1. Spirit Fanfics >
  2. Fairy Wars >
  3. Convocação

História Fairy Wars - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Convocação


A princesa Lucy Heartfilia, a única herdeira de Stella, o reino dos espíritos das estrelas, olhava para o seu pai sem conseguir acreditar no que estava lendo, em sua mão havia uma única folha de papel com o selo da Titânia, a rainha das fadas.

-Isso é verdade?-Ela não conseguia decidir, se seria mais assustador se o que  estivesse escrito ali fosse verdade ou mentira.- Ela está realmente propondo isso? Erza não tem juízo?

-Cuidado com o que fala Lucy, mesmo que sejam amigas de infância, nunca esqueça que Erza agora e a Titânia.-Jude, o consorte da rainha sorria calorosamente para a filha, aquilo era algo que ela havia herdado da mãe, Layla, as dua não sabiam esconder os pensamentos, eram honestas demais.- Respondendo a suas perguntas, primeira: acredito isso iria acontecer mais cedo ou mais tarde, só não esperava que fosse ser aquela pequena Erza que tomaria a iniciativa.-Jude se perdeu em sua memórias, lembrando-se da pequena fada de cabelos vermelhos, que brincava com sua Lucy, Erza sempre foi corajosa, não havia nada que teme-se no mundo, além é claro da raiva de sua mãe, a titânia anterior: Irene Scarlet, ou como era mais conhecida, o desespero vemelho.- Segunda e claro que ela não tem juízo, somente alguém sem medo de morrer iria ter uma ideia dessas.

-Você está certo, papai.-Lucy voltou a olhar para a carta, depois de lê-la mais uma vez voltou a olhar para o pai.-O que faremos, vamos aceitar a proposta dela ou não?

-Eu conversei com sua mãe antes de ela partir para encontrar o seu avô.-Naquela manhã antes mesmo do sol nascer, e os criados acordarem Jude e Layla, discutiram aquele assunto ou melhor brigaram por causa dele.- Eu acho que não devemos nos envolver, o exército negro não nos incomoda, se não nos intrometemos nos assuntos deles; sua mãe acha que devemos aceitar, que mais cedo ou mais tarde, eles se voltaram contra nós.- Jude parou por um momento, indecisão estampada em seu rosto.-Mas o que pensamos não é importante, nós dois concordamos que como a próxima Rainha de Stella, essa decisão será sua. 

-Minha? Mas.. mas...mas-A princesa não tinha palavras, nunca em seus dezoito anos de vida imaginara que teria que tomar uma decisão dessas tão cedo.-Pai, não posso tomar essa decisão, isso afetará todo o reino, todas as pessoa que vivem nele.

-Por isso mesmo que você deve tomá-la, esse será o seu primeiro teste como rainha.- Apesar de entender o medo de sua filha, Jude sabia que o que estava fazendo era o certo, Lucy precisava entender exatamente o que seria esperado dela quando assumisse o trono.-Você não precisa responder agora, tome o tempo que precisar.

-Não,eu tenho que me decidir o mais rápido possível, cada minuto desperdiçado terá uma consequência.-Durante quase duas horas a princesa ficou parada onde estava, em pé na frente do trono de sua mãe, sem mexer um dedo, seu pai estava sentado em seu lugar de costume, nos degraus que levavam ao trono; Ela estava com os olhos fechados o rosto franzido em concentração, seu olhos se moviam de uma lado para outro por baixo de sua pálpebras.  

Jude só sorria, sem falar uma palavra, ele reconhecia aquela expressão, era a mesma que sua esposa usava quando estava analisando cada cenário possivel e imaginavel, criando em segundo o equivalentes a anos do que poderia acontecer, as consequências de cada decisão.

-Eu tomei minha decisão, Papai.- Ela abriu os olhos, que brilhavam com a luz das oitenta e oito constelações, Jude esfregou os olhos para afastar a miragem que estava vendo, sua filhinha por um momento se tornou idêntica a mãe.-Aceitaremos, mesmo que agora ele nos deixem em paz, não há garantias de que continuará assim.

-Se essa é sua decisão.- Jude se levantou dos degraus olhando para as imensas portas do salão do trono, ele chamou dois criados, que se curvaram em uma reverência.-Preparem tudo que for necessário para uma viagem de um mês, a princesa Lucy partirá em dois dias.

    Lucy voltou para o seu quarto para ajudar os criados a preparar o que for necessário, se sentou em sua cama com uma caixa de madeira em uma das mãos e a carta da rainha das fadas na outra, ela abriu a caixa e retirou um conjunto de chaves feitas de ouro e algumas de prata, mas todas eram esculpidas em uma das pontas.

    -Parece que eu vou precisar de vocês.- Ela sussurrou para as chaves, que se aqueceram ao toque, depois as devolveu a caixa, lendo mais uma vez a carta da rainha dessa vez em voz alta.-”Cara Layla Heartfilia, por meio desta a convido para participar de uma reunião em dez dias, na cidade de Crocus, a capital do Reino das fadas.

    O Assunto dessa reunião, tenho certeza que já adivinhou, e a criação de uma aliança entre os cinco grande reinos que sobreviveram a marcha do exército negro, para criarmos um exército unificado com o único propósito de derrotar, O Rei negro, de uma vez por todas.

    Espero vê la logo, 

Erza Scarlet, Titania,

Rainha das fadas’.

    -Depois disso não haverá volta, espero que você esteja certa Erza.-Lucy colocou a carta na mesma caixa que estava sua chaves, andou até as janelas para olhar o pôr do sol.- Quando tudo acabar, ou teremos vencido ou estaremos todos mortos.

 

****

    Natsu estava sentado em seu trono, o cômodo estava dominado por escuridão, a unica exceção eram seu olhos que brilhavam como duas brasas incandescentes.

 As portas foram abertas com força, revelando seu primo Gajeel, que estava acompanhado por dois soldados que seguravam entre eles um macho pequeno que tremia e chorava de forma pathetica.   

Os quatro entraram no salão, seus passos ecoando no espaço vazio, a cada centímetro o macho desconhecido chorava com mais força. se debatia e arranhava os soldados, mas era inútil, seria necessário muito mais do que alguns arranhões para incomodar um dragão.

-O que está acontecendo?- Sua voz sou como a erupção de um vulcão, agora até mesmo os guardas estavam tremendo, o único que continuava calmo era Gajeel que até mesmo soria de toda aquela situação, quando estava a três metros de seu trono, chamas ganharam vida nas parede, acendendo varia tochas espalhadas pelo lugar.- Quem e esse macho?

-Nós o encontramos desacordado na praia ao sul, ele diz ter uma mensagem para o senhor, Meu Rei.- Os guardas jogaram o macho no chão com tanta força que ele quicou uma vez, depois foram até a parede no fundo do salão, Gajeel ficou parado entre eles os pedaços de ferro em seu rosto combinado com seu sorriso, deixava claro o que aconteceria caso aquele macho decidisse fazer alguma coisa.

-Quem é você, Mortal? O que te traz ao meu domínio?- O macho se curvou em uma bola, o cheiro ácido de urina dominou o lugar.-Me responda mortal, antes que eu te transforme em uma pilha de cinzas.- Ele não se moveu, só ficou ali deitado chorando com cada vez mais força, Natsu olhou para o primo que tentava, mas falhava miseravelmente conter a risada.- Se essa desculpa patética de macho não vai responder minha pergunta, chamem o cobra, e joguem-no em uma das celas mais profundas, não tenho a menor vontade de ouvi lo gritar.

    Um dos soldados se aproximou do macho o colocando de pé, enquanto o outro saiu da sala para chamar o interrogador mais cruel do reino.

    -Po...r...fa...Vor.- O mancho finalmente falou, sua voz chorosa só servia para deixar o Rei dos dragões cada vez mais irritado.-Nã…o... me ...machu...que.

    O soldado começou a arrastá lo para fora da sala do trono, quando uma pequena figura surgiu na porta, dois rabos de cavalo balançavam com o vento.

    -Natsu.-O tom de censura na voz da jovem foi o suficiente para deixar até mesmo o grande Natsu Dragneel envergonhado.- Se você parasse de falar como se fosse queima lo de dentro para fora, esse pobre coitado conseguisse te responder direito.

    -Mas Wendy..- O olhar dela era demais para aguentar, até mesmo Gajeel havia parado de sorrir, olhando envergonhado para o chão.- Me desculpe, Prima.

    -Não é para mim que você deve desculpas.- Ela focou sua atenção no guarda que ainda segurava o pobre macho, como se tivesse sido acertado por uma descarga elétrica o soldado soltou seu prisioneiro, ele não tinha o menor desejo de receber a fúria da pequena dragão do céu, Wendy correu até o macho se ajoelhando ao seu lado, suas mão emitindo uma luz azul.- Peço desculpas em nome de meus primos, eles nunca aprenderam a palavra gentileza.- Ele só a encarava, como se um anjo tivesse tomado forma em meio aquele inferno.-Por favor traga um pouco de água para ele.-O Solado que restara saiu correndo da sala, voltando um pouco depois com uma jarra de água e um copo, que encheu entregando para a princesa.- Tome, e se acalme.-O estranho tomou todo o conteúdo em um único gole.- Agora responda a pergunta do Rei.

    O macho colocou uma das mão dentro da camisa, mas foi um erro, em um piscar de olhos ele estava com um espada serrada encostando em seu pescoço, enquanto um anel de chamas envolvia seus pulso.

    -PAREM COM ISSO.-Wendy gritou para os primos, mas os dois a ignoraram seus olhos haviam se tornado fendas, pequenas escamas haviam tomado forma em seus rostos.-Por favor tire sua mão de dentro da camisa, bem devagar.-Não havia como negociar com os dois idiotas, a única solução era provar que o macho não era uma ameaça, ele fez como foi pedido revelando uma carta selada.- Ele não é uma ameaça, se acalmem por favor.    

    Com um último grunhido, Natsu e Gajeel, recuaram a espada desapareceu em um clarão de luz, Wendy pegou a carta a examinados.

    -Esse é o selo da Titania, você é um mensageiro das fadas?- O homem acenou, e naquele momento Wendy notou as orelhas levemente pontudas dele, assim como cabelo loiro bem claro que o marcava como um membro do povo da floresta.-Não fomos informado de que alguém viria.

    -MInha rainha temia que uma transmissão por lacrima poderia ser interceptada, a mensagem que trago é importante demais para que corremos esse risco.- O macho engoliu em seco, olhou para os dois dragões, para o guarda e por fim para a princesa, deu uma tossida para limpar a garganta e se levantou, vagarosamente, por temer a reação deles e por suas pernas ainda estarem tremendo.- Meu nome e Max, sou o mensageiro pessoal da Rainha Titania.- Ele foi completamente ignorado.

    -Gajeel, traga me essa carta.-O dragão de ferro se aproximou do macho, seu olhos vermelhos brilhando a luz de tochas parecendo com piscinas de sangue, ele pegou a carta e a levou para seu rei.- Obrigado, primo.- Ele fez uma leve reverência, voltando para  o lado de Wendy.

    Por um minuto, Wendy, Gajeel, Max e o soldado só observaram o Rei ler a carta, quando terminou a amasou em seu punho e se transformou, chamas explodiram de seu corpo revelando suas imensas asas vermelhas, fazendo com que as escamas que agora cobriam todo seu corpo brilhasem , dois chifres negro surgiram em sua testa, seus olhos haviam se tornado dois redemoinhos de fogo.

Agindo por instinto Gajeel Pulou na frente da prima, escamas de ferro surgindo em seu corpo, o soldado correu para fora do salão sem nem olhar para trás, O mensageiro das fadas caiu sentado voltando a tremer e a chorar. 

-Natsu se acalme, você está assustando a Wendy.-Era uma mentira, a princesa dos dragões não havia ao menos piscando ao ver seu Rei explodir de raiva, ela tinha certeza de que Natsu nunca a machucaria, Mas Gajeel não se importava, aquela era única forma que conseguia pensar de acalmar o Rei.

Natsu olhou para o primo, depois fechou os olhos respirando fundo, as chamas se apagaram, mas as asas, os chifres e as escamas não desapareceram, ele voltou a se sentar em seu trono.

-O que estava escrito?- Wendy saiu de trás do primo, parando ao seu lado.- O que a Titânia quer?

-Ela está me convidando para uma reunião em dez dias, com o objetivo de derrotar o Rei Negro- Natsu conseguiu controlar seu temperamento, antes de explodir novamente.- Como ela ousa Tentar nos envolver em sua guerra?.

-O que você fará meu Rei?-Gajeel sabia que o Rei Negro era um assunto delicado para o dragão de fogo, era para todos os dragões.

-Eu acho que você deveria ir.- Os dois olharam para a pequena dragonesa.-Pelo menos para ouvir o que ela tem a dizer.

-Os dragões não se envolveram na guerra da fadas, esse era o desejo de meu pai, eu honrarei a vontade dele.

-Natsu, você sabe que essa guerra não é mais só das fadas, o Rei Negro perdeu completamente o controle, ele já dizimou espécies inteiras.-Natsu desviou o olhar, não queria olhar para a prima, não queria aceitar aquela verdade.- Eu nunca o conheci, Não como vocês dois, mas pelo que eu ouvi sobre ele, nunca iria querer algo assim, ser o responsavel por todas essas mortes, toda essa dor.-Wendy limpou uma lágrima que escorreu por seu rosto, a dor que via nos olhos de seus primos era demais para a jovem dragonesa.-Se não quer fazer isso pelas fadas, faça por ele.

-Se preparem, partiremos para Crocus em três dias.- O tom de Natsu levou ainda mais lágrimas aos olhos dela, era a voz de alguém que tinha tomado uma decisão e que se odiava por isso.- Não lhe prometo nada Wendy, mas irei pelo menos ouvir o que tem a dizer.

-Obrigada Natsu.- Wendy sentiu o braço de Gajeel descansar em seus ombros, a puxando para um abraço de lado seu olhos estavam tomados pela mesma dor que os de Natsu.-Sinto muito.

Os dois dragõe só sorriram para ela, mesmo que fosse óbvio para qualquer um que os conhecesse de que estavam devastadas por dentro.

 


Notas Finais


Não sei com que frequencia irei atualizar essa historia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...