História Everything is blue - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Detroit: Become Human
Personagens Connor, Personagens Originais
Tags Connor, Detroit, Traci
Visualizações 18
Palavras 1.523
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Seus sentimentos são podres


"vamos logo connor!" Disse traci enquando puxava o braço do connor enquanto saia pela porta

 

"Esta tão animada assim so por causa de um cachorro?" Ela olha pra ele seria

 

"Talvez seja porque eu nunca tive um?" Ela solta o braço do connor e tira a chave do bolso fechando a porta

 

"Ja decediu qual é o tipo de cachorro que você quer?" Ele volta a olhar para Traci que parecia ter sua animação tomada de volta

 

"Não...eu quero chegar la e escolher" eles entram no carro, Traci parecia pensar em algo enquanto o Connor olhava ela pelo retrovisor

"Connor?" Ela volta sua atençao a ele "lembra quando você me reativou?" Connor afirma com a cabeça "porque nao ativou a Traci tambem?" Ao ouvir essa pergunta ele olhou pra ela e nao viu o farol vermelho "Connor!" Ela grita pra ele voltar sua atençao na rua e ele pisa com tudo no freio" O que foi isso, queria nos matar?!" Traci grita olhando para o connor

 

Ele sabia o porque, Ele agora tinha certeza do porque ele atirou na outra Traci naquele dia ele percebeu que quando viu a traci desativada no chão seus biocomponetes falharam e sentiu pela primeira vez uma coisa chamada "luto" aquela dor que os humanos dizem que sentem quando se perde alguem proximo, foi ai que ele se sentiu humano e raparou que ele realmente sentia algo por traci.

 

"Não é que essa pergunta me pegou de surpresa..." Ele olhou pra ela sorrindo e então voltou a dirigir

 

"Você nao vai me responder?" Ela pergunta curiosa

 

"Ah sim ,ela não tinha condiçoes de ser reativada..." Ele mentiu como um profissional fazendo o seu trabalho mas ele sabia a verdade "meus pesames eu sei o quanto ela era especial pra você Traci.." ela sorriu meio triste

 

"Esta tudo bem eu aprendi uma coisa se quisermos viver igual os humanos temos que aceitar que as coisas nunca sao sempre como queremos" ela suspira "acho que voce iria gostar dela" essa frase que fez ele se sentir o pior android que existia. Ela sentiu vontade de tocar na mao dele naquele momento mas achou melhor não.

Connor e Traci ainda nao tinham uma relaçao exata era estranho por isso toda vez que Hank pergunta o que eles eram ambos coravam.Apos um tempo sem falar nada eles chegaram ao pet shop "Connor olha que fofinho" ela apontava para um cachorro pequenininho

"eu prefiro esse" connor aponta para um cachorro gigante que o lembrava bastate o sumo

"É uma garota connor" ela olha para o cachorro fazendo carrinho nela "ela me lembra o cachorro do hank, podemos ficar com ela connor?" Ela olha para o connor ele quase nunca dizia nao para ela

 

"Certo, podemos adota-la mas voce vai ter que encinar ela" ele foi ate la dentro preencheu varias coisas e pagou pela coleira de indentificaçao, traci apenas colocou a coleira rosa nela enquanto corria "ja descidiu o nome que vai dar a ela?"

 

"Rose o que acha garota?" Ela lambeu o rosto de traci

"acho que isso é sim" diz connor riu da cara que a traci fez por estar com baba de cachorro

 

"Ei rose ataca!" Quando ela diz isso a rose pula em cima do connor o derrubando enquanto ela começa a lamber o rosto dele traci ria sem parar

 

"Parece que ja encinou um truque a ela nao e mesmo Traci?" Ele se levanta do chão com ajuda dela e depois o connor limpa seu rosto

 

"Ela aprendeu comigo quer ver?" Ela chega bem perto do Connor com uma cara seria por um momento ele achou que ela iria o brijar mais isso mudou quando ela lambe a bochecha dele

 

"Traci!" Ele corria atras dela ate uma hora a alcansar traci ele segurou seus pulsos apoiando no carro seus biocomponetes falharam de novo

 

"Seus biocomponentes estão acelerados de mais Sr.Connor" ele nao disse nada apenas a encarou enquanto aproximava seus labios dos dela mas se afostou quando escutou uma voz

 

Rose e Sumo estavam cheirando uma ao outro "Sumo não!" Hank disse brigando com o cachorro. Connor se afastou da Traci ambos envergonhados

 

"Hank!" Disse connor indo ate ele hank sorriu "acho que voce ja conheceu minha nova cachorra e vejo que o sumo tambem"

 

"Entao traci mudou ate sua opiniao por cachorros? Impressionante o que uma mulher faz na vida de um homem" Traci cora e volta a brincar com os dois cães tomando sua atençao nela de novo "Ainda nao disse?"

 

"Nao disse o que tenente?" Ele pergunta ainda olhando traci "que gosta dela, por isso nao reativou a autra traci"

 

Tensão 70%

 

O led de connor ficou amarelo naquele momento

 

"Desculpa tenente mas nao sei se terei coragem para dizer sibre a outra traci" diz ele desanimado

 

"Tudo bem se não quiser dizer, filho a escolha é sua mas eu acho melhor retirar o seu led pra conversar se é que me entende"

 

"Posso saber do que estao falando?" Diz traci se levantado do chao se aproximando deles

 

"Nada de mas nao se preocupe" connor segura o puxo de traci "Precisamos ir Hank, diz tchau pro sumo, Rose vamos" ele abre a porta de tras e rose sobe por tras. Eles entram no carro, Ele liga o carro e dirige ate a casa deles

 

"Traci eu preciso te dizer uma coisa..." Ela mexia no radio ate parar em uma dizendo algo da cyberlife então ela para pra escutar

 

"E meio complicada..." Nesse momento na radio ele para de falar quando escuta "cyberlife afirma se negar a contruir mais androids para se tornarem divergentes apos a revoluçao cyberlife perdeu muito dinheiro investindo em android eles confirmam que androids sao maquinas e nao pessoas, os protestos contra androids estao aumentando cada vez mais e mais..."

 

Os olhos de traci se tornaram um oceano naquela hora ela desliga o radio e o silencio volta para aquele carro. Chegando a casa os dois saem do carro e rose sai do carro rodeando traci "ta tudo bem garota" traci faz carinho nela que sai correndo ate o sofa da casa quando a porta é aberta.

 

Ele entra na casa e traci para na porta olhando

 

"Connor?"

 

"Sim?" Ele olha pra tras novamente vendo ela

 

"O que eu sou pra voce? Voce sempre voce muda de assunto quando alguem pergunta"

 

"Quer mesmo falar disso agora?" Ela finalmente entra na casa fechando a porta.

 

"Sim!"

 

Ele senta no sofa e suspira "não posso te mostrar"

 

"Nao pode? Como assim não pode me mostrar connor?"

 

"E complicado ta?"

 

"Como assim complicado? Me mostra" ela se aproxima dele tentando conectar as suas maos rindo e ele continua serio

 

"Nao Traci!" Mesmo assim ela força a mão na dele e rapidamente ela faz uma coneçao, nesse momento ela se afasta dele parando de sorrir

 

"O que foi isso?" Ela senta no outro sofa

 

"Eu nao queria que soubesse me desculpa"

 

"Nao queria que eu soubesse o que? Que voce matou minha namorada so porque gostou de mim e agora quer que eu fique com voce? Sabe o pior?! Que eu nao consigo ficar brava com voce!!" Ela gritou

 

"Traci...eu..."

 

"Voce...voce é um belo idiota Connor"

 

Ela vira o rosto entao ele vai ate ela e a puxa para perto a beijando e separa

 

"Voce...ainda é um idiota..." Ele beija ela de novo "e um imbecil" ele afirma e volta a beijar ela seu led fica azul e o dela tambem.

 

Ele segura a mao dela voltando a conectar-se a ela em um momento ela sorriu ao ver seus sentimentos por ela eles param de se beijar e se olham "voce ainda é tudo o que eu disse e tambem um idiota...meu idiota" ela da outro selinho nele voltando sua atençao a rose indo ate o jardim voltou a brincar com ela agora acompanhada de Connor. Ele sabia que agora sua coneçao com ela estava mais forte e quando connor segurou a mao dela, ele soube que nunca mais ele poderia soltar.

 

Dia seguinte~

 

Traci estava em casa e lia uma revista de bebes uma das coisas que ela mais fazia quando estava sozinha, enquanto connor estava agora trabalhando na delegacia junto de hank.

 

"Connor tenho uma noticia pra voce, filho"

 

"Sim, Hank?"

 

"Eu fui promovido ou seja daqui em diante que ira trabalhar com voce nao sou eu, por isso chamei minha filha ela é uma otima detetive e ira te ajudar em tudo que precisar, Helena pode entrar!" Uma garota de cabelos loiros escuros e olhos mais ainda entra na sala tomando a atençao do lugar

 

"Prazer Connor eu sou Helena Anderson e apartir de hoje vou sua parceira para solucionar os crimes" connor olha supredo para ela

 

"Tenete voce tem uma filha? Nunca me disse isso"

 

"Muito menos eu sabia" hank diz e helena olha irritada

 

"Valeu pela consideraçao papai, bom acho que voce é meu irmao certo Connor?"

 

"Bem sim..."antes que ele pudesse continuar a falar ela abraça ele

 

"Eu sempre quis ter um irmao desde que o cole morreu" ele retribui o abraço da garota

 

"Bom acho que podem ir cuidar dos casos agora certo?" disse hank sorrindo para os dois


 


Notas Finais


Sera que a traci realmente perdoou o connor?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...