1. Spirit Fanfics >
  2. Everything Is Gray - Fillie >
  3. Shadows from the past

História Everything Is Gray - Fillie - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


oioi tá tarde ngm vai ler

Capítulo 12 - Shadows from the past


Fanfic / Fanfiction Everything Is Gray - Fillie - Capítulo 12 - Shadows from the past

Vancouver - Canadá

23:0 

Millie~

Já estava super tarde, eu me virava de um lado para o outro na cama xingando minha própria falta de sono mentalmente, será possível que eu não consigo pregar os olhos! Eu sempre consigo dormir rápido. Levantei da cama suspirando insatisfeita esfregando os olhos que ardiam de sono, porém a questão era "por que não consigo dormir?". Levantei da cama colocando um hobby de cetim preto e calçando minhas pantufas, resolvi ir até a cozinha esquentar um pouquinho de leite, abri a geladeira e peguei a caixa de leite, porém assim que abri notei um cheiro estranho

— Não acredito que comprei leite estragado — Digo sozinha e na força da raiva pego a caixa de leite para joga-la na lixeira do prédio, detesto jogar coisas fedidas no lixo daqui, iria deixar o apartamento com um péssimo cheiro, e confesso que sou cheia de frescura, odeio sujeira, bagunça, lugares apertados ou com um cheiro ruim. Abri a porta e liguei apertei interruptor para ligar a luz do corredor, porém não ligava, apertei outras vezes e não liga de nenhum forma, suspirei ainda mais insatisfeita e entrei novamente pegando uma lanterna na gaveta do painel, preguiça de ir até meu quarto pegar meu celular

Liguei a lanterna e caminhei até o começo do corredor onde fica outro interruptor, apertei o mesmo porém nada aconteceu. Mirei a lanterna para a caixa onde fica aqueles botões relacionados a energia do prédio, se eu dar uma mexida ali talvez possa volta a luz do corredor, e eu não iria esperar o síndico ou qualquer outra pessoa vir arrumar afinal isso demoraria muito tempo, por volta de una três dias, além do mais eu sou paranóica e não gosto de esperar pelas pessoas sendo que é algo que posso fazer. Voltei ao meu apartamento e peguei uma cadeira da cozinha e voltando até o início do corredor colocando a cadeira no chão e subindo na mesma, abri a "portinha" da caixa e comecei a analisar aquele tanto de fio e botão 

Não sei direito como mexia naquilo, foquei analisando por alguns minutos mas minha lanterna era muito fraca, acho melhor eu pegar meu celular, então me virei para descer da cadeira porém quando virei havia uma coisa horrível com o rosto preto parada na minha frente com um hobby marrom e braços cruzados, tomei um susto tão grande com aquela coisa horrível que joguei a lanterna na cara da coisa

— AI! CARALHO — Grita a coisa caindo no chão por conta da lanternada

— SAI DAQUI, MEU DEUS UM FANTASMA — Grito descendo da cadeira

— Fala baixo! Maluca

— Espera... Finn? O que você tem no rosto? — Questiono pegando minha lanterna e apontando pra cara dele, que em seguida ele põe a mão no rosto por conta do flash

— Máscara facial, não tá vendo? Sua louca — Diz se levantando

— Máscara? Tu é...? Ok isso não importa! O que tá fazendo aqui me observando no meio da noite? Maluco

— Eu vi que a luz do corredor não estava pegando aí vim mexer nos interruptores e você já estava aí

— E pra quer ficar parado atrás de mim? Lunático

— Porque eu sei que você não ia chegar a lugar algum observando os botões

— Olha aqui, seu lixo de ser huma- — Não consegui completar a fala, nossa atenção foi voltada pra lanterna que começou a piscar e de repente a luz sumiu, um blecaute total se fez presente eu não conseguia enxergar nem onde estava a parede — Viu? Isso é tudo culpa sua — Cochicho

— Culpa minha? Você pega essa lanterna sem bateria e a culpa é minha?

— Cala essa boca aí, a gente tem que se achar, vamos andar pra direção da frente — Digo dando meia volta e dei um passo a frente mas senti meu corpo bater contra a cadeira fazendo um barulho, e ainda por cima eu caí no chão por tropeçar no meu próprio pé

— O que você tá fazendo? — Finn cochicha, pude ouvir seus passos caminhando

— Eu errei o lado, merda! — Digo ainda no chão

— Não é por aí, é por aqui

— Por aqui aonde?

— Por aqui!

— Cadê você? — Questiono começando a engatinhar

— Tô aqui — Responde

Suspiro perdendo minha paciência diante daquela situação, então comecei a movimentar minha mão afim de encontrar Finn tocando nele porque se for depender da localização "tô aqui" eu jamais vou saber onde ele tá 

— Você tá brincando de cabra-cega comigo? Fica parado onde você tá! — Eu já ia levantar para minha busca ficar mais prática, mas eu peguei em algum negócio — Ah, te achei

— Meu Deus! Tira a mão daí Millie — Finn cochicha parecendo nervoso

— O que é isso? — Pergunto confusa passando mais a mão — No que eu tô pegando? — Questionei, porém resolvi me levantar do chão

— Ai... não importa, agora vamos — Diz caminhando lentamente para evitar barulhos e eu vou atrás

— Que ódio — Resmungo

— Shhh, para de falar, insuportável!

Continuamos caminhando na ponta do pé, porém Finn parou de andar fazendo eu bater a testa nas costas dele

— Por que você parou?! — Pergunto irritada

— Shhh, faz silêncio, ouviu isso? — Pergunta e em seguida eu faço silêncio procurando algo para escutar

— Não ouvi nada — Digo impaciente — Agora anda! 

— São passos, mas parou 

— São os nossos passos! Cabeça de vento

— Oh! É verdade — Diz soltando uma risada baixa e volta a andar, revirei os olhos violentamente com tamanha burrice desse garoto


Chegamos no fim do corredor, finalmente abri a porta do meu apartamento liguei a luz assim que abri, eu ainda iria pegar a lanterna do meu celular para tentar concertar o interruptor. Entrei no meu quarto pegando o celular e voltando ao corredor notei Finn saindo de seu apartamento com um celular nas mãos, na mesma hora cruzei os braços e fechei a cara, ele já estava sem aquela máscara ridícula no rosto

— O que você tá fazendo? — Pergunto

— Vou mexer no interruptor, óbvio

— Ah você vai? Sabe o que você vai fazer? Vai tomar no seu cu, eu já estava lá primeiro que você

— Estava lá namorando o interruptor, você nem sabia o que estava fazendo, e para com essa sua marra! Isso torna você uma pessoa impossível de se dialogar normalmente — Diz irritado

— Eu só não consigo manter a paciência com você, você é muito metido

— Metido? Eu?! Você se acha melhor que todo mundo

— Não me acho, você que pensa isso de mim porque gosta de julgar os outros sem conhecer

— Não me interessa, você é extremamente mimada, sem educação, metida, intocável, indomável e milhões de outras coisas, sério quem te aguenta? Por que você é tão ignorante? Tão nojenta com os outros? Sério eu nunca vou saber o que o Noah viu em você! 


Que raiva... que raiva, ele não tem noção de como essas coisas mexem comigo, desde tudo que aconteceu eu tento recomeçar minha vida, mas eu me sinto extremamente sozinha, tenho Sadie como amiga mas conheço ela faz pouco tempo, ela não conhece minha vida antes de Vancouver, eu sinto que estou presa a me lembrar todas as noites de como era horrível viver naquela casa, estou presa a me lembrar de que minha mãe me tratava feito um objetivo de lucrar mais e que se eu recusasse a me casar com aquele nojento que me tocava muitas vezes sem eu querer, sem eu deixar, ela iria tirar tudo de mim, eu fugi e fiquei feliz por isso mas não significa que tudo voltou a ser colorido nem nada, ainda continua cinza, extremamente cinza porque estou sozinha, o que eu queria era uma família normal, viver com uma mãe normal, um pai normal, e minhas irmãs, mas eu me sinto como uma fugitiva da vidinha de merda que eu levava e isso me corrói, me torna uma pessoa extremamente tudo isso que Finn falou

Eu só sabia olhar para o rosto dele que expressava sei lá, desprezo, não sei, mas eu não falei nada só limpei a garganta erguendo a cabeça e dando de ombros, como quem não se importava com aquilo que ele disse, forcei um olhar de deboche e virei as costas entrando de volta no meu apartamento, e em seguida pude ouvir Finn bater a porta dele me fazendo fechar os olhos e sentir as lágrimas caírem. Aquilo me machucou, mas obviamente não foi porque ele disse, qualquer pessoa falando isso pra mim seria um gatilho que me faz lembrar o quão destruída está a minha saúde mental



Notas Finais


gente a briga foi séria não é isso de i hate i love you, fudeu, fudeu, fudeu, fudeu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...