História Everything Changes - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Visualizações 65
Palavras 2.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooi

Capítulo 5 - Capítulo três


Meu melhor amigo chegou por algumas horas depois da nossa pequena conversa e trouxe com ele uma caixa de pizza quentinha.

- Nosso sabor preferido - anunciou ele ao colocar a caixa na mesa de centro da sala de estar.

Pepperoni com bastante mussarela.

- Minha boca chega a encher d'água, meu deus.

Chaz gargalhou ao ver minha cara de satisfação.

- Vou pegar o refri, vai ligando a TV.

Segui até a cozinha e peguei duas latinhas de refri, assim como uma barra de chocolate crocante e voltei para a sala, onde ele já tinha escolhido a série que iríamos continuar vendo.

- Faz tempo que a gente não assiste The 100 - disse ao me sentar no sofá e colocar o que trouxe junto à pizza.

- Uhum... Já tá pensando na sobremesa? - perguntou brincalhão.

- Claro, eu preciso disso!

- Você e a vontade de chocolate na TPM - deu risada e eu o acompanhei.

- Coloca pra começar aí.

Nós começamos a assistir essa série logo que lançou mas tivemos que parar por conta da semana de provas do colégio.

Comemos quase toda a pizza e a barra de chocolate enquanto assistiamos e nem percebi quando caí no sono.

Acordei deitada no meio da madrugada deitada no sofá com as pernas ainda no colo de Chaz, enquanto o mesmo dormia sentado com a cabeça no encosto do sofá.

- Ei - o cutuquei.

- Que foi?

- Vamos subir.

- Ok. - resmungou e coçou os olhos.

Ele foi direto para o quarto de hóspedes onde sempre dormia e eu fui para meu quarto.

Acordei novamente quando já era quase meio dia.

Lavei meu rosto e escovei meus dentes antes de descer e encontrar Chaz na cozinha.

- Eu ia te chamar daqui a pouco - disse ele assim que me viu.

- Bom dia - disse ainda sonolenta e me sentei de frente pra ele na bancada.

- Bom dia. - respondeu de boca cheia.

- Espero que tenha sobrado pizza fria pra mim - disse ao ver a caixa em sia frente.

- Claro que sim - a empurrou em minha direção.

Peguei suco na geladeira e dois copos, ficamos em silêncio enquanto comíamos

Ao terminarmos de comer lavei o que usamos enquanto Chaz secava e guardava nos armários os poucos objetos.

Depois subi até mei quarto para pegar meu celular e fui direto para s sala, onde Chaz assistia um programa qualquer de esportes.

Ele logo mudou de canal e assistimos um filme que tinha acabado de começar, ainda em silêncio

Quando o filme acabou mexi durante alguns minutos no celular até sentir seu olhar sobre mim e o encarei.

- Que foi?

- Você tá estranha - disse desconfiado.

- A gente precisa conversar sobre uma coisa - disse com cautela.

- Fala aí - deu de ombros e se virou de frente pra mim.

- Primeiro eu quero comer, depois a conversa - disse e me levantei rapidamente, seguindo para a cozinha.

Comecei a tirar do armário o que era necessário para fazer macarrão e vi quando Chaz se encostou no batente da porta algums minutos depois, me observando.

Após finalizar a comida nos sentamos e comemos em silêncio, este que só foi quebrado quando Chaz falou sobre a festa mais tarde.

Chaz lavou a louça e subimos para meu quarto.

Escovei os dentes, penteei o cabelo e mexi em algumas coisas no closet até ouvir Chaz bufar.

- Você tá enrolando...

Claro que estou, pensei.

- E você nunca enrola. - Apontou a verdade.

- Ok... - me sentei na cama ao seu lado, com a cabeça baixa.

Puta merda, como eu começo a contar?

- Você lembra que eu te falei que a Stacy tinha casado, certo? - perguntei, mas não arrisquei o olhar.

Óbvio que ele lembra.

- Ele chama Richard, sempre pareceu um cara legal e minha mãe parecia estar feliz com ele, quando eu fui pra lá nas férias parecia tudo normal... quando minha mãe saía e ele estava de folga ele fazia tudo que eu precisasse, mas eu comecei a notar alguns olhares estranhos por parte dele pra cima de mim, bom, na verdade eu liguei as coisas só depois do que aconteceu... Sabe quando você fica desconfortável sob um olhar? Era isso! - Fiz uma pausa e arrisquei o olhar, vendo que ele estava bastante atento e voltei a baixar a cabeça. - Um dia minha mãe ficou até bem tarde na empresa e ele entrou no meu quarto quando eu estava assistindo televisão... Eu pensei que ele ia me dar boa noite, mas ele sentou na minha cama e começou a acariciar minha perna... - fui interrompida.

- Não precisa terminar...

- Eu preciso! - disse em quase em um sussuro - ... Eu tentei me esquivar, realmente tentei, Chaz, mas ele era mais forte e me prendeu contra a cama, ele arrancou toda a minha roupa enquanto dizia o quanto eu merecia aquilo por tê-lo provocado... Mas eu não fiz isso! - Deixei as lágrimas caírem quando senti meu amigo me abraçar - Ele me estuprou, Chaz, e eu tento não pensar no que ele poderia ter feito se minha mãe não tivesse aparecido.

- Eu sinto muito, pequena... - me abraçou forte, comigo escondendo o rosto em seu peito enquanto ainda chorava. - Então foi por isso que você se afastou.

- Me desculpa por não ter contado antes, eu só não queria arrastar você e os outros para o problema que eu estava sendo para meu pai. - Disse isso o encarando.

- Você não precisa se explicar, qual é! Eu entendo e tenho certeza que os outros também vão entender... Claro se você quiser contar pra eles - disse com calma.

- Eu estava com vergonha e não me sentia pronta, eu decidi contar pra você primeiro porque assim quem sabe você pode me ajudar...

- Mas é claro que sim, quando você quiser eu te ajudo a contar pra eles.

- Obrigada. - o abracei de novo.

Quando nos afastamos ele segurou em ambas as minhas mãos e olhou em meus olhos.

- Eu entendo seus motivos para não ter contado antes, mas nunca, nunca mesmo pense que não pode contar comigo, beleza? Você é minha irmã de outra família, sabe disso.

Assenti com a cabeça várias vezes e quando ele desviou o olhar para nossas mãos unidas tive vontade de recuar, mas ele já tinha visto.

- Você... - o interrompi.

Seus olhos estavam marejados.

- Algumas vezes, eu achava que era um modo de aliviar, mas meu pai e minha mais nova psicóloga me ajudaram a entender que não tem nada de bom nisso.

- Claro que não tem nada de bom! - disse como se fosse óbvio.

- Esse é um dos problemas que eu não queria que vocês fossem parte. - Expliquei e ele assentiu.

- Meu deus, eu nem imaginava que era algo tão grave... - disse e me abraçou de novo com bastante força, o que me fez rir.

- Tá tudo bem agora, ou melhor, vai ficar tudo bem. - o tranquilizei.

- E aquele desgraçado? - perguntou depois de um tempo em silêncio.

- Prisão.

O ouvi suspirar e em seguida desfez o abraço.

- Eu te amo, pequena.

- Também te amo! - Respondi dando um beijo em sua bochecha.

Olhei em meu celular e vi que estava quase na hora de começar a me arrumar.

- Tudo bem... Vamos desfazer esse clima de funeral porque daqui a pouco temos uma festa... - ele me cortou.

- Você tá pensando na festa? - perguntou confuso.

- Agora sim... E a gente vai sim, Chaz. - disse decidida, ele não iria deixar de ir naquela festa por isso.

- Ok, mas...

- Mas nada, é a melhor festa do ano... A gente não vai perder e eu juro que estou bem para ir! - disse tentando o animar.

- Se está tudo bem com você, então.. Vamos à festa! - disse, agora mais animado.

- Isso aí, não quero que fique mal por mim, beleza? - arqueei a sobrancelha e ele assentiu.

Óbvio que eu sei que não é fácil isolar tudo o que ouviu sobre o que aconteceu, mas não quero que fique um clima de tristeza ou que ele aja como se eu pudesse quebrar.

Depois de conversarmos bastante e eu finalmente conseguir deixar meu amigo um pouco menos preocupado e mais descontraído, ele foi para sua casa e eu comecei a me arrumar para a festa.

Tomei um banho demorado, quando saí escolhi a roupa que iria usar e comecei a secar meu cabelo, fiz uma maquiagem leve, passei perfume e me vesti.

Vestido azul claro com um tecido leve e alças fininhas, salto preto e acessórios prata.

Quando terminei mandei uma mensagem para Chaz avisando que ele já poderia me buscar.

Nós fomos em dois carros, já que a rua geralmente ficava sem muitas vagas disponíveis.

Assim que chegamos já existia aquele cenário comum de festas.

Música alta, pessoas dançando, todo mundo bebendo e alguns jogos também envolvendo bebida.

Nós nos aproximamos do bar e eu hesitei em pegar um copo de bebida alcoólica, ouvindo a voz de meu pai dizendo para eu não beber muito.

Fiz uma mistura de bebidas mais fraca e fomos para a área onde estava a pista de dança improvisada.

Eu não iria beber para perder a cabeça, iria beber só para dar uma alegrada.

Depois de alguns minutos dançando com as meninas senti um puxão de leve no braço e me virei, sorrindo ao ver o garoto à minha frente.

- Faz tempo que não te vejo, Woods. - disse Mike com um sorriso maroto.

- E aí... Andei frequentando outros lugares. - disse e sorri.

Nos afastamos da pista de dança para ninguém esbarrar em nós enquanto conversávamos.

- Fiquei sabendo... Achou melhores festas em NY?

- Algumas - dei de ombros

- Tava com saudades, é? - provoquei e ele riu.

- Talvez. - deu de ombros e piscou.

Soltei uma risada fraca e levei minhas mãos até sua nuca, acariciando o local.

- E você, aproveitou as férias? - perguntei e senti suas mãos em minha cintura.

- De festa em festa, sem viagens - deu de ombros.

Ele nos aproximou mais e chegou perto de meu ouvido, dando uma mordidinha no lóbulo da minha orelha.

- Só faltou isso aqui pra completar as férias. - disse e me puxou para um beijo.

Eu cedi rapidamente a passagem para sua língua e ele me prensou contra a parede mais próxima, enquanto eu arranhava levemente sua nuca ele apertava minha cintura, quando paramos o beijo por falta de oxigênio ele subiu as mãos para minha nuca e puxou levemente os cabelos dali, com a minha cabeça indo para trás ele teve acesso ao meu pescoço e beijou o local.

Ele me puxou para outros beijos depois disso.

Em determinado momento subimos para o andar dos quartos e ele me encostou contra a parede ao entrar no seu quarto, me beijando com mais intensidade.

Quando ele sentou na cama e me coloquei em seu colo não hesitei ao arranhar levemente seu abdômen por baixo da camiseta e ele levou minha mão até uma parte mais dura por cima de sua calça, dei uma leve apertada e senti ele ficar tenso quando levei minha boca até sua orelha e dei uma mordida leve.

- Hoje não vai rolar - sussurrei e tirei minha mão de seu membro e afastei um pouco seu corpo para olhar em seus olhos.

- Por que não? - perguntou confuso.

- Só não to no clima - dei de ombros sorrindo doce.

- E você fala agora? - perguntou olhando diretamente para seu membro que já estava visivelmente marcado.

- Use as mãos - dei de ombros e ele sorriu maroto.

- Não quer fazer isso por mim? - fingiu inocência.

- Dispenso. Tem outra coisa que você pode fazer... - disse e o puxei sua camiseta para aproximar minha boca de seu ouvido novamente e senti sua mão segurar minha cintura - Pensar em algo bem broxante. - disse e sorri.

Eu era a imagem da inocência ao receber seu olhar descrente.

- Desse jeito fica difícil, porra. - disse alterado se referindo ao fato de eu ainda estar em seu colo.

- Ops, já tô saindo. - disse ao levantar as mãos em sinal de rendição e ele bufou.

Antes de fechar a porta do quarto ao sair, olhei para a cama e vi que tinha se jogado pra trás e cobria o rosto com o braço.

- Eu já desço - avisou ele soando abafado.

Gargalhei baixo ao fechar a porta e desci as escadas.

Coitado.

Eu e Mike já tínhamos ficado algumas vezes e eu já tinha ido pra cama com ele mas dessa vez eu realmente não estava no clima.

Na verdade, desde Nova Iorque eu não consigo ir além com nenhum cara, mesmo chapada eu não conseguia.

O maior avanço em todas as festas que fui depois que voltei foi hoje.

Richard ferrou tanto minha cabeça que eu não conseguia nem mesmo fazer algo que eu gosto bastante: Sexo.

》》》》》》*《《《《《《

Quando a festa terminou fomos todos dormir em minha casa, já que eu estava sozinha. 

Pela primeira vez em muito tempo eu voltei dirigindo o carro de Chaz já que era a que tinha bebido menos, assim como Chris que voltou em seu carro.

Após o episódio com o anfitrião nada diferente de outras festas aconteceu.  Eu apenas dancei e conversei o resto da noite inclusive com Mike, que nem parecia ter tomado um pequeno fora.

Quando chegamos em minha casa todos foram direto para onde costumavam dormir e eu demorei um pouco a subir.

Entrei em meu quarto depois de alguns minutos e vi Johanna jogada em minha cama ainda com a roupa da festa, apenas tirei minha roupa e vesti uma antiga camiseta do meu pai e me joguei na cama também.

Quando acordei no outro dia estavam todos sentados na cozinha tomando café da manhã e me juntei à eles. 

Decidimos ir para a piscina, todos mergulharam e eu fiquei do lado de fora os observando brincar dentro da água.

- Não vai entrar?- tomei um susto quando ouvi a voz de Chaz perto de mim, estava tão envolta nos meus pensamentos que nem vi ele se aproximando

- Daqui a pouco - disse sorrindo e ele assentiu e sentou do meu lado

- Você deve estar pensando em como contar e tal, mas eu sei que no fundo você sabe que eles vão ficar do seu lado, relaxa, a gente sempre vai estar aqui um pelo outro.- disse me tranquilizado.

- Verdade,sempre- ouvi a voz de Ryan e percebi que ele estava ali ouvindo a conversa e que o pessoal estava saindo da piscina e vindo em nossa direção - Mas e aí , o que você quer contar pra gente?- perguntou quando o pessoal se aproximou e todos me olharam atentos.

- Ér... eu não sei como contar isso a vocês, eu to meio receosa...- disse nervosa

- O que foi amiga? - perguntou Johanna preocupada

- Vocês lembram que eu fui passar as férias com a minha mãe mas acabei voltando mais cedo sem dizer o motivo?- perguntei e todos assentiram - Bom...- contei toda a história que tinha contado a Chaz e no final eu estava chorando novamente, junto com as meninas e todos estavam chocados. - Me desculpem por não contar antes mas... eu não sei, eu tava com vergonha- disse me explicando

- Nossa eu não acredito que aquele cretino fez isso - disse Marie chocada

- Que filho da puta! - disse Chris - Olha, a gente ta aqui para o que você precisar, ta bom pequena?- disse me apoiando

- É Claire, a culpa não é sua, ele que é um imbecil - disse Ryan

- É amiga, fica tranquila que agora ele ta preso e não vai sair tão cedo de lá- disse Johanna

- Obrigada - disse- Eu amo tanto vocês- disse e recebi um abraço em grupo me fazendo gargalhar. Eles eram os melhores amigos do mundo, são parte da minha família.

- Agora eu acho que ta na hora de você entrar na água hein?- disse Chaz segurando meu braço.

- Aah não, daqui a pouco entro- disse me deitando novamente.

- Ah mas vai entrar agora sim! - disse Ryan me pegando no colo e indo me direção a água.

- Não, por fav...- antes de eu terminar a frase ele pulou na piscina comigo no colo, todos pularam em seguida. E continuamos assim o resto da tarde, brincando na água e conversando.

》》》》》》*《《《《《《《

Los Angeles, Califórnia - 28 de Agosto de 2014

Salesian High School.

Ou como eu carinhosamente gosto de chamar: Inferno adolescente.

Hoje era o primeiro dia de aula do meu penúltimo ano do colegial e eu não poderia estar menos animada.

Quando cheguei ao Colégio meus amigos já estavam todos no estacionamento conversando encostasdos em seus carros.

Eu sempre era a última a chegar pois sempre dava um jeito de me atrasar, mas ainda assim chegava dez minutos antes do último sinal para entrar na sala.

Ao sair do carro e me aproximar do deles vi um garoto diferente e imaginei ser o tal amigo de Ryan.

- Bom dia - disse e cumprimentei um por um com beijo no rosto até chegar no desconhecido.

- Claire esse é Justin, o amigo que falei pra vocês - Ryan nos apresentou.

Sorri para Justin e o cumprimentei com beijo no rosto.

- Muito prazer, Justin... - Fui educada ao dizer e ele sorriu de lado.

- Satisfação, Claire... Prazer você pode ter na minha cama. - Disse a última parte baixo ao me analisar de cima a baixo com um sorrisinho malicioso.

Revirei os olhos para a cantada barata e ele continuou sorrindo.

Ele é bonito, mas pelo visto só de boca fechada.

- Ryan - o chamei ao notar que ele já conversava com meus amigos e não ouviu o que Justin disse - Você esqueceu de contar uma coisa sobre seu amigo.

- O quê? - perguntou confuso e vi o olhar curioso de Justin.

- Que ele é um babaca.



Notas Finais


Justin já aparece desse jeito vishh

Adoro o quanto os amigos da Claire a apoiam

Espero que tenham gostado

Vejo vocês ainda essa semana

XOXO da Triz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...