1. Spirit Fanfics >
  2. Evil Angel - Timothée Chalamet >
  3. Lago

História Evil Angel - Timothée Chalamet - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


oii gente estou eu aqui de novo para mais uma história para vocês.

e essa história é simples, com poucos personagens, a leitura é fácil, não é complicada e não vai ser tão detalhada, por que eu quero que criem isso na cabeça de vocês, as roupas que eles vão usar os sentimentos, tudo eu quero que detalhem na cabecinha de vocês.


e como vocês sabem eu tenho outra história com o Henry Cavill, então caso você goste dele, vai lá e vê cê gosta.

me desculpem pelos erros ortográficos.

boa leitura beijos beijos.

Capítulo 1 - Lago



Os dias são calmos, ninguém vem. 

Apenas assisto as pessoas passarem e o tempo, nada muda, são as mesmas coisas.






São apenas os pensamentos da jovem, Lola de 19 anos, que trabalha em uma cafeteria. Onde não tem movimento, que fica em algum lugar na Itália.






Só vem um homem que aparenta ter uns 23 ou 24, ele vem todos os dias, em um horário específico,17:45, sempre desacompanhado e pede um macchiato.

Ele é bem bonito, até demais, seus cabelos são longos e um pouco enrolados como de um anjo. Seus olhos claros e intenso. O seu corpo é magro.






Alguém abre a porta, era ele. O mesmo se dirigiu até a bancada onde estaria a atendente, Lola.



- boa tarde, eu vou querer um...

- macchiato. - sorriu para ser simpática.

- já memorizou o meu pedido?

- sim, você vem aqui todo dia e pede a mesma coisa. e só eu trabalho aqui. - falou meio tímida.

- por que? - se sentou no banco que tinha na frente.

- esse lugar é do meu pai, então é meio que um passa tempo, se eu quiser posso sair daqui. mas como não tenho nada para fazer prefiro ficar aqui.

- ah sim... eu nunca te reparei, você é bonita. - sorriu sem mostrar os dentes.



Ela fez o melhor macchiato.


Eu pensei que ele fosse bem introvertido, sabe? na dele, do tipo que não fala com ninguém.

Mas parece ser divertido e do tipo que só deixa as coisas acontecerem. A voz dele é bem calma, é gostosa de ouvir.



- como é seu nome?

- é Lola. - falou colocando o maquiato na frente do rapaz. - e o seu?

- Timothée, mas pode me chama de Timmy. - deu um gole no liquido. - está muito gostoso, parabéns. me fale um pouco mais sobre você, fiquei curioso.


O que falo para ele? Estou nervosa.


- eu tenho 19 e moro sozinha em um apartamento aqui perto.

- interessante. eu ainda moro com os meus pais.

você parece ter uns 24 anos e ainda mora com os seus pais. - riu.

- sim! eles são de boas tá legal?! - falou rindo. - e você acertou eu tenho 24. - bebeu mais um pouco.




Ela é bonita, seu cabelo é escuro e ondulado, como o meu. Sua pele é parda, uma tonalidade linda. Os olhos escuros também e um pouco puxados. E o seu corpo é normal.

Lola parece ser simples, sem frescura e afins.



- que horas você vai sair daqui? - perguntou dando um último gole no café.

- 18:30, só estou esperando você ir embora. - falou conferindo o dinheiro do caixa.

- você quer comer alguma coisa comigo depois?? sei lá... tipo ir em uma lanchonete.



Aí meu Deus ele quer me levar para comer? O que eu respondo? Não quero ser mal educada com ele.


- aaaa... pode ser. - sorriu.



Então Lola fechou toda a cafeteria, conferiu uma última vez o caixa para ter certeza.

Arrumou as cadeiras com a ajuda de Timothée que se prontificou.

Tudo isso levou cerca de 5 a 10 minutos.


Saíram de lá indo em direção a essa tal lanchonete que ele mencionou.


Vai ser legal, eu vou pagar um lanche para ela e depois vou falar que irei acompanhá-la até a sua casa. 





Os dois caminharam algumas quadras até que finalmente chegaram.

Era um food truck simples, com algumas cadeiras, poucas pessoas por conta do horário, mas parecia ser aconchegante.


- você vai adorar o misto quente daqui é uma delícia. - disse puxando a mesma.


Se sentaram em uma mesa bem iluminada, fizeram os pedidos e aguardaram.

 

Enquanto esperavam os pedidos os dois ficaram conversando sobre várias coisas, descobriram que tem bastante coisas em comum. 


Eu gostei muito dela, o jeito dela é encantador.




Não demorou muito para chegar já que os pedidos eram fáceis de se fazer.

Começaram a comer.


- huum... é gostoso mesmo, muito bom. - Lola disse quase com a boca cheia.

- que bom, eu já paguei os nossos lanches.

- não precisa, eu mesma pago.

- já paguei, não tem mais volta. - sorriu.




Não demorou, eles comeram o lanche e foram embora.








- onde você mora? - ele perguntou enquanto caminhavm.

- em um prédio, da padaria Lui's.

- eu sei onde é, vou te levar lá. não quero que ande sozinha por aí.


Aí meu Deus... CARALHO EU VOU ACEITAR.


- ok muito obrigada mesmo, você está sendo bem gentil comigo. - o olhou e sorriu.


Ele apenas retribuiu o seu sorriso de uma maneira singela.


Eu não sei nem o que falar, talvez ela só tenha aceitado para não ter que andar sozinha, já são quase dez horas. Eu faria o mesmo no lugar dela....



Foram andando até que chegaram perto de um lago, e timothée teve uma ótima ideia.


- vamos dar um mergulho, a água deve estar quentinha.

- cê tá louco?! e se alguém pegar a gente? - disse em um tom um pouco preocupada.

- não vai não, relaxa, essas horas já estão dormindo. e outra aqui é calmo, não vem ninguém. - disse já tirando sua blusa, e calça, ficando apenas com uma espécie de "samba canção" azul de cetim.

- sabe o que é... eu não estou com... com... com...

- não está com o que? - parou e olhou para Lola.

- esse vestido não dá para usar com sutiã, por que fica amostra...  - disse olhando para baixo.

- tudo bem se quiser pode ficar aqui, eu não vou fazer nada com você ok? nada mesmo. 

Disse olhando no fundo dos olhos dela.


Por que o meu corpo está sentindo essa vontade de querer entrar nesse lago com ele?

Está bem, foda-se vou entrar, não vai acontecer nada.


Enquanto isso o Timmy já estava dentro do lago.


Então Lola tomou coragem e tirou seu tênis e logo em seguida o vestido, ficando apenas de calcinha e com os seios de fora.

Respirou fundo e adentrou o lago, e a água estava realmente quentinha.

Timothée já estava em profundidade onde a água batia um pouco abaixo de seu peito.

Ela ficou lado de Timmy olhando para a lua.


- por que mudou de idéia? - disse com os olhos direcionados ao céu.

- cê já parou para pensar no meio termo da vida? uma coisa, nem tão lá e nem tão aqui... no meio, um limite, talvez. - hesitou. - não tô falando de morte, morte é mais lá do que aqui, e morte é drástico, bruto demais. 

Olhou nos olhos de Timmy.

- algo mais simplista, mais palpável. que, não sei, tenha um êxtase uma energia, mas que também não tenha o peso da humanidade e da existência. - falou olhando para a água.

- um sonho por exemplo? um eterno sonho? ficar mergulhado na própria essência, vivo mas não existindo. - completou o belo rapaz ao seu lado.

- não sei... estava pensando sobre isso. - Lola disse e deu um mergulho nas águas cristalinas que brilhavam por causa da luz do luar.



E naquele momento, houve um clima especial, uma vibe que os dois puderam sentir. 

Algo além de querer sentir prazer, além do sexo. Talvez a vontade de querer sentir os braços um do outro.


O que foi isso? 






Os dois ficaram nadando, jogando água um no outro. Algo bem bobo e ingênuo.

Foi quando eles pararam de nadar, decidiram ir embora pois já estava muito tarde.

Estavam com tanta pressa que em um ato rápido, acabaram de esbarrando e foi que Timothée acabou caindo em cima de Lola.


Ficaram se encarando nos olhos, e apenas no olhar sentiram a mesma vontade.


Porra que vontade é essa?



- tudo bem se eu te beijar? - disse em um sussurro.

- sim.


Iniciaram um beijo quente e apaixonado.

Com o tempo o beijo foi se intensificando.

Ele desceu os beijos para o pescoço, até que chegou nos seios da garota.

Depositou pequenos beijinhos, beijou ao redor do mamilo, foram beijos carinhosos.

E aquilo a deixou louca, seu corpo ficou completamente paralisado.


Isso está muito bom mas não quero fazer aqui, e não quero fazer agora. 


- Timmy, tudo bem se pararmos por aqui? não me sinto confortável fazendo isso aqui. - perguntou em um tom baixo.

- claro! você está no seu direito. - saiu de cima dela. - melhor irmos logo já está ficando muito tarde.


Eu literalmente estou sem o que dizer, estou sentindo um sentimento estranho em relação há ela, ela me deixou esquisito.




Vestiram suas roupas e saíram dali, ele a acompanhou em casa.

O caminho foi calmo e seguro, trocaram algumas palavras, riram um pouco.



Ela finalmente chegou em seu apartamento, se despediram com um beijo no rosto.


- até mais! 

Disseram momentaneamente.





Caralho...







Notas Finais


e foi isso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...