História EXO Planet - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanbaek, Kaisoo, Referencias, Sebaek, Sulay, Teorias, Xiuchen
Visualizações 39
Palavras 1.363
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Magia, Misticismo, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shounen, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo dedicado a minha melhor amiga, Mari ♥

Capítulo 5 - Two Moons


Estavam andando a horas dentro da floresta. Muitas reclamações vindas de Baekhyun haviam aparecido nos últimos minutos, e agora Chanyeol já não aguentava mais tanta ladainha do baixinho.

 

“Eu to falando que a gente deveria parar para descansar! Olha.” Byun apontou para o horizonte, onde o sol já estava se pondo. “Já vai anoitecer. Vamos parar, por favor...”

 

Chanyeol bufou e parou de andar, na frente do outro que reclamava, e então ele se virou e o encarou por dois segundos antes de falar.

 

“Você. Reclama. Demais.” Disse pausadamente, se aproximando devagar do outro. “Oque você tem, que tanto quer descansar?” E cruzou os braços, encarando o mais baixo.

 

“Minhas pernas doem.” Baekhyun revirou os olhos ao ver que todos haviam parado, graças aos dois.

 

“Tudo bem, vamos acampar aqui mesmo.” Suho bufou e colocou a mochila no chão, sendo acompanhado pelo resto do grupo, retirando suas barracas para serem montadas.

 

O Byun sorriu feliz com a decisão de todos, armando sua barraca às pressas e suspirando satisfeito ao terminar. Ficou encarando sua ‘obra de arte’ por alguns segundos, até perceber que Chanyeol também encarava a barraca.

 

“Oque foi?” Perguntou para o maior, curvando um pouco a cabeça para o lado.

 

“Eu não tenho barraca, e a sua parece ser bem espaçosa...” O Park sorriu e cruzou os braços, agora encarando o outro.

 

“Você está brincando né?” Revirou os olhos e andou até o maior, cutucando o peito alheio enquanto falava. “Você esqueceu de propósito, só para dormir na minha barraca e encher o meu saco!”

 

Chanyeol riu e segurou o dedo do outro, o fazendo parar de cutucar.

 

“Eu só esqueci na nave, não me incrimine assim.” Fez um biquinho e viu o menor revirar os olhos, bufando e resmungando um ‘Tá’, se afastando.

 

“Mas saiba que eu não costumo dormir cedo.” Byun sorriu e entrou na barraca, sendo acompanhado pelo Park.

 

Baekhyun se sentou em um canto e estalou os dedos, fazendo sair pequenos brilhinhos deles. Repetiu a ação mais algumas vezes, até ter luz o suficiente ali dentro. Eram como pequenos vagalumes, mas eles não piscavam.

 

Chanyeol sempre ficava admirado com o que o outro fazia, ele achava aquelas pequenas coisas tão lindas. E quando ele percebeu, não estava admirando apenas os pequenos pontos de luz.

 

“Porque você fica me olhando assim?” A voz do menor ressoou como um pequeno sussurro, e sua expressão era meio confusa. Mas ele sorriu, pois sabia o porquê daquele comportamento.

 

“Essas coisas que você faz com o seu poder, são lindas.” O outro sorriu também, se aproximando do outro lado da barraca e parando poucos centímetros perto do menor.

 

Eles se encararam por alguns segundos. O clima ali estava ficando um pouco diferente.

 

“Quando você vai admitir que esquecer a sua barraca foi só uma desculpa esfarrapada?” Baekhyun aproximou o rosto devagar, sempre falando em um tom baixo e sorrindo.

 

O Park acabou ficando meio tenso, demorando um pouco para raciocinar uma resposta coerente.

 

“Porque eu usaria isso de desculpa?” Sorriu nervoso e suspirou, desviando o olhar para qualquer canto.

 

“Porque eu sei o que você quer...” O menor repousou uma mão na cocha alheia, se aproximando mais e ficando em uma distância perigosa do mais alto.

 

Chanyeol apenas suspirou fundo, tentando controlar suas emoções. Voltou a encarar Byun e segurou a mão em sua cocha, a apertando sem muita força.

 

“Não faça isso se você não sentir nada por mim.” Falou sério, vendo o outro sorrir e o encarar de volta. A esse ponto, o coração do Park já estava quase saltando para fora.

 

Baekhyun não disse nada, apenas se aproximou mais e colocou a outra mão na nuca do maior, selando seus lábios suavemente. O aperto em sua mão diminuiu, e mão do Park acabou indo até a cintura do menor, o puxando levemente enquanto o beijo se intensificava.

 

Se aquilo foi uma resposta ou não, era algo que Chanyeol estava esperando por muito tempo. Mesmo sabendo que pode ser uma das provocações de Baekhyun.

 

Na barraca ao lado, Sehun podia ver a silhueta dos dois. E ele não estava muito feliz com a visão que tinha dali.

 

 

Já era noite, Kai estava completamente desesperado dentro do quarto do motel. Fazia um tempo que suas forças haviam ido embora, ele não conseguia nem sequer se levantar do chão que havia caído quando tentou se levantar do sofá. Ele estava gritando por dentro, desesperado pela ajuda de Kyungsoo que ainda não havia voltado.

 

Ouviu um barulho na porta e viu o baixinho entrar, sua visão estava um pouco turva e ele apenas sussurrou sem muita força um pedido de ajuda. Kyungsoo se desesperou e fechou a porta com força, correndo até ele e se abaixando na sua frente.

 

“Kai! Está tudo bem?! Oque aconteceu?!” O menor quase gritava enquanto levava o outro de volta ao sofá, o vendo deitar a cabeça no encosto e respirar pesado. Levou uma das mãos até a testa suada do outro, sentindo sua temperatura maior que o normal.

 

Era a temida instabilidade dos poderes.

 

“Onde... Você estava?” Kai murmurou pesadamente, segurando um dos ombros de seu colega e o vendo se sentar ao seu lado, enquanto procurava algum remédio no armazém do relógio.

 

“Agora não é hora de falar sobre isso...” Kyungsoo olhou cabisbaixo para o amigo, suspirando e pegando uma pílula. “Abre a boca.” E assim ele o fez, tomando a pílula mesmo sem água.

 

Kai tossiu algumas vezes, ele ainda estava muito mal.

 

“Eu estava... Preocupado... Porque você demorou...” Continuou tentando falar, mas foi calado pelo dedo do menor, enquanto ele balançava a cabeça em um ‘não’.

 

“Você precisa de um banho. Sua visão está melhor?” Recebeu um aceno positivo de cabeça, e ele suspirou aliviado com a resposta. Pediu para o outro se apoiar em seu corpo, e assim o fez, sendo levado até a banheira.

Kyungsoo colocou cuidadosamente o corpo alheio na banheira, tirando todas as roupas de Kai e ligando a torneira para encher. Ele se sentou na borda, enquanto procurava alguns saís de banho e jogava na banheira, agitando a água para misturar.

 

Kai apenas acompanhava as ações do outro com os olhos, seu corpo ainda estava mole e ele não queria se esforçar muito para falar. Acabou sorrindo ao pensar no quão bom era seu colega de trabalho, e o quanto eles se preocupavam um com o outro.

 

“Por favor, não se esforce... Você não precisa me dizer nada ainda, eu sei o que está acontecendo e você precisa descansar.” Kyungsoo falava enquanto ensaboava o corpo na banheira, parando as mãos no rosto de Kai e o fazendo olhar para ele.

 

Afirmou com a cabeça, sorrindo e segurando uma das mãos em seu rosto. Ele fechou os olhos e suspirou, sussurrando uma frase em seguida:

 

“Obrigado por cuidar tão bem de mim...”

 

O menor parou por alguns segundos ao ouvir aquilo, e acabou sorrindo inconscientemente.

 

Depois de alguns minutos, Kyungsoo ajudou Kai a se secar e o levou de volta à cama, já vestido. Deitou o corpo do mais alto no colchão e se sentou ao seu lado, voltando a colocar uma mão na testa dele, checando sua temperatura.

 

“Você já está melhorando... Acho que é melhor eu cuidar de tudo sozinho.” Kai segurou o pulso alheio, negando com a cabeça e se sentando na cama.

 

“Espere eu melhorar e nós vamos fazer tudo juntos...” Continuou com o tom baixo enquanto encarava o outro. “Eu não vou deixar você se arriscar sozinho...” E soltou o pulso do outro, fechando os olhos e apoiando a cabeça na cabeceira da cama.

 

Kyungsoo suspirou e fitou o maior por alguns segundos, se levantando e andando até a porta do banheiro.

 

“Eu vou tomar um banho. Não se preocupe, eu durmo no sofá...” Suspirou e olhou para o Kai, que também o olhava da cama. “Só não me preocupe assim de novo.” E entrou no banheiro, trancando a porta.

 

Kai suspirou fundo e tampou o rosto com as duas mãos, deixando algumas lágrimas caírem.

 

Ele não queria que isso tivesse acontecido agora, não queria ser um estorvo, e também não queria preocupar o seu amigo.

 

Por que no fundo, ele se importa muito com Kyungsoo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...