História Fairy Tail - Histórias Entrelaçadas - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Gale, Gruvia, Jerza, Miraxus, Nali, Nalu
Visualizações 146
Palavras 2.734
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!
Postando mais um capítulo pra vocês!
Boa leitura ^^

Capítulo 4 - Igual a mim


Fanfic / Fanfiction Fairy Tail - Histórias Entrelaçadas - Capítulo 4 - Igual a mim

Observava cada aluno que adentrava aquela porta, queria gravar bem cada rosto, isso fez com que a loira lembrasse que não tinha feito amigos ainda, a única coisa que havia conseguido era saber o nome e poucas informações de algumas pessoas.

Erza Scarlet, a garota de cabelos ruivos e corpo de belas curvas. Na opinião de Lucy, ela era sem duvidas umas das garotas mais belas da escola, era inteligente, determinada e ... assustadora, não é de se surpreender que todos a respeitem e que tenha sido escolhida como representante da turma, parecia ser amigável.
 Levy Mcgarden, a pequena de cabelos azuis claros. Ela possui uma beleza diferente, é tão adorável quanto fofa, também não era de se surpreender que tantos garotos quisessem chamar sua atenção, mesmo sendo nerd, ela era de fato encantadora, parecia uma boneca.
 Gray Fullbuster, o moreno alto e de corpo atlético, tão belo que chamava atenção tanto de homens quanto mulheres. É considerado um dos caras mais populares de Fairy Tail e tem uma péssima mania de querer se despir mesmo na escola, não é um dos mais gênios mas também não era uma anta, pra Lucy aquilo parecia mais falta de motivação mesmo... Hora ou outra sempre brigava com Natsu, mas mesmo brigando, ao olhos de Lucy, eles pareciam ser melhores amigos, só que de uma forma esquisita e irritante.
 E por fim, Natsu Dragneel, o garoto de cabelos rosados que possui o incrível dom de lhe tirar a paciência. O que sabia sobre ele é que, ele era uma anta desprezível, mas que mesmo assim Erza gostava muito dele, e por isso, só por isso, ainda estava ali, esperando aquela ameba adentrar a sala pra sugar toda energia que havia ganhado no fim de semana.

 Suspirou ao ver o garoto entrar, por um momento acreditou que ele não iria hoje, mas para seu desgosto, lá estava ele caminhando em sua direção. Todo seu desgosto sumiu quando viu o olho roxo e inchado do mesmo.

- Bom dia. – ele a cumprimentou sem emoção alguma.

- Natsu, cara, o que aconteceu? Você ta péssimo – Gray perguntava atrás de Lucy, seu rosto estava tão surpreso quanto cômico por tentar segurar a risada. Lucy olhava o rosado ansiosa pela resposta, quando viu o mesmo congelar ao olhar pra Erza que o olhava pelo canto dos olhos de forma assustadora.

- Eu caí? – Sua voz saiu totalmente trêmula. E ela sorriu meio psicopata.

“- Garanto manter ele na linha – Erza me respondia animadamente.”
Lucy se lembrou das palavras da ruiva sentindo um frio na espinha. Era assim que ela ia manter ele na linha? Na base da porrada?

Foram atrapalhados pela professora de Física que adentrava a sala, Mary. Ao ver dos quatro ela era tão irritante quanto a matéria, sua voz era insuportável. E, como sempre, ela já chegou jogando exercícios.

- Plena segunda feira, e a primeira aula tinha que ser dessa pata engasgada? – Lucy tentava de todas as formas segurar o riso pelo comentário um tanto indignado de Natsu. Não queria dar a ele o gostinho de vê-la rindo por sua causa.

- Ne, Natsu, eu soube que ela tem uma quedinha por você! – Gray sussurrava pra Natsu atrás de Lucy, o que a fez ter que prender a risada mais uma vez.

- Melhor ela que o SugarBoy não acha Gray?- Natsu olhava de forma maliciosa pra o Gray, que fez o mesmo fechar a cara.

“- Sugarboy tem uma queda pelo Gray?” – Dessa vez Lucy não se agüentou, a risada saiu mesmo sem seu consentimento. SugarBoy era professor de história das artes, parecia viver um eterno cosplay do Elvis Presley. 

Ambos os garotos olhavam pra ela incrédulos, afinal era a primeira vez que a viam rir, ela vivia séria.

- Ne, Lucy, você tem uma risada fofa, devia rir mais vezes. – Gray falava colocando a mão na cabeça da mesma. Lucy corou violentamente com o comentário do moreno.

- Já achou a vítima desse ano Gray? – Natsu perguntava maliciosamente e Lucy parecia um pimentão. “- Como assim vítima desse ano?” pensou.

- Ciúmes, foguinho?- Gray perguntava tentando irritar o rosado, que sorriu satisfatoriamente.

- Na verdade se você quiser a gente ate pode trocar de... – Lembrou-se de quem era a dupla de Gray, quando viu a mesma lhe olhar de forma psicopata. – Não, deixa pra lá. – Falou virando-se pra frente rapidamente sentindo um frio percorrer todo seu corpo, queria nem imaginar como era ter ela como dupla.

Gray percebeu o quão sem graça Lucy estava com aquela situação. – Ei, Lucy.- Ela se virou pra o mesmo recebendo um sorriso amigável. – Relaxa, não liga pra ele.- Ela tinha que admitir, ele era lindo e esse pensamento só a fez corar mais.

- Ela gostou de você, Gray – Natsu falava a olhando maliciosamente.

- Estúpido, cala a boca. – Lucy falou ríspida tentando esconder seu constrangimento.

- OH, bem vinda de volta coisa chata. – após esse comentário, Natsu logo sentiu um estojo acertar sua cabeça.

- Ou você cala essa sua boca ou eu mesmo faço você calar. – Erza falava cerrando os dentes atrás de Natsu, fazendo o mesmo bufar fazendo bico, enquanto massageava a cabeça. – Presta atenção na aula.

As primeiras aulas haviam passado rapidamente, e Lucy viu pela primeira vez Natsu focado em ajudá-la, mas sabia que tudo aquilo era culpa de certa ruiva que o ameaçava de instante em instante, isso a fez se perguntar diversas vezes que tipo de relação eles tinham. Hora ou outra pegava Gray olhando pra si, o que várias vezes a deixou constrangida, não sabia o que ele queria com ela, mas sabia que não queria ser uma de suas vítimas.

O sinal havia batido, e como não se sentia confortável o suficiente com ninguém resolveu ficar na sala escrevendo seu livro. Sim, Lucy tinha como um de seus sonhos, ser uma escritora reconhecida, e dava duro por esse dia.

-C-Com licença... – Foi atrapalhada por uma voz doce, tão doce que já sabia de quem se tratava.

- Sim? – Olhou a pequena azulada que parecia um tanto envergonhada ao lado de sua mesa.

- Eu posso?- apontou para a cadeira de Natsu.

- Claro!- Lucy sorria, dando espaço a garota que logo se sentou.

- Lucy Sanger não é? – Lucy confirmou com a cabeça. – Prazer sou Levy Macgarden, mas pode me chamar de Levy.- falava ainda sem graça.

- Prazer em conhecer Levy. – Lucy abria um belo sorriso, se sentia bem perto da azulada.

- Você é escritora? – Perguntava curiosa.

- Não ainda, mas pretendo ser sim.

- O que pretende escrever? – Levy agora parecia mais a vontade perto da loira.

- Romance. – Lucy sorria um pouco constrangida.

- Eu adoraria ler um de seus romances Lucy! – O constrangimento deu lugar à empolgação.

- E-Eu ainda não t-terminei – Lucy sentia suas bochechas arderem.

-Oh, então quando terminar, você me deixaria ser a primeira a ler? – Os olhos da azulada brilhavam. Lucy estava tão surpresa que não conseguia responder. - M-Me desculpe, é que é a primeira vez que vejo alguém que como eu, gosta de escrever. – Um leve rubor tomava seu rosto.

- T-Tudo bem, é que, eu ainda fico insegura... mas seria um honra Levy. – Lucy percebeu que os olhos de Levy brilhavam em um tom único. – se... Me deixar ler um dos seus romances também. – Olhou pra a azulada com o mesmo brilho nos olhos.

-Claro Lucy, deixo você escolher qual quiser! – Lucy a olhava surpresa, isso significava que ela tinha vários? – Você pode ir escolher hoje mesmo se quiser, depois da aula nos vamos buscar na minha casa certo? – Ela falava já se levantando animadamente.

– Eu nem posso acreditar, alguém finalmente vai ler um de meus livros. – Juntava os seus pequenos dedos de suas mãos em frente ao rosto dando um sorriso fofo. Lucy sorria ao ver a reação da pequena.

- Claro, então depois da aula? – Não tinha como negar, estava ansiosa pra ler um dos livros da pequena.

- Depois da aula! – Ela sorria animadamente enquanto se dirigia a sua cadeira.

- Vejo que já ta se enturmando Lucy – Erza dizia enquanto se aproximava. – A Levy é uma ótima garota, gosto muito dela.

- Apesar de não a conhecer bem, também gostei muito dela. – Lucy respondia animada.

- Vocês vão se dar bem, tenho certeza disso. – Erza se dirigia a cadeira dela.

- Ne, Erza.- Chamou a atenção da ruiva. – O que você é do Natsu? – Estava curiosa sobre a relação daqueles dois.

- Ah, o Natsu é como um irmão pra mim... Por quê? Por um acaso você está... – A ruiva indagava de maneira maliciosa.

- O QUE? NÃO, NUNCA, nem pense nisso!- Falava indignada – Eu só fiquei curiosa, por você sempre se preocupar com ele.

- Conheço Natsu desde a infância, acabei criando esse desejo de cuidar dele de alguma forma, nos moramos juntos também então, ele é realmente como meu irmãozinho, um irmãozinho estúpido e irresponsável. – Riu sem graça na ultima frase.

- Entendo... PERAI, Vocês moram juntos? – perguntou incrédula

- Sim, moramos eu, ele e Happy... Não é nada fácil lhe dar com eles... – Suspirou desanimada.

- Imagino que sim. – Falou se lembrando do dia que conheceu Natsu e Happy, queria nem imaginar o que era morar com aqueles dois.

-Agradeço ter tentado mais uma vez... Ele parece estar melhorando não? – A ruiva perguntava de forma amigável.

- Sim... Ne, me pergunto como ele conseguiu aquele olho roxo. – Falava em meios as risadas deixando a ruiva constrangida.

- Alguém precisa por ele na linha. – O comentário da ruiva só fez a loira rir ainda mais.

- A Maria da Penha também serve pra homens sabia?

- Ele sabe que não sobreviveria pra contar história. – As duas se entreolharam ate caírem na gargalhada.

- Posso saber o motivo das risadas? – Gray chegava acompanhado de Natsu.

- Não é algo de seu interesse Gray, assunto de garotas. – empurrou a testa de Gray levemente com seu dedo indicador.

- Para com isso, me faz parecer uma criança. – Ele tinha seu rosto completamente vermelho.

- Pra mim você nunca deixou de ser. – Erza respondia com um tom vitorioso, que fez o garoto bufar e Natsu gargalhar.

- Criancinha... – o rosado sussurrava em meio às risadas.

- Ao menos não sou eu que ainda apanho de garotas. – Gray olhou pra o rosado que fechou a cara.

- Não me provoque, eu ainda bato em você. – Falou olhando pra o lado bufando.

- Você sabe que não teria chance contra mim. – Gray desafio o rosado.

- Quer apostar? – Na mesma hora ambos levaram um belo cascudo na cabeça.

- E eu bato em vocês dois, ate colocar pra dormir, QUEREM APOSTAR? – Erza mostrava os punhos, e os meninos se abraçaram quase sem cor.

– AYE.- Falaram em uníssono. Lucy caia na gargalhada. Tinha que admitir era divertido ficar com eles.

- Vocês não mudaram nadinha. – Gildarts falava de seu birô suspirando pesado. – Sentem-se a aula já vai começar.

Logo todos se sentaram em seus lugares, e assim como as primeiras aulas, as ultimas passaram em um salto, ainda mais porque o professor era tão bom, que faria os alunos terem atenção mesmo se sua aula durasse o dia inteiro, a aula de Gildarts envolvia a todos fazendo realmente o tempo voar.

- Bem, acredito que a aula de hoje, foi bem produtiva. – Gildarts falava enquanto guardava suas coisas. – Então, queridos alunos, tenho a felicidade de informá-los que teremos prova na sexta feira. – Escutou murmúrios e reclamações. – Vai ser uma forma de ajudar a vocês com as notas e uma forma de avaliar como as duplas estão se desenvolvendo. Mas não se enganem, não vou pegar leve com vocês, portanto estudem! – Logo um forte som de sirene indicou o fim das aulas daquele dia.

Lucy arrumava suas coisas enquanto sentia uma pontada de preocupação em seu peito.

- Ne, Natsu. – O mesmo já descia ate a saída quando ouviu a loira o chamar. – Promete que... não vai me prejudicar? – Falou sem esconder a preocupação no tom de voz.

- Relaxa loira. – Respondeu se virando em direção a porta novamente.

- Prometa! – falou um pouco mais alto fazendo o rosado parar.

- Eu prometo Luce. – Falou com um tom um tanto debochado. – Satisfeita?- Lucy permaneceu cabisbaixa vendo o rosado sair.

- Ele não vai te prejudicar. – Erza falava atrás de Lucy.

- Assim espero Erza, assim espero... – Falou vendo o rosado sair da sala.

Lucy pegou suas coisa e foi em direção a saída junto de Erza que a havia esperado. Seguiram ate os portões de Fairy Tail sem pronunciar uma palavra se quer e Lucy ainda estava cabisbaixa de preocupação.

- Lucy! – Levy acenava dos portões pra a loira. – Vamos? – A loira e a ruiva já estavam próximas.

- Eu vou por aqui, tenho trabalho a fazer. – A ruiva falava apontando para o caminho oposto.

- Você trabalha Erza? – Lucy perguntava curiosamente, afinal passou o fim de semana inteiro procurando um emprego de meio período e não havia conseguido.

- Sim, trabalho como garçonete de uma lanchonete perto do parque.

- Você... Acha que conseguiria ... algo pra mim ?- Lucy perguntava constrangida coçando as bochechas.

- Vou ver se consigo... - Sorriu para a loira. - Até mais!

- Até! – as meninas seguiram o caminho oposto ao da ruiva.

Logo chegaram a uma casa simples de dois andares, Levy cumprimentou a mãe na cozinha e puxou Lucy subindo as escadas até seu quarto. Ao chegar no quarto de Levy, Lucy tinha sua boca aberta de tanta surpresa, aquele quarto parecia uma biblioteca com prateleiras e mais prateleiras cheias de livros por todos os lugares, e era simplesmente fantástico e aconchegante.

O quarto de Levy tinha nas paredes tons de branco e laranja, laranja pôr do sol. Havia uma janela que pegava a parede de canto a canto e no meio da janela tinha um belo filtro dos sonhos com penas azuis claros que davam um belo contraste com a cor do quarto, as cortinas finas davam um ar calmo e aconchegante, a cama era branca e estava encostada na parede, na cabeceira, um mapa do mundo, no chão, um tapete felpudo com tons de azul, laranja e branco, e ao lado da cama tinha uma Luminária brilhosa que deixava tudo mais encantador. O restante do quarto era somente livros.

- Aqui, pode escolher. – Levy apontava pra a prateleira acima de sua cama. Lucy subiu a cama impressionada pela quantidade de livros que provavelmente a pequena tinha escrito.

-São todos seu? – Indagou com os olhos arregalados, pela suas contas ali devia ter uns 20 livros ou mais.

- Sim.- Falava sorrindo um pouco constrangida. – Alguns ainda estou melhorando. – Lucy mantinha os olhos na azulada encantada, mas logo se voltou para a prateleira pegando o livro que mais chamou sua atenção.

- Esse aqui. – Apontou um livro pra Levy, que tinha por título “O melhor amigo do meu irmão”.

- É uma ótima escolha, tem um pouco de comédia e uma pitada de drama. Espero que goste. – Levy sorria amigavelmente.

- Tenho certeza que vou! – Lucy folheava animadamente.

*//*

Voltava agora pra casa observando o livro da azulada em suas mãos, não sabia dizer o que sentia no momento, seus sentimentos estavam tão misturados que, dizer todos ia parecer ate confuso. Saberia finalmente o que é ter amigos?

* Após passar a tarde toda conversando e rindo com Levy, lá estava eu, a porta da casa com o livro que ela tinha me dado em mãos. Eu estava inquieta , o que não passou despercebido pela azulada.

- Algum problema Lucy? – Ela me indagava preocupada. – Esta se sentindo bem?

- Ne,Levy...- chamei a atenção dela que me olhava cada vez mais preocupada. – Eu nunca fiz isso... nem sei como é essas coisas mas... – Agora ela me olhava confusa. – I- Isso significa que somos amigas agora? – Sentia meu rosto arder de vergonha enquanto fitava o chão. E não escutar resposta dela me fez sentir uma estúpida, já ia me desculpar quando senti os pequenos braços dela me envolverem em um abraço.

- Claro, Lu-chan! – Ela me respondeu alegremente enquanto me abraçava.”

Não podia dizer tudo o que sentia, mas tinha um sentimento que se destacava de todos os outros, ela estava feliz, e seu corpo inteiro demonstrava isso.

“ Mamãe eu agora tenho uma amiga.E ela não é de pedra, nem mesmo uma estatua... Ela é alguém, alguém de verdade, igual a mim.”


Notas Finais


Como prometido mais um capitulo... Planejo postar mais um sábado.
Até agora a história foi mais uma "introdução", então ela está um pouco mais tranquila. Mas, na verdade, ela vai ter alguns assuntos meio pesados ( então não se assustem) e será dividida em Arcos. A partir do capítulo seis começa um, que será o do Natsu. "O passado que quero esquecer"
Agradeço mais uma vez a quem está me dando este voto de confiança e me perdoem os erros, juro que estou dando meu melhor ><.
Não desistam onegai.
Bjs e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...