1. Spirit Fanfics >
  2. Fairy War >
  3. Fúria

História Fairy War - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Fúria


    Natsu mesmo que fingisse que não, estava feliz, ver o prazer que Wendy sentia ao voar sempre fora algo que aquecia seu coração, era um prazer que a muito tempo tinha esquecido, para ele voar tinha se tornado sinônimo de dor e tragédia, toda vez suas asas batiam morte era a única coisa restava em seu caminho, por isso nem mesmo ligou quando a pestinha decidiu morder a ponta de seu rabo.

    Em um momento estava feliz e relaxado, e no outro seu corpo tinha ficado tenso, seu instintos gritando que inimigos estavam próximos, ele ouviu as o assobio de flechas, e sentiu o momento em que uma delas atravessou a asa de sua prima.

    Wendy começou a despencar do céu, girando fora de controle, deixando em seu caminho um rastro de sangue.

    A última vez que Natsu sentiu medo, fora no dia que viu seu pai morrer, mas nem se comparava com que estava sentindo agora, Wendy era sua para proteger e ele tinha falhado, sem pensar, ele mergulhou atrás dela.




    Lucy acordou abraçada com Erza, as duas tinham ficado até tarde conversando, e contando histórias do passado.

    “ERZA” Alguém bateu com força contra a porta, ao mesmo tempo que gritava,”ERZA ACORDA” A Rainha das fadas levantou da cama com um pulo, indo em direção a porta, com uma espada na mão.

    “Quem e?”

    “Sou eu, a Levy.”Erza abriu a porta, e a fada entrou no quarto, estava pálida.”Você precisa vir comigo agora, os dragões foram avistados.”

    Lucy se trocou, sem ligar para as outras mulheres, juntas as três correram para o ponto mais alto do castelo, Makarov, Romeo, Gildarts, e Mirajane  estava lá, olhando para o horizonte..

    Lucy ficou sem palavras, voando em direção a cidade estava duas das criaturas mais incríveis, assustadoras e linda que tinha visto em toda a sua vida, um dos dragões era cinza, com escamas que pareciam feitas de ferros, a cabeça triangular parecida com a de uma cobra, e asas como as de um pássaro, com penas afiadas que pareciam lâminas, e um rabo cilíndrico, com a ponta que parecia um machado, era uma criatura imensa dá uma ponta da asa a outra deveria ter mais de sessenta metros, ainda assim, comparado com o que voava ao seu lado, parecia tão ameaçador quanto um gatinho.

    Não havia dúvidas, do porque, aquele ser o Rei de todos os dragões, ele era imenso, da ponta de uma asa a outra, deveria ter mais de cem metros, escamas vermelhas que pareciam chamas sólidas, chifres e espinhos pretos,  Runas escuras cobrindo todo o seu corpo, mesmo estando tão longe, era possível sentir o poder emanando dele, em ondas que rolavam pela terra, deixando claro para todos os seres vivos quem estava no topo, um poço tão fundo que não parecia ter fim, os soldados dentro das muralhas, pareciam em pânico, alguns simplesmente gritaram e saíram correndo, outros desmaiaram de medo.

    “Incrível.”Ela não sabiam se tinha falado, ou outra pessoa, o dragão vermelho, olhou para trás, logo depois, um dragãozinho azul,  saiu andando por sua asa, pulou na asa do dragão de ferro,  os atravessado como se fossem pontes, o dragão azul colou suas asas ao corpo, minúsculas em comparação aos outros dois, e pulou, caindo em queda livre, até que as abriu ao máximo  e subiu, dando cambalhotas ao redor dos dois, e até mesmo mordeu o rabo do vermelho.”Erza, quem e quem?

    “O cinza, e Gajeel Redfox, o general, e o braço direito do Rei.”Lucy desviou o olhar por tempo o suficiente para ver que Erza estava tão maravilhada, quanto ela.”O azul, e Wendy Dragneel, a herdeira ao trono dos dragões, são os únicos conselheiros corajosos o suficiente para expressar suas opiniões para o Rei, apesar do fato de serem primos ajudar um pouco, se Gajeel e o lado armado do Rei, Wendy pode ser considerada a consciência dele, o lado gentil, a voz da razão.”O dragão azul deu uma última pirueta, e parou voando,  logo abaixo de seus primos.”O vermelho e Natsu Dragneel, o Rei dos dragões, e a criatura mais poderosa viva.”

    Romeo deu um grito de dor, e caiu de joelhos, mas ninguém se importou, assim que os dragões cruzaram a fronteira do reino das fadas, flechas foram disparadas contra eles, as que atingiam os dois maiores, eram inofensivas, mas uma tinha se cravado na asa do pequeno, que estava caindo fora de controle.

    O Rei dragão rugiu, um barulho tão alto que os vidros na cidade e no castelo explodiram, árvores foram arrancadas do chão, e arremessadas longe, ele fechou as asas, e despencou do céu, caindo como um meteoro em direção a Wendy, ele a envolveu em uma abraço, e se curvou em uma bola, usando suas asas para protegê la ainda mais.

    Quando tocou o chão, o mundo tremeu, casas dentro das muralhas desabaram, árvores foram arremessadas por quilômetros, e uma onda de choque, varreu tudo em seu caminho.

    Gajeel caiu exatamente onde as flechas tinham sido disparadas, um segundo depois gritos, soaram pela floresta

    “Gildarts, prepare os soldados, temos que ajudá-los.” Erza tinha mudado o vestido que usava, por uma armadura, mas o conselheiro não tinha se movido.”O que está esperando?”

    “Não será necessário, minha Rainha.” Até mesmo Gildarts Clive, estava com medo. ele apontou para onde o dragão tinha caído, um pilar de chamas explodiu, subindo em direção às nuvens, seguido por um rugido ensurdecedor, repleto do mais puro ódio, o Rei dragão se lançou ao céu, coberto de chamas vermelhas como o sangue, ele subiu até estar em cima das nuvens, e Gajeel o seguiu, com sangue pingando dos prisioneiros pendurados em suas garras.”Devemos preparar nossas defesa?”

    O céu ficou completamente vermelho, como se o sol estivesse se pondo, as nuvens se abriram, dando lugar a uma bola de fogo do tamanho de uma montanha, que caiu onde os arqueiros inimigos estavam.

    Quando Lucy conseguiu enxergar novamente, não havia restado nada, nem mesmo cinzas, a terra havia se tornado uma mancha preta contra o verde das árvores ao redor, o Rei Dragão desceu das nuvens, voando em direção a cidade com chamas cobrindo suas asas, e sede de sangue emanando de seu corpo.

    “Minha Rainha, o devemos fazer?”Gildarts estava em pânico, olhando para o dragão como se o fim estivesse chegando.”Devemos preparar as defesas?”

    “NÃO” Erza estava tremendo.”Se movermos nossos soldados agora, parece que estamos atacando, Natsu não pensará duas vezes antes de transformá-los em cinzas.”Ela abriu as asas de borboleta em suas costas, e trocou a armadura que vestia por uma vermelha, com padrões de chamas.” Eu vou tentar acalmá-lo.”

    Antes que Gildarts pudesse falar alguma coisa, Erza decolou, voando em direção a própria morte, como uma flecha disparada.




    ‘Wendy estava bem’ Natsu ficava repetindo esta frase em sua mente sem parar, tentando convencer a si mesmo de que era verdade, mas não importava quanto tempo passava, sua prima nem ao menos se movia.

    Ele se virou de lado, e abriu suas asas, colocando a forma inconsciente de sua prima no chão, com meio pensamento assumiu sua forma humana.

    Natsu se aproximou dela, e sinceramente, não fosse pelo fato de que o calor que emanava de seu corpo evaporar suas lágrimas, estaria chorando feito um idiota, ele caiu de joelhos ao lado dela, apoiando seu ouvido no peito escamoso.

    ‘Tum, Tum, Tum’ Aquele era o som mais bonito que tinha ouvido em toda a sua vida, o coração de sua prima batia normalmente, Natsu caiu de joelhos, alívio tomando conta de todo seu corpo.

    Wendy soltou um gemido de dor.

    Natsu se levantou, preocupação tomando conta novamente, ele andou até estar parado ao lado da asa direita de sua prima, uma flecha de madeira estava presa na membrana a centímetros de um dos delicados ossos, ele tocou a ponta da flecha, e deixou seu poder percorrer toda a haste de madeira, a transformando em cinzas, ao mesmo tempo em que mergulhou na consciência da Wendy, e roubou a dor da ferida sendo cauterizada.

    Quando o pequeno dragão azul soltou um suspiro aliviado, Natsu deixou a fúria consumi-lo, nem mesmo percebeu quando seu corpo voltou para sua verdadeira forma, sua calda se enrolou no corpo da Wendy, e a colou em segurança entre dois dos espinhos de suas costas.

    Natsu olhou para o céu e Rugiu, deixando todo o seu poder fluir, sem se importar com as consequências, um pilar de fogo surgiu ao seu redor, mas não era o suficiente, só seria o suficiente quando todos não houvesse mais nada, ninguém atacava sua família, e viveu para contar.









    A única coisa que estava impedindo que Gajeel ficasse louco, era o fato de tinha visto o momento que Natsu pegou Wendy, mas ainda assim sua preocupação aumentava a cada segundo.

    Uma flecha acertou seu pescoço e se despedaçou, um dos soldados inimigos segurava um arco, enquanto olhava incrédulo para ele, como se não conseguisse acreditar que sua flecha não tinha feito o menor efeito.

    Gajeel balançou sua cauda, acertando a parte que se dividia em duas lâminas contra o abdômen do soldado, ele sentiu um prazer mórbido quando os outros gritaram de medo, olhando para o amigo dividido em dois, ele abriu suas asas e rodou na clareira, suas penas afiadas como espadas contando tudo em seu caminho.

    ‘Gajeel’ A voz de seu primo ressoou em sua mente como o estouro de um trovão, a fúria que conseguia sentir, o deixou assustado, ele conhecia o Natsu desde o momento que Nasceu, e durante todos os mais de duzentos anos que passou ao lado dele, nunca tinha ouvido seu primo tão furioso.

    Ele pegou os poucos que ainda estavam vivos e decolou, seguindo seu primo para cima das nuvens, os soldados gritavam de medo, mas até mesmo eles se calaram quando Natsu transformou o lugar em que estavam em nada.”



    Natsu olhou para seu primo, Gajeel estava voando ao seu lado, suas garras segurando os poucos sobrevivente, que choravam, e sangravam, só se cortarem nas escamas de ferro extremamente afiadas que cobriam todo o corpo do dragão, bom, pelo menos um dos dois estava pensando direito.

    Mesmo depois de ter liberado seu poder, Natsu não conseguia se acalmar, a fúria que o dominava começo, e parecia não ter fim, era como se estivesse em seu sangue, gritando em sua mente que não era o suficiente.

    ‘Gajeel.’ Não era preciso nada mais entre eles, o dragão de ferro se aproximou, pousando em suas costas, Natsu sinceramente não sabia se aquela tinha sido uma boa ideia, no momento que sentiu o peso de seu primo, a preocupação que sentia deu lugar para o alívio, a certeza de que ninguém iria machucar outra pessoa que se importava, mas a sensação de alívio passou muito rápido, deixando só a fúria.

    Natsu não conseguia acreditar, sabia que haviam se passado muito anos desde que vira a rainha das Fadas pela última vez, mas nunca, nem mesmo no pior de seus pesadelos, tinha imaginado que alguém que um dia chamara de amiga iria o trair daquele jeito.

    Cada segundo que passava, a fúria aumentava, até que o mundo que via foi coberto por uma névoa vermelha, Erza tinha se esquecido o que significava atacar sua família, ele a forçaria a se lembrar.

    Ele deixou sua magia fluir, cobrindo suas asas, as runas que cobriam seu corpo começaram a brilhar em uma luz negra, cada vez que suas asas se mexiam, criavam uma onda de fogo, não havia mais volta, depois daquele dia não restaria um único Feérico vivo.

    “NATSU.”Parada em pleno ar, entre ele e a cidade das fadas, com uma armadura vermelha, estava a própria rainha traidora.”POR FAVOR SE ACALME, VAMOS CONVERSAR.” Conversar? ela queria conversar? Natsu sentiu a fúria se reunir em seu peito, e subir por sua garganta, ele fechou a boca com força, e chamas sairam por suas narinas, não seria tão fácil, não daria aquela traidora o benefício de uma morte rápida.”ME ESCUTE, POR FAVOR, FOI TUDO UM MAL ENTENDIDO.”

    Além de traí-lo, a maldita ainda tinha a coragem de mentir na sua cara?

    ‘Wendy’ A voz de Gajeel ecoou em sua mente, repleta de preocupação, Natsu sentiu quatro pés pequeninos andando por suas costas, sentiu a asas se arrastarem até que o dragão azul estava em sua cabeça, depois em seu focinho.

    Como se tivesse gastado toda a energia que tinha, Wendy deitou, olhando em seu olhos.

    ‘Por favor, se acalme Natsu.’ Imagens acompanhavam cada palavra, memórias dela, o dia que ele tinha a ensinado a voar, uma vez que um pesadelo não a deixou dormir, e Wendy foi dormir em seu quarto, sem se importar quando ele recusou, ele se lembrava perfeitamente daquele dia, a garotinha, que não tinha mais que sete anos na época, olhou em seus olhos, e disse com voz de choro:’ Por favor, eu sei que se dormir aqui, nem um monstro irá me pegar.

    ‘Wendy, eles nos traíram, te atacaram.’ Ainda assim, ela não recuou.

    ‘Por favor, por mim, escute o que eles têm a dizer.’

    Mesmo que não quisesse, ele sentiu sua fúria recuar, as chamas em suas asas desapareceram por completo, as runas se apagaram, voltando a ser somente tinta preta.

    ‘Calada’ Erza que até aquele momento ainda estava gritando, se assustou quando sua voz ecoou na mente dela, apesar de sua fúria ter recuado, a raiva que sentia ainda estava ali.’Agradeça a minha prima Titania, agradeça ao deuses também, que a fizeram com um coração tão gentil.’ O alívio que apareceu no rosto dela, ameaçou acordar a fúria, mas Wendy, se levantou, e andou até estar com a testa colada na dele.’E se lembre-se, que não haverá uma segunda vez, a pedido dela não irei transformar todo seu reino em uma pilha de cinzas.’

    “Obrigado, Natsu, juro por minha honra que não tenho nada a ver com esse ataque, e que não descansarei enquanto não descobrir o culpado” Ela colou a mão no peito, acima do coração, e fez uma reverência.” Irei voltar ao castelo para providenciar os melhores curandeiros.”

    Antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, ela se virou e disparou de volta para o castelo.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...