História Éxtasis - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Karim Benzema, Marcelo Vieira, Mesut Özil, Sergio Ramos
Personagens Karim Benzema, Mesut Özil
Visualizações 270
Palavras 1.953
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


voltei tão rápido que to até me estranhando
mas é bomba atrás de bomba
espero que gostem, bjs
boa leitura
PS: NÃO ME MATEM

Capítulo 13 - Capítulo treze


Fanfic / Fanfiction Éxtasis - Capítulo 13 - Capítulo treze


Ela é tão linda e sorridente, que é quase impossível de você perceber o quanto ela é machucada por dentro.

—  Caroline Hoier. 

 

Karim Benzema

Passamos o almoço todo rindo das palhaçadas do Gressy e nos encarando. Eu ainda não havia entendido aquele beijo há uns minutos, e não tive tempo de perguntar já que minha filha apareceu na cozinha segundos depois.

- Gressy a louça é por sua conta – Catherine disse e meu irmão resmungou alguma coisa que ninguém entendeu.

- Tem torta de limão que a Sandra fez, você quer? – perguntei enquanto ajudava meu irmão a retirar as coisas da mesa.

- Quero sim – vi seu sorriso e fui até a cozinha com o Gressy. Minha cabeça iria explodir, são muitas teorias, muitos porquês, eu queria tentar entender tudo o que tinha acontecido, o que tinha passado pela cabeça da Catherine em me beijar, não que eu não tenha gostado, longe de mim não gostar de um beijo da mulher da minha vida, mas é tudo muito estranho.

- Mano, ta viajando ai – meu irmão disse enquanto tirava a torta da geladeira.

Eu acordei pra vida e cortei um pedaço pra Cath e outro para a minha filha, que mais parece uma formiguinha, adora um doce, não importa qual.

- Obrigada – Cath sorriu e minha filha bateu palmas em comemoração quando eu entreguei e eu tive que sorrir, minha filha é o meu bem mais precioso, não há nada no mundo que mude isso – Ta gostoso ai Melia? – minha pequena assentiu e nós rimos da animação dela.

- Papai, já acabei posso ir brincar? – assenti e ela veio me dar um beijo na bochecha.

- Nada de correr, princesa. – ela assentiu e foi andando até a sala de brinquedos.

Catherine terminou de comer e ficou me olhando com um sorriso tímido nos lábios, e eu não aguentei, tive que rir. Estávamos parecendo dois adolescentes que haviam acabado de se beijar escondidos dos pais.

- O que aconteceu? – perguntei relaxando o corpo na cadeira.

- Não sei – ela suspirou e vi seus olhos verdes se fecharem – Eu quero tentar entender o que está acontecendo comigo, Karim. Desde do dia que você me beijou e saiu correndo, eu não paro de pensar nisso e você me conhece.

- Você vai se arrepender disso amanhã – disse e ela negou com a cabeça – Nove anos, Cath. Em nove anos isso nunca aconteceu, por que iria acontecer agora? Você só ficou assim por conta do que ouviu.

- Você não queria me beijar?

- É claro que eu queria, eu quero te beijar toda vez que te vejo – confessei e passei a mão pela cabeça – Mas não quero que se sinta coagida a fazer as coisas só por causa daquilo. Aposto que se eu não tivesse falado nada, você jamais teria me beijado, Cath. É isso que eu quero dizer.

- Você acha que eu nunca quis te beijar? – ela levantou da cadeira onde estava e veio na minha direção. Quando percebi eu já estava em pé e nossas bocas estavam muito próximas – Você é gato e é meu melhor amigo, pena que vive entrando em relações que você sabe que não vai ser valorizado.

- Pena que o seu coração não me pertence, não é mesmo? – ela estava jogando sujo, mas eu também sei jogar esse jogo.

- Essa doeu – rimos e ela colocou a mão na minha bochecha – Nem eu sem a quem meu coração pertence, mon amour.

- Não fala em francês que isso é jogo sujo.

- Jogo sujo é você falando essas coisas – ela resmungou e ia sair de perto de mim, mas eu segurei seu pulso. – O que foi?

- Queria tanto te entender – ela riu e beijou minha bochecha – Eu não te mereço né?

- Claro que merece – vi seu lindo sorriso e meu coração apertou, se eu entrar nessa história, eu sei bem que vai sair machucado – E você está me ajudando a entender as coisas. De um jeito torto, mas está. E eu te amo muito por isso. Você é uma das melhores pessoas desse mundinho.

“Uma das...”

Pior que eu sei o nome e o sobrenome de quem é a melhor.

Mesut Ozil

Estava sem fazer nada em casa quando o Bale me mandou mensagem falando pra eu ir pra casa dele jogar FIFA. E eu fui, só não esperava encontrar um rosto conhecido lá, o que a Paloma estava fazendo na casa do Bale?

- Mas então – comecei a falar quando a mulher foi pra cozinha fazer alguma coisa – O que é que está rolando?

- Não sabemos – ouvi sua voz na porta da sala de jogos e me arrependi de ter falado alguma coisa.

- Estamos juntos, bro. – Gareth respondeu logo depois de ter levado um gol meu – Nos conhecendo, só tem duas semanas que estamos juntos.

- Desde o jantar na casa da Catherine? – Paloma negou com a cabeça.

- Começamos a nos ver uns dias depois – respondeu e sentou ao lado do galês, e não é que eles formam um casal bonito? – O objetivo era manter em segredo – jogou aquele leve veneno no ar e eu comecei a rir.

- Ta pegando a pessoa errada então, querida. – caçoei e ela riu enquanto o Bale revirou os olhos;

- Pelo menos não sou eu que continuo sendo trocado pelo melhor amigo – Bale sendo venenoso, since 1989.

- Essa doeu – disse e ele pausou o jogo.

- Bale é muito sem noção, mano! – Paloma sentou do meu lado e pegou na minha mão – Mas sendo sincera, seu coração realmente pertence a Catherine? – ela estava sendo tão amigável que eu não vi mal em desabafar com uma mulher que não fosse minha irmã – Porque meu amigo, você está dentro de um furacão.

- Eu não saí desse furacão nem quando estava no Arsenal – suspirei – Se eu soubesse, não teria partido há quatro anos. – falei demais.

- Como assim, bro? – agora o Bale também parecia muito interessado.

- Eu falei demais...

- Agora você continua – Paloma me interrompeu e eu revirei os olhos – Assim fica difícil de te ajudar, migo.

- Ela foi participar de uma conferencia em Londres tem uns quatro anos isso – respirei fundo, eram momentos que as vezes eu queria esquecer – E nós nos encontramos.

- Espera, há quatro anos ela estava namorando, Mesut. – Bale disse e eu balancei a cabeça – Caralho, como assim?

- Nós transamos, Bale – dei um sorriso debochado – É isso que você quer saber? Porque foi isso que aconteceu – Paloma me olhava de boca aberta – Eu só sei que os dois estavam bêbados, eu fui pro hotel que ela estava hospedada, e nós acabamos bebendo, estávamos bêbados, mas lembramos de todos os detalhes daquela noite, e eu juro, achei que tudo fosse se resolver ali, mas acordei com os chutes e tapas dela. Ainda era madrugada, ela chorava... – e foi quando as lembranças começaram a invadir a minha cabeça

 

“ – O que você está fazendo Catherine? – perguntei enquanto tentava segurar os pulsos da mulher que estava incontrolável na minha frente – Achei que...

- Achou errado Ozil, eu estou noiva. NOIVA. – ela berrou e caiu no choro. Era um choro compulsivo, eu nunca havia visto ela chorar tanto na vida dela – Meu Deus, o que eu fiz? – encostei em seu ombro – Não me toca, porra! – ela levantou da cama e eu olhei para o relógio ao lado da cabeceira, eram quatro e vinte da manhã. Não tinha mais de uma hora que havíamos pegado no sono.

- Cath...

- Não me chama assim, Ozil – ela sentou no chão do quarto e abraçou as pernas – Eu deixei você entrar porque eu queria resolver as coisas do passado, queria entender tudo o que aconteceu, não queria transar com você. Eu to noiva, Ozil. Você entende isso? – levantei da cama e coloquei a cueca – Eu não mereço o cara que eu tenho.

- Catherine, eu sei que você não quer nem me olhar agora, mas eu preciso que você faça isso – agachei na sua frente – Por favor. – seus olhos verdes estavam cheios de lágrimas e meu coração se partiu em caquinhos – Isso que aconteceu aqui hoje, é só mais uma prova de que nossos destinos ainda estão entrelaçados, se você quiser eu abro mão de tudo...

- Eu quero que você vá embora da minha vida, Mesut Ozil. – levar um tiro doeria menos do que essa frase – Pega suas coisas e vai embora. Esse é o meu último pedido, você já bagunçou demais minha vida. Chega.

- Antes de eu ir – respirei fundo porque eu queria muito chorar, mas não faria isso, não aqui – Apenas me prometa que você vai ser sempre a Catherine com o coração mais lindo que eu conheço. Você é linda e tem luz própria. Não deixe que essas dores a apaguem.

- Você fez questão disso, Ozil. – ela levantou e se trancou no banheiro.

E foi ali, a última vez em que eu a vi.”

 

- Caralho Mesut – respirei fundo e minha cabeça começou a doer, essa era uma memória que eu queria apagar da minha mente. Os olhos dela vermelhos por conta do choro, era possível ver toda a dor que ela estava sentindo naquele momento – Isso é muito serio, mano. Aposto que o Benzema não sabe disso.

- Cara, ele não sabe 20% da minha história com ela – disse e a Paloma me olhou confusa – Nós éramos muito felizes.

- Baseado em tudo o que aconteceu...

- Você prefere que ela fique com ele não é? – a interrompi e ela respirou fundo.

- Eu prefiro que ela fique com quem ela achar melhor – óbvio que ela não ia dizer nada – Só que a cada dia que passa surge mais coisa entre vocês dois, coisas que machucam os dois.

- Mas não adianta ela ficar com o Karim se o coração dela não o pertence – Bale disse e levantou do sofá.

- Mas não sabemos a quem o coração dela pertence – Paloma deu ombros e me olhou – O que você quer com ela Mesut?

- Eu quero ter uma vida com ela, Paloma. – passei a mão no rosto – Só quero ver os nossos desejos se realizando. Quero poder construir alguma coisa com ela, sabe?

Antes que ela pudesse responder, ouvimos uma musica toca, logo a Paloma foi correndo até a mochila dela que estava no canto da sala. O cantor eu reconheci que era o Pablo Alboran, um dos cantores favoritos da Catherine.

- Não morre mais – ela nos mostrou quem estava ligando, e era justamente a filha do meu chefe. – Oi boss...

Parei de prestar atenção e peguei meu celular, abri na galeria e vi a pasta que estava ali, que nunca saiu de nenhum dos celulares que eu tive. Entre as milhares de fotos a minha favorita, estávamos sentados na areia e ela com a cabeça em meu ombro; isso foi em  alguma praia de Maiorca. Foi o melhor final de semana da minha vida. Nós simplesmente esquecemos do mundo e fomos.

Benzema tinha ido conosco, mas ele tinha levado a Chloe. Época em que eu fui mais feliz em toda minha vida.

Enviei a imagem para a Catherine.

- *foto* – Enviado por mim

- Sinto saudades dessa época :c – Enviado por mim

- Espero que tenha dado tudo certo na sua conversa com o Benzema – Enviado por mim

- Qualquer coisa me liga – Enviado por mim

Olhei para o lado e o casal estava abraçado, não resisti, tirei uma foto. Espero que eles sejam extremamente felizes juntos, eles combinam. O que é uma loucura pensar que eles se conhecem a menos de um mês.

Mas é o que dizem, conexão não é questão de tempo. 

E eu só queria estabelecer minha conexão com a Catherine.


Notas Finais


OQ SERÁ AGORAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
beijos
joguei a bomba e saí correndo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...