História Extra Paladin - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Voltron: O Defensor Lendário
Personagens Allura, Coran, Hunk, Keith, Lance, Matt, Personagens Originais, Pidge Gunderson, Takashi "Shiro" Shirogane, Zarkon
Tags Angst, Klance, Langst, Shidge
Visualizações 369
Palavras 2.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não vou comentar nada...
Só...
Boa sorte.

Desculpa pela demora, pelos erros & pelo capítulo😢

Capítulo 9 - IX





IX



 Keith acordou, estranhando o fato de Lance não estar em seus braços. Esperando o pior, ele levantou, mas se acalmou ao ver o azul sentando na cama.

 Keith suspirou aliviado, mas o alívio foi embora ao ver Lance encarando o chão.

- Lance?

 Ele se sentou ao lado de Lance. Lance abriu os braços e Keith o abraçou, o que fez Lance se aconchegar no peito de Keith. O azul se recusava a chorar, ele não podia chorar agora.

- Calma... Eu estou aqui.

 Keith o acalmava, afagando seus cabelos e passando a mão em suas costas. Como um pesadelo pode desestabilizar tanto Lance?, Keith se perguntava.

 Lance se acalmou, mas não queria quebrar o abraço que era tão reconfortante. Então permaneceu ali por mais algum tempo.

 Após muito tempo Lance soltou o vermelho, que mesmo relutante soltou Lance.

 Lance deu um sorriso pequeno para Keith, dizendo "eu estou bem, não se preocupe comigo". Keith sabia que esses sorriso era falso, mas Lance se levantou antes que ele pudesse dizer alguma coisa. Ou melhor, tentou levantar, já que fez uma careta de dor e sentou novamente.

 Keith se levantou e ficou na frente de Lance.

- Eu já falei, você em que ficar de repouso.

- Mas eu estou com fome... - reclamou Lance

- Eu te trago comida - disse Keith

 Lance suspirou.

- Me deixa fazer as coisas. Por favor.

 Lance juntou as mãos, e foi a vez de Keith suspirar.

- Eu queria, mas você quase morreu. E nem descansou direito.

 Lance suspirou triste.

- Vem, eu te levo - disse Keith se levantando

 Keith ajudou Lance a ficar de pé, apoiando o braço esquerdo em seu ombro. Lance deu um passo e caiu, Keith se assustou mas conseguiu segurá-lo a tempo.

- Isso não vai dar certo... - disse o vermelho - Espera, tive uma ideia.

 Sem esperar reação do azul Keith pegou Lance nos braços.

- Keith o que você...

- Bom, já que você não se lembra do nosso "momento de união"*...

 Keith ignorou os protestos de Lance, que tão rápido quanto vieram acabaram. Lance olhava para o rosto de Keith enquanto o mesmo caminhava, Keith estava tomando um cuidado quase natural para ele. Afinal, ele a havia carregado Lance daquele jeito muitas vezes.

 Keith parou quando chegou na cozinha. O vermelho deixou Lance no chão, e logo Lance estava tomando seu café da manhã ao lado de Keith.

 Pidge entrou na sala, seguida de Hunk. Os dois praticamente pularam em cima de Lance, felizes por verem que o amigo estava bem. Shiro entrou depois, ficou imensamente feliz ao ver Lance de pé mas não fez igual a verde e ao amarelo. Sabia que Lance ainda estava ferido, por isso o abraçou cuidadosamente. Quando Allura entrou na sala, todos imaginaram os flertes do azul, mas tudo o que Lance fez foi cumprimentar a princesa e agradecê-la. Coran também entrou, e mesmo sem saber muito bem o que havia acontecido não ficou menos feliz ao ver que Lance, o mais próximo de um filho que ele tinha naquela nave, estava bem.

 Todos se sentaram, mas não comeram ou disseram nenhuma palavra. Todos deram total e completa atenção à Lance, e isso o deixou constrangido.

- Pessoal, eu estou bem - disse Lane largando o garfo com um pedaço de waffle - Podem ir... Fazer suas coisas ou sei lá, não precisam ficar aqui.

- Não quer nossa companhia? - perguntou Allura, indignada

- N-não foi isso que eu quis dizer - explicou Lance

- Acho que o que o Lance quer dizer - disse Shiro se levantando - É que ele não quer platéia. Ele quer ficar sozinho.

- Sozinho com o Keith? - disse Pidge com aquele sorriso estranho que Keoth odiava

 Keith fez um "Cala a boca" com os lábios. Ele sabia que Pidge havia visto e também sabia que a pequena iria ignorar.

- Pidge - repreendeu Shiro, para a alegria de Keith - Venham, vamos sair.

 Todos se levantaram, e deram um abraço cuidadoso em Lance. Pidge fez uma cara que irritou Keith quando a garota abraçou Lance e beijou sua bochecha de modo carinhoso. O rosto da paladina era pura provocação, o vermelho quase podia ouvir ela falando "Com ciúmes Keith?".

- Bom ver que você está bem, Lance - disse Shiro após abraçar o paladino azul - Por favor, fique descansando - Lance revirou os olhos e Keith riu - Não revire os olhos para mim, obedeça o Keith e nem pensar em ir treinar, ouviu?

 Keith riu, Shiro parecia realmente um pai. Lance somente bufou, tentando demonstrar uma raiva que não existia. Lance nunca diria isso em voz alta, mas gostava do jeito preocupado do mais velho. Esse jeito, sempre preocupado com o bem estar de todos, o lembrava de sua mãe.

- Está bem - resmungou Lance. Shiro riu uma última vez antes de sair pela mesma porta onde os outros já haviam saído.

 Keith, que não havia se levantado, pegou a mão de Lance que olhou para o vermelho com dúvida.

- Lance, você está bem?

 Mais dúvida da parte de Lance. Por que Keith estava tão preocupado com ele?

- Sim - disse Lance soltando a mão de Keith

- Certeza?

- Eu estou bem, relaxa.

 Lance voltou a comer, mas parou. A dúvida o corroía por dentro.

- Por que tanta preocupação repentina?

 Keith mordeu o lábio.

- Você teve um pesadelo, não teve?

 Um flash de memória e Lance soltou o garfo, repousando-o no prato.

- Sim eu tive mas...

- Foi sobre o quê?

 Lance se lembrou do misto de emoções, vozes, visões e sensações que teve. Como ele conseguiria explicar isso à Keith?

- Eu... Eu não sei, é difícil explicar.

 Keith não retirou os olhos de Lance, seu olhar o encorajava a continuar.

- É como se... Eu não tivesse sonhado com algo, é...

 Lance se interrompeu. E desviou o olhar, até o momento fixo em Keith.

- Esquece.

- Lan...

- É bobagem, e você não vai acreditar em mim de qualquer jeito.

 Keith segurou o queixo de Lance, o fazendo olhar em seus olhos.

- É claro que eu vou acreditar em você. E pode demorar o tempo que precisar para explicar, eu vou ouvir pacientemente.

 Lance corou e se afastou um pouco de Keith, mas sem quebrar o contato visual.

- Foi um sonho com... Sensações? Eu não sei, foi como se eu estivesse sentindo as coisas mas...

 Keith fez um sinal com a mão para que Lance continuasse.

- Eu senti. Eu senti alguém me levando para longe da nave, exatamente como você faz. Eu senti toda a dor, todo o medo. Algumas coisas eu consegui ouvir, e teve...

 Lance desviou o olhar novamente e começou a encarar a mesa. Não por vergonha de Keith, somente não entendia o que havia acontecido.

- Teve... - encorajou Keith

- Aconteceu alguma coisa. Eu não sei explicar, mas foi como se alguém tivesse me beijado.

 Keith agradeceu por Lance não estar olhando para seu rosto, pois o vermelho sabia que estava corado.

- Não que eu saiba como é ser beijado mas...

 Keith engoliu em seco. Então o primeiro beijo de Lance havia sido com ele? E Lance nem ao menos estava consciente? 

- Por quê? - perguntou Lance tornado Keith de seus devaneios

 Keith congelou.

- Perdão?

- Por que você queria saber?

 Keith suspirou aliviado, disfarçadamente óbvio. Por um momento ele pensou que Lance estava perguntando o motivo do beijo.

- Eu me preocupo com você.

 Lance virou a cabeça para o lado, como um cachorrinho confuso.

- Você se preocupa?

- Lógico!

 Estranho, afinal eles se odiavam e...

 Lance se encheu disso. Dane-se que eles se odiaram algum dia, a relação entre os dois estava melhor e tanto os sentimentos de Lance quanto os de Keith haviam mudado. A diferença era que Keith tentava entender e Lance não sabia nem ao menos o que ele tinha que entender.

 Keith respirou fundo, vendo o estranho silêncio que havia se instalado entre os dois.

- Enfim, tudo o que você disse aconteceu. Só essa sensação de beijo que eu não sei explicar - mentira - Mas...

- Como você me achou?

 Lance interrompeu o vermelho outra vez. Keith se lembrou do tempo em que ficou sem dormir para procurar por Lance.

- Eu usei o mesmo que você usou para achar o Shiro.

 Keith percebeu o silêncio de Lance, e não entendeu porque.

- É um sistema bem ruim mas... - disse Lance

 Keith não podia admitir, o que Lance havia feito era incrível, como ele não conseguia enxergar isso?

- Lance, aquilo é genial! E o seu timing... Pidge demoraria muito mais para fazer o que você fez!

- Bom, eu entrei na Garrison por um motivo - sussurrou Lance

 Ou Keith tinha uma audição muito boa ou Lance não sabia sussurrar.

- Como assim?

 Lance se amaldiçoou mentalmente, ele tinha que aprender a sussurrar mais baixo na presença de Keith.

- Eu sou inteligente. Entrei na Garrison porque era inteligente.

 Keith arregalou os olhos em surpresa. Lance não diria isso sem algum motivo.

- Lance - Keith pegou a mão de Lance, e dessa vez Lance não olhou para ele de volta - Alguém acha que você não é inteligente?

- Eu não sei. Eu só...

 Lance apoiou a cabeça em uma mão e começou a brincar com o garfo com a outra, soltando a mão de Keith.

- Quer dizer olha para a Pidge! Dois anos de diferença é ela é mais inteligente do que eu! A Garrison estava cheia de gente assim, e você sabe disso. Tinha gênios prodígios, pilotos incríveis, filhos de pilotos e gênios da ciência...

 Lance deu um suspiro triste.

- E... tinha eu. Alguém que estudava muito, mas não fazia idéia de como pilotar uma nave, sem conhecimento astronômico ou quântico, de um país pobre e que nunca tinha visto as estrelas sem ser no céu. E mesmo estudando muito, eu não entendia algumas coisas.

- Você não... tirava suas dúvidas?

 Lance deu uma risada fraca e triste.

- A única vez que eu perguntei algo em sala de aula todos riram de mim e o professor me olhou como se eu fosse burro ou algo assim.

 Keith mordeu o lábio. Ele se lembrava, em um dos primeiros dias de aula Lance havia perguntado alguma coisa e depois havia se calado.

- Quando eu perguntei para Pidge, ela ficou brava, como se eu tivesse perguntando algo óbvio.

 Lance suspirou.

- Eu acho que era um negócio realmente muito óbvio, mas eu sou burro e não seu dizer se era ou não.

 Keith suspirou também e o puxou para um abraço de lado.

- Não fica pensando assim, você é esforçado e inteligente, e eu sei disso ok?

 Lance deu uma risada fraca, essa um pouco mais animada do que a risada anterior.

- Você podia falar isso para os outros. Quer dizer, que você é inteligente - comentou Keith enquanto brincava com o cabelo castanho de Lance

 O azul deu de ombros.

- Ah, sei lá. A equipe já tem dois nerds.

 Pausa.

- Além do mais, se eu for engraçado um mantenho o humor de vocês melhor.

 Keith sorriu com a preocupação que Lance tinha pelos outros.


(...)


 Pidge entrou em seu quarto bagunçado ainda pensando no que havia acontecido quando Lance estava capturado.

 Pidge, a garota prodígio que entendia de tudo, não conseguia entender o que raios havia acontecido. E isso a irritava, pois era algo tão simples.

 Coisas simples não deviam precisar de explicação, coisas óbvias não deveriam ser perguntadas.

 Pidge tirou seu computador de cima de sua cama e se deitou, apenas olhando o teto.

 Aquele pensamento novamente veio à cabeça da paladina. Pensamento: QUE RAIOS ACONTECEU?

 Quando Lance foi, bem, capturado, Pidge tinha ficado triste e desestabilizada emocionalmente. Seu amigo, seu irmão mais velho de consideração, tinha se sacrificado por eles, e ela havia cedido ao estresse da missão e o diminuído emocionalmente. A raiva da pequena ao ser interrompida enquanto procurava seu irmão também não ajudava, pois sempre que ela estava perto de achar Matt alguma coisa acontecia.

 Mas ver Lance machucado e dizendo aquelas coisas, dele não ser importante e ninguém precisar dele, partiu o coração de Pidge.

 Que irmã mais nova de consideração horrível ela era.

 Então, enquanto Keith procurava seu amor não assumido, Pidge ficava olhando para a parede e lamentando sua existência.

 Até Shiro ver que algo estava errado.

- Pidge? - chamou o líder um dia. Pidge estava no corredor, e ao passar pelo quarto de Shiro fora chamada - Está tudo bem com você?

 Pidge não estava bem. Ela sabia disso, Shiro sabia disso, todos que a observavam percebia que ela não estava bem.

- Quer conversar? - perguntou Shiro

 Pidge suspirou e entrou no quarto de Shiro. Shiro e Keith não deixavam nada no quarto, o oposto exato de Pidge que deixava de tudo no quarto. Hunk pendurava coisas de culinária em um suporte que Pidge era muito orgulhosa de dizer que havia construído, Lance tinha um isolamento acústico que Pidge também era orgulhosa de ter projetado, mas nenhuma pessoa havia coisas como Pidge.

 O que ela achou bom, porque, como Matt dizia, isso era algo preocupante.

 Mas enfim, não era a decoração dos quartos que intrigava a Pidge do presente. O que intrigava a verde era o que havia acontecido com a Pidge e o Shiro do passado.

 Pidge sentou-se na cama de Shiro (que ao contrário à sua estava arrumada) e os dois começaram a conversar. Em certo ponto Pidge começou a falar sobre suas angústias e tristezas e acabou chorando.

 Shiro a abraçou, uma coisa que a intrigava no presente, e ela gostou do abraço e o abraçou de volta, outra coisa que a intrigava no presente.

 Sentimentos que borbulhavam em seu estômago, cabeça confusa e vergonha ao estar perto de alguém... Não era exatamente a descrição de algum filme romântico cliché para explicar o sentimento de paixão?

 A resposta era sim, Pidge sabia disso.

 E era isso que a irritava tanto agora. Era isso que fez a Pidge do presente grunhir e pressionar o travesseiro contra seu rosto.


(...)


 Lance já estava melhor, pelo menos fisicamente.

 Ele estava se sentindo inútil? Sim.

 Ele estava se culpando? Sim.

 Ele achava que era um peso para todos que estavam cuidado e se precupando com ele? Sim.

 Ele estava se achando o maior inútil do espaço? COM CERTEZA.

 O estado emocional de Lance estava como sempre: um nível de autoestima preocupantemente baixo.

 Lance estava indo para seu leão, se esconder de Allura que queria fazer exames nele.

 Lance foi até o hangar do leão preto, e se deparou com a barreira de partículas do mesmo ligada.

 Lance suspirou um pouco triste, m as não se surpreendeu. Ele já esperava isso. Com a volta do verdadeiro líder, Lance, o líder substituto votaria para seu cargo.

 Por isso, o triste Lance foi para o hangar do leão vermelho, s eu leão antecessor.

 Novamente, a barreira de partículas estava ativada.

 Blue vai ficar decepcionada comigo, pensou Lance, Eu me esqueci completamente dela.

 O paladino esquecido foi para seu antigo hangar, o lugar onde tinha estado tantas vezes.

- Oi garo... - Lance se interrompeu, não terminado seu comprimento habitual. "Oi garota, como vai você?" foi cortado e substituído por uma reação surpresa de Lance

 Por que Blue também estava com a barriga de partículas impedindo sua passagem?

 Em desespero, Lance voltou para o hangar do leão vermelho e do leão preto. Rejeitado. Correu até mesmo para os leões dos amigos. Green e Yellow também o rejeitaram, mas não foi algo inesperado.

 Lance voltou para o seu hangar, seu antigo hangar, onde ele sentou uma facada no coação ao ser rejeitado novamente.

- Blue - ele disse com a voz trêmula - Garota... Por que você está me rejeitando?

 Seu coração levou outra facada ao ver que Blue não lhe respondia mais.

 Uma voz no fundo de sua cabeça debochava dele. Eu te avisei, ela dizia, Você sempre soube que era inútil, você sempre soube que seria substituído. Por que a surpresa? Não é como se isso fosse algo inimaginável.

 Eu só... Não achei que fosse realmente ser substituído, disse a voz de Lance. As duas vozes batalharam na mente do azul enquanto o mesmo caia de joelhos no chão.

 Não precisa mentir para mim. Nem para você. Você sempre soube que seria substituído ou esquecido.

 Eu sei eu só..., a voz de Lance disse tristemente, Eu queria acreditar que eles seriam como Alejan...

 Alejandra está morta!, interrompeu a outra voz, o "grito" e o fato fizeram Lance começar a chorar e abraçar o próprio corpo, Ela está morta e você sabe disso.

 Em lágrimas e com a visão embaçada, Lance se levantou e foi até seu quarto.









Notas Finais


*para quem assistiu em inglês "bonding moment"

Eu sei, eu sei
Desculpaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...