1. Spirit Fanfics >
  2. Fairy Tail: Dragon Age >
  3. Aberrações

História Fairy Tail: Dragon Age - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


bem esse capitulo tem um titulo semelhante ao do prólogo por uma razão específica... que eu não vou contar aqui. Nos vemos nas notas finais.

Capítulo 24 - Aberrações


//Ilha Galaluna\\

 

//Vila dos demônios Azuis\\

 

//Grupo de Sting\\

 

Sting e seu grupo estavam na cabana do chefe da vila. Eles estavam, da melhor forma que podiam, cuidando de Natsu. O mesmo estava ardendo em febre…

Eles não sabiam dizer o por que… mas acharam que era por que o mesmo tinha usado o poder de E.N.D na hora. Lucy se lembrava de quando Natsu usou suas chamas azuis pela primeira vez… foi assustador. Ela viu a expressão que todos carregavam. As mesmas expressões pesadas que ela carregou quando viu essas chamas pela primeira vez. Mesmo elas não sendo direcionadas para eles… ainda assim… era como cruzar com a morte… cada momento… você sente um medo indescritível… de Natsu… não… de E.N.D se virar contra os seus aliados.

Lucy não sabia o por que… mas ela evitava julgar E.N.D pelos seus atos… e evitava misturar a pessoa de Natsu Dragneel, com E.N.D. Ela não sabia o por que… ela sabia o que o ser sentado a sua frente fez no passado… as mortes que ele causou… a tristeza que ele trouxe… as vilas que sua guilda apagou do mapa… tudo por mera diversão… como ela podia ser gentil com o ser a frente dela… a ponto de não o Julgar-lo…

De novo… ela era muito ingênua… ela sabia que sua ingenuidade um dia causaria sua ruína, mas ela preferia se machucar a machucar os outros… esse é o tipo de pessoa que Lucy Heartfilia é…

Logo a conversa de Sting com Minerva chama a atenção de Lucy. Mais especificamente a última frase.

─ Será que a humanidade está errada? ─ Perguntou o jovem loiro. Seu cabelo cobria seus olhos, impossibilitando de ver a seriedade que seu rosto estava.

─ Por favor Sting… ─ Começou Lucy. Ela não sabia o por que, mas algo na frase de Sting havia a irritado… profundamente. ─ é hipocrisia dizer que a humanidade selou E.N.D e estava errada… veja bem o que os seus generais fizeram em quanto a Tártaros estava a solta… Eram apenas Generais… o que você acha que ele ─ Ela disse apontando para Natsu, com raiva e desgosto em sua voz. ─ Poderia fazer? Esse ser a nossa frente… gostando ou não… é responsável pelos seus atos… e pelos atos daqueles que o criaram… por que o selaram? Pois se a humanidade e os dragões não o selarem… eles virariam presas… ficariam abaixo da cadeia alimentar para os demônios… essa é a razão… uma mera questão de sobrevivência. ─ De repente, Lucy se deu conta do que falou. Ela percebeu que algo nela… algo muito errado… estava a controlando quando falou isso. Ela decidiu dar uma volta pela praia, e pediu licença para os outros.

─ Eu nunca a vi tão irritada… ─ Disse Sting, surpreso com o que Lucy disse. ─ Ela não era, entre nós, a que mais tinha razões para apoiar o E.N.D?

─ Sim… ela é a que mais tem razões para odiar a humanidade… depois do que o Rei de Fiore e seu pai fizeram com ela… ─ Disse Rogue, com um olhar pensativo.

─ O que eles fizeram? ─ Perguntou Minerva, curiosa com a situação. Ela parecia sempre uma criança pequena quando se tratava de assuntos que ela não dominava… curiosa demais.

─ É mesmo… você não conhece o passado dela… Bem, não está no nosso lugar te contar… se quiser saber… sugiro que pergunte para a própria Lucy… ─ Respondeu Sting, se lembrando que Ele e Rogue fizeram muito mais missões com a Lucy do que qualquer outra pessoa. ─ Mais saiba de uma coisa… ela pode ficar irritada se você se meter muito no assunto. Dentre todos nós… a Lucy é provavelmente a que teve o pior passado aqui…

 

//Narrador\\

 

//Mundo Interior do Natsu\\

 

─ Então… o que me diz? ─ Perguntou E.N.D, esperando ver uma reação de seu lado bom… uma reação que não veio.

─ Você é idiota por acaso? ─ Perguntou Natsu, surpreendendo E.N.D. ─ Por que eu o ajudaria… VOCÊ DE TODAS AS PESSOAS! ─ Ele grita na última parte, surpreendendo ainda mais o demônio rosado. ─ Você causou aquelas mortes… seja por instinto ou não… seja por reagir ou não… o fato é… que você é perigoso demais para que eu ofereça qualquer ajuda.

─ Seu… seu… HIPÓCRITA! ─ Disse E.N.D, irritado com sua contraparte. Suas chamas azuis começaram a circular ambos. ─ como pode se julgar o lado bom de nós dois se você se recusa a me ajudar? Me responda! ─ Ele agarrou Natsu pela gola da camisa.

─ Eu nunca me julguei o lado bom dessa história E.N.D… Não… o correto é que eu nunca que julguei como um santo… alguém cuja as decisões são pensando no bem de todos… ambos sabemos que eu não sou assim… mas… ─ Ele logo da um chute na boca do estômago de E.N.D, o afastando. ─ Eu faço o que preciso para proteger a queles que me são preciosos… e se eu deixar você a solta no mundo… eu sei que eles correrão perigo. Por tanto… a saída mais lógica… mesmo não sendo a correta… é não te ajudar. ─ Disse, se virando para sair do local.

─ Seu… Maldito! MALDITO! EU SOU E.N.D… NÃO ME IGNORE! ─ E.N.D gritou, sua fúria ecoava por todo o mundo interior de Natsu. Logo, suas feições se acalmaram… e o que parecia ser uma pequena lágrima em seu rosto caiu, logo quando Natsu havia desaparecido no horizonte. ─ Não… não… não me deixe sozinho… eu não quero ficar sozinho de novo…

Sim… o motivo que motivou E.N.D a fazer tudo o que ele fez… todas as insanidades e maldades que ele cometeu… que ele foi acusado de fazer… que sua guilda cometeu… foi tudo… para livrar-lo da solidão imensa que é ser o único demônio de fogo no mundo mortal… e que nem ao menos conseguir morrer para ir para o makai… onde, talvez, possa conseguir achar novos demônios, cada um do mesmo tipo dele… ele não consegue nem ao menos morrer, sem sua regeneração o proteger…

Sim… o fim natural de todas as coisas… o que ele queria era alguém para chamar de igual… Alguém que ele pudesse competir, alguém que ele pudesse compartilhar sua conquista, alguém que ele pudesse chamar de amigo… era apenas isso que o demônio que reduz o pó de volta ao pó queria…

Mas tudo isso fora negado a ele… quando apenas uma palavra foi ouvida… uma palavra falada da boca de uma mulher… uma palavra, que mesmo sendo enfeitada por outras palavras belas, outras palavras que não o machucassem, eram meramente para proteger um dragão de luz e seu jovem filho… sim… tudo o que ele queria foi negado quando fora chamado de ABERRAÇÃO.

Natsu, mesmo longe, ouvira as lágrimas de E.N.D caírem no chão… ouvira seus suspiros e choros… mas ele nunca deu atenção a isso… ele sabia que… um dia… ele ajudaria E.N.D… no seu interior ele sabia o que fazer… chame de instinto ou qualquer outra coisa… ele sabia que ele e E.N.D deviam se tornar um… para toda essa tristeza desaparecer de E.N.D… para que ele finalmente tivesse poder para ajudar a quem ele ama… para ambos poderem serem completos de novo… mas algo o impedia…

Sua humanidade. Ele sabia que se ele perdesse isso, ele perderia tudo e todos que ele conheceu em seu caminho, que todos os juramentos e acordos que ele fez até esse momento, perderiam a validade… sim… Natsu e E.N.D eram mais parecidos do que palavras podem descrever… ambos se orgulhavam de quem eram… e esse orgulho impedia-os de cooperar… isso fazia que o controle de ambos sobre a magia caísse… e que sua performance diminuísse… mas… isso não importava… pois eles sabiam… que a partir do momento que um pedisse para que ambos se tornassem um… ele perderia para o outro…

Sim… ambos eram parecidos… e isso era uma irritação para ambos… como pode Natsu, alguém que ajuda os outros ser tão parecido com um demônio implacável… e ao mesmo tempo… como pode E.N.D, ter alguém tão insignificante como seu igual… ambos se odiavam, não por serem polos opostos da mesma pessoa… mas meramente por um orgulho estúpido que os cegava.

 

//Lucy\\

 

Lucy estava caminhando pela praia, quando sentiu algo estranho. Desde aquele dia, sua intuição melhorou muito. Ela logo pegou uma de suas chaves, e com um feitiço silencioso, ela apenas esperou. No mesmo lugar, em quanto sua empregada cuidava do seu oponente.

Logo, ouve uma luta no arbusto, e de lá veio Virgo, o espírito celeste de virgem. Uma jovem e bela mulher, com roupa de empregada e cabelos rosa claro. Seus olhos eram isentos de qualquer vida e sua pele mais parecia ser feita de plástico.

Ela estava carregando um estranho homem que parecia um… cosplayer de cachorro? Provavelmente um híbrido. Ele carregava em seu pescoço uma meia. Não usava camisa nenhuma, apenas um short de praia e a estranha meia em seu pescoço. Era um homem de cabelo castanho, alto e com olhos negros.

─ Roof roof… me largue roof! ─ Gritou o homem esperneando e tentando se soltar. Sem nenhum sucsso aparente.

─ Hime eu achei… isso… num arbusto a seguindo… devo me desfazer dele? ─ Perguntou o espírito de empregada, com o mesmo rosto inexpressivo de antes.

─ Eu não sou isso, roof. Meu nome é Toby Horhorta e eu sou um servo do Lyon-sama! Roof. ─ Disse o híbrido, para logo colocar as mãos em sua cabeça, percebendo seu erro. ─ NÃO ERA PARA EU FALAR ISSO ROOF… ─ Toby exclamou e logo colocou a mão em seu queixo com um olhar de uma pessoa esperta (o que ele obviamente não era), o híbrido olha para Lucy com uma nova admiração. ─ Você é mais esperta do que eu pensei… me fazer contar isso com tanta facilidade.

─ ‘Você que é muito burro e contou sem nem perceber…’ ─ Pensaram ambas Virgo e Lucy, com caras inexpressivas.

─ Na-não olhem para mim como se estivessem olhando para um inseto! Roof ─ Disse Toby, irritado com a situação em que estava, apenas para deixar outro detalhe escapar. ─ Se vocês não pararem de me olhar assim, meu amigo Yuka Suzuki vai arrebentar vocês! ─

─ TOBY SEU IDIOTA! ─ Disse um pequeno homem saindo de uma copa de árvore atrás de Lucy. Ele era pequeno, tinha grandes sobrancelhas negras, e olhos verde-escuro. Seu cabelo ia até os ombros e era azul-escuro. Ele usava roupas verdes e um chapéu da mesma cor. ─ Eu estava prestes a te libertar… por que você… Espere um pouco… ─ Ele logo se deu conta que cometeu o mesmo erro que Toby. ─ Toby… sua estupidez é contagiosa!

─ O que é isso, roof. O gosto é bom? ─ Perguntou Toby, babando e com a cara de um filhote.

─ Que merda Toby… nem consigo te xingar… e agora elas sabem que estamos aqui… eu sou… um inútil. ─ Disse o homenzinho chamado Yuka, se ajoelhando e com uma aura depressiva ao redor dele.

─ O que devemos fazer Hime… ─ Perguntou Virgo, tão confusa com a estupidez desses dois quanto Lucy. ─ Ao que parece eles são menos inteligentes que formigas… não darão as respostas que queremos… devo me livrar deles.

─ Quem você está chamando de Burro! ─ Disse Yuka, ele logo se levantou. A aura depressiva que tinha ao seu redor foi substituída por uma fina camada de energia. Lucy, e especialmente Virgo, mesmo sem se darem conta deram um passo para trás. ─ Sabe… eu cometi o mesmo erro que meu amigo… mas… eu sei que… em questão de habilidades… a minha vence contra a sua… ─ o pequeno homem, logo apontou sua mão para Virgo dizendo uma só palavra. ─ Hado! ─ Logo, uma onda invisível foi em direção a Virgo, e assim que a atingiu… ela se desfez em partículas de luz.

─ Ma-mas o que… O que você fez! ─ Gritou Lucy, ela logo percebeu algo diferente no ar… estava… rarefeito… como se… o Ethernano…

─ Minha magia… onda… me permite lançar ondas que diminuem a concentração de Ethernano no ar. Ou aumentam… eu posso controlar o Ethernano com essa magia… ela me faz uma arma conhecida como anti mago… ─ Disse O pequeno homem, e logo ele some de onde ele estava. Lucy apenas sentiu um poderoso golpe que drenou sua energia. Ela caiu e se ajoelhou a frente de Yuka. ─ E colocando a onda no meu punho e aplicando artes marciais, eu posso interromper o fluxo de magia de um mago… só o tocando… deixando-o inútil… você entende garota… isso me torna um caçador natural de magos… se eu quiser eu posso aumentar a velocidade que o Ethernano circula em seu corpo… fazendo você morrer de exaustão… ou eu posso simplesmente queimar-la viva com a velocidade que ele vibra… Ou melhor ainda… posso fazer com que um membro seu vibre tanto com o Ethernano que ele se despedace… de qualquer maneira… eu ganhei o título de “Anti-mage” por isso.

─ Por que você… escolheria… tal… magia… ─ Perguntou Lucy, tentando recuperar o folego.

─ Vingança…. ─ Disse Yuka, surpreendendo a jovem moça. Ele logo tira seu chapéu, permitindo a ela ver um chifre saindo de onde estava. ─ Eu e Toby somos híbridos de espécies diferentes. Ele é um meio Inugami… e eu sou um meio Kirin… O fato é que… sempre fomos vistos como… ABERRAÇÕES. Isso nos irritou… e agora somos mais fortes que a maioria dos magos… a magia do mesmo é Dispel… Você entende agora Humana… minha magia atrapalha a concentração do Ethernano e a magia de Tobi é capaz de dispersar a magia em seu estado físico… nós somos conhecidos como Mage Slayers! ─ Yuka concluiu seu monólogo com essa frase.

Lucy podia ver que não estavam mentindo… ambos tinham olhares tristes em seus rostos. Prova que o passado era real… eles eram como ela… pessoas que sofreram na mão dos humanos… mas uma pergunta ainda restava para a jovem maga.

─ Por que… estão ajudando Lyon Vastia então… até onde eu sei… ele é um humano… o mesmo tipo que vocês odeiam. ─ Disse Lucy, com dificuldade em falar.

─ Isso é… uma história que você não precisa saber! ─ Disse Yuka, tocando na cabeça de Lucy, e a deixando desacordada. ─ Vamos Toby… é do interesse de Lyon saber que existem visitantes indesejados na ilha além de Gray e E.N.D…


Notas Finais


bem, o que acharam? Eu mudei a espécie dos dois por razões conhecidas como... Plot convinience.
Bem, no mais, é isso. Espero que tenham gostado, comentem e compartilhem para me deixar feliz e té mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...