História 'Ex' Sra. Jeon - 2 temporada ( Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Tags Bts Jeon Jungkook
Visualizações 547
Palavras 2.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Brasil


Fanfic / Fanfiction 'Ex' Sra. Jeon - 2 temporada ( Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 2 - Brasil

FLASHBACK ON 

Assim que dei a notícia para Taehyung de que iria ser pai ele imediatamente sugeriu que viajássemos. Segundo ele ia melhorar o crescimento do bebê, forte e saudável, além da opção de ficarmos longe do problema maior e a causa de minha tristeza: Jungkook.

Nem precisei pensar duas vezes. Se Taehyung me queira com ele, seja para onde for, eu iria junto.

No mesmo dia fizemos as malas e partimos para o Brasil, minha casa. Ideia de Taehyung, óbvio.

Ele queria que eu ficasse com minha família e assim aproveitar para conhece-los.

Ele me mimava de todos os jeitos possíveis. Sempre perguntava se eu estava com fome ou com desejo de comer algo inusitado. No avião De vez em sempre passava a mão em minha barriga.

- Taehyung ele não vai mexer. Ainda é pequeno demais para isso, eu acho. 

- Aish, não vejo a hora de sentir ele chutando.

- Tae preciso te avisar uma coisa.

- O que, está com vontade de vomitar?

- Na verdade um pouco. Mas não é isso, é sobre minha família.

- E o que seria?

- Assim que eles descobrirem que estou grávida vão meio que mandar a gente casar logo.

- E quem disse que eu não quero?

- Sério?

- Lógico. Jagi, você que está carregando um filho meu, aceita se casar comigo?

- Mas é claro que sim.

Abracei Taehyung com tanta força que quase senti seus ossos quebrarem.

- Ai meu pescoço Jagi.

- Desculpe.

Não resisti em lhe dar um beijo caloroso de felicidade.

Taehyung se levantou de seu assento e virou para os outros passageiros.

- Com licença senhoras e senhores, gostaria de sua atenção para anunciar que está bela mulher ao meu lado que carrega um filho meu, aceitou ser minha para sempre. Ela aceitou se casar comigo senhoras e senhores.

Todos do avião aplaudiram, gritavam e desejavam felicidades. Eu só conseguia agradecer e ficar vermelha.

- Senhor, queira se sentar e colocar o sinto de segurança.

 Disse a aeromoça para Tae.

- Desculpe.

Taehyung volta a se sentar e obedece as ordens. Ele volta a me beijar como se quisesse depositar toda a felicidade dele em mim.

- Menos uma coisa para nós preocuparmos.

- E qual seria a outra Tae?

- Sua mãe não me matar por ter te engravidado antes de casar.

- Haha, verdade.

Poucas horas depois finalmente pude encontrar minha família e matar a saudade.

Apresentei Taehyung a eles como meu noivo, foi meio estranho, mas aos poucos eu estava acostumada com a ideia.

- Você mudou muito Jungkook.

 Disse minha mãe para Taehyung.

- Ah mãe, não. Esse não é o Jungkook. Esse é o Taehyung.

- Oxi, desculpa meu filho. Eu não queria...

- De jeito algum senhora, não precisa de preocupar.

- Vamos logo para casa mãe, preciso te contar mais coisas. Vem Tae vamos pegar as malas.

- Corrigindo, eu pego as malas e vocês vão para o carro.

- Eu ajudo você. Ofereceu papai.

Enquanto os homens saiam para buscarem as malas mamãe me paga de surpresa.

- Então minha filha, de quantos meses está?

- O que? Mãe, o que a senhora disse? 

- Ora menina, não se faça de desentendida. Eu sei. Soube só de olhar para você.

- Mae....

- Quantos Meses?

- Não sei, uns 3 ou quase isso.

- Sua barriga nem apareceu direito ainda, assim fica difícil saber. Mas a médica não disse nada?

- Eu ainda não fui.

- E viajou mesmo assim?

- Mae eu soube ontem, quando fiz o teste, ai Taehyung quis logo vir para cá. Disse que seria mais confortável para mim. E ele queria conhecer vocês.

- Então vamos logo começar o pre-natal o quanto antes. E você ainda vai me explicar essa história direitinho.

- Não tem história nenhuma mãe. 

- Não minta para mim. Agora vamos que eu quero ir logo para casa para você me contar toda essa história.

- Aish, Omma.

- Nem adianta se resmungar em coreano.

Caminhamos porta a fora do aeroporto rumo a minha casa, trajeto que não demorou muito.

Assim que chegamos Taehyung queria conhecer meu quarto e eu o levei até lá, tudo para ele era lindo.

- Tem o seu cheiro.

- O que?

- Seu quarto, tem seu cheiro.

- E desde quando eu tenho cheiro.

- Desde o dia em que saboreei seus lábios pela primeira vez.

- O Brasil te deixou mais romântico ou o que?

- Na verdade me deixou mais louco por você.

Taehyung agarra minha cintura forte puxando meu corpo para si.

- Sabia que você está mais sexy assim gravida.

- Quando eu estiver uma bola bem redonda não irá mais falar isso .

- Pode apostar que vou. 

Taehyung me beija com tamanha sagacidade que demostra o quanto estava necessitado naquele momento. Ele estava excitado, e eu também.

- Sabe, conheço algumas posições para transar quando se está grávida.

- Sem perigo para o bebê?

- Nenhum.

Taehyung volta a me beijar nos levando lentamente para cama. Deita-me na mesma  de forma gentil ficando por cima, porém toma cuidado para não pressionar minha barriga.

Sinto seu pênis duro em minha entrada por cima de nossas roupas, bastou esse contato para me deixar molhada.

Tae deixa minha boca indo de encontro ao meu pescoço. Beija ali com vontade de se saciar, morde um pouco o que me deixa com mais vontade junto com as simulações de estocadas que ele inicia.

- Aaaah Taehyung.

( BATIDAS NA PORTA)

- Filha você está ai. Vou entrar.

DROGA MAE.

Rapidamente Tae sai de cima de mim e senta na cama ao meu lado antes que minha mãe abra a porta.

- Espero não estar atrapalhando nada.

Não mae, imagina. Só o nosso orgarmo.

- Não senhora. Sua filha estava um pouco enjoada e precisou se deitar.

- Algo de errado?

- Não mae, coisa de gravidez, normal.

- Se sentir qualquer coisa me avise logo, mas eu quero saber se a gente pode conversar um pouquinho.

- Tipo agora?!

- Eu vou lá em baixo conhecer um pouco sua casa e vocês duas podem conversar aqui com privacidade. Disse Tae se levantando para sair do quarto, mas antes me deu um beijo.

Quando ele de foi mamãe fechou a  porta e sentou do meu lado na cama.

- Pode começar.

- O que?

- Pelo que me lembro da última vez você estava noiva daquele outro coreano, Jungkook. E agora me aparece com esse e ainda grávida. Então o que aconteceu?

- Ele fez um mal para mim mae. Para meu coração.

- Grave?

- Não sabe o quanto. 

Assim contei minha mae tudo que aconteceu: Turnê, as traições dele em outros países e na nossa cama, sobre as mentiras dele. Contei o quanto estava desolada e perdida, completamente sem rumo na Coreia, sobre o quanto pensei em voltar mas estava salva graças a Taehyung.

Contei da forma que ele me acolheu e me deu proteção para continuar  a trabalhar e a sobreviver na empresa em que meu ex e sua amante estavam.

- E assim que soube da gravidez ele queria vi logo pra cá, pra conhecer vocês e me deixar longe de certas pessoas para proteção minha e do bebê.

- Como Jungkook pode fazer aquilo?

- Até hoje eu me pergunto isso mamae.

- Você fez bem em ter socado ele bem lá em baixo.

- Mãe!

- Eu não teria feito diferente.

- Porque foi a senhora que me ensinou que quando um garoto idiota mexesse comigo, acertasse ele bem nas partes.

- Exatamente, e pelo visto aprendeu bem. Mas a quanto tempo você e Taehyung estao juntos.

- Ah, pouco tempo, alguns meses eu acho.

- E você esta grávida a quanto tempo?

- Já falei mae, não deu tempo de ir na médica ainda, eu soube disso ontem.

- Hum...

- Mae, o que a senhora ta insinuando?

- Tem certeza que esse filho é do Taehyung e não do outro?

- OMMA.

- Nem venha me dizer que não tem chance.

- Eu... eu não sei....

Droga, mãe. Pior que tinha, eu acho... não sei.

- Amanhã de manhã vamos na médica, ela é uma ótima cirurgiã fetal e obstétrica.

- Cirurgiã?

- Sim, ela vai poder tirar essa dúvida melhor. Fiz questão da consulta ser com ela.

- Não sei como isso vai resolver.

- Ela disse que basta você levar uma amostra do DNA do pai biológico e do padrasto.

- E como vou fazer isso, se o Jungkook tá na Coreia, mãe?

- Você ainda deve ter algo dele, não?

- Eu... não sei. Mas, enquanto ao sangue do bebê?

- Ela vai te explicar melhor o procedimento. Agora descanse , que amanhã vamos sair cedo.

Minha mãe deixa um beijo na testa e saiu.

Fiquei mais perturbada aqui do que se estivesse na Coreia.

E se ela tivesse razão, é se o filho não fosse de Tae e sim do cafageste Jeon?

NÃO, isso não seria possível. Ou será que podia?

Peguei meu celular e abrir o aplicativo de ovulação. Chequei com cuidado os dias em que fiz com Jungkook e com Taehyung. 

Com Taehyung fazia cerca de 2 meses e com Jungkook pouco mais de 3, quase 4.

O problema era: eu não sei de quantos meses estou.

Se meus cálculos estiverem certo, basta saber os meses que o bebê tem.

Perfeito.

(batidas na porta)

- Amor, posso entrar?

- Pode sim Taetae.

- Como foi a conversa com a sua mãe?

- Normal, coisas de mães.

Eu não poderia dizer a ele sobre o assunto da conversa. Até porque como vou chegar para Tae e falar: Ah, conversa foi normal, minha mãe acha que o seu filho na verdade não é seu filho e sim do babaca que transou em todos os países com uma garota diferente. Traição do século. Mas isso a gente só vai ter certeza amanhã.

Não dava para falar isso pra ele. Iria magoá-lo muito, dá pior forma, em todos os sentidos.

- Ela não gostou de mim?

- Não amor, ela gosta de você.

- Mas ela nem sabia sobre mim.

- Eu... não... contei pra ela. Nem tive tempo. Por que se eu falasse sobre você teria que falar também da traição e do bebê.

- Entendi.

- Tae, desculpa eu devia ter falado. Foi mancada minha.

- Tudo bem, amor. Assim ela me conhece melhor.

- Eu sou uma péssima noiva. E ainda deixei ela te chamar pelo nome do traste.

- Ei, sem stress lembra. Faz mal para o bebê.

- Mas eu sei de uma coisa que faria bem.

Sorri com segunda intenção mordendo de leve meus lábios.

- Onde a gente parou mesmo?.... ah, lembrei, você ia me ensinar posições novas.

- Então vamos continuar de onde paramos.

Puxei Taehyung pela blusa de encontro a minha boca, mordi seus lábios e experimentei sua língua.

Meus hormônios de grávida estavam a mil, loucos para serem saciados.

Tae vai deitando meu corpo na cama aos poucos, sobe na cama e põe suas pernas dos lados de meu corpo.

Ainda me beijando ele não se deita sobre mim por completo, tomando cuidado para não pressionar minha barriga.

Taehyung beija e morde de leve ao curvatura de meu pescoço, meu ponto fraco, e ele sabe muito bem disso.

Não resisto ao gemer baixinho e  manhosa, louca para chegarmos aos finalmente.

Sua mãos grandes deslizam para tirar minha blusa, coisa que ele consegue com uma facilidade, acostumado a fazer isso comigo sempre que queria.

O que ele não esperava era o fato de eu não usar sutiã.

- Por que está sem sutiã?

- Por que nenhum cabe mais em mim 

- A gravidez te deixa mais sexy, mas faz com que mais caras olhem para você então quando for sair trate de botar sutiã.

- Aish, eu vou comprar, prometo.

- enquanto isso eles são meus.

Taehyung aperta meus seios, mas sem machucar, me deixando em êxtase ao seu toque quente e possessivo com eles.

Apertava uma, duas três vezes ao mesmo passo que massageava.

Logo senti sua língua inquieta passear sobre o bico do meu seio sem tirar A mão do outro. Rodea com a língua pegando a máximo que conseguia alcançar, suga como se mamasse meu seio, o que é uma delícia.

Vez em outra batia a língua no biquinho excitado como se fosse um sininho e voltava a sugar.

Depois passou para o outro fazendo o mesmo processo.

Ele sabe bem como usar a língua, que faz juz A fama que tem de inquieta.

Tae beija o vale entre meus seios e desce lentamente demorando um pouco mais em minha a barriga pouco inchada.

Quando chega no cos de meu short fino ele se recusa a parar e logo trata de descer o mesmo junto com a peça abaixo dele.

Ele puxa tudo até minha panturillha, então me livro das peças para ele.

Tae da selinhos em minha intimidade me deixando toda arrepiada A cada toque de seus lábios na parte sensível.

- Tao molhadinha.

E volta a beijar minha intimidade.

- Taetae... ahhu... não me torture assim, por favor.

- Calma amor, quero fazer você sofrer um pouquinho.

- Não devia. 

Num movimento rápido troco de posição ficando por cima logo me livrando das roupas de Tae. 

Seguro o membro pincelando em minha entrada, molhando o bastante para que penetrasse com facilidade. 

Com toda sua extensão dentro de mim rebolo e quico a ponto de fazer Tae gemer rouco. 

- Se você continuar a rebolar assim vou gozar logo. 

- Ótimo, porque eu também quero. 

Inclino sobre Taehyung e começo a cavalgar sem pena sentindo a sensação de que iria gozar em breve. 

Tae tenta segurar meu quadril para que eu parasse de me movimentar, mas segurei suas mãos e impedi que fizesse sua vontade. 

- Jagi... aaahh.. vou gozar. 

Acelerei o ritmo. 

Taehyung joga a cabeça para trás com os olhinhos fechados e a boca aperta, demonstrando o tamanho do prazer que sentia em se despejar por inteiro. Aquela cena foi o suficiente para que eu me juntasse a ele para saciar e despencar em sobre seu corpo em seguida. 





Notas Finais


Bultaoreune....

Haha💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...