História Fairy Tail - A Nova Geração - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Visualizações 98
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigada a todos que lerem esse capítulo u.u, e espero que gostem, por que eu não gostei ksksks. Fiz sozinha, então está ruim. Se possível comentem e dêem sua opinião :3, vai ajudar muito pra continuar a fic u.u

Capítulo 2 - Prólogo.


Fanfic / Fanfiction Fairy Tail - A Nova Geração - Capítulo 2 - Prólogo.

Era uma vez...

No imenso mundo de EarthLand, há exatamente 400 anos atrás, magos e humanos viviam em paz e harmonia, não havia guerra entre os mesmos.

Mas, como tudo que é bom dura pouco, ao longo dos anos, a maldade e a ganância começou a tomar conta cada vez mais dos magos, estes por sua vez, começaram a se tornar mais rudes, arrogantes e cruéis, mas claro, nem todos. Como consequência disso, os humanos começaram a se revoltar contra os magos: “Ah, os magos estão rogando feitiços em nossas plantações!!”, “Ah, os magos estão arruinando nossas vilas!!”.

E então, Guildas das Trevas foram surgindo, e mais magos foram se convertendo para seus lados gananciosos e obscuros, e isso deu origem à grande rivalidade entre as Guildas do Bem, e as Guildas Mal, pois os humanos julgavam cada vez mais os magos por seus feitos, sendo que a maioria não tinha culpa.


Em um certo dia, uma pequena luz se acende no final daquele túnel escuro, dividido entre luz e escuridão. Esta pequena faísca teve o destino de acabar com toda essa rivalidade entre Bem e o Mal, e que os humanos passassem a respeitar normalmente os magos. E eles realmente conseguiram! E o nome deles é… Fairy Tail…

Mais uma pequena Guilda que surgiu no imenso continente de Fiore, onde muitos achavam que seria “mais uma”, quando a mesma crescia cada vez mais, onde os seus membros evoluíam e extinguiam mais Guildas das Trevas inteiras, e foi assim, na verdade, é assim. Essa rivalidade entre Bem e Mal nunca acabou de verdade, a Fairy Tail acabou com dezenas de Guildas das Trevas, mas o que aconteceu de fato com essas Guildas? Que destino elas tomaram? Descubram...


*Quebra de Tempo - Ano de X678*


Era noite em Fiore, como toda noite, era sombrio e assustador, não se via movimento nas grandes cidades ou pequenas vilas, apenas se ouvia o barulho do vento soprando as cortinas e adentrando a casa dos moradores. Mas também, quem se arriscaria a sair?

No meio de uma imensa floresta, havia uma construção sendo feita, homens e algumas mulheres trabalhavam arduamente, todos suados mesmo estando frio, mas pelo intenso trabalho. Em uma espécie de cadeira, sentava-se um homem, sua aparência é desleixada, possui cabelos verdes curtos num corte padrão, olhos esbugalhados com a íris totalmente preta e possui um estilo incomum, gostando de pintar a parte de baixo de seus olhos com uma tinta vermelha assim como suas unhas. O seu corpo é esguio e magro até demais, sendo ossudo. ser o “dono” de toda esta construção.


- Vamos seus preguiçosos!! Trabalhem!! - Gritava o mesmo, enquanto se gabava dos trabalhadores.


O mesmo era rodeado por quatro homens, obviamente deveriam ser seus lacaios. Alguns minutos depois é possível se ouvir um barulho ensurdecedor vindo de um lugar desconhecido, era como uma espécie de motor, mas havia uma enorme presença mágica.

E entre as nuvens, um enorme dirigível surge no céu, o mesmo era encoberto pela escuridão, sendo apenas visível suas luzes que iluminavam aquele local escuro. Os trabalhadores e pessoas que haviam naquele local, pararam para observar aquele estranho objeto que ia pousando lentamente no chão.


- Continuem!! Por que pararam, seus inúteis?! Ninguém mandou vocês pararem de trabalhar!! - Gritava o mesmo homem, e logo em seguida uma esfera é formada na frente de sua mão, e o mesmo agarra um grande chicote coberto por espinhos. - Agora aprenderão a trabalhar direito!! - Então, o misterioso homem retira mais três chicotes daquela mesma esfera, e entrega um a cada lacaio que o rodeava. - Vão… E não tenham piedade… Giahahaha!! - Sussurrava o mesmo, finalizando com uma sádica risada maléfica.


Seus lacaios usam aqueles chicotes, e começam a chicotear os outros lacaios que trabalhavam, a construção que eles faziam era uma espécie de Castelo.

O homem vai caminhando diretamente onde o dirigível havia pousado, em uma clareira próxima. E do dirigível, uma enorme escada vai surgindo e se direcionando ao chão, onde após a escada chegar ao solo, sua porta é aberta, e dela uma elegante mulher surge, a mesma vai descendo lentamente os degraus daquela enorme escada, e indo em direção ao homem que também se aproximava. A mulher tinha longos cabelos albinos que realçavam a sua beleza, fazendo contraste com a sua pele morena e bem cuidada. Os seus olhos são de um tom azul acinzentado e no meio de sua testa há um triângulo roxo invertido. O seu corpo é repleto de curvas, com seios fartos e pernas torneadas.


- Uma-sama!! Quanto tempo!! - Dizia o homem, que logo abria  seus braços para abraçar a mulher que vinha em sua direção.


- Me poupe François. Para mim vir até este lugar que vocês chamam de “casa" é um sacrifício, imagine eu, uma mulher de classe, abraçar um moribundo velho como você… - Debochava a mulher, que logo empurrou o homem um pouco para trás com uma espécie de Magia.


- Uma-sama! Não seja tão dura com François, assim François fica triste!! - Falava o homem em um tom deprimente e literal.


- Hmpf, eu me importar se você ficar triste? Apenas se um dia não tiver mais consciência sobre mim mesma. - Debocha novamente a mulher.


- Mas diga, a que François deve vossa ilustre presença? - Questionava o mesmo, enquanto deprimiu-se um pouco pelo comentário anterior.


- Digamos, que é uma coisa de seu interesse… - Falava a mulher enquanto caminhava lentamente em direção à um outro caminho. - É um assunto particular, então siga-me.


O homem lentamente acompanha a mulher, eles iam em direção a uma espécie de lago, que ficava indo ao norte da construção. Ao chegarem, a mulher levita uma enorme pedra que havia no local, e a destrói, formando dois assentos, como uma espécie de banco, e em seguida põe um em seu lado, e outro em sua frente.


- Sente-se. - Ordenava a mulher, de forma imperativa, demonstrando uma forma mais autoritária e séria.


O homem intimidado, recua um pouco antes de sentar, mas logo senta.


- O assunto que tenho a tratar com você, é sobre uma certa… Guilda. Uma Guilda que há muitos anos nos derrotou, ma… - A mulher prestes a terminar é interrompida pelo homem, que logo fala assustado.


- Espere!! Você só pode estar falando dá… Fairy Tail?! - Exclama François assustado.


A mulher muda sua expressão rapidamente para uma expressão raivosa, e levanta-se rapidamente.


- Nunca mais me atrapalhe quando eu estiver falando algo, ouviu?! Nunca mais!! Ou será o seu fim!! - Grita a mulher, que aparentava estar muito irritada. - Mas irei continuar. Mas espere, só gostaria de avisar, que eu só não te matei ainda, porque você será útil!! - Afirma Uma, fazendo François engolir seco. - Bom, voltando aos negócios… - E novamente sua expressão muda para uma mais doce, como uma pessoa que quer muito algo. - Como ia dizendo, a Fairy Tail, que nos derrotou nossa geração passada há alguns anos, mas agora quero lhe fazer uma proposta… Pretendo restaurar a Aliança Balam!! Mas dessa vez, nós teremos sucesso!! Iremos dominar!! O que acha?!


- Bo… - François tenta falar mas é interrompido.


- Podemos derrotar a Fairy Tail, como um dia ela fez conosco, e humilhá-la!! Depois, iremos destruir todas as outras Guildas, e apenas nós... NÓS DOMINAREMOS O MUNDO!! MUAAHAHHA!! - Grita Uma, dando uma enorme risada macabra no final.


- Bom… François acha sua idéia genial!! Vingar o que aqueles imbecis fizeram com o pai de François um dia!! Mataram-no, e deixaram François sem um pai! François aceita sua aliança, a Phantom Lord aceita a Aliança com sua Guilda… Ah… Como é mesmo o nome de sua Guilda? - Questiona François sem saber.


E então, Uma se levanta e olha para o enorme lago em sua frente, dando um sorriso sádico, e sussurrando para François:


- Grimoire Heart… decore bem esse nome… Grimoire Heart!! MUAHAHAHA!! - Diz a mesma aumentando um pouco o tom da sua voz no final, e logo dando um enorme grito, que ecoava por toda aquela floresta…


Continua…




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...