agoniado agora.

– Esse elfo consegue trocar as coisas. Vou resumir porque pareceu confuso demais quando o hyung me explicou, então vou te poupar disso. Ele vai simplesmente trocar a imortalidade do meu hyung, o transformando em humano por uma pedrinha que vai aprisionar os poderes dele nela. Elas não são fáceis de conseguir. Mas o YoonGi achou algumas. Simples, não? Parece louco e eu juro que estou morrendo de medo disso, não sei nem os detalhes de como isso vai acontecer, mas eu não estou me contendo em mim de alegria. Meu hyung esta disposto a trocar a imortalidade dele para viver ao meu lado, para viver o nosso amor. 


Notas Finais


Palmas para a pessoa atrasada, desculpem pela demora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...