1. Spirit Fanfics >
  2. Experimento - Imagine Hyunjin >
  3. Você me ensinaria?

História Experimento - Imagine Hyunjin - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


OIOIOIOIOIOI TURU BAUM?

Ai tô empolgada com esse cap. Segundo capituloooooooooooooooooooooooooo.

E ai? Esperaram muito? Como vocês acham que vai ser esse capitulo? Qual a expectativaaaaaa?Eu tô bem animada.

Voy até parar de enrolação, podem ir ler, Amo vocês <3

SE PERSISTIR OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Capítulo 2 - Você me ensinaria?


Fanfic / Fanfiction Experimento - Imagine Hyunjin - Capítulo 2 - Você me ensinaria?

Dessa vez não é clichê, a chuva realmente caia deixando aquele local triste ainda mais melancólico.

O que seria daquela garota naquela situação? Não poderia pedir uma pizza e arriscar a vida do belo moço andando de moto no meio desse temporal.

Seungmin não ia até lá a um dia e ela já sentia falta do novo amigo, o que faria? Sairia no meio da chuva? Não, não queria molhar seu cabelo. Iria encher o saco de Woojin? Também não, ele não se irritava fácil com ela.

As gotas desciam pelo vidro da janela deixando a vista do lado de fora embaçada, ela queria poder ver quem estava passando na rua, mas estava amando a chuva, parecia que havia gostado mais do frio do que do calor.

Foi quando seu celular tocou, um número desconhecido e nem ao menos precisou perguntar para saber que era ela.

- Você pode sair? – ele disso do outro lado da linha – Eu sei que parece estranho, mas hoje é meu dia de folga e eu queria te levar em um lugar – ela sorriu.

- Eu preciso ir com que tipo de roupa? – ela levantou alegre ao ver que ele estava do outro lado da rua deixado de uma cobertura para se molhar.

- A escolha é sua – ele lhe lançou um sorriso

- Tudo bem – ela correu para seu closet – Não irei demorar.

- Estou lhe esperando.

A ligação foi encerrada, ambos estavam felizes, não se viam desde o dia em que pedia em que Seungmin pedira a pizza para ela.

Naquele, os dois ficaram bobos e quando o coreano foi embora ela quis o chamar para comer a pizza com ela, mas ela sabia que ele tinha que ir trabalhar, desde então havia se passado uma semana e agora eles estavam ali, bobos novamente com a ideia de se verem.

A menina se olhou no espelho, não precisa de maquiagem, o Hwang havia a conhecido assim e era assim que ele via vê-la. Apenas uma calça jeans preta e uma camisa de manga comprida rosa por causa do frio, decidiu colocar um tênis, mas faria o máximo para não o deixar molhar.

Ela olhou pela janela pela última vez, apenas para confirmar que ele a esperava ali, foi animada até a porta e a abriu. S/n não precisava contar a ninguém que iria sair não é mesmo? Todos achavam que ela estava dormindo.

A menina saiu pela porta dos fundos para que ninguém a visse saindo dali, mas ele estava a olhando da janela de seu laboratório e S/n sabia disso, mas não ligava, Woojin sabia que ela poderia se defender sozinhas de qualquer coisa então não se preocupou, apenas a observou para saber com quem ela estava indo.

A chuva ainda estava forte, o que a fez hesitar em ir correndo igual uma louca até o Hwang, foi por isso que ele veio até ela com o guarda-chuva em mãos. Não iria deixar sua garota pegar chuva e talvez um resfriado, mas ela não pegaria, sabia muito bem controlar seu sistema imunológico.

Ela sorriu para ele, que retribuiu o sorriso meio envergonhado, estava diante da moça que era dona do seu coração.

- Você fica fofo assim – disse enquanto caminhava ao lado do rapaz.

- Como? – perguntou ainda envergonhado.

- Quando está com vergonha – ele sorriu com o comentário da moça e seus olhos fecharam em um risco, coisa que ela achou fofa.

- Obrigado.

- Onde iremos? – perguntou quando eles chegaram à calçada que era coberta.

- Surpresa – ele piscou e começou a andar com a moça ao seu lado.

O Hwang não soube ao certo como reagir aquele contato, não sabia se retribuía ou não, mas com certeza suas bochechas ganharam um leve tom avermelhado quando sua mão foi segurada pela da menor. A pele dela era macia o que de alguma forma trouxe um certo conforto para ele e o desejo por querer fazer um carinho em sua derme foi grande, mas não faria, não agora. Ele segurou a mão dela e um sorriso brotou no rosto do garoto, se conteve para não a abraçar ali.

O coração acelerado dele e a confusão dela deixa essa história clichê, não é? Mas eu não posso fazer nada, ela não sabia ao certo como funcionava esse novo sentimento e ele iria mostrar para ela que o amor pode brotar até mesmo no coração mais duro que existe.

O caminho foi silencioso, ambos não queriam falar sobre isso agora, deixe que eles apenas curtam a presença um do outro. Quando chegaram no local o Hwang ficou com medo de ela não gostar.

A noite caia bem para aquele local, deixava as coisas ainda mais bonitas aos olhos da menina, ela tomou a frente e adentrou o local, subiu as escadas sendo acompanhada do rapaz; quando chegaram ao terraço ela não pode conter a expressão de surpresa no rosto, ali era linda, dava para ver uma boa tarde da cidade que estava iluminada.

- Aqui é lindo – ela olhou para o rapaz que estava calado ao seu lado apenas observando as expressões da garota.

- Achei que não iria gostar – encolheu os ombros.

- Mas eu gostei – o garoto sorriu.

Eles se acomodaram ali, a sorte era que ali tinha uma cobertura e por isso não havia molhado o tapete que o coreano colou lá mais cedo. Sim, ele já tinha planejado traze-la.

A garota deitou no tapete macio, ele estava limpo, mas não se importaria se estivesse um pouco sujo, era com ele que era estava.

Ambos ficaram em silêncio até a garota perguntar, ela não sabia nada sobre ele, não conseguia saber nada sobre ele e mesmo que o tocasse não conseguia saber, o jeito era perguntar.

- Quantos anos você tem Hyunjin? – perguntou sem olha-lo.

- Vinte.

- Por que você trabalha como entregador de pizza? – dessa vez ela o olhou, deitou de bruços e colocou as mãos no queixo.

- Eu faço faculdade e preciso me bancar já que não moro com meus pais.

- E você gosta de entregar pizza?

- Antes eu não gostava, mas comecei a gostar quando você apareceu – admitiu e a garota sorriu boba.

Eles ficaram se olhando ali, sabiam que aquele ainda não era o momento para um beijo, mas estavam quase lá.

- Desde quando conhece Seungmin?

- Ele é meu amigo, frequentei a mesma escola que ele no ano passado antes de entrar para a faculdade – ele não iria perguntar nada sobre ela, talvez fosse inconveniente, mas estava feliz por ela querer saber mais sobre a sua pessoa.

- E você faz faculdade de quê?

- Medicina, quero ser neurocirurgião – a garota pigarreou internamente. Não gostava da ideia de mexer em cérebros e tinha até certo medo.

- Você vai ajudar as pessoas? Ou vai querer trabalhar me laboratórios? – perguntou receosa.

- Eu quero ajudar as pessoas – ela sorriu, tanto por ele querer ajudar quando por não querer transformar alguém em um experimento como ela.

Depois dessa resposta ela fico em paz e calou-se. Não precisava demais nada nada para saber que ele era a pessoa certa e assim como ela, ele está aqui para ajudar as pessoas, claro, a missão dela poderia ser matar os corruptos, mas ainda era ajuda.

- Por que você fica me olhando desse jeito? – ele perguntou ao já não aguentar mais o jeito que ela o olhava, já estava com vergonha, mas me conte uma novidade.

- Você é bonito – disse tranquilamente e o mais alto não conteve o sorriso, virou o rosto para que ela não o olhasse – Não vire o rosto Hyunjin – ciciou rouca se aproximando dele para que ele voltasse a olha-la – Eu quero ficar olhando para você.

- Você consegue falar as coisas tão naturalmente – enfim ele criou coragem e tocou o rosto dela, confirmando o quanto ele era macio.

- Se eu tivesse vergonha não estaríamos aqui.

- Então você deveria me ensinar a ser como você.

- Você não gostaria de ser como eu Hyunjin – ela faliu baixo – Seria triste, não gostaria de saber das coisas da mesma forma que eu – se referiu mas jeito que conseguia saber as coisas das pessoas apenas por olha-las, ele não entendeu, mas não falaria nada.

- Então o que acha que devo fazer? – colocou os braços para trás deitando sua cabeça por cima dos mesmos.

- Ser você mesmo – essa foi a vez d’ela passar a mão no rosto alheio.

O coração dele acelerou com tal toque, mas não conteve o sorriso. Estava gostando de estar ali com ela e para ela, naquele momento só existia eles dois. Pedia a todas as forças do universo para que ninguém atrapalhasse aquele momento tão precioso.

- Por que? – perguntou ele.

- Por que não seria você?

- Porque se eu fosse você nesse instante eu já teria te dado um beijo – levantou fazendo o rosto de ambos ficarem próximos.

- Você me ensinaria?

- Eu te mostraria – tocou o queixo da mais baixa e por centímetros eles ainda não tinham suas dermes uma na outra, ele queria a permissão dela para tal.

- Apenas faça então – ele sorriu e novamente seus olhos viraram um risquinho.

Agora, esse momento qual eu falara, esse era o clima.

A garota não contestou, ela queria aquele contato. Até então ele não havia tocando os lábios da mais baixa, estava admirando o rosto dela, admirava cada detalhe daquele belo rosto. Foi quando ela fechou os olhos, estava preparada. Ele não precisou se mexer muito já que seus rostos já estavam bem próximos, mas ainda sim foi lentamente até tocar os lábios alheios.

O corpo da garota teve a nova sensação, um arrepio e o toque do rapaz em seus lábios. Nada muito exagerado, foi apenas um selinho, ou era um selinho pois quando ela segurou o braço do rapaz avisando que poderia dar continuidade ao beijo o mais alto adentrou sua língua lentamente na boca dela.

Ele tocou a língua dela e os dois sentiram uma sensação diferente. Para ela aquele contato foi o primeiro de sua curta vida e não se arrependia, ela com ele. Queria ser dele, apenas dele.

Foi assim o resto da noite, com beijos em uma hora ou outra, mas o dois sabiam, eles sabiam exatamente o que queriam um do outro.

Ele queria o amor dela e ela queria que ele a proporciona-se sensações que a fizessem humana. Era a verdade, ambos já amavam um ao outro, só ainda não sabiam. 


Notas Finais


Quanta delicadeza, se fosse eu no lugar dela já teria avançado em cima desse menino, senhor.

Minina, mentira que eles se beijara... rapaz, esses jovens de hoje estão com os hormônios a flor da pele.

Como sempre, eu perdi a memoria e acabei esquecendo do que vai acontecer no cap que vem, então fiquem na expectativa que eu não vou demorar.

Link das minhas outras fics (caso queiram).

Ao cair da noite - Imagine Bang Chan: https://www.spiritfanfiction.com/historia/ao-cair-da-noite--imagine-chan-17481308

Atlântida - Imagine Jungkook: https://www.spiritfanfiction.com/historia/atlantida--imagine-jungkook-19547227

Meu perfil: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/g-dragon18


Kisus3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...