1. Spirit Fanfics >
  2. Excitação Sob Velocidade >
  3. Capítulo 11

História Excitação Sob Velocidade - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Capítulo 11


Ao olhar para seus olhos ele parece estar um pouco puto pelo que acaba de descobrir, com certeza imaginando se eu seria tão louca a ponto de vir em uma festa sem calcinha? Ciúmes que não seria ne gente.

Dou um sorriso malicioso porque gosto do perigo e porque sou doida  e coloco minha calcinha em um dos bolsos da sua calça. O vejo piscar e olhar para baixo e subir o olhar para mim lentamente.

Aos poucos um sorriso safado se forma em seu rosto.

— Sabe que depois dessa eu não irei mais desgrudar de você a noite toda, está ciente disso? Fique esperta porque a qualquer hora poderei sequestrar você.

Jesus cristo. Eu estou sem calcinha. Fudeu. — Vegeta, estou sem calsinha, não me deixe molhada. Ele sorri mais ainda e vai de encontro a minha bunda e enfia a mão sentindo a humidade, ele retira a mão e chupa os dedos.

— Você não existe mulher, como você é doce, facilmente posso me viciar no seu mel. Ele sussurra em meu ouvido.

vou virar sua cadelinha essa noite moço, ficar sem dar é que eu não vou. Bulma, você realmente é doida.

— Sabia que eu viria?

— Eu armei o golpe , você caiu porque quis.

— Mulher, não me provoca assim.

Lhe dou um sorriso espontâneo, pois estou apenas brincando com ele e Vegeta sabe disso ao me puxar contra seu corpo. O clima está fresco essa noite e como estou quase pelada minha pele arrepia ao entrar em contato com o calor do seu corpo.

— Você é tão quente...

— Gosta? Porque posso te esquentar mais mulher, posso fazer você ferver em segundos e você iria implorar por um banho gelado, pois eu não iria parar até estar satisfeito com seus orgasmos.

— Caralh……

Como senti necessidade de ir para qualquer lugar reservado e ser dele. Deixa-lo fazer o que quisesse comigo , desde que o prazer fosse mútuo, claro. Sinto o tecido de sua camisa social colada em seus músculos , meu deus , como queria sentir o peso daquele homem em cima de mim. Queria cada célula dele. Sentir seu peso e saber o quanto ele é quente em todos os sentidos.

Estava quase pedindo para sair daquele lugar até que….

— Vegeta? Achou a garota?

Ele se afastou apenas um pouco de mim e vi quem era o dono da voz que tentava falar o português, mas não cem por cento.

— Claro. Bulma você já deve conhecer Kakaroto, ele foi comigo aquele dia na oficina , é meu melhor amigo.

O homem da mesma altura gargalhou através dos sons. — Assim eu fico emocionado cara, não era você que estava me dando concelho para chegar nas mulheres com cara de mal hoje, tipo igual a você?

Vi Vegeta ficar vermelho , não sei se era de raiva ou vergonha ou os dois. Kakaroto nem se importou e estendeu a mão para mim.

— É um prazer ver você novamente Bulma. Adorei você, combina com nosso perfil, você por acaso não teria uma amiga não?

— A sim , eu tenho algumas , uma delas está ali , o nome dela é Chichi.

Ele encarou quando apontei para a morena que conversava com o barman. Estava de costas e ele pareceu se hipnotizar pois nem agradeceu e foi em direção a ela como se ela o puxasse por uma corda inviável.

— Tomara que ela o trate bem.

— Porque ?

— Chichi é meio louca, ela costuma tratar de forma diferente quando ela gosta de alguém, não me pergunte porque não entendo também. Foi apenas falar e nem deu tempo de avisar.

— Diferente como ?

Assim que ele pergunta , vejo Kakaroto se aproximar por trás e dar uma cantada nela, mas assim que Chichi se vira ela parece se assustar e lhe da dois tapas no ombro dele.

— O que aconteceu? Porque ela fez isso com ele? Vegeta pergunta espantado com a cena assim que kakaroto olha para nós totalmente confuso. A vontade de rir é grande.

— Ela gosta de mostrar que é reservada e não é todas as cantadas que ela tolera, mas ela vai perdoar ele antes de ir embora. Assim que termino de falar a vejo abrir um sorriso para o pobre coitado e lhe acarinhar o rosto.

— Sua amiga é bem louca.

— Mas é uma boa pessoa. Digo gargalhando achando graça de sua reação. Parece que Vegeta não é acostumado a mulheres agressivas.

— Não gosta das agressivas? Pergunto para provocar.

Ele da um sorriso tão perverso que apenas nisso ai já respondeu minhas perguntas.

— Eu gosto quando elas são na cama, me deixa um pouco louco.

— Só um pouco?

— Tente descobrir. 

— Se você diz. Me faço de difícil. Aff Bulma.

— Quer beber algo?

— Me surpreenda.

— Pode deixar. Ele me deixa sozinha e eu começo a prestar a atenção na música que estava tocando e me deixo levar dançando sozinha. Era uma musica sertaneja romântica.

Assim que comecei a dançar sinto um corpo me agarrar por trás e me acompanhar nos movimentos.

Me assusto e rapidamente me afasto e vejo que é Vegeta.

— Desculpe vegeta. Achei que fosse um desconhecido. Me deixei levar pela música e….

— Ei… tudo bem, vem cá. Ele me girou de uma forma tão natural e colou meu corpo tão perfeitamente ao seu que desconfiei de ele ser estrangeiro.

— Você está me fazendo duvidar da sua origem.

— Porque?

— Dança tão bem as músicas brasileiras para alguém da América. Digo ao dançar bem coladinha nele, sentir seu corpo ao máximo que puder é viciante.

— Eu sou meio fã de algumas coisas do seu país.

— Inclusive as mulheres?

— Não vou mentir, exclusivamente as mulheres.

— Você é muito safado.

— Você não viu nada. Venha cá moça. Ele diz a frase da música que estava tocando e me levou ao ritmo dela. Ele era um dançarino tão bom que facilmente peguei seu ritmo.

Ele tinha um sorriso tão lindo que qualquer uma poderia se apaixonar apenas no sorriso. Facilmente cai em seus encantos.

É apenas hoje mesmo. Vou aproveitar tudo que ele puder me oferecer, para que essa noite seja guardada de recordação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...