História Extras Percico - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Will Solace
Tags Curtas, Drabble, Nico Di Angelo, Percico, Percy Jackson, Pernico, Shortfic
Visualizações 133
Palavras 983
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então... aqui estou eu. Sei que eu deveria estar escrevendo minhas historias e fazendo as betagens que eu prometi, mas... pelo menos eu estou voltando a escrever, certo?

Boa leitura.
a/b/o universo

Capítulo 18 - Tarde de cinema


— Percy, o que você você está fazendo?

Nico olhou para o lado e viu as mãos de Percy deslizarem por suas coxas e acariciarem o interior delas, esfregando sob sua calcinha. Ele sentiu o rosto corar e continuou vendo Percy esfregar sua entrada por cima do pano, enquanto o alfa olhava para a televisão como se nada estivesse acontecendo.

— Hmmm... você sabe... eu não pensei que você fosse esse tipo de ômega. Quando eu sugeri isso eu pensei que você fosse desmaiar.

E era tudo verdade, tudo o que ele havia feito até o momento tinha sido entre quatro paredes, o mais comum possível. Entretanto, ele confiava em Percy se mesmo o que ele e Percy tinham não poderia ser considerado um relacionamento. Depois que Percy tinha terminado com Annabeth, tudo o Percy quis foi ser livre, o que significava também ser livre de rótulos ou obrigações. Nico poderia ter dito não, ele sabia que podia. Mas Percy tinha o apoiado e o consolando tantas vezes que ele não viu motivo algum para negar.

Agora, ele já não tinha tanta certeza. Ele tinha colocado a calcinha que Percy tinha lhe dado no dia que Percy havia mandado. Ele também sabia que seria em um lugar público, o que não tinha tido importância no momento que Percy tinha dito, porque Nico lembrava de estar estatelado em sua cama de casal enquanto Percy o fodia lento e profundo, o mantendo imóvel e voltando a se afundar nele de novo e de novo até que aquele mágico nó os prendesse juntos. O que realmente pirava sua cabeça era saber que Annabeth estava no outro cômodo com Hazel, Leo e Frank, pegando a pipoca para a sessão de cinema deles.

— Porque você está tão quieto? Nós podemos parar, se você quiser.

Nico balançou a cabeça, negando e se sentiu ser abraçado por um braço de Percy, enquanto o outro continuava sua exploração ainda por por cima da calcinha de algodão rosa.

— Percy, e-eu... eu não tenho certeza.

— Você não tem? — Percy beijou seu pescoço e subiu, parando com os lábios atrás do ouvido dele. — Então, porque você está tão molhado, hmmm? Eu consigo sentir você pulsando, a um toque de distância.

E isso também era verdade. Agora que os dedos de Percy deslizavam sob o tecido molhado, fazendo pressão e empurrando a calcinha levemente para dentro Nico se dava conta da imagem que ele deveria fazer; pernas abertas, respiração ofegante e saia levantada. Tudo isso fazia Nico tremer, querer gozar naquele segundo e agarrar a mão que Percy usava para lhe torturar docemente.

— Eles vão nos ver. — Nico enfim suspirou, deixando que sua cabeça caísse para trás e que um gemido abafado saísse de seus lábios.

— Não se preocupe, bebê. Ele não vão ver nada. Eu já não posso garantir que eles não vão sentir. Você tem ideia de como seu cheiro é intoxicante? O puro e doce cheiro de ômega, da sua excitação e do seu desejo? Eles vão desejar estar no meu lugar, vão desejar estar dentro de você. Mas você é meu, não é? Só meu? Você é o meu bom garoto?

Com isso dito, Percy o pegou pela cintura e o colocou em seu colo. Percy voltou a massagear suas pernas e enfim afastou a calcinha para o lado, mergulhando dos dedos grossos dentro dele, o fazendo arfar.

— Ah, agora, sim. Você está tão molhado que está escorrendo pela suas pernas. Você também gosta disso? De imaginar que eles podem chegar a qualquer momento? — Percy voltou a sussurrar em seu ouvido e inseriu mais um dedo, os esticando o melhor que pode quando então Nico sentiu a cabeça gorda roçar em sua entrada.

Um “Ah!” Foi tudo o que Nico pode falar. Ele não tinha noção do lugar de onde estavam, o que acontecia ou quem estava ali; tudo o que ele pode fazer foi abrir mais as pernas para Percy e sentir a cabeça gorda enfim entrando dentro dele, rápido e fundo, alcançando seu ventre e roçando sua próstata com determinação.

— Shhh... está tudo bem. Eu estou aqui. Você não quer que eles te escutem, quer? Shhh... isso, é, assim, gostoso. Rebola pra mim, rebola.

Nico prendeu um gemido no fundo da garganta e se sentiu ser inclinado para a frente, ele se apoiou na mesinha de centro e fez como Percy instruiu; ele rebolou, subindo e descendo até que Percy o puxou para cima novamente, algo de apressado em seus movimentos. Ele sentiu Percy o agarrar com força pela cintura e o empalar de um só vez.

Nico não pode evitar, ele gritou a plenos pulmões e depois relaxou contra Percy, sentindo o nó passar forçosamente por sua entrada e se alojar bem em cima de sua próstata, enquanto Percy continuava preenchê-lo e a inchar dentro dele.

— Porra, bebê. A cada vez você fica mais apertado. — Percy voltou a deslizar as mãos por suas coxas e quando Percy chegou a seu membro, Nico guinchou se remexendo, agora super sensível.

— Porra! —  Percy voltou a falar, mesmo com seus protestos, o acariciando suavemente. —  Você gozou sem eu te tocar?

Nico acenou que sim, suspirando satisfeito. De barriga levemente estendida, pequeno membro que se contraia entre os dedos de Percy e uma expressão de satisfação máxima no rosto, ele fechou os olhos e deixou ser ninado por Percy bem quando ele ouviu passos soarem no chão.

— Percy, eu não acredito que--

— Ele está bem?  — Nico ouviu mais passos se aproximando e a voz preocupada de Hazel que havia cortado a de Annabeth.

— O quê? O Nico? Ele está ótimo. Ele só está cansado. — Por um momento ouve somente o silêncio e no outro, Nico ouviu Annabeth bufando. Ele até pode imaginar ela revirando os olhos. Ele escutou Percy dizer em uma voz mansa e sonolenta “Se sentem.” e então uma coberta foi colocada sobre ele e Percy e o filme foi iniciado na TV.


Notas Finais


Hmm... aceitável?

Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...