1. Spirit Fanfics >
  2. Ex Amor >
  3. Você não colabora...

História Ex Amor - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulos pro fds :*

Capítulo 4 - Você não colabora...


Fanfic / Fanfiction Ex Amor - Capítulo 4 - Você não colabora...

Coloquei Natália embaixo do chuveiro e enquanto ela tomava banho coloquei uma roupa em cima da cama. Sorri ao perceber que tudo naquela casa estava exatamente igual a 9 anos atrás. Ao mesmo tempo bate uma tristeza em saber que eu estava no lugar onde tinha sido tão feliz. Mas ao mesmo tempo me fez passar tentar raiva por ela nunca ter acreditado em mim. 

Outro dia minha cabeça com certeza estaria arrependida por estar ali revivendo um passado quando minha família está em casa. Mas dona Rose sempre foi como uma mãe pra mim e quando faleceu por culpa do câncer, pouco antes de sua filha terminar nosso namoro, sofri como um filho. Me vi no dever de proteger sua filha quando a vi em cima daquela mesa. Só Deus sabe o que essa doida é capaz quando bebe. E aquela tal amiga deveria saber também.. Não conheceu dona Rose e quando disse que não está mais entre nós me encheu de raiva.

- Henrique - Naty me chamou na porta do banheiro enrolada na toalha.

- Vou sair pra você se vestir - Ela assentiu.
Sai e sentei no sofá logo ela estava sentada do meu lado.

- Desculpa - Natália sussurrou  encarando  o chão - Acho que passei da conta mesmo. 

- Tá bem? - Ela assentiu - O que te deu?

- Desde que tive a Flávia nunca mais sai assim. Nunca mais bebi. Não exagerei hoje, só não estou mais acostumada. - Ela mordeu o canto da boa me olhando.

- Ei. Eu queria, queria muito, mas eu não posso. 

- Eu sei. - Ela sorriu timidamente. Mas bem sei que de timida não tem nada.

Ficamos em silêncio, não sabia o que dizer mas também não conseguir sair dali.

- Preciso ir, mas não consigo - Digo rindo, de nervoso. - Não sei porque, mas sinto que não foi boa ideia te reencontrar - Ela apenas encarava o chão não respondeu nada... 

... Olhei o celular e Mari havia me desbloqueado. Mandou a mesma mensagem de sempre, e por mais que eu lutasse por esse casamento, esse tipo de coisa me desgastava.

" que você não tem casa, fique aonde está, seu tranqueira, vagabundo"

Podia ser tudo, menos vagabundo...

Costumava acreditar que esse era o jeito de me amar. Sabia que ela tinha muito ciúmes e achava que esse tipo de coisa ela falava na hora da raiva. Mas ultimamente  ando me cansando.
Pensei e repensei, talvez estivesse mesmo errado, me aproveitando do momento pra ter uma desculpa. Mas ver Natália ali na minha frente depois de tanto tempo tinha que ter um porque. Afinal, no passado ela foi o grande amor da minha vida.

..Puxei o braço dela que encarou meus olhos depressa e sem dizer nada a beijei... beijei e beijaria de novo. Loucamente e ferozmente, um encaixe  que só a gente tem e eu tinha esquecido. Suas mãos seguravam firme meus ombros enquanto suas unhas marcavam  minha pele. A minha mão do seu cabelo deslizou pelas costas e ao adentrar sua blusa abriram o sutiã, deixando seus peitos fartos livres, cobertos apenas pela blusa branca transparente... Suas mãos subiram e adentraram meus cabelos segurando meu rosto para o seu como seu eu pudesse fugir daquilo. Meu celular tocava mas eu não estava nenhum pouco interessado  em atender pouco menos saber quem era... Desci uma mão até sua bunda e por dentro do baby doll deslizei os dedos dessa vez, suavemente até sua intimidade fazendo movimentos circulares. Mesmo por cima do fio podia sentir o calor, e como estava molhada...

- Henrique - Naty mordiscou meus lábios. - Eu não tomo mais anticoncepcionais.

- Porque? 

- Estou sozinha, e sem falar que me fazia muito mal. Aquilo é pura bomba. - Suspirei e travei naquela hora, tirei minhas mãos de onde estavam e segurei seus lábios contra os meus.

- Maluca, quase sedi lá no carro... Eu não tenho preservativos.

- Eu tenho, lá no quarto. 

- Você disse que está a 8 meses sem. - Arqueei uma sobrancelha.. estranho...

- Sim. Mas eu e Rodrigo não queríamos mais filhos. Vou buscar. 

Ao levantar ela tropeçou nos próprios pés e quase caiu. 

- Você está meio bêbada ainda né.

- Não. Eu estou bem - Ela respondeu depressa.

- Naty - Segurei sua mão e a puxei. - Não, você bebeu demais, vem cá. 

Queria muito aquilo, mas queria que de manhã cedo eu fosse o culpado.. A puxei e ela sentou no meu colo, voltou a me beijar, calma dessa vez, porém aos poucos foi intensificando e quando me dei conta seus dedos já abriam o zíper da minha calça. 

- Você quer ne? - Se referiu ao meu membro que pulsava contra a calça jeans.

- Você não colabora comigo... essa boca não colabora, esses peitos não colabora - Olhei para eles - Essa bunda não colabora - Apertei com as duas mãos. - Caralho, você tá muito gostosa e não colabora comigo. - Ela sorriu vitoriosa, sorriso safado. - Vamos pro quarto?...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...