1. Spirit Fanfics >
  2. Expurgo Dourado >
  3. XVII - Perigos e Reencontros - Surpresas inesperadas.

História Expurgo Dourado - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


É gente, voltei, fazia tempo que não trazia essa de volta, acho que agora vou atualizar "New Place", faz tempo que não atualizo essa.

Boa leitura a todos

PS: Esse cap vai ser uma baita se uma surpresa pra vocês.

Capítulo 17 - XVII - Perigos e Reencontros - Surpresas inesperadas.


Fanfic / Fanfiction Expurgo Dourado - Capítulo 17 - XVII - Perigos e Reencontros - Surpresas inesperadas.

A Valquíria estava deitada na cama, seus ferimentos físicos foram completamente curados, mas o seu mental não, culpa da abstinência prolongada de magia, que a deteriorou até entrar em coma, mas melhoraria logo, como ele mesmo disse, ela era uma excelente torre, Rias estava ali havia algum tempo, o loiro levou sua mão até a cabeça da prateada, olhando-a, a febre havia se curado, deveria acordar nos próximos dias.


   - Como deixei chegar a tal ponto... -


   - Foi uma emboscada Rias, não havia nada a fazer, estavam em desvantagem completa, do jeito que estou deixando Issei, ele poderia tê-las tirado de lá pelo menos, mas isso leva tempo - Sasuke estava conversando com Sirzechs, lhe informando dos planos de Rivezim, ele queria, com sua morte, libertar Trihexa, uma besta poderosa o suficiente para destruir todos os mundos, mas por enquanto estavam seguros, não havia despertado, visto que Rivezim precisava morrer, Ophis também estava ali, acompanhando a descrição de Sasuke, que o fazia na companhia de um clone do loiro, que passaria seus conhecimentos para o original assim que desaparecesse.


   - Ela vai ficar bem Rias, tem a minha palavra, você não é um rei ruim, pode ir sem preocupações ou arrependimentos ir ler seus mangás, assistir seus animes ou dar uns "pegas" no Issei - O rosto dela ferveu imediatamente.


   - Ora ora, você quer não quer ? -


   - C-Cala a boca ! -


   - Não precisa ser grosseira assim "princesa carmesim da destruição"... Eu ia gostar de ter um nome legal assim... -


   - "Herói da quarta guerra ninja", "Salvador das Nações Shinobis", "Guardião da Paz", "Mestre Sábio", "Herói-Mor de Konoha", "Criança da profecia" não são o suficiente ? - Logo a voz de Sasuke foi ouvida, fazendo o loiro se arrepiar, sabia que era quase que adorado depois de sua "saída triunfal", mas tanto assim ? Ele queria algo legal como o de Rias, ou de e Issei, "Princesa Carmesim da Cestruição" era algo que passava beleza e terror, "Dragão Imperador Escarlate" passava imponência e poder, "A rainha mais forte", título de Grayfia passava responsabilidade, confiança e certo nível de ameaça", Naruto gostava desses nomes, e queria um título próprio, até mesmo o escroto do Riser tinha um.


   - Não é querendo ofender Sasuke, mas eles não soam tão descritivos a mim agora, nesse momento - O Uchiha pareceu entender o que ele queria dizer, realmente esse Naruto não era o mesmo dos continentes elementais, não era só Naruto Uzumaki, mas também não era Kurama, a lendária raposa de nove caudas, ele sorriu pequeno, olhando para Rossweisse com seu rinne-sharingan, confirmando o que Naruto disse, ela ficaria bem.


   - Então crie um que combine com você, Rias-san é famosa por seus cabelos, Issei-san pela sua armadura, até mesmo Grayfia-san por sua posição, e você ? O que você tem é especial ? Um nome deve refletir o que você é, para seus amigos e inimigos, bem, só vim avisar que a reunião foi encerrada e que ficarei por perto enquanto aprendi como tudo funciona--


   - E aproveitando vai se encontrar com "ela" né ? - O rosto estoico dele se moveu pouco, mas o suficiente para Naruto perceber que ele ficou envergonhado, sorrindo satisfeito, Naruto decidiu deixar isso de lado, desfazendo seu clone e, logo depois absorvendo os conhecimentos dele, realmente a reunião havia demorado, Sasuke, de certo, ficaria com sua "Namorada" por algum tempo antes de se instalar apropriadamente, talvez comprasse uma casa longe de tudo, era bem o estilo dele, logo deixou-os a sós.


   - E então querida Rias, alguma sugestão ? -


   - Ah, não sei dizer, ganhei esse nome porque quando era criança eu perdia o controle do poder da destruição, não foi algo muito legal... - Ela ficou envergonhada só e se lembrar, fazendo Naruto rir baixinho dela enquanto a mesma ficava vermelha, quem os visse agora pensariam que eram amigos a tempos, e sequer imaginaria que tiveram um início turbulento de relacionamento,  mas assim que um entendeu o outro, confiariam suas vidas ao outro.


    - Hummmm, complicado, enfim, a deixarei tomando conta de Rossweisse, não se preocupa com ela, é uma excelente torre, e vai voltar pra você - Dito isso saiu da sala, deixando Rias com um sorriso em seus lábios.


   [...]


   - Ah, Naruto-san, achei você - Ao sair da sala ouviu a voz melodiosa de Yasaka, e, ao se virar, a viu a frente dela, de um jeito diferente, ela tinha seus olhos brilhantes, e parecia querer esconder tal coisa, parecia alegre e contente com algo, obviamente ela não deveria estar ali, deveria estar em Kyoto, mantendo as coisas em ordem, mas havia alguém de confiança cuidando do lugar, então, de tempos em tempos, podia sair e ficar um tempo fora, longe do trabalho, foram poucas as vezes que saiu de sua terra natal, mas agora, ela tinha um motivo.


   Um excelente motivo.


   - Leia, por favor - Ela lhe estendeu um papel, um pergaminho na verdade, o pegou e, imediatamente, o abriu, começando a ler em cochichos e murmúrios, mas depois alcançando a plenitude se sua voz, assim cono sua surpresa ia crescendo a cada pronúncia de palavra.


   - Naruto Kurama.... Aham.... Yasaka... Aham... De cordo com... Hum... Para o desenvolvimento pleno do acordo estabelecido entre demônios e Yokais, e em reconhecimento a seus atos recentes, os quatro Maous decidiram lhe nomear, junto de Yasaka, Guardiões-Mor deste tratado, visando, claro, seu futuro relacionamento com a mesma, lhe é deixado em cargo de proteger ambos os locais ditos como territórios dos partidos desse acordo, e lhe é conferido poderes para atuar em qualquer um dos locais, tendo acima de si somente os quatro Maous... -


   É, Naruto estava meio sem jeito, ele agora era o Guardião legal do acordo entre os demônios e os Yokais, ele já havia estabelecido que não tomaria "partes", mas isso era como lhe dar uma autoridade real para estar exercendo essa responsabilidade, seja no subindo ou em Kyoto, e isso valia tanto para ele quanto para Yasaka, referentes a aqueles assuntos, claro.


  - Y-Yasaka... -


   - Eu sei, é maravilhoso não é ? -


   - É-É... -


   - O que foi Naruto-san ? Não gostou ? -


   - N-Não é isso Yasaka, é que esse tipo de coisa costumam nos deixar ocupados, e eu quero que você dê atenção pra Kunou, não devemos deixar o trabalho ficar acima da família... -


   - Bem, você faz parte da família agora Naruto-san, ainda não é legítimo, por isso ainda não contei para Kunou, mas mesmo sendo ilegítimo, você é pai dela, e, portanto, meu marido, por mais que isso pareça apressado... - A voz dela foi diminuindo ao sentir a mão dele segurar a sua, ele parecia pensativo, mas essa faceta desapareceu ao encarar seus olhos, aquele vermelho, tão congelante e cintilante ao mesmo tempo, era como um infinito de chamas, queimando o nada e a fazendo ficar quente por dentro, o viu sorrir, um sorriso gentil e carinhoso, despreocupado.


   - Seja como for, daremos um jeito juntos, aproveitando que está aqui, não quer jantar comigo ? Preciso esfriar a cabeça, e nada melhor pra me distrair do que uma mulher bonita como você--


    Ele foi interrompido pela loira, que enroscou seu braço com o próprio dela, a observou rapidamente enquanto a loira lhe sorria, porém, em algo inusitado, a perna dela fraquejou, e, em seguida, ela perdeu o equilíbrio, Naruto a segurou, atento, para, logo depois, desmaiar em seus braços, o loiro a olhava, seu rosto estava vermelho, sentia seus batimentos cardíacos rápidos e acelerados, ela respirava com certa dificuldade, seu rosto estava quente, mal se mexia.


   - Yasaka! Yakasa! -


   - Essa... Sensação de novo... - Abriu seus olhos dourados, olhando-o, mas dessa vez não eram aqueles olhos serenos se outrora, o que havia lá era algo diferente, algo que nai condizia com a benevolente regente de Kyoto, tinha algo que não era de sua natureza ali.


  - Como assim "de novo"? - Perguntou sério, sentindo seus batimentos cardíacos acelerados, ele a pegou em seus braços e, em seguida, a levou para dentro, deixando-a na cama, rapidamente criou um clone para procurar a ajuda de Grayfia, a raposa segurou sua mão, ela tremia levemente.


   - Às... Às vezes essa sensação vem... Eu tenho suprimido ela com Senjutsu, mas... Mas tem se tornado ineficaz... -


   - Com licença Naruto-sama - Grafia havia chegado, e, imediatamente, começado a inspecionar Yasaka, não havia nada se errado com seu corpo, kyuubis, apesar dos sintomas baterem, não entravam em "época de acasalamento", seu corpo estava reagindo como se tivesse tomado afrodisíaco, Grayfia baixou a temperatura da sala, amenizando os efeitos sobre o corpo de Yasaka, assim, ela adormeceu.
   Naruto sentiu algo diferente em seu Senjutsu, algo maligno, foi quando percebeu algo diferente nela, não viu nada, mas tinha um pressentimento, foi quando desfez seu kimono, abrindo levemente suas roupas, foi quando se separou com uma marca vermelha, parecendo que a pele dela estava irritada, era como ter um símbolo mal formado, aquilo deixou Naruto preocupado, realmente preocupado.


  - G-Grayfia, sabe o que é ? - Pela primeira vez, a prateada havia escutado preocupação na voz dele, assim que bateu o olho no "símbolo", que parecia não estar completo, ela pareceu perceber do que estava se tratando a situação, seu semblante, já sério, se fechou mais ainda ao perceber certos detalhes, ao redor da "marca" havia vermelhidão, cono alergia, mas vinha de dentro, queimando, o local onde havia essa marca irradiava calor.


   - Alguém realizou um "Ritual de Imprinting", um ritual que marca uma pessoa e transforma seua sentimentos por dentro para determinado alguém - Aí havia algo que Naruto não conhecia, deveria fazer parte dos 10% da biblioteca privada do Maou que deveria ser restrita, Naruto não teria autorização para estar verificando por conta própria, e Sirzechs demoraria para ler todos os livros, vistos que ele era somente um e não podiam fazer clones, foi quando percebeu algo.


    - Acredito que essas informações sejam da parte privada da biblioteca de Sirzechs, com isso eu posso ter acesso ? - Naruto mostrou a ela o documento que recebeu de Yasaka antes dessa situação se iniciar, com uma rápida olhada, e um pequeno sorriso, ela lhe devolveu, lhe dizendo tudo o que Naruto gostaria de ouvir.


   - O documento é legítimo, você tem acesso a tudo referente as informações dos Maous e das livrarias de Kyoto, desde que a situação ameace a estabilidade do submundo ou das terras de Yasaka-sama, venha comigo, iremos encontrar Sirzechs-sama para te dar acesso - Grayfia parecia orgulhosa, Naruto era o primeiro "Guardião-Mor" a existir, alguém que era responsável por manter o equilíbrio, tanto diplomático, quanto cultura de duas ou mais terras, era uma grande responsabilidade, e, seus atos por si só, já provavam que ele era a melhor escolha possível para ocupar tal cargo, isso, e seu relacionamento com Yasaka, que, com o passar do tempo, vinha se tornando mais pessoal.
    Naruto tratou de arrumar as roupas de Yasaka, não queria ter que ficar olhando aquilo, ela abriu os olhos, olhando-o.


   - Por favor descanse Yasaka, vou cuidar de tudo e acabar com a raça do bastardo que ousou fazer isso com você - Dito isso ele beijou a testa da loira, e, em seguida, partiu a passos rápidos para a ponta, junto de Grafya, deixando a raposa de nova caudas para trás com seus pensamentos, havia algo dentro dela lutando intensamente para conseguir se manter, e outra coisa estava tentando dominá-la, não contou isso antes porque acreditou que isso poderia ser um efeito da tentativa ritualística fracassada da Chaos Brigade, mas acabou que não era.


   Tudo o que podia fazer agora era confiar em Naruto.


   Em que mundo isso seria errado ?


   [...]


- Onii-sama... O que está acontecendo ? - Era final de tarde, haviam vários Narutos, alguns ocupando a cadeiras das mesas, outros sentados nas próprias mesas, e o restante estava de pé, lendo livros, Naruto fez o máximo para criar seus clones e cada um pegar um livro, todos liam, apesar da pressa, liam calmamente, procurando qualquer traço de rituais de Imprinting, enquanto isso, ele fazia a mesma coisa em Kyoto, não eram tantos livros lá, mas qualquer informação podia ser útil, pelo que entendia, esse ritual estava mais ela uma maldição, transformando o "alvo" por dentro, pegando a coisa que ele mais amava e o deturpando, obviamente essa era uma tentativa de atingí-lo, pois não era segredo o apreço que Yasaka tinha por ele.
   Lentamente, o alvo dos "sentimentos" de Yasaka iria mudando, pouco a pouco, Naruto seria apagado de sua mente  e substituído por outra pessoa, uma vez feito, era impossível reverter, pois o alvo sofria danos até mesmo em sua alma, e não importasse o quão poderoso fosse o alvo, seu corpo só aguentava uma vez, realizar uma segunda vez o mataria, para resolver isso, haviam duas formas, matar o lançador da maldição, ou obrigá-lo a reverter, abdicando do desejo de mudar os sentimentos do alvo.
   A questão era, muitos iriam sair vantajosos dessa situação, era muito fácil descobrir quem lançou a maldição, mas para isso o ritual teria que ser concluído, e uma vez concluído não podia ser revertido, ele teria que descobrir quem realizou o ritual e obrigá-lo a abdicar de sei objetivo, ou matá-lo, havia jeitos de descobrir.
   


      I - O alvo não conseguia pronunciar o nome da pessoa que realizou o ritual.


II - Ao se aproximar de quem realizou o ritual, o alvo não consegue pronunciar palavras relacionadas a pessoa que sua mente está mudando, ou seja, Naruto no caso.


   III - Com o realizador do ritual, a marca acelerava seu processo de mudança.


   A primeira era quase impossível de realizar,  Yasaka conhecia muita gente, pra segunda não seria viável também, mas havia um jeito de rastrear, mas era arriscado, o jeito era deixar a marca progredir, assim ela aumentaria sua energia de dentro para fora, por isso que o Naruto original ficou "afiando" seu senjutsu para tentar rastrear desde já, era possível, improvável, mas possível.


   - Alguém realizou um ritual de "Imprinting" em Yasaka-sama, Naruto está determinado a encontrar quem o fez, e pra falar a verdade sinto medo do que ele fará quando achá-lo, - Um arrepio subiu o corpo de Rias, sabia que Naruto era alguém que, facilmente, tomava atitudes extremas para casos extremos, Kokabiel era um exemplo bem fresco.


    - Naruto tem alguns suspeitos, mas nada concreto, está tentando rastreá-lo, está se esforçando ao máximo, não duvido que ele consiga, pelo menos, uma pista, e eu não pretendo interferir no julgamento dele -


   - Mas Onii-sama--


   - Não tenho mais autoridade sobre ele nesse assunto, Naruto agora é, junto de Yasaka, um "Guardião-Mor", um posto recém criado pelo conselho para manter o equilíbrio do acordo entre Yokais e Demônios, ele está acima de tudo para tratar esse assunto, e o julgamento do culpado cabe a ele e Yasaka, redobrarei a guarda e vigia sobre Kunou-san, isso se Naruto já não o tiver feito -


   - Obrigado por se preocupar com ela vermelhão, estou de olho, aliás, em todo mundo, todos vocês fazem parte de minha vida e podem ser alvos, fiquem atentos e me contem qualquer coisa estranha que virem ou sentirem - Ficaram mais algumas horas conversando, quando, de repente, assim que terminaram de guardas os livros, todos os clones desapareceram de uma vez, deixando para trás a fumaça, que desapareceu rapidamente.


    - Seu precisarem de mim vão até minha casa, deixei um clone de prontidão  que continuará antes de desaparecer, até breve - E desapareceu, deixando os irmãos para trás, Sirzechs normalmente ria nervoso quando isso acontecia, mas naquela situação, tão instável e crítica, não podia fazê-lo, foi muito difícil realizar um acordo com os Youkais, e isso estava a ponto de ser destruído, mas Naruto não permitiria.


   - Onii-sama... -


   - Não se preocupe Rias-Tan, Naruto consegue resolver... E bem quando eu tinha decidido... -


   - Decidido o que ? -


   - Bem, não custa te contar, mas prometa-me que vai guardar segredo... -


    [...]


   - Boa tarde pequeno pássaro -


   - B-Boa tarde Naruto-Sama - De forma fofa e adorável, Ravel se abaixou levemente, cumprimentando-o, era óbvio que ela já sabia das últimas informações a seu respeito, era membro muito responsável e respeitável de uma das famílias mais antigas do submundo, pertencente aos 72 pilares, uma das épocas restantes no mundo atual.


    - Corta essa de "Sama", na verdade quero discutir algo contigo... - Naruto parou de falar devagar, até virar para o lado, estando ambos a frente da mansão Phenix, cuja grande porta estava sempre aberta, o loiro viu Riser passar por dentro da porta, e, assim que seus olhares se cruzaram, a raposa fechou a cara, deixando seus olhos vermelhos brilharem fortemente enquanto ele passava, sem nunca desviar o olhar, impossível para Ravel não perceber isso.


   - Vamos para um lugar reservado, parece que é algo realmente importante - Ela o guiou para um local no jardim, a verdade era que aquele jardim era especial, lá haviam plantas que sugavam palavras, chegando lá, Ravel pegou uma rosa e a cortou usando fogo de Phoenix, ao fazer isso, significava que somente aquela planta iria absorver as palavras, e somente uma delas podia fazer isso por vez, ou seja, somente uma planta mantinha guardada a conversa que teriam, todas as outras, cortadas ou não pelo menso método, "esqueceriam" além disso, o próprio jardim isolava suas palavras, dois casais podeiram estar conversando lado a lado, mas um casal não escutaria o outro, tido ficaria mudo.


   - ...Entendo, então foi isso que aconteceu, mantenha assim, irei pesquisar tudo o que eu puder, pode ser que tenha alguma informação importante, mas também... Naruto-Sama ? - Enquanto segurava a flor, ela brilhavam, foi quando a loirinha se virou, por um instante, e, em seguida, surgiu o maior, segurando o corpo de um encapuzados, inconsciente, segurando seu pescoço e o arrastando, como se não fosse nada.


   - Ravel-chan, avise seus pais, e somente a eles, sobre a situação, irei levar esse traste para Sirzechs e vamos interrogá-lo, ele estava querendo escutar a conversa e se aproximou demais... Pra falar a verdade, avise a eles que você virá comigo pois precisa tratar um assunto com Sirzechs, nesse tempo você será a minha "ajudante" e estarei "te roubando" um pouquinho "dele" - Naruto deu um sorriso sugestivo,  fazendo a pequena (e adorável) loira corar, em seguida a flor se queimou e ela se teleportou para dentro utilizando um círculo de invocação.


    - É colega, sua vida vai ser conturbada... - 


   [...]


    Ele abria os olhos escuros, Naruto encarava suas orbes escuras, assim como o cabelo, a pele pálida dele não parecia muito saudável, mas, inspencionando-o, reconheceu um símbolo, um símbolo parecido com o que estava se formando em Yasaka, mesmo naquela situação, Naruto mantinha a cabeça fria, e queria conversar com ele, antes de apelar lar seu melhor amigo, além do mais, Sasuke estava ali também, o Sharingan arrancava informações como ninguém jamais faria.


   - Está acordando, bom, bom, agora podemos conv--


   - Não vou dizer nada, palerma de nove caudas -


   Ele tentou se mexer, mas estava amarrado a uma simples cadeira, seus pulsos, tornozelos e pescoço tinham algemas grossas, ligadas a correntes espessas, feitas do elemento que Naruto descobriu realmente não permitiria a circulação e uso de magia, era impressionante o que esse metal podia fazer, se ele injetasse em alguém essa pessoa ficaria o resto da vida sem usar magia?


   - Bem, eu tentei pessoal, Sasuke... - O moreno se aproximou, e o negro de seus olhos brilhou em vermelho, enquanto o esquerdo, a qual o Rinne-sharingan nunca se desativava, brilhou em roxo, Ravel e seu pai, o lorde Phoenix, um homen alto, loiro, combina barba bem feita em seu rosto, vestindo trajes formais, tinha um pouco das feições que Riser herdou, junto de Sirzechs e Grayfia, viram o homem começar a gritar assim que encarou seus olhos, também começou a bater os pés no chão e a ter espasmos de dor, essa era a consequência de tentar resistir.


   Depois de alguns minutos de gritaria, o homem foi permitido e perder a consciência, enquanto que Sasuke parecia pensativo.


  - É Naruto, seus assuntos fazem inimigos por si só, esse homem é o seguidor de um "Braço" da Khaos Brigade, antes desfeito pela organização e agora usado por Rivezim, além disso, da forma que eu era um "espião" dentro do clube dele, ele também tinha um espião aqui, e, em troca de ajudá-lo, ele pediu algo em troca, Yasaka... -


   - Fala logo quem é! -


   - Bem, antes de eu dizer, precisamos de um plano para pegá-lo, visto que, em sua posição, ele pode facilmente encobrir as pistas, e minha palavra não serve, uma vez que não tenho como provar o que direi, mas vamos lá... -


   - Então, qual o seu plano ? -


  - Simples, vou matar Yasaka e trazer uma amiga -


   [...]


   - O plano está indo de acordo, mesmo que descubram que eu fui o responsável, não poderão provar nada, e, assim que ela for minha, você terá o que tanto quer Rivezim, eu mesmo vou te matar - Rivezim estava completamente preso, suas dez asas, arrancadas, estavam presas ao redor dele, aprisionadas por correntes que a mantinham imóveis, com mãos e pernas abertas, estava prensado em uma parede de, com correntes negras saindo de seu corpo, tendo algemas grossas em seus pulsos, tornozelos, cintura e pescoço, os olhos estavam vendados e sua boca amordaçada, imóvel.


   Mas mesmo assim ele acenou.


   - Vou fazer aquele loiro se arrepender -


   [...]


   - Pronto Grayfia-san ? - Com o aceno da empregada, Sasuke tocou o peito de Yasaka, e, com um selo de mal, liberou um chidori, poderoso o suficiente para iluminar a sala, foi de repente, mas forte o suficiente para encerrar os batimentos cardíacos da raposa,  em seguida, ao sinal do moreno, Grayfia congelou-a de forma imensamente veloz, conservando-a em um bloco de gelo sólido, com cama e tudo.


   - Agora podemos agir Naruto, com o enfraquecimento ou desaparecimento do selo, você vai poder rastrear a energia dele como fogo em um pavio, deixe o resto comigo - Logo Naruto começou a rumar em direção a um local específico, para o desespero de Ravel e seu pai, rumou para a mansão dos Phoenix, assim que adentrou o local, o loiro foi, de maneira veloz, em direção ao seu principal suspeito, alguém a qual ele já deveria ter suspeitado, mas esqueceu completamente, adentrando em um grande salão, onde estava seu alvo, junto de sua grande nobreza, rumou direto para ele, sem dar tempo de qualquer uma reagir,  e menso em meio a sua nobreza, com seu avanço ele foi arremessado e prensado na parede, com a mão do loiro mais baixo em seu pescoço.


   - Nem sua "imortalidade" vai te salvar de mim depois do que você fez, seu pedaço de merda - O Phenex tentou posicionar sua não no rosto do loiro para liberar suas chamas, porém, com um rápido movimento de mão, Naruto a direcionou para cima, enquanto uma bola de fogo surgia e rapidamente desaparecia, com a outra mão tentou golpeá-lo, porém ela foi completamente engolida por Marek, que projetou sua cabeça para fora do corpo do loiro, no peito especificamente, enquanto a luz das chamas era visível  dentro de sua garganta, até desaparecer.


  - O que acha que--

 

  - Foi você quem realizou o ritual em Yasaka seu merdinha e eu posso provar, não conseguiu Rias então foi atrás dela né ? Decisão de retardado, ainda mais comigo! - Naruto parecia quase espumando pela boca, e espumava mesmo, pequenas labaredas de chamas escapavam de sua boca a cada palavra, seus olhos, vermelhos, indicavam que estava a uma palavra de estripar o terceiro filho dos Phenex ali mesmo, de uma forma que deixaria cicatrizes, no mínimo, toda a nobreza do loiro estava pronta para avançar.


   - Só Kuroka sabe o quanto eu quero te exorcizar na porrada -


   - Largue Riser-sama agora mesmo! - Mandou-lhe uma mulher de cabelos e olhos arroxeada, apontando para ele uma série de magias, essa era Yubelluna, rainha do Phenex, usuária de magia explosiva, usava roupas provocantes, como todas as outras integrantes de sua nobreza, que, aliás, estavam em posição de combate, e teriam avançado contra o loiro, se não tivessem sido impedidas.


   - Não ataquem!! -


   Era impressionante como uma irmãzinha "Tsundere" podia mudar rapidamente seu tom de voz, meigo e gentil, para um autoritário em um tom poderoso, até Naruto se assustou com tal brusca mudança, todas olharam para ela, inclusive Riser, que parecia sorrir, sua irmã estava ali para ajudá-lo e expulsar aquele invasor, certo ?


   - Ravel! Mande-o me largar--


   - Pela autoridade do recém-nomeado Guardião-Mor, você está sendo acusado pessoalmente de conspirar contra o equilíbrio do acordo entre o sub-mundo e Kyoto, além de conceder informações vitais para o próprio Rivezim Livan Lúcifer -


    Ele estava chocado, sua própria irmã iria traí-lo ? Se voltar contra ele ? Entretanto, logo o choque foi substituído por um sorriso desafiador, em seguida, olhou para o loiro que segurava eu pescoço, enquanto sua mão continuava sendo segurada por Marek para proteger Naruto de um possível ataque.


    - Então provem que sou culpado! Eu os desafio -


    - Esse desafio já foi aceito e vencido Riser, agora me acompanhe com um pouco de dignidade pelo menos, e se tentar fugir, arranco seus braços e perna e te levo te segurando pelos cabelos - A voz soou tão naturalmente que um arrepio subiu por sua espinha.


  [...]


  Todos os quatro Maous foram chamados para esse assunto como uma emergência de alto calão, alem disso os pais e irmã se Riser estavam presentes, representando o clã Phenex,  a reunião havia começado havia algum tempo, Riser estava no centro de uma mesa circular, sua nobreza estava assistindo como testemunhas, Kunou foi avisada do estado de sua mãe e veio cuidar dela, toda a iniciação havia sido feita, Naruto estava atento a qualquer tentativa de Riser de fugir, o clima estava tenso, mas o Phenex estava confiante, não haviam provas nem pistas, o ritual foi feito sem qualquer tipo de rastro, ter conseguido se esgueirar até a governanta de Kyoto usando Dimeritio, o metal que anila magia, foi uma boa ideia, já que a execução do metal não precisava de magia para ser executado, somente palavras certas e um pouco do sangue do realizador.
  Logo um portal se abriu, de dentro dele, surgiu Sasuke, que logo deu passagem para outra pessoa, uma loira formosa, bonita e sem dúvidas atraente, com seus longos cabelos soltos, olhos mais claros do que os de Naruto, pele alva, corpo deslumbrante, vestindo roupas predominantemente roxas, era tão formosa que Riser a desejou assim que viu, o sentimento foi estranho ao vê-la, fazia tanto tempo desde que haviam se visto da última vez.


  - Então sasuke-kun, que tipo de favor precisa de mim ? -


   Até mesmo a voz dela estava diferente, mas ainda assim parecia como antigamente.


   - E-Espera... ! -


   Todos olharam para ele, que apontava em direção a loira, não somente isso, como também pulou, caindo no chão tão gracisosamente que nem um ninja conseguiria repetir da mesma forma, em erguida, foi até ela, sempre mantendo o seu olhar descrente e espantado, e, aos poucos, ela o reconhecia, demorou um pouco, mas quem iria esquecer das marcas características de seu rosto, e aquela cor de olhos característica dele ?


   - N-Naruto!?!?!? -


   - I-Ino!?!?!? -


  Houve silêncio por algum tempo, até que a jovem loira se jogou em seus braços, mais do que feliz, rindo, gargalhando, se apoiando nele e balançando seus pés pro alto rapidamente, Naruto girou com ela em seus braços gargalhando igualmente, até colocá-la no chão, ela se afastou, olhando bem pra o loiro mais alto, rodeando-o.


   - U-Uau olha só pra você--


   - Não, olha pra VOCÊ, Ino, desde quando você virou esse mulherão ? Não lembra nem um pouco a patricinha da academia -


  - Ah, eu tô bem, o casamento também, mas viu te falar você tá um gato... Se eu tivesse vindo junto contigo...  -


   - Ahn... crianças ? -


   Comentou Sasuke, fazendo-os voltarem para a realidade, ambos riram sem graça, e logo tomaram uma postura série, Naruto entendeu imediatamente o que ele queria, quem era maior especialista sobre a mente do que um Yamanaka?


   - Ino-san, preciso que você leia e reproduza, para todos aqui desta sala, o que há de informações na cabeça deste homem em relação a está mulher - Disse apontando para Riser enquanto mostrava uma foto de Yasaka, Ino pareceu encantada com a raposa loira na fotografia, e, acenando, se colocou a frente do homem, realizando selos de mão e executando seu jutsu, sob o olhar curioso de todos, pois, ao que pareciam, ela era do mesmo mundo original de Naruto, e veriam uma das técnicas de seu mundo de perto.
    Logo a visão de todos se apagou, para das lugar a uma conversa entre ele e um encapuzado, além é claro de informações detalhadas sobre Maous e o próprio sub-mundo, informações essas pertencentes ao clã Phenex, a conversa que ouviram depois era sobre o ritual de "Imprinting" executado em Yasaka, viram também ele se esgueirando para perto dela para que pudesse organizar o ritual, aproceitando-se de um sonífero para baixar sua guarda, ele pôde realizar o procedimento sem medo ou receio, e, se aproveitando da situação, apalpou bastante os seios da regente de Kyoto, e, para provar que aquilo não era uma ilusão criada por ela ou algo parecido, trouxe uma memória de infância de Riser, demonstrou parte da batalha entre Riser e Issei pela mão de Rias, evento esse que ocorreu pouco antes da chegada de Naruto a aquele mundo, evento a qual todos estavam presentes, ao término da visão, todos voltaram para seu estado normal e o som de um tapa foi escutado, este dado por Ino, no rosto do filho mais novo dos Phenex, que estavam envergonhados pelas ações do filho.


  - Ora sua loira mal-


   - Você ousou tocar nela seu bastardo de uma figa - Naruto estava realmente furioso, sua cauda se dividiu em nove e se enrolou ao redor de seu corpo, e, a medida que seu grunhido de ódio aumentava, o som dos ossos de Riser rachando, quebrando, e se partindo também, porém, uma mão no ombro, vinda de Sasuke, o fez parar para pensar, em seguida largou o loiro como se não fosse nada.


   Menos que nada.


   - Alguém tem alguma objeção sobre o que foi mostrado ? - A voz de Sirzechs, a única a ser ouvida, colocava em cheque tudo o que foi mostrado e comprovado como sendo as lembranças de Riser Phenex, ele se ajoelhou, estava acabado, haviam descoberto e provado, Sirzechs era o único super diabo, e tão representava todos os Maous, Ravel fechou seus olhos e virou seu rosto para o lado, jamais ajudaria seu irmão em algo desse tipo, era abominável, mesmo pra demônios.


   - Guardião-Mor, eu lhe passo a palavra e a sentença -


   Poucos conheciam as leis como Naruto, ele até deu algumas ideias para melhorá-las, sabia dos códigos e documentos, tinha conhecimento de basicamente todo o sistema político do sub-mundo, pousos seriam mais indicados para tal ato.


  
   - Riser Phenex, segundo filho mais novo do clã Phenex, eu, como Guardião-Mor, sentencio você a exílio eterno, perda de posses familiares e negação de seu próprio nome de família, para ser justo, caso alguém, qualquer um seja contra, serei misericordioso - Ele se calou, dando tempo para todos pensarem, não havia sentido em não ser justo, mesmo que por dentro queimasse de raiva pelo que havia feito a Yasaka, deveria ser justo e dar o exemplo para todos, Ino teria perguntado algo para Sasuke, mas algo aconteceu antes.


   - P-Por favor! Clemência!!! -


   Ao olhar em direção a nobreza de Riser, viu Yubelluna lhe implorando por misericórdia, conhecia o passado de todas elas, cada uma delas, claro que perguntou para Ravel, cada uma delas foi abandonada e acolhida por Riser, ele podia ser ruim, muito ruim, mas no fundo, bem no fundo, havia algum tipo de bom sentimento nele, foi quando Naruto suspirou.


    - Muito bem, que se lembre para sempre Riser, foi neste momento que sua punição foi abrasada, pelo pedido de misericórdia de sua nobreza, eu o sentencio a negação de sua presença em festas, bailes ou quaisquer comemoração, também está proibido de participar de qualquer jogo de classificação, também será vigiado dia e noite, a retirada da punição ficará a cargo de seus pais, além, é claro, de retirar todo o encanto sobre Yasaka, e encarar a punição que ela lhe der-


  - Eu me recuso! -


   - Muito bem então, Ino, pode me ajudar a fazê-lo criar "boa vontade"? -


  - Certamente Naruto, com licença - Dito isso realizou outros selos de mão, após isso seu corpo ficou mole, sendo agarrado velozmente por Naruto, e, após isso, a voz no corpo de Riser era a de Ino, indicando que ela teve sucesso em se apossar de sua mente.


  - Isso basta, vamos até Yasaka e repita tudo o que eu disser e falar -


   Riser (Ino) acenou.


   [...]


   Yasaka, com cuidado, foi levada para um salão, mesmo congelada, sob o olhar de todos os outros Maous, Naruto carregava o corpo da Ino, quando os preparativos foram concluídos, o loiro, gentilmente, entregou a loira para Sasuke, em seguida, levou Kunou consigo e, usando suas chamas, descongelaram a raposa congelada com cuidado, tendo cuidado até mesmo de secar suas roupas, Riser (Ino), de aproximou, abrindo a roupa da mesma na feriado da barriga, onde havia a marca, ainda má formada, a pequena loirinha estava preocupada, segurando a mão de Naruto com força.


   - Para reanimá-la, não podemos usar o mesmo método, vou unir meu senjutsu ao seu Kunou, e vamos criar um contraste com a energia já dentro dela, e assim que Ino, controlando Riser, terminar o ritual de libertação dela, vamos colocar tudo de uma vez por um instante para forçar a energia dentro dela agora fora, não se preocupe, não há risco para ela, visto que, nesse momento, Yasaka está morta... Ei, olha pra mim - Naruto tocou seu rosto, com seus olhos lacrimejando, acariciando suas bochechas, encarando os olhos dourados, vermelhos e inchados de tanto chorar por sua mãe, será que algum dia ela ficaria livre de ser alvo de alguém ? Já era a segunda vez que a vida de sua mãe era posta em risco.


   - Vamos trazer sua mãe revolta querida, vamos fazer isso juntos - Ela segurou suas mãos, enxugando suas lágrimas e tomando um semblante sério, Ino estava impressionada com a mudança na atitude da pequena garota, encorajada por Naruto, logo, usando uma faca, cortou seu dedo, fazendo o desenho do mesmo símbolo, só que invertido, virado para baixo, em seguida, o sangue foi absorvido pela pele dela, onde uma luz, avermelhada, surgiu, foi quando a mão do Phenex foi posta acima da marca, e, logo depois, Naruto e Kunou colocaram uma mão cada, na posição do coração, concentrando Senjutsu, e, logo, as caudas de ambos foram libertas, com uma luz dourada e vários fragmentos de luzes, cono vagalumes, começaram a se incendiar, várias chamas azuladas contornaram o local, flutuando como se queimassem o ar, rodeando o salão.
   Assim que a mão do loiro foi separada da pele da loira, uma energia avermelhada foi expelida do local, e, em seguida, todas as chamas azuladas começavam a se concentrar nas mãos dos loiros, sendo absorvidas por elas e as passando para o coração de Yasaka, eletricidade se instalou no local, e os Maous usaram seus poderes para controlá-los e não causar dano ao redor deles ou a qualquer outro, parecia uma tempestade ali dentro, algumas paredes racharam, lascas foram arrancadas, porém, mantidas no lugar por conta do gelo (e reflexos rápidos( de Grayfia ), Sasuke usava seu Susano'o para proteger o corpo inconsciente de Ino.
    A tempestade diminuiu a sua força, até haver certa neblina, de certa forma fantasmagórica, e, de repente, tudo foi absorvido, e, em um grande relâmpago reluzente, de cor azulada cono as chamas de Kunou, com a intensidade de brilho e força de Naruto, tudo se encerrou, e a escuridão se instaurou no salão, como se o corpo da raposa tivesse expelido a morte em si.


   - N-Naruto-Onii-chan... - A voz de Kunou, levemente chorosa, foi ouvida na escuridão, pouco depois, as caudas, cabelos, orelhas e pelo de Naruto começaram a expelir uma luz dourada, quente cono o sol, ele olhou para Yasaka, deitada no chão, respirando devagar, pausadamente, devagar, em sono profundo, com um pequeno sorriso, satisfeito, Naruto a viu abrir os olhos, devagar, e, ao encontrar os olhos de ambas as raposas ali, a luz começou a voltar devagar, primeiro piscando, depois se normalizando no local, Kunou, que havia fechado os olhos, os abriu ao sentir o toque da mão de Yasaka na sua, começando a chorar, ela se jogou em cima de sua mãe, chorando, desfazendo o sorriso, Naruto acenou para Riser (Ino), indicando que podia libertar o Phenex do controle mental, realizando um selo de mão, Naruto conseguiu sentir que o controle mental havia acabado, e, assim que ele recuperou a consciência e controle sobre o próprio corpo, foi golpeado brutalmente por uma das caudas douradas de Naruto, que chicoteou o leito do loiro mais alto, abrindo um grande corte irradiado de chamas, lançando-o contra a parede, quando Ino abriu seus olhos, só pode ver Naruto imobilizando os braços e pernas de Riser com suas causas e segurando seu pescoço.


   - Essas chamas cobrem seu corpo quando se arranca a pele ? - Ele apertou mais Riser contra a parede, chegando a rachá-la, Ino se arrepiou, chocada, Naruto era a pessoa de mais bom coração que ela havia conhecido, ele nunca foi capaz de ameaçar sequer uma borboleta, vê-lo supor algo tão insano e ameaçador era chocante, e a voz demoníaca que ouviu a fez gelar o estômago, o loiro olhou para Yasaka, abraçando Kunou, aliviada por aquela sensação ter abandonado seu corpo, Sirzechs tocou o ombro de Naruto, o acalmando.


   - Já é o suficiente Naruto, ele já foi julgado por sua parte, agora será a vez de Yasaka-sama realizar o julgamento dela - Os olhos, duros, diziam que a situação estava sob controle, ao olhar para Riser, toda a raiva voltou de uma vez, e, com um soco, todo o pilar rachou, o impacto foi tanto que fez Riser perder a consciência, em seguida, o deixou cair no chão, inerte, desacordado, todas da sua nobreza, estáticas desde a revelação de seu crime, não fizeram nada, estavam divididas, deviam tudo a ele, mas descobrir que ele tinha tanta má índole assim as dividia.
   Naruto foi ver o estado de Yasaka, ela estava fraca, mas viva, se recuperaria logo, se ajoelhou, acariciando seu rosto, a segurando em seus braços.


   - N-Naruto... -


   - Não fale Yasaka, ficou morta muito tempo, não se preocupe, está tudo bem - Ele a trouxe para perto de si, lhe cobrindo com suas causas, Kunou segurava a mão de sua mãe, aliviada por ela estar bem, e por Naruto estar ali, a trouxe para junto deles, cobrindo-a com suas causas também enquanto sorria, aliviado prontidão ter acabado bem, se preocuparia com Riser e com quem ele esteve falando depois, afinal, sono esteve dentro da cabeça dele, podia facilmente descobrir isso, ninguém é tão perito na mente quanto um Yamanaka, cedo ou tarde descobriria com quem ele esteve falando, mas, o que importava agora, de verdade, era que elas estavam bem.


  E iria garantir que ninguém fizesse mal a aqueles que amava.


   - Quando foi que o Naruto ficou tão... -


   - Diferente ? -


   - Eu ia dizer "Responsável", mas também serve.


   - Ele me contou, se quiser eu te conto também - Os olhos de Ino brilharam, a verdade era que não houveram consequências de mudanças em seu corpo ou mente por causa das circunstâncias que a trouxeram ali, ao que parecia,ser levado até ali pelo Rinne-sharingan não trazia nenhuma consequência, e, ao que parecia, o inverso podia acontecer.


    Será que podia ver todos de novo ?


   E mais importante


   Será que reagiriam bem a ele ? 



Notas Finais


Bem, é isso, comentem, opinem, critiquem (positivamente) e compartilhem, isso sempre me ajuda a melhorar.

Até a próxima \o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...