História Eyes - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Sana, Tzuyu
Tags Sana, Satzu, Twice, Tzuyu
Visualizações 247
Palavras 1.284
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal! :3 Bom, hoje eu estou aqui para postar uma one-shot do Twice!

*Aviso 1: Nao fui eu quem escreveu essa one-shot! MAS, antes que me crucifiquem, foi o meu melhor amigo quem escreveu, e, como ele ainda não se sente à vontade para postar as histórias que escreve em sua própria conta, ele pediu que eu postasse.

*Aviso 2: A história é dele, mas a capa fui eu quem fiz (Por isso que a história tá maravilhosa e a capa tá uma bostinha... Jsksksksk).

*Aviso 3: Se gostarem por favor favoritem e comentem, isso ajuda bastante e pode até incentivar o cabeça dura do meu amigo a começar a postar as suas fics e imagines em sua própria conta! :3

Bom, sem mais delongas: Boa leitura e esperamos que gostem! ♡

Capítulo 1 - - Capítulo único -



Minha casa. 14h. Não se atrase, Yoda.

Tzuyu ainda lembrava da voz doce de Sana ao marcar com ela de fazer o trabalho estúpido de biologia. E, obviamente, Tzuyu estava nervosa. Se fosse com qualquer outra pessoa, ela teria batido na porta, entrado e feito o trabalho sem se preocupar. Mas não era qualquer pessoa. Era Sana. E isso era motivo mais do que suficiente para deixar o coração de Tzuyu maluco. A taiwanesa já havia perdido a conta de quantos meses faziam desde que gostava de Sana. Talvez desde o primeiro de dia de aula, quando a extravagante garota cruzou o olhar com o dela. A garota suspirou e cobriu o rosto com as mãos.

É só um trabalho de biologia, Tzuyu.

Um trabalho de biologia.

Com Minatozaki Sana.

Ai, merda.

Tzuyu finalmente tomou coragem e tocou a campainha. A porta foi aberta sem demora, revelando uma jovem com longos cabelos castanhos e olhos da mesma cor. Sana usava um dos seus típicos blusões e um short curto absolutamente normal. Nenhuma maquiagem, nenhuma roupa fora do comum. E mesmo assim, Tzuyu perdeu o fôlego ao vê-la.

"Tzuyu, alô" A japonesa chamava, e Tzuyu conseguiu sair do transe. "Ainda tá aqui na Terra, poste?" Tzuyu bufou. Odiava quando Sana a chamava assim.

"Boa tarde para você também, esquilo." Retrucou, satisfeita ao ver a careta de Sana depois que escutou a última palavra.

"Não precisava jogar tão baixo." Comentou a garota, se afastando para que Tzuyu pudesse entrar. A mais nova não se surpreendeu ao ver a casa vazia. Os pais de Sana deviam estar trabalhando, como sempre. A taiwanesa simplesmente seguiu reto no corredor, virando à esquerda apenas para entrar no quarto da mais velha.

"Argh!" Resmungou, ao ver que Sana ainda não tinha pintado a parede horrível dela.

"Sabe que não precisamos ficar aqui, né? Não tem ninguém mais em casa." A japonesa falou, mas sabia que Tzuyu não sairia do lugar. Apenas observou enquanto a mais nova jogava sua mochila nos pés da cama de Sana, apenas para depois se virar e encarar a japonesa, fazendo uma careta enquanto apontava para a parede.

"Sério que você ainda não pintou isso?" Questionou Tzuyu, e Sana revirou os olhos.

"Para de implicar com minha parede, Tzuyu-ah! Você sabe que eu gosto de rosa." A taiwanesa bufou e sentou-se na cama de Sana. Elas ficaram se encarando por um tempo, a mais nova sentindo seu rosto esquentar cada vez mais, porém, não conseguia desviar os olhos da japonesa. A imensidão castanha parecia a engolir, levando-a para um mundo novo, que Tzuyu nunca havia visto e sentido antes. Antes que se perdesse ainda mais naqueles olhos, rompeu o contato visual.

"N-Nós não temos um trabalho para fazer?" Lembrou, e Sana fez um "Ah" baixo. Tzuyu riu da capacidade de Sana de se distrair tão facilmente. Logo, a japonesa voltou com os materiais que precisavam para fazer o tão odiado.

"Bom... Podemos começar?"

[...]

"Ufa! Eu não aguentava mais isso!" Exclamou Sana, aliviada pelo término do trabalho. A garota se esparramou na cama, cansada. Tzuyu suspirou aliviada também, agora sentada no chão. As duas ficaram em silêncio, até que Sana se sentou subitamente e encarou Tzuyu de um jeito que a mais nova conhecia bem. Para falar a verdade, Tzuyu conhecia todos os olhares de Sana muito mais do que bem.

"Tzuyu-ah" Chamou, e Tzuyu sentiu a boca ficar seca com aquele olhar penetrante. "Estávamos estudando biologia, mas sinceramente" A japonesa desceu da cama, engatinhando para perto de Tzuyu, deixando seus rostos um tanto próximos. "Queria mesmo era estar estudando a anatomia do seu corpo" O coração de Tzuyu falhou por um momento. Ela sabia, sabia que isso era só mais uma brincadeira idiota da Sana, mas seu coração insistia em ser iludido. Seu corpo insistia em ser enganado. E seu cérebro insistia na mania de dar pane toda vez que Sana estava tão perto. "Mas, principalmente, queria estar estudando o funcionamento da sua língua."

Tzuyu perdeu a sanidade completamente. Seu corpo não se movia, seu cérebro não pensava. Foi aí que ela notou algo que fez seu coração bater com mais vontade. Sana não estava recuando. O olhar dela permaneceu no rosto de Tzuyu. E não era apenas isso. Seu olhar brincalhão era diferente. Aquele parecia mais sério. Era uma palavra que Tzuyu nunca tinha achado se adequar à Sana, até aquele momento. Sana estava falando sério.

Mais uma vez, aqueles olhos a envolviam.

Mais uma vez, aqueles olhos a hipnotizavam.

Mais uma vez, Tzuyu se apaixonava por aquela garota.

Surpreendentemente, a mais nova usou uma coragem que nem sequer sabia que tinha, e se aproximou. Mais. E mais. O leve encostar nos lábios de Sana foi o suficiente para fazer o corpo da taiwanesa estremecer. E para sua felicidade, Sana a beijou de volta. Seu beijo era doce e apaixonante. Assim como todos os outros detalhes da japonesa. Depois do que pareceram horas, as duas separaram seus lábios não mais que cinco centímetros, apenas para poder respirar.

"Eu gosto de você, Tzuyu" Sussurrou a mais velha, as bochechas ficando vermelhas. "Muito, muito mesmo. E eu sei que você também gosta de mim" A afirmação fez Tzuyu arregalar os olhos, surpresa. "Eu não sou tão lerda quanto você e as meninas pensam. Eu noto seus olhares, suas carícias, seus nervosismos. Eu noto tudo. Eu não sabia como falar isso para você, mas..." A voz dela falhou por um momento. "Estou apaixonada por você, Tzuyu."

A taiwanesa sentiu seu interior explodir em felicidade. A mais pura e bela felicidade. Beijou Sana novamente, depositando toda sua paixão naquele beijo. A mais velha retribuiu avidamente, sem nem pensar duas vezes. Assim que se separaram, Tzuyu puxou Sana, porém esqueceu a posição em que estavam. Sana acabou caindo por cima da taiwanesa, que riu. Segurando a japonesa pela cintura, sentou-se novamente, ajeitando Sana em seu colo. Encarou os lindos olhos da mais velha. E sorriu.

"Eu também estou apaixonada por você, Sana." Não que ainda precisasse de confirmação, mas foi bom falar em voz alta. Tzuyu encostou sua testa no ombro de Sana, que estava momentaneamente mais alta que a taiwanesa. As duas ficaram ali por minutos, aproveitando o contato e companhia uma da outra.

Após um tempo se passar, Tzuyu riu. Gargalhou, na verdade. Sana encarou confusa a mais nova, que só parou de rir depois de um tempo.

"Desculpe" Pediu, enxugando uma lágrima. "É que eu acabei de me dar conta que você usou uma cantada barata para se confessar." Sana fez um lindo cosplay de maçã ao ouvir as palavras de Tzuyu. Mas, pouco depois da vergonha, veio a leve irritação. A japonesa bufou e tentou se desvencilhar do abraço da mais nova, porém não conseguiu. "Desculpa, bolinho, eu não aguentei." Justificou, mas Sana apenas cruzou os braços e fez uma bico.

"Me solta." Ordenou. Tzuyu simplesmente balançou a cabeça e aproveitou o bico de Sana, para roubar-lhe um beijo. A japonesa nem hesitou em retribuir, provando que não estava nem um pouco irritada com a zombaria da mais nova. Assim, que se separaram, Tzuyu aproveitou para depositar leves beijos e mordidas no pescoço da mais velha, fazendo-a arfar. Mordeu o lábio inferior de Sana, aproveitando um momento para tirar uma casquinha da desejada bunda da garota. A japonesa deixou escapar um tímido e baixo gemido, mas foi o suficiente para deixar Tzuyu satisfeita. Por agora. Encarou novamente Sana, ainda não acreditando que aquilo estava realmente acontecendo.

"Ainda quer que eu te solte?" Perguntou, provocadora. Sana enterrou o rosto na curvatura de seu pescoço, fazendo Tzuyu estremecer com o contato.

"Não mesmo. Nem fodendo."

Tzuyu sorriu. Não iria soltar. Agora que finalmente a tinha, não iria soltar. Nunca mais.



Notas Finais


Ha! Olha eu de novo! :)
Espero que tenham gostado, porque ele escreveu com muito carinho e amor no coração (EU PESSOALMENTE ADOREI)... Jsksksksk

*Notinha: Eu vou postar cap. novo da minha fic em breve, já que a minha inspiração meio que voltou subitamente. E também comecei uma nova que pelo menos eu espero que dessa vez saia. Logo logo publicarei tanto o capítulo, quanto a fanfic nova! Então até breve...

Beijinhos... :3 ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...